Troca de óleo

Até os motoristas menos experientes se preocupam em deixar em dia a troca de óleo do seu carro porque entendem a importância disso, e estão completamente certos em sempre estar atendo a isso, porque o óleo e como sangue em nossas veias, vital para um bom funcionamento e durabilidade.

O óleo do motor serve para lubrificar as partes moveis que entram em atrito uma com as outras, como pistões nos cilindros por exemplo; além disso ele também é responsável por auxiliar na redução das extremas temperaturas internas devido a combustão dos gases. Por isso deixar de fazer a troca, ou não fazer a troca no período certo pode causar danos enorme no motor do seu veículo.

O erro mais comum é simplesmente esquecer de conferir a quilometragem (ou prazo) determinado pelo fabricante do carro para substituir o óleo. Esses intervalos variam de 5 a 20 mil quilômetros.

Deixar pra realizar a troca e óleo após o prazo pode ser muito prejudicial, pois os aditivos perdem suas propriedades e pode ocorrer um desgaste maior nos componentes, ou então o óleo engrossar e se transformar numa graxa, conhecida também por “borra”.

Por isso é fundamental ficar atento ao prazo da troca de óleo, e também realizar a troca do filtro; pois o filtro pode acumular sujeiras que vão contaminar o novo lubrificante.

Atualmente no mercado existe três tipos de óleos lubrificantes, essa classificação refere-se a origem do óleo.

Óleo Mineral – Extraído por meio do processamento do petróleo. Ele é um dos mais comuns do mercado, pois é indicado para praticamente todo modelo de carro nacional.

Óleo Sintético – Obtido em laboratório, e tem um grau mais alto de pureza e funcionar muito bem em qualquer temperatura. Tem uma alta taxa de durabilidade e por isso é indicado para quem roda muitos quilômetros por dia.

Óleo Semissintético – É obtido por meio de uma mistura do mineral e sintético. O resultado tem a principal característica de prender-se as partes metálicas do motor enquanto ele está desligado, assegurando menor atrito na primeira partida. Ele é indicado para motores com alta rotação
Outra questão que é muito importante ficar atento, é a viscosidade.

Para identificar essa característica é preciso ficar atento a uma identificação numérica de dois números separados por um W presente na embalagem, por exemplo:

Óleo 20w50 – Na temperatura fria o óleo possui viscosidade equivalente a 20 e quando aquecido possui viscosidade equivalente a 50.

Óleo 5w30 – Na temperatura fria o óleo possui viscosidade equivalente a 5 e quando aquecido possui viscosidade equivalente a 30.

No exemplo acima, o primeiro é um tipo de óleo mais grosso normalmente indicado para motores com folgas maiores; já o segundo trata-se de um tipo de óleo mais fino, produzido com o objetivo de extrair uma maior potência do motor.

Mas no fim o melhor jeito de você saber o tipo certo de óleo para o motor do seu carro, é dar uma olhada no manual do veículo, onde contem a frequência ideal e qual o tipo de óleo você deve utilizar. Ou então conte também com o auxilio de um profissional capacitado.

Mais conteúdo sobre troca de óleo: clique aqui 

TROCA DE ÓLEO

Profissionais qualificados para o serviço de Troca de óleo