Segredos para Manter Seus Pneus em Perfeitas Condições 

Dicas da Bono Pneus

Você sabia que o pneu é o único ponto de contato entre o seu veículo e a estrada? Por isso, garantir seu uso e manutenção adequados, assim como entender suas características, é crucial para sua segurança em todas as situações. Além disso, uma manutenção adequada pode prolongar a vida útil dos pneus e economizar dinheiro. 

Dirigir com segurança e respeitar o meio ambiente são princípios que nunca devem ser esquecidos. Hoje, vamos compartilhar informações importantes sobre pressão, banda de rodagem e a condição dos pneus.

Marcações Laterais do Pneu
  • Marcações Laterais do Pneu

Nos pneus, as marcações laterais contêm informações cruciais. Além do nome da marca e da linha, você encontrará dados como a largura nominal, a relação entre a altura e a largura da seção, a estrutura ou o código de construção, o diâmetro do aro e o índice de carga e velocidade. É fundamental entender essas marcações para fazer a escolha certa ao adquirir pneus novos.

Pressão do Pneu
  • Pressão do Pneu

A pressão do pneu exerce um impacto significativo na segurança e economia do seu veículo. Portanto, é vital verificar regularmente a pressão dos pneus, especialmente antes de viagens longas. Lembre-se de fazê-lo com os pneus frios, pois a pressão aumenta quando eles estão quentes.

A pressão do pneu também afeta a distância de frenagem. Em uma velocidade de 100 km/h, pneus corretamente inflados permitirão uma distância de frenagem de 40 metros. No entanto, com pneus murchos, essa distância pode aumentar para 42,2 metros. Isso significa que o desempenho melhora em cerca de 6%, equivalente a uma redução de 2,4 metros na distância de frenagem.

A pressão de ar incorreta também pode causar desgaste irregular nos pneus. Pressão muito baixa pode desgastar as bordas, aumentando o risco de danos estruturais. Por outro lado, pressão excessivamente alta levará ao desgaste do centro do pneu. Portanto, a verificação regular da pressão é fundamental para garantir a segurança e a durabilidade dos seus pneus.

A Importância da Profundidade do Sulco do Pneu
  • A Importância da Profundidade do Sulco do Pneu

A profundidade do sulco do pneu desempenha um papel crucial na segurança da sua condução, pois influencia diretamente o contato do veículo com o solo. Em condições de chuva, o freio ABS (Sistema de Freios Antitravamento) controla a roda para evitar derrapagens, mas quando há acúmulo de água na pista, os pneus podem começar a flutuar, aumentando significativamente a distância de frenagem.

Adaptação Sazonal dos Pneus
  • Adaptação Sazonal dos Pneus – Uma Escolha Segura

Na Bono Pneus, sua franquia multimarcas de pneus, compreendemos a importância de escolher os pneus corretos para cada estação do ano. É fundamental optar por pneus de verão durante os meses quentes e por pneus de inverno no inverno. A distância de frenagem, a tração e a estabilidade do veículo dependem do composto da borracha e das condições climáticas.

Na Bono Pneus, estamos aqui para ajudá-lo a fazer a escolha certa para o seu veículo e garantir sua segurança durante todo o ano.Manter-se informado sobre a pressão, banda de rodagem e condição do pneu é fundamental para a sua segurança e economia. Estamos comprometidos em fornecer orientações e serviços de qualidade para garantir que seus pneus estejam em perfeitas condições. Lembre-se de nos visitar para obter mais dicas e cuidados para seus pneus, além de uma ampla variedade de opções de pneus de alta qualidade. Sua segurança está em primeiro lugar!

Carros Elétricos e Híbridos: Manutenção e Reparos na Bono Pneus

No cenário automotivo em constante evolução, a revolução dos veículos elétricos e híbridos é inegável. Carros elétricos, com sua propulsão totalmente elétrica, e híbridos, que combinam motores a combustão com a eletricidade, têm se tornado uma escolha popular entre os motoristas conscientes da eficiência energética e da pegada de carbono. A transição para esses veículos é mais do que uma escolha de mobilidade; é um compromisso com um futuro mais sustentável

No entanto, para garantir que essa transição seja suave e eficaz, a Manutenção de Veículos Elétricos e Reparos Especializados tornam-se essenciais.

Quando se trata de Carros Elétricos, a manutenção se concentra na preservação das complexas baterias e sistemas elétricos. Na  Bono Pneus, nossa equipe de técnicos altamente qualificados entende a importância de verificar regularmente a integridade das baterias, manutenção dos freios e sistema de injeção eletrônica  garantindo sua eficiência e durabilidade. 

Além disso, quando se trata de Reparos em Carros Elétricos, estamos prontos para solucionar problemas específicos desses veículos. Nosso compromisso com a sustentabilidade se reflete em nossa expertise em Manutenção de Veículos Elétricos.

Em relação aos Carros Híbridos, a Manutenção de Carros Híbridos desempenha um papel crucial na otimização da eficiência. Nossos serviços incluem a verificação e manutenção dos sistemas elétricos, bem como a manutenção dos freios e a manutenção preventiva da suspensão. 

Na Bono Pneus, compreendemos a importância de Manutenção Preventiva em Carros Híbridos, o que assegura que esses veículos operem no seu melhor. Reconhecemos que a inovação tecnológica e a sustentabilidade são as forças motrizes do setor automotivo, e estamos preparados para liderar o caminho na Manutenção de Veículos Elétricos e Híbridos.

A mudança é inevitável, e estamos aqui para garantir que sua transição para um futuro automotivo mais limpo e eficiente seja perfeitamente tranquila. Confie em nós para a excelência em manutenção e reparos para Carros Elétricos e Híbridos. Sua jornada de mobilidade sustentável começa com a Bono Pneus.

Mantenha os freios em boas condições e garanta uma viagem segura

No setor automotivo, a segurança veicular é a principal prioridade, e os freios desempenham um papel central nesse aspecto. Uma Manutenção de Freios eficaz garante que seu veículo esteja equipado com Freios em Boas Condições, prontos para responder de maneira rápida e precisa quando você precisa parar. É mais do que apenas uma questão de desempenho; é uma questão de Segurança Veicular para você, seus passageiros e todos na estrada.

A Inspeção de Freios é um aspecto essencial dessa manutenção preventiva. Ela envolve a avaliação detalhada de todos os componentes do sistema de freio, desde as pastilhas e discos até o fluido de freio e as linhas de frenagem. 

Identificar desgaste prematuro ou problemas potenciais durante a inspeção é a chave para evitar falhas de freio inesperadas. Um exemplo disso é a Troca de Pastilhas de Freio, que é uma parte fundamental da manutenção. Pastilhas gastas podem resultar em uma frenagem menos eficaz, aumentando o risco de acidentes.

Os carros costumam dar sinais de que o sistema de freio pode estar com desgaste ou algum tipo de problema. Veja a seguir as cinco condições:

  1. Ruídos Estranhos: Um dos sinais mais comuns de problemas nos freios são ruídos anormais, como chiados, rangidos ou guinchos ao acionar o pedal de freio. Esses sons podem indicar desgaste nas pastilhas de freio ou outros componentes.
  2. Vibração no Pedal de Freio: Se você sentir vibrações no pedal de freio ao frear, isso pode ser um sinal de discos de freio desgastados ou empenados. Essa vibração pode afetar a capacidade de frenagem do veículo.
  3. Pedal de Freio Mole ou Afundando: Um pedal de freio que parece afundar demais ao ser pressionado pode indicar problemas no sistema de freio, como vazamentos no fluido de freio ou problemas no cilindro mestre.
  4. Demora na Resposta dos Freios: Se os freios demoram a responder quando você pisa no pedal, isso pode ser um sinal de desgaste excessivo das pastilhas ou problemas no sistema hidráulico de freio.
  5. Luz de Alerta do Freio no Painel: A maioria dos veículos modernos está equipada com luzes de alerta no painel. Se a luz de freio se acender, isso pode indicar problemas no sistema de freio, como baixo nível de fluido de freio ou problemas no sistema de ABS (Sistema de Freios Antitravamento).

