Injeção Eletrônica

O sistema de injeção eletrônica foi criado para substituir os carburadores e melhorar o desempenho dos automóveis. Ele alimenta o combustível e evita a poluição nas cidades, o que acontece por conta do sistema que controla a mistura de ar e combustível do motor do veículo. 

Procurando Serviço de Sistema de Injeção Eletrônica?

Entre em contato agora e peça um orçamento ou agende uma visita em nossa loja.

O sistema de injeção eletrônica foi criado para substituir os carburadores e melhorar o desempenho dos automóveis. Ele alimenta o combustível e evita a poluição nas cidades, o que acontece por conta do sistema que controla a mistura de ar e combustível do motor do veículo. 

Procurando Serviço de Sistema de Injeção Eletrônica?

Entre em contato agora e peça um orçamento ou agende uma visita em nossa loja.

Como funciona a injeção eletrônica?

A injeção eletrônica verifica as informações e compara com as leituras gravadas em sua memória. Depois, o próprio sistema envia os dados para diversos atuadores. Veja como funciona a injeção eletrônica:

 

1ª etapa

Dê a partida no automóvel. Com isso, os pistões farão um movimento de subir e descer e, em seguida, o sensor de rotação informará a atividade para a unidade do sistema de injeção eletrônica. 

 

2ª etapa

Na segunda etapa, o pistão vai gerar uma aspiração no coletor e um vácuo na atmosfera que passará por uma borboleta de aceleração e por um medidor até chegar aos cilindros do motor. 

 

3ª etapa

Por fim, a Central de Comando terá a informação sobre o volume de ar admitido, identificando o que fazer com essa unidade para permitir que as válvulas de pressão tenham a quantidade de combustível adequada para o bom funcionamento do sistema de injeção eletrônica. É assim que se estabelece a relação ideal entre ar e combustível em um veículo. 

A injeção eletrônica verifica as informações e compara com as leituras gravadas em sua memória. Depois, o próprio sistema envia os dados para diversos atuadores. Veja como funciona a injeção eletrônica:

 

1ª etapa

Dê a partida no automóvel. Com isso, os pistões farão um movimento de subir e descer e, em seguida, o sensor de rotação informará a atividade para a unidade do sistema de injeção eletrônica.

 

2ª etapa

Na segunda etapa, o pistão vai gerar uma aspiração no coletor e um vácuo na atmosfera que passará por uma borboleta de aceleração e por um medidor até chegar aos cilindros do motor. 

 

3ª etapa

Por fim, a Central de Comando terá a informação sobre o volume de ar admitido, identificando o que fazer com essa unidade para permitir que as válvulas de pressão tenham a quantidade de combustível adequada para o bom funcionamento do sistema de injeção eletrônica. É assim que se estabelece a relação ideal entre ar e combustível em um veículo. 

Quando realizar a inspeção da injeção eletrônica?

Quando realizar a inspeção da injeção eletrônica?

Com o sistema de injeção eletrônica, o motor do automóvel é programado para trabalhar em condições ideais. Ele se adequa ao consumo de combustível e o processo de combustão fica mais eficiente e econômico. Além disso, há outras vantagens do sistema, confira:

  • Partidas mais rápidas;
  • Maior rendimento do motor;
  • Menos poluição nas cidades.