Kunimitsu Takahashi: o pai do Drift

Nomes japoneses não são fáceis de lembrar, muito menos de falar. Mas, existe um nome específico que faz parte da história do drift. E se você é um admirador do esporte assim como nós, siga lendo o texto até o final, pois faremos questão de mencionar o nome desse japonês várias vezes para ninguém esquecer! E aí, já sabe de quem estamos falando?

 

Em primeiro lugar, vamos apresentar o nosso protagonista. Nascido em Tóquio no Japão, em 1940, o lendário piloto Kunimitsu Takahashi foi o criador e inspirador da técnica em 1970.

Como já citamos no texto sobre o drift aqui no blog, ele ficou famoso batendo seu “apex” (ponto onde o carro está mais perto da curva) em alta velocidade e derrapou, saindo da curva mais rápido que o normal. Com esse feito, Takahashi começou a ganhar uma legião de fãs que deu início ao drift japonês.

Takahashi inspirou fãs pelo Japão e modalidade tornou-se popular

 

Um deles, Keiichi Tsuchiya, que ficou conhecido como o “Rei do Drift” (Drift King) e popularizou o esporte em todo o mundo. Seu Toyota AE86 é um dos carros mais famosos e cultuados entre os fãs da cultura automobilística japonesa, e sua carreira é inspiração para muitos entusiastas que desejam dominar a técnica do drift – no Brasil, no Japão e no mundo. Atualmente ele é um dos editores de uma revista em vídeo chamada “Best Motoring” que mostra testes de rua com carros japoneses novos, incluindo uma edição especial bimestral chamada de “Hot Version”.

 

Das duas rodas para o volante

 

Antes de assumir o volante, Takahashi vivia sobre duas rodas, mostrando que sempre foi um amante da velocidade. Mas, em uma prova disputada na Ilha de Man, ele sofreu uma queda e levou alguns meses para se recuperar. Para não correr riscos ao tentar retornar como um motociclista profissional, Takahashi preferiu trocar o guidão pelo volante. E foi ao volante que o piloto, hoje um veterano com 80 anos de idade, se tornou uma lenda.

Como resultado, Takahashi tornou-se piloto da equipe de fábrica da Nissan e foi um dos que conduziu a segunda geração do Skyline no Campeonato Japonês de Turismo (que na época se chamava All Japan Touring Car Championship – ou só JTCC) até 1968, quando o primeiro GT-R foi lançado – o famoso Hakosuka, que era movido por um seis-cilindros de dois litros e 200 cv.

Este motor, que em configuração de pista chegava perto das 12.000 rpm, foi um dos primeiros com comando duplo no cabeçote e quatro válvulas por cilindro.

No entanto… É uma pena que não dá para ter acesso à muitas informações sobre os resultados da carreira de Takahashi no JTCC, a menos que você entenda japonês.

Já a maioria dos registros visuais não existe mais, e os que existem são difíceis de serem encontrados no YouTube e sites dos anos 90.