Manter os freios em boas condições não é apenas uma medida de precaução; é a garantia de Segurança Veicular durante todas as suas viagens. Como profissionais do setor automotivo e auto center, entender a importância da manutenção de freios e a necessidade de inspeções regulares é fundamental. 

Essas medidas não apenas mantêm os veículos em excelente estado, mas também salvam vidas ao garantir que os freios funcionem perfeitamente quando você mais precisa. Portanto, lembre-se, a Manutenção de Freios é a chave para Freios em Boas Condições e uma Viagem Segura.

Imagem de blocos representando unidade de franquias conectados por fios

Empreendedorismo de franquias vale a pena? Descubra!

Se você sonha em investir no próprio negócio, você faz parte de um grupo formado pela maioria dos brasileiros. Isso porque segundo um estudo realizado em 2023 pelo Sebrae em parceria com o Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBPQ), seis em cada dez brasileiros sonham em empreender — tendência crescente, já que em 2021 o resultado da pesquisa foi de 46%.

Mas com tantos modelos de negócio e segmentos existentes no mercado, qual deles vale mais a pena? A verdade é que essa resposta depende em grande parte das suas expectativas e dos seus objetivos enquanto empreendedor. No entanto, há um caminho que tem se mostrado mais promissor: o empreendedorismo de franquias.

Quer saber mais sobre esse tipo de negócio? Então, acompanhe este texto! Aqui, vamos falar tudo sobre o empreendedorismo de franquias: o que é, como funciona, números do mercado e motivos para investir. Boa leitura!

O que é o empreendedorismo de franquias?

O empreendedorismo de franquias é um modelo de negócio no qual um empreendedor (o franqueado) adquire o direito de abrir e operar uma unidade de negócio de uma empresa já estabelecida e bem-sucedida (a franqueadora). 

Ou seja, diferentemente de um negócio começado do zero, no empreendedorismo de franquias, o franqueado investe no direito de trabalhar com uma marca já estabelecida e reconhecida no mercado.

Continue a leitura e entenda, a fundo, como esse modelo de negócio funciona! 

Imagem vetorial de pessoas enriquecendo com franquias

Como funciona uma franquia?

O franchising — ou franquia — é um mercado que se baseia na replicação de um modelo de negócio a partir do investimento de alguém que tem como objetivo empreender (o franqueado). Ou seja, o investidor e a franqueadora entram em um acordo para que uma nova unidade da marca em questão seja aberta e gerenciada pelo franqueado.

De modo geral, essa parceria funciona assim: o franqueado investe e opera a unidade localmente, seguindo as diretrizes e os padrões estabelecidos pela franqueadora. Por outro lado, a franqueadora fornece a ele treinamento, suporte operacional e marketing especializado.

Enquanto a franqueadora se beneficia da expansão da rede, o franqueado, por sua vez, beneficia-se do reconhecimento da marca, do suporte contínuo e de um modelo de negócio já testado e aprovado pelo mercado. Ou seja, a relação é colaborativa: o franqueado gerencia a unidade, enquanto a franqueadora cuida da estratégia global e do suporte à rede.

Como está o mercado de franquias no Brasil?

Devido às inúmeras vantagens oferecidas pelo empreendedorismo de franquias aos franqueados, esse tipo de negócio tem crescido aceleradamente nas últimas décadas e representado pilar importante na economia brasileira.

Para se ter ideia desse crescimento, segundo um levantamento da Associação Brasileira de Franchising (ABF), em 2022, o setor de franquias faturou mais de R$ 211 bilhões, o que representa um crescimento de 14,3% em relação a 2021 — o maior crescimento dos últimos seis anos.

E se você acha que esse número é algo esporádico, está muito enganado! A própria ABF fez uma previsão de que o ano de 2023 será ainda melhor, e os números dos primeiros trimestres comprovam essa tendência.

Faturamento do franchising nos primeiros trimestres de 2019 a 2023

Apenas no primeiro trimestre de 2023, o setor faturou quase R$ 51 bilhões, um aumento de mais de 17% em relação ao mesmo período de 2022. Já no segundo trimestre, comprovando esse crescimento, o faturamento foi de mais de R$ 54 bilhões — quase 13% maior que o mesmo período do ano anterior, conforme mostra o gráfico abaixo.

Faturamento do franchising nos segundos trimestres de 2019 a 2023

Já em relação aos índices de abertura e fechamento de unidades, o primeiro trimestre de 2023 fechou com saldo positivo de 1,8%, enquanto o segundo trimestre ficou com 1,9%.

Além disso, também houve um crescimento em todos os segmentos dentro do franchising, mostrando que o setor está realmente oferecendo grandes oportunidades para quem quer empreender.

O setor de franquias automotivas, por exemplo, apresentou um crescimento de 11,4% no primeiro trimestre de 2023 e de 9,3% no segundo trimestre, ambos em comparação com o mesmo período de 2022, sendo o segmento um dos principais destaques desse estudo.

Investir em franquia vale a pena?

Homem pensando se empreendedorismo de franquias vale a pena

Mas, afinal, o empreendedorismo de franquias vale a pena? Até aqui, você já viu alguns números que comprovam que sim. Agora, vamos te mostrar o que leva a esses dados tão positivos. Veja:

Modelo de negócio testado

Conforme já mencionamos, as franquias se baseiam em modelos de negócios que já foram testados pela franqueadora e aprovados pelo mercado. Isso faz com que o empreendedorismo de franquias seja uma forma de investimento com menos riscos se comparado a um negócio iniciado do zero e que ainda precisará passar por validação.

Marca reconhecida

Geralmente, as franquias são marcas que contam com certo prestígio no mercado. Assim, o franqueado desfruta dos benefícios de investir em uma marca já estabelecida e reconhecida pelos consumidores, sem precisar passar pelos desafios de construir uma marca do zero.

Suporte 

O suporte oferecido pela franqueadora aos franqueados é um dos principais benefícios do empreendedorismo de franquias. Esse suporte geralmente inclui treinamentos regulares com toda a equipe da franquia, marketing especializado, consultoria de campo e apoio em outras áreas do negócio, como administrativo e financeiro. 

Isso possibilita que mesmo pessoas que não têm experiências no ramo empreendedor ou dentro do segmento da franquia possa investir e ter sucesso.

Padronização

Embora possa parecer uma limitação imposta aos franqueados, a padronização do sistema de franquias é um dos pontos mais fortes do modelo. Essa padronização vale tanto para serviços quanto para produtos, bem como para o ponto físico da franquia e a organização operacional. 

Isso garante que todas as unidades ofereçam uma experiência uniforme aos consumidores e, assim, continuem fidelizando clientes que se apaixonam pelo que a marca, em si, oferece.

Rede de apoio

Ao empreender em uma franquia, o investidor passa a fazer parte de uma grande rede de apoio, não apenas com os franqueados da marca, mas também com todos os contatos próximos pela franqueadora, como fornecedores e instituições financeiras.

Foco no negócio

Muitos empreendedores de primeira viagem, quando abrem um negócio do zero, acabam desperdiçando muita energia com a criação da marca, o desenvolvimento do modelo de negócio, a definição de processos, entre muitas outras tarefas necessárias. 

No caso do empreendedorismo de franquias, como o franqueado já investe em uma marca pronta, há mais possibilidades de destinar atenção à operação do negócio em si, obtendo mais chances de sucesso.

Qual setor do franchising escolher? 

Mão de uma pessoa colocando um dardo no alvo

Agora que você já entendeu como funciona o empreendedorismo de franquias e conheceu várias vantagens que fazem dele um investimento seguro e rentável, está na hora de partir para o próximo passo: dentro do franchising, qual setor escolher para investir?

Como você pode imaginar, existem vários segmentos, cada um com suas particularidades, vantagens e desvantagens. No entanto, já podemos adiantar que as franquias de serviços são mais vantajosas se comparadas às franquias de produtos.

Quer saber mais sobre isso e entender o porquê? Então, confira o nosso conteúdo completo sobre as franquias de serviços. Boa leitura!

Como começar um negócio? Confira 6 dicas essenciais

Empreender é uma possibilidade que passa pela cabeça de muita gente, não é mesmo? Afinal, a jornada empreendedora oferece muitas vantagens, que vão desde uma maior liberdade de horários até lucratividades mais significativas que um emprego formal. Para se ter ideia desse cenário, segundo o Sebrae, mais de 51 milhões de brasileiros têm interesse em empreender nos próximos três anos

No entanto, se você já parou para refletir verdadeiramente sobre abrir a sua empresa, deve saber que, apesar de muito recompensadora, essa jornada não é fácil, não é mesmo? Afinal, é necessária muita dedicação, além de existirem muitas dúvidas comuns sobre como começar um negócio.

Se você se identificou com tudo o que falamos até aqui, este texto é para você! Nele, abordaremos muitas informações importantes para você que quer empreender, destacando, inclusive, seis dicas valiosas de como começar um negócio. Continue a leitura e confira!

6 dicas de como começar um negócio

Para dar início a este guia superimportante, vamos às principais dicas de como começar um negócio com consciência e planejamento para alcançar o sucesso.

1. Entenda em qual mercado investir

Uma das principais motivações para quem vai abrir um negócio próprio diz respeito à oportunidade de trabalhar com o que gosta. Por isso, a primeira dica é: faça uma boa reflexão sobre os segmentos nos quais você pode investir. Procure áreas que façam sentido para o seu perfil (entenda isso, em detalhes, mais abaixo), que atendam às suas expectativas de empreendedor (financeiras e pessoais) e que tenham demanda no mercado.

2. Faça uma autoanálise

Você tem perfil empreendedor? Vai conseguir se dedicar ao empreendimento? Qual a sua possibilidade financeira de investimento? Se você quer saber como começar um negócio, essas são algumas perguntas que você deve fazer a si mesmo antes de concretizar o seu investimento. Isso porque conhecer a si mesmo vai te ajudar a traçar os melhores caminhos para seguir e a superar os desafios — naturais dessa jornada — com mais leveza e sabedoria.

3. Pesquise o mercado

Faça uma pesquisa de mercado para entender o público-alvo do segmento de interesse, a concorrência, as tendências do setor e as demandas necessárias do tipo de negócio que se quer abrir. Isso vai te ajudar a identificar pontos positivos e negativos da área, colocando-os na balança para decidir com consciência, e possíveis oportunidades de se destacar como um novo player. 

4. Faça um planejamento financeiro 

Todo negócio necessita de aporte financeiro para engrenar. Por isso, quando falamos em como começar um negócio, saiba que é fundamental calcular os gastos iniciais do projeto e o capital de giro necessário para ter segurança durante os primeiros meses de empresa. Assim, você não compromete sua subsistência e ainda garante a saúde do seu negócio.

Uma empresa pode ser a realização de um sonho, mas também é algo que demanda muita energia e que pode oferecer riscos se não for planejada corretamente. Portanto, certifique-se de estar pronto para as situações inesperadas que são comuns no meio empreendedor.

5. Tenha um plano de negócios bem-definido

Como você viu, as dicas mais importantes sobre como começar um negócio dizem respeito, basicamente, ao planejamento. E nada exemplifica melhor isso do que o plano de negócios. É ele que vai guiar a sua jornada empreendedora e te ajudar a tomar as decisões corretas para a sua empresa. 

Um bom plano de negócios deve conter:

  • seu público-alvo;
  • os produtos ou serviços que serão oferecidos;
  • a proposta de valor que sua empresa vai oferecer;
  • os canais de comunicação para chegar aos seus clientes;
  • as principais fontes de receita;
  • os ativos necessários para fazer a gestão do negócio;
  • os principais investimentos necessários.

6. Entenda a parte burocrática

Você já deve ter ouvido falar que abrir uma empresa não é fácil. E isso acontece porque existem muitas questões burocráticas que devem ser resolvidas, de modo a garantir segurança ao seu investimento. Portanto, procure saber quais são os documentos necessários para dar andamento às questões legais da empresa (como abrir um CNPJ), bem como para conseguir empréstimos, por exemplo, caso essa seja uma necessidade sua.

Como desenvolver habilidades de um empreendedor

Imagem de um homem subindo degraus até atingir o sucesso

Além de saber todas as questões importantes sobre como começar um negócio, para ter uma empresa de sucesso, é fundamental desenvolver as principais habilidades de um bom empreendedor. Afinal, embora muitos conhecimentos sejam adquiridos apenas com a experiência, há formas altamente eficazes de se preparar para essa jornada.

Confira alguns pontos aos quais você pode se dedicar:

  • Desenvolver visão global e criatividade: isso é fundamental para identificar oportunidades e inovar na resolução de problemas e na criação de novos produtos, serviços ou processos.
  • Desenvolver um perfil de liderança: entender como ser um bom líder é essencial para inspirar e motivar a equipe, ser o suporte que o seu time precisa para se desenvolver, saber resolver problemas e definir metas claras e alcançáveis. Uma boa maneira de fazer isso é lendo livros sobre liderança e participando de eventos e treinamentos com esse foco.
  • Melhorar a comunicação: ser capaz de se comunicar de forma clara com clientes, funcionários, parceiros e investidores faz toda a diferença para o sucesso do negócio.
  • Entender alguns conceitos financeiros: é claro que não é necessário ser um expert em finanças, afinal você terá um time especialista dedicado a essas questões. No entanto, entender e saber interpretar princípios financeiros básicos, como demonstrativos financeiros, previsão de fluxo de caixa e gestão de orçamento, é fundamental para você ter o controle do que acontece no seu negócio.
  • Aprimorar a gestão de tempo: o tempo é um bem precioso quando queremos sair na frente em um mercado competitivo. Portanto, saber priorizar tarefas, estabelecer processos ágeis e gerenciar o seu tempo, bem como orientar a gestão de tempo da equipe, é a fórmula de sucesso para qualquer empresa.
  • Saber resolver problemas: essa é uma habilidade essencial para quem tem uma empresa, afinal, como já falamos, os desafios são naturais na jornada empreendedora. Portanto, saber aceitar a existência deles e saber analisar as melhores soluções possíveis é a chave quando a dúvida é como começar um negócio.
  • Ser flexível e adaptável: o dia a dia de um empreendedor exige flexibilidade e a capacidade de se adaptar às mudanças de mercado, às tendências e aos desafios da rotina de uma empresa.
  • Fazer networking: construir e manter relacionamentos sólidos com outros empreendedores, mentores, clientes e influenciadores do setor é superimportante para a criação de novas oportunidades.
  • Saber vender/negociar: aprender a negociar acordos — tanto externos quanto internos — e a vender ideias, produtos ou serviços de maneira convincente é essencial para quem quer gerir um negócio. 
  • Ter autoconhecimento: como falamos na primeira seção deste texto, se conhecer é fundamental. Portanto, aprenda a reconhecer suas forças, fraquezas e áreas nas quais deve se desenvolver mais, sempre com o objetivo de evoluir como pessoa e profissional.

Ou seja, existem muitas habilidades que você pode desenvolver para se tornar um bom gestor e ter sucesso na sua jornada empreendedora. Mas, lembre-se: vá com calma! Não se pressione para aprender tudo de uma vez, afinal, como já mencionamos, há habilidades e conhecimentos que só serão aprimorados com a vivência diária.

Negócio do zero X Franquia

Entre as principais dúvidas sobre como começar um negócio, uma é o carro-chefe: em qual modelo de negócio investir? Afinal, existem diferentes formatos, que oferecem vantagens específicas. Entre eles, os mais comuns são os negócios começados do zero — ou seja, criar uma marca e um modelo de negócio próprio — e as franquias. 

Entre eles, as principais diferenças que podemos citar são:

O próprio modelo de negócio

Em um negócio do zero, você define qual será o modelo adotado, como será o processo de vendas, como será a comunicação com o cliente e muitos outros detalhes importantes. Já no caso de uma franquia, você adquire o direito de trabalhar com uma empresa que já possui um modelo de negócio testado pela franqueadora e aprovado pelo mercado. Ou seja, no franchising, é como se você cortasse uma parte do caminho.

Liberdade de decisões

Ao começar um negócio próprio, ou seja, iniciado do zero, você tem a liberdade de tomar todas as decisões que achar pertinentes. Isso diz respeito à arquitetura do seu ponto físico, à forma de se comunicar com os clientes, entre outros exemplos. 

Já no caso de uma franquia, isso é um pouco mais rígido. Não quer dizer que você não terá controle sobre o negócio; muito pelo contrário! Você, como franqueado, é responsável por toda a gestão da sua unidade, no entanto deverá seguir algumas regras estabelecidas no contrato de franquia. Afinal, é essa padronização que garante a força da marca franqueada em todo o território de atuação dela. 

Criação da marca

Conforme mencionamos, em um negócio iniciado do zero, você é o responsável por criar a marca e construir a reputação dela no mercado. Nesse caso, você tem mais liberdade para desenvolvê-la como imaginou. Em contrapartida, em uma franquia, você adquire um negócio com uma marca já criada e reconhecida no mercado, aumentando suas chances de conquistar clientes mais rapidamente para a sua unidade.

Suporte

Uma vez que se sabe como começar um negócio, é preciso estar preparado para enfrentar os desafios da jornada e, claro, dar suporte à sua equipe — especialmente enquanto a empresa dá seus primeiros passos. É claro que você, como empreendedor, pode ser um mentor por trás de tudo; porém, lembre-se: é você quem comanda o negócio!

Já no caso de uma franquia, você tem garantido, em contrato, um suporte completo prestado pela franqueadora. Isso inclui desde o auxílio na escolha do ponto comercial e nas operações do dia a dia até treinamentos com a equipe e a realização de campanhas de marketing especializadas.

Conheça as vantagens das franquias!

Neste texto, você viu tudo sobre como começar um negócio. Agora, se ficou interessado em saber mais como funciona o franchising, temos um conteúdo completo para você!

No nosso texto sobre por que as franquias são um investimento seguro e rentável, você confere como funciona o sistema de franquias, por que elas são seguras e rentáveis e qual o cenário do franchising no Brasil. Acesse e saiba tudo!

Contrato de franquia: saiba tudo o que deve constar no documento

Um dos pontos mais importantes para quem quer investir no franchising é a assinatura e a análise minuciosa do contrato de franquia. Afinal, esse documento estabelece as diretrizes que vão reger a relação entre o franqueado e a franqueadora.

No processo de negociação, o contrato de franquia deve ser acompanhado da Circular de Oferta de Franquia (COF), documento do qual falaremos mais adiante. Esses dois registros contribuem, juntos, para que o possível franqueado tenha acesso a todas as informações importantes sobre o negócio, além de assegurar, para as duas partes, que todos os acordos serão cumpridos.

Entendendo, então, a importância do contrato de franchising, neste texto falaremos tudo o que deve constar no documento, além de outras informações essenciais que merecem sua atenção. Confira!

O que é o contrato de franquia?

O contrato de franquia é um documento do franchising que representa legalmente o acordo firmado entre a franqueadora e o franqueado. Por meio dele, a franqueadora concede ao franqueado o direito de utilizar sua marca, seu know-how, seus produtos ou serviços e outros aspectos do negócio, em troca do pagamento de taxas e royalties.

O contrato de franquia é um documento obrigatório no estabelecimento dessa relação de parceria, de acordo com a Lei 13.966/2019. Ele deve ser elaborado com cuidado para proteger os interesses de ambas as partes e garantir o bom funcionamento do negócio, além de assegurar direitos, deveres e limites nas atuações da franqueadora e do franqueado.

Qual a diferença em relação à COF?

Foto de um homem assinando um contrato

A Circular de Oferta de Franquia (COF) e o contrato de franquia são, muitas vezes, confundidos entre si. No entanto, trata-se de documentos diferentes, que se complementam no processo de negociação da compra da unidade.

Enquanto o contrato de franquia formaliza o relacionamento entre franqueadora e franqueado, estabelecendo os termos e as condições dessa relação, a COF diz respeito a um documento que contém as informações essenciais da franquia e que deve ser entregue ao possível franqueado com no mínimo dez dias de antecedência da assinatura do contrato.

O objetivo da COF é informar esse possível franqueado sobre as questões mais importantes do negócio, como quais são as taxas estabelecidas pela franqueadora e qual o percentual de royalties a ser pago. Assim, ele tem mais insumos para tomar sua decisão sobre realizar ou não o investimento.

Quais cláusulas devem constar no contrato de franquia?

Conforme mencionamos, o contrato de franquia deve ser minuciosamente elaborado para abranger todos os pontos da relação entre franqueadora e franqueado e proteger os direitos de ambas as partes. Alguns elementos que devem constar no documento são:

  • identificação das partes;
  • descrição da franquia: descrição detalhada do tipo de negócio e dos serviços ou produtos que serão oferecidos ao franqueado;
  • direitos e obrigações da franqueadora;
  • direitos e obrigações do franqueado;
  • taxas e royalties: o contrato deve deixar claro quais são as taxas iniciais e recorrentes que o franqueado deverá pagar ao franqueador, bem como as regras para o pagamento dos royalties;
  • território: o contrato deve especificar se o franqueado terá exclusividade em uma determinada região ou se outros franqueados também poderão operar ali;
  • duração do contrato;
  • suporte e treinamentos: o contrato deve descrever o suporte e os treinamentos que a franqueadora fornecerá ao franqueado, incluindo detalhes sobre manuais de operação;
  • propriedade intelectual: deve ficar claro que a propriedade intelectual, como marcas registradas e segredos comerciais, pertence à franqueadora e não ao franqueado;
  • resolução de conflitos: o documento deve conter uma cláusula que estabeleça o procedimento para resolver disputas entre as partes, como mediação ou arbitragem;
  • renovação e transferência: definir os termos para a renovação do contrato após o término do prazo e a possibilidade de transferência da franquia para terceiros;
  • rescisão e penalidades: estabelecer as circunstâncias em que o contrato pode ser rescindido, bem como as penalidades aplicáveis em caso de violação.

Essas são as cláusulas mais importantes de um contrato de franquia, que podem variar de acordo com o tamanho da operação, os modelos e métodos de franquia aplicados e as áreas de atuação, entre outros fatores.

É possível rescindir o contrato?

Sim, é possível rescindir o contrato de franquia ou mesmo não renová-lo, desde que seguindo o que foi estabelecido na cláusula do documento, afinal, como comentamos, essa regra pode variar de franquia para franquia.

Alguns motivos que podem levar à rescisão, por parte da franqueadora ou do próprio franqueado, são:

  • não cumprimento das cláusulas especificadas em contrato;
  • falhas no suporte ou na prestação de serviços de ambos os lados;
  • cobranças não estabelecidas no contrato;
  • descumprimento de prazos.

Existem muitos motivos que podem levar a  uma rescisão do contrato. Por isso, é fundamental que a COF e o contrato de franquia sejam bem analisados antes que a parceria seja firmada.

Como analisar o contrato de franquia?

Foto de um homem analisando um contrato

Como em todo contrato, no contrato de franquia, é fundamental entender claramente e com detalhes tudo o que está sendo acordado e deverá ser cumprido pelas duas partes envolvidas no processo. Por isso, é importante seguir algumas dicas simples no momento de avaliar o documento:

  • fazer uma leitura cuidadosa;
  • buscar entender todas as cláusulas individualmente;
  • conhecer os prazos de renovação de contrato;
  • entender os motivos que podem ocasionar a rescisão e eventuais penalidades;
  • entrar em acordo sobre as taxas cobradas, sejam mensais ou investimentos pontuais;
  • conhecer as políticas e formas de trabalho exigidas pela franqueadora.

Para que não haja erros, é recomendável a participação de advogados especializados e independentes no processo de análise. Assim, todas as dúvidas podem ser sanadas antes que o documento seja assinado, garantindo mais segurança e tranquilidade às duas partes envolvidas.

Quais taxas são acordadas em contrato?

Como falamos ao longo deste texto, o contrato de franquia deve conter todas as informações que dizem respeito à relação entre a franqueadora e o franqueado. E isso inclui as taxas que deverão ser pagas para que o franqueado obtenha o direito de utilizar a marca. 

Essas taxas variam de acordo com o modelo usado pela franquia, mas costumam incluir:

  • taxa de franquia;
  • royalties;
  • fundo de propaganda/marketing.

Entender essas taxas e a forma como serão cobradas é fundamental para que a relação de parceria funcione da melhor forma possível. Por isso, confira o nosso texto completo sobre as taxas de franquias.

Rode tranquilo, mais itens obrigatórios do seu veiculo

Como falamos no post da semana passada Quais itens obrigatórios eu devo ter no meu carro?, além dos itens obrigatórios mencionados anteriormente, existem outros componentes essenciais que você deve ter em seu veículo para garantir uma viagem segura e em conformidade com a legislação de trânsito. 

Neste artigo, vamos explorar mais alguns itens obrigatórios que todo motorista deve ter em seu carro. 

  1. Faróis e lanternas:

Os faróis e as lanternas são itens fundamentais para garantir a visibilidade e a segurança na estrada. Certifique-se de que todos os faróis estejam funcionando corretamente, incluindo os faróis baixos, altos, de neblina e as luzes de freio. Verifique também as lanternas dianteiras, traseiras e laterais, garantindo que todas estejam operacionais.

  1. Espelhos retrovisores:

Os espelhos retrovisores são essenciais para proporcionar uma visão clara do tráfego atrás do veículo. Certifique-se de que os espelhos estejam bem ajustados e em bom estado de funcionamento. Além dos retrovisores laterais, verifique também o espelho retrovisor interno.

  1. Limpadores de para-brisa e desembaçador:

Os limpadores de para-brisa e o desembaçador são itens importantes para garantir uma boa visibilidade durante a condução, principalmente em condições climáticas adversas. Verifique a eficiência dos limpadores de para-brisa, substituindo as palhetas desgastadas, e teste o funcionamento do desembaçador traseiro, se o seu veículo possuir.

  1. Sistema de freios:

O sistema de freios é vital para a segurança no trânsito. Certifique-se de que as pastilhas, os discos e o fluido de freio estejam em boas condições. Caso perceba qualquer problema, como ruídos ou perda de eficiência, procure um profissional qualificado para realizar a manutenção adequada.

  1. Pneus em boas condições:

Pneus em bom estado são cruciais para garantir aderência ao solo e estabilidade durante a condução. Verifique regularmente a pressão dos pneus e certifique-se de que a banda de rodagem esteja dentro dos limites legais. Substitua os pneus desgastados e tenha cuidado especial com o estepe, mantendo-o em boas condições.

  1. Sinalização interna:

É importante que o veículo possua os dispositivos de sinalização interna em pleno funcionamento. Verifique se o painel de instrumentos está operando corretamente, incluindo velocímetro, indicadores de combustível, temperatura e pressão do óleo. Além disso, certifique-se de que o sistema de alerta sonoro (sirene) e os botões de sinalização, como setas e luzes de emergência, estejam em perfeito estado.

Garantir que seu veículo esteja equipado com todos os itens obrigatórios é fundamental para sua segurança e para cumprir as leis de trânsito. Além dos itens mencionados anteriormente, verifique regularmente o estado dos faróis, lanternas, espelhos retrovisores, limpadores de para-brisa, sistema de freios, pneus e sinalização interna. Esses componentes desempenham um papel crucial na sua segurança e na segurança de todos os usuários das vias. Portanto, mantenha seu veículo em boas condições e desfrute de viagens tranquilas e seguras.

Quais itens obrigatórios eu devo ter no meu carro?

Ao longo dos últimos 30 anos, houve muitas mudanças se tratando de itens obrigatórios dentro do seu veículo. 

Quando falamos em itens obrigatórios em um carro, não estamos apenas nos referindo aos dispositivos de segurança, como airbags, freios abs, mas também a uma série de equipamentos essenciais que podem fazer toda a diferença em situações imprevistas. Neste artigo, vamos destacar alguns dos itens obrigatórios em um carro, que vão além dos aspectos de segurança, garantindo sua tranquilidade e preparo para enfrentar qualquer eventualidade.

  • Triângulo de Sinalização:

O triângulo de sinalização é um equipamento indispensável em caso de problemas mecânicos ou acidentes. Ele deve ser colocado a uma distância segura do veículo, sinalizando para os demais motoristas que há um obstáculo na via. Verifique se o triângulo está em boas condições e sempre mantenha-o no porta-malas do seu carro.

  • Macaco e Chave de Rodas:

O macaco e a chave de rodas são essenciais para a troca de pneus em caso de furos ou danos. Verifique se o macaco está em bom estado de funcionamento e se a chave de rodas é adequada para os parafusos do seu veículo. Ter esses itens sempre disponíveis no porta-malas é fundamental para lidar com contratempos relacionados aos pneus.

  • Estepe:

O estepe é um pneu reserva que deve estar em bom estado de conservação e calibrado corretamente. É importante verificar periodicamente a pressão do estepe para garantir que ele esteja pronto para uso em uma emergência. Lembre-se de que o estepe é temporário e, assim que possível, é recomendado substituí-lo por um pneu novo.

  • Extintor de Incêndio:

Embora não seja mais obrigatório em alguns países, como no Brasil, é altamente recomendado ter um extintor de incêndio no carro. Ele pode ajudar a controlar pequenos incêndios e evitar que se espalhem. Certifique-se de que o extintor esteja dentro do prazo de validade e em um local de fácil acesso, como no porta-malas.

  • Documentos do Veículo:

Não podemos esquecer dos documentos obrigatórios do veículo. Certifique-se de sempre carregar consigo a carteira de motorista válida, o certificado de registro e licenciamento do veículo (CRLV) e o comprovante de seguro obrigatório (DPVAT). Esses documentos são essenciais em caso de fiscalização ou qualquer incidente que envolva o seu veículo.

Ter os itens obrigatórios em um carro é uma responsabilidade de todo motorista consciente. 

Além de garantir sua segurança, esses equipamentos estão lá para auxiliá-lo em momentos inesperados e minimizar os impactos de imprevistos na estrada. Lembre-se de verificar regularmente a condição e a validade desses itens, para que estejam prontos para uso quando necessário.

Esteja preparado e dirija com responsabilidade. Assim, você estará contribuindo para um trânsito mais seguro e tranquilo para todos.

Você sabe quando deve trocar as velas do seu carro?

As velas são uma peça fundamental no sistema de ignição do motor de um veículo. Elas têm como função gerar uma faísca elétrica que inflama a mistura ar-combustível dentro da câmara de combustão, dando início ao processo de combustão e, consequentemente, à movimentação do veículo. Apesar de parecerem peças simples, as velas podem fazer toda a diferença no desempenho e na eficiência do motor.

Existem diversos tipos de velas disponíveis no mercado, cada uma projetada para atender às necessidades de diferentes motores e condições de uso. Por exemplo, as velas de platina e irídio são mais duráveis e resistentes, enquanto as velas convencionais são mais baratas e podem ser utilizadas em motores mais antigos.

Mas, afinal, quando é necessário trocar as velas do seu veículo? A resposta pode variar de acordo com diversos fatores, como a marca e o modelo do veículo, o tipo de vela utilizado, as condições de uso e a frequência de manutenção. No entanto, existem alguns sinais comuns que podem indicar que está na hora de fazer a substituição.

Um dos sinais mais evidentes é a dificuldade de partida do motor, especialmente em dias frios. Isso pode indicar que as velas estão gastas e não estão gerando a faísca necessária para inflamar a mistura ar-combustível. Além disso, se você notar perda de potência ou desempenho do veículo, ou se a marcha lenta estiver instável, é provável que seja hora de trocar as velas.

É importante lembrar que a manutenção preventiva é sempre a melhor opção para evitar problemas no futuro. Por isso, é recomendável seguir as orientações do fabricante e fazer a troca das velas conforme as recomendações do manual do proprietário. Em média, as velas precisam ser trocadas a cada 30.000 a 50.000 quilômetros, mas é sempre importante verificar as recomendações específicas para o seu veículo.

Em resumo, as velas são peças importantes para o bom funcionamento do motor do seu veículo. Ao prestar atenção aos sinais de desgaste e seguir as recomendações do fabricante, você pode garantir um desempenho mais eficiente e uma maior durabilidade para o seu motor.

Câmbio Automático, ele é para você?!

O câmbio automático é uma tecnologia presente em muitos veículos atualmente e oferece uma série de vantagens para o motorista. Em vez de mudar as marchas manualmente, o câmbio automático permite que o motorista se concentre na direção e outras tarefas enquanto o sistema de transmissão muda as marchas automaticamente.

Uma das principais vantagens do câmbio automático é a comodidade que ele oferece. Com o sistema de transmissão mudando as marchas automaticamente, o motorista não precisa se preocupar em engatar a marcha certa para a situação em que se encontra. Além disso, o câmbio automático pode tornar a condução mais suave, pois não há interrupções abruptas no fluxo de potência do motor.

Outra vantagem do câmbio automático é a economia de combustível. Como o sistema de transmissão é capaz de mudar as marchas automaticamente de forma mais eficiente do que um motorista faria manualmente, o consumo de combustível pode ser reduzido. Além disso, alguns câmbios automáticos possuem modos de condução específicos que podem maximizar ainda mais a economia de combustível.

No entanto, existem diferentes tipos de câmbio automático disponíveis no mercado, cada um com suas próprias vantagens e desvantagens. Câmbio automático convencional

O câmbio automático convencional é o tipo mais comum de câmbio automático. Ele utiliza um conjunto de discos, embreagens e engrenagens para mudar as marchas automaticamente. Esse tipo de câmbio é ideal para motoristas que preferem uma condução suave e confortável. Ele também é ideal para pessoas que costumam dirigir em áreas urbanas, onde o trânsito é intenso.Câmbio automatizado

O câmbio automatizado é uma opção mais econômica em comparação com o câmbio automático convencional. Ele é mais simples e utiliza um sistema de embreagem eletro-hidráulico para mudar as marchas. Esse tipo de câmbio é ideal para motoristas que procuram um carro econômico e fácil de usar, mas que não querem comprometer a conveniência de um câmbio automático.Câmbio CVT

O câmbio CVT (continuamente variável) é um tipo de câmbio automático que não possui engrenagens. Em vez disso, ele utiliza um conjunto de polias e correias para mudar continuamente as marchas. Esse tipo de câmbio é ideal para motoristas que procuram um carro econômico e eficiente em termos de combustível. Ele também é ideal para pessoas que preferem uma condução suave e silenciosa.Câmbio de dupla embreagem

O câmbio de dupla embreagem é uma opção mais esportiva em comparação com os outros tipos de câmbio automático. Ele utiliza dois conjuntos de embreagens e engrenagens para mudar as marchas rapidamente. Esse tipo de câmbio é ideal para motoristas que procuram uma condução mais esportiva e uma experiência de condução mais envolvente.

É importante ressaltar que a manutenção do câmbio automático pode ser mais complexa e cara do que a de um câmbio manual. Isso ocorre porque o câmbio automático possui mais componentes e requer óleo de transmissão específico. Além disso, problemas no câmbio automático podem ser mais difíceis de diagnosticar e reparar.

Por fim, é importante lembrar que o câmbio automático não é necessariamente a melhor opção para todos os motoristas. Alguns preferem a sensação de controle que um câmbio manual oferece, enquanto outros preferem a economia de combustível que um carro híbrido pode proporcionar. No entanto, para aqueles que valorizam a comodidade e a suavidade de condução, o câmbio automático é uma excelente opção.
Referencias:https://meucambioautomatico.com.br/s-o-s-manutencao/tipos-de-cambio-automatico
Chat GPT – Open.AI

Saiba quando é necessário fazer cambagem no seu carro

Alguns serviços automotivos são essenciais para garantir a estabilidade adequada do veículo, dentre eles, o alinhamento, balanceamento e a cambagem. Essa última, pode não ser conhecida por muitos, por isso, explicaremos abaixo o que é e em que situações é aplicada. 

Cada veículo possui uma angulação da roda em relação ao plano vertical determinado pelo fabricante. Essa angulação leva o nome de “camber” e é a responsável por garantir a estabilidade em curvas ou evitar vibrações da roda ao volante, por exemplo. 

Devido a situações como o desgaste normal das peças, empeno, quebras, vias esburacadas ou pancadas, essa angulação pode ser comprometida gerando um desgaste excessivo dos pneus de 3 formas possíveis: 

Cambagem positiva:  desgaste na parte externa da banda de rodagem do pneu.

Cambagem negativa: desgaste na parte interna da banda de rodagem do pneu. 

Cambagem nula: angulação reta dos pneus.

Caso o pneu apresente algum desses desgastes, o assessor técnico da FCA, Ricardo Dilser, explica que  “…em alguns carros podem existir pequenos ajustes  (principalmente aqueles equipados com suspensão independente) sem a necessidade de se trocar nenhum componente.  Em outros, a maioria deles, aliás, se a cambagem estiver fora da medida, tem algum componente comprometido na suspensão.” 

Em qualquer uma dessas situações, ao verificar o desgaste irregular dos pneus, leve seu carro a um centro automotivo de confiança para que o mecânico identifique qual componente desse sistema se faz necessária a troca ou então o ajuste. 

Encontre a Bono Pneus mais próxima de você e agende seu serviço! 

Fonte: https://www.proteste.org.br/carros-e-mobilidade/mecanica-e-pecas-de-automoveis/noticia/cambagem https://doutormultas.com.br/cambagem/https://quatrorodas.abril.com.br/auto-servico/quando-verificar-balanceamento-alinhamento-e-cambagem-do-seu-carro/https://quatrorodas.abril.com.br/auto-servico/quando-verificar-balanceamento-alinhamento-e-cambagem-do-seu-carro/https://g1.globo.com/carros/blog/oficina-do-g1/post/quando-e-preciso-fazer-cambagem-nunca.html https://autopapo.uol.com.br/noticia/cambagem-o-que-e-para-que-serve-e-como-saber-se-precisa-ser-feita/

Disco de freios: causas para a trepidação no pedal

O sistema de freios é um dos principais sistemas do carro que garantem a segurança do veículo mas, ainda existem dúvidas dos condutores quando algum sinal de problema aparece. 

Leia o post abaixo para saber quais as possíveis causas da trepidação no pedal e cuidados preventivos para evitar qualquer problema nesse sistema. 

Disco de freios 

Componente fundamental do sistema de freios, o disco de freios é conectado à roda acompanhando seu movimento e é utilizado para desacelerar o carro. Com o acionamento do pedal, o disco, em contato com as pastilhas, gera o atrito necessário para reduzir sua velocidade. 

Apesar do sistema de freios como um todo ter uma durabilidade de 10 mil quilômetros, aproximadamente, dependendo do modelo e fabricante, quando há alguma irregularidade, alguns sinais podem ser sentidos, como: barulhos durante a frenagem, pedal duro ou baixo, vibrações, entre outros. 

Para esse último, existem algumas causas:

  1.  Pode significar que o disco está empenado, ou seja, há um desgaste excessivo no disco que leva ao atrito não homogêneo entre pastilha e disco.
  2.  Em freios novos, até que a pastilha assente totalmente, a superfície de contato oscila com a movimentação, prejudicando a eficiência da frenagem. No entanto, com o tempo, essa situação tende a ser regularizada e caso a vibração não desapareça, é sinal de que o disco está empenado.
  3. Em discos novos, existe uma lubrificação entre o disco e a pastilha que precisa ser retirada antes da instalação. Caso esse lubrificante não seja retirado, o contato entre eles fica prejudicado, diminuindo sua eficácia de frenagem. 

No caso de disco empenado, opte sempre pela troca da pastilha e disco de freios e não pela retífica pois, estando o disco com desgaste excessivo, estes, podem chegar a sua espessura mínima, colocando em risco a eficiência da frenagem e consequentemente a segurança dos passageiros. 

Dicas de manutenção: 

Para evitar que o disco chegue a essa situação de empenamento, antecipe possíveis problemas com a manutenção preventiva, que tem por função corrigir pequenas falhas, fazendo com que os componentes tenham maior durabilidade e mantenham a funcionalidade do veículo. 

Nessa manutenção preventiva, além da revisão de discos, pastilhas e tambores, o fluido de freio é revisado. Esse, tem a função de conduzir a pressão entre o acionamento do pedal e os discos, garantindo a estabilidade do sistema. Por esse motivo, deve ser trocado uma vez ao ano ou conforme a orientação do fabricante no manual do proprietário. 

Agende a manutenção preventiva na Bono Pneus mais próxima de você! 

Fonte: 

https://www.canaldapeca.com.br/blog/pedal-de-freio-trepidando-veja-problema/

https://blog.nakata.com.br/sistema-de-freio-tudo-o-que-voce-precisa-saber-para-nao-correr-perigo/

https://freiosbreque.com.br/discos-de-freio-empenados-ou-finos/

https://www.moura.com.br/blog/fluido-de-freio/

Rodízio dos Pneus: Você sabe fazer da forma correta?

No blog de hoje nós vamos ensinar você a fazer o rodízio correto dos pneus. Você sabia que existe pneu assimétrico, simétrico e com sentido de rotação?  Isso muda tudo na hora de você fazer o rodízio dos pneus do seu carro. Entenda abaixo como fazer da forma correta! 

Inicialmente, entenda que seu carro sempre terá um eixo de tração e um eixo que o acompanha. O eixo de tração é o que mais gasta, por exemplo, um carro com eixo de tração traseira, vai gastar mais os pneus traseiros e um carro com eixo de tração dianteira, os pneus dianteiros. Por esse motivo, faz-se o rodízio dos pneus, para equiparar os gastos dos pneus, gerando economia no seu bolso.  

Além disso, existem alguns carros que tem um vício de comportamento, tanto pelo tipo de pneu ou suspensão, eles geram “dente-de-serra” uma descamação que faz com que ao andar com o carro, haja ruídos nos pneus. Fazendo o rodízio, esse efeito “dente-de-serra” não ocorrerá. 

Há diversas formas de fazer o rodízio, se em “X”  dianteiro direito com traseiro esquerdo ou dianteiro esquerdo com o traseiro direito, ou se o seu rodízio vai ser entre pneus dianteiro do mesmo lado e os pneus traseiros irem para frente, o que vai determinar é o tipo de pneu do seu carro. 

  • Pneu simétrico: é um pneu onde o desenho é igual, tanto o lado direito da banda de rodagem do meio para fora ou da banda de rodagem do meio para dentro.
  • Pneu assimétrico: é um pneu que do meio para fora e do meio para dentro, o desenho é diferente. 
  • Pneu direcional: é aquele com o tipo de desenho com sentido de rotação. 

Nessa situação, o tipo de desenho que você tem no pneu entre simétrico, assimétrico e direcional é o que vai determinar se você pode fazer em “X”, se você pode virar no aro ou se você vai ter que se limitar a fazer entre pneu dianteiro direito com o traseiro direito, ou dianteiro esquerdo com o traseiro esquerdo, que é o mais comum pois a maioria dos pneus hoje são assimétricos e tem sentido de rotação.

Dica: Em algum momento, é recomendado que você coloque o estepe para participar desse rodízio, isso também vai gerar uma economia de pneu. 

Faça esse rodízio no máximo a cada 10.000 Km e aproveite a oportunidade para fazer o alinhamento e balanceamento de rodas.

Encontre a Bono Pneus mais próxima de você e agende seu serviço!

Dicas de direção defensiva

Quando pensamos em direção defensiva, pensamos logo na maneira de conduzir o veículo, porém, ela também está relacionada ao estado de conservação do veículo, condição da via, ambiente e comportamento das pessoas.

Com a direção preventiva, espera-se reduzir o número de acidentes causados pela imprudência no trânsito, isso porque, existem diversas condutas que podem preparar o motorista para situações de risco e/ou prevenir tais situações. 

De acordo com o Manual da Direção Defensiva, separamos dicas para você aplicar e tornar o trânsito mais seguro!

  • Mantenha distância segura: 

A distância segura recomendada é a de 2 segundos do veículo a frente, isso se dá pois tendo essa distância fica mais acessível visualizar todo o trajeto e ter o tempo hábil para frenagens em segurança. 

  • Cuidado com as condições climáticas:

Em dias chuvosos ou com neblina, o cuidado deve ser redobrado. Com a visibilidade comprometida  e em caso da via estar molhada, o recomendado é diminuir a velocidade, usar os faróis baixos, ligar o ar condicionado para evitar embaçamento e checar os pneus, que devem estar com os sulcos aparentes, evitando assim a aquaplanagem. 

  • Faça manutenção periódica no seu veículo:

Manter o veículo livre de falhas mecânicas, significa estar com as manutenções em dia e com isso prevenir uma parada inesperada que pode ocasionar, até mesmo, um acidente. Para um trânsito seguro, peças, componentes e sistemas do veículo precisam estar funcionando plenamente. 

  • Mantenha o foco e concentração:

Não estar em condições físicas e emocionais adequadas, por exemplo: ter consumido álcool, estar com sono, cansaço, irritado, etc,  interfere na concentração ao dirigir, o que pode levar mais facilmente a erros e acidentes. Além disso, usar o celular ao volante, configura infração gravíssima, já que é um dispositivo que tira o foco da direção, o condutor não estará atento a via para prevenir acidentes e ainda, causará acidentes. 

  • Dirija em velocidade compatível com a da via:

Dirigir em velocidade compatível com a da via significa, além de respeitar as sinalizações de limite de velocidade, estar atento ao trânsito e condições da via. Por exemplo, em situações de congestionamento, é recomendado que seja diminuída a velocidade e ainda evitar ultrapassagens perigosas. Dirigindo em velocidade compatível, evita-se freadas bruscas, há maior tempo de resposta a situações emergenciais e não gera multas.

Para mais dicas de direção defensiva, consulte o Manual de Direção Defensiva do DENATRAN: 

http://www.vias-seguras.com/documentos/arquivos/denatran_manual_de_direcao_defensiva_maio_2005 

O que você precisa saber para realizar a troca de óleo

A importância do lubrificante para o motor é igual à do sangue que corre nas nossas veias, é vital. Para um carro durar mais ou durar menos, o óleo é imprescindível.

Para tanto, entender qual o uso do motor, especificações do óleo e quantidade garantem uma troca de óleo adequada e dentro do prazo. 

 1- Quanto ao tipo de uso

Os carros mais modernos, hoje em dia, conseguem fazer a análise de uso severo ou não severo. Por exemplo, numa situação em que “anda-e-para” na cidade, há muitas partidas a frio e, com isso, comete-se o erro de achar que o uso não é severo pois o motor não esquenta porém, o motor não chegar a uma temperatura ideal é identificado como uso severo, a troca de óleo então ao invés de a cada 10.000km será necessária a cada 7.000km, por exemplo. 

Já, ao contrário, utilizar o carro numa rotação baixa e velocidade constante faz com que o motor chegue à temperatura ideal, e portanto, não é considerado de uso severo. 

Realizar a troca de óleo após o prazo pode ser muito prejudicial, pois os aditivos perdem suas propriedades e pode ocorrer um desgaste maior nos componentes, ou então o óleo engrossar e se transformar numa graxa, conhecida também por “borra”.

 2- Filtro de óleo

Em toda troca de óleo – e não vez ou outra – deve-se realizar a troca do filtro de óleo também. Isso acontece pois o filtro antigo acaba retendo entre 0,5 e 1l de óleo, além de impurezas que vão se misturar ao óleo novo e impedir a eficiência do lubrificante. 

 3- Especificações do óleo. 

Na embalagem do óleo está contida a sua especificação, por exemplo, 5w20, que significa 5 de viscosidade quando a partida é a frio e viscosidade 20 quando o motor já atingiu a temperatura ideal. Essa especificação deve ser verificada junto ao manual do veículo pois varia de motor para motor e nunca deve ser substituída ou misturada a outra. A viscosidade do óleo é importante pois garante proteção entre as partes do motor, porém deve ser na especificação correta para que não seja muito fluida ou grossa a ponto de oferecer resistência ao movimento das peças.

 4- Quantidade de lubrificante. 

Para checar a quantidade de óleo, esteja com o carro em repouso por ao menos 30 minutos para que o óleo que está nas galerias internas do motor desça para o cárter para a medição. 

Certifique-se de não colocar mais óleo do que o recomendado a fim de “se garantir” pois esse lubrificante a mais, irá encharcar as velas e causar uma série de problemas. 

Para saber com exatidão a quantidade necessária de óleo no seu carro,  verifique no manual do proprietário. 

Na Bono Pneus você encontra uma equipe técnica especializada para realizar a troca de óleo e filtro de óleo. 

Encontre uma loja mais próxima.

Comprou um carro seminovo? Veja quais peças revisar!

A compra de um carro seminovo pode ser vantajosa de muitas maneiras, seja pelo preço, condição de pagamento ou estado de conservação do carro. 

Na hora da compra, no entanto, há algumas recomendações a serem seguidas que previnem imprevistos e prejuízos que vão garantir o bom funcionamento do veículo desde o momento da compra. 

Levar o carro a uma mecânica de confiança para uma revisão, te ajudará a poupar gastos a longo prazo e ainda ter uma real noção do estado de conservação do carro e desgastes das peças.

Veja abaixo o que precisa ser checado:

Óleo, filtro de óleo e filtro de combustível

Caso o óleo esteja baixo, o ideal é trocá-lo, não completá-lo pois não se sabe qual foi a última especificação utilizada pelo antigo dono e, com isso, os filtros também devem ser trocados para prevenir que impurezas ainda comprometam o desempenho do motor. 

É recomendado fazer a troca a cada 10.000km ou 15.000km. 

Pastilha, discos de freio e fluido de freios

Ter a garantia de bom funcionamento do sistema de freios é indispensável para a estabilidade e segurança na direção. Para tanto, esses itens devem ser revisados e substituídos, se necessário. 

Em média, realize a troca dos componentes a cada 20.000km rodados e do fluido de freio a cada 40.000km.

Luzes

Conferir luz alta, baixa, lanternas, setas e luz de freio pode te poupar uma dor de cabeça logo após a compra do carro, por isso, confira esses itens antes da compra e, caso uma unidade esteja queimada, realize a troca do par pois a vida útil das lâmpadas é a mesma. 

 Pneus, alinhamento e balanceamento

Além de realizar o teste TWI para verificar a espessura dos sulcos,  verifique desgastes na parte de fora e dentro que podem indicar um desbalanceamento e desalinhamento. 

Rodízio e alinhamento, devem ser feitos a cada 10.000km rodados. 

Realize o check-up geral e manutenções preventivas na Bono Pneus.

Encontre a loja mais próxima.

Fonte:

https://www.adelveiculos.com.br/blog/detalhe/10444/revisao-e-manutencao-veja-como-deixar-o-seu-carro-seminovo-livre-de-problemas/

https://quatrorodas.abril.com.br/noticias/carro-usado-cartilha-ideal-de-revisao/

https://blog.nakata.com.br/comprar-carro-seminovo/

Como escolher pneus de carros

Maciez, conforto e durabilidade são características que geralmente nos chamam a atenção na hora de comprar novos pneus. Mas, não é somente isso que deve-se levar em consideração para a escolha, especificações como, tipo de veículo, velocidade, condições da via e índice de carga, devem ser analisados também.

Leia o post a seguir para  entender cada uma das especificações e fazer uma boa escolha dos pneus!

Maciez e Conforto

Além de todo o sistema de direção, suspensão e amortecimento, os pneus são um dos principais responsáveis pela estabilidade e direção silenciosa. Nesse quesito, atente-se ao perfil do pneu, pois perfil baixo, por exemplo, por terem uma camada de ar mais fina, transmitem as irregularidades do trajeto, enquanto pneus de perfil muito alto podem afetar a dinâmica do veículo. 

Durabilidade

O índice Treadwear informa a durabilidade do pneu sendo, quanto maior, maior a resistência. 

A durabilidade, no entanto, não depende apenas do pneu. As boas condições do sistema de direção e amortecedores interferem diretamente nesse quesito. 

Condições da via

A depender da condição da via, a velocidade, estabilidade e aderência irão variar. Por exemplo,  em uma via esburacada, de terra ou pedras, o pneu que melhor garante a estabilidade e aderência é o off-road, enquanto em vias urbanas, de asfalto,  o pneu on-road ou convencional é o recomendado. Caso o uso do veículo seja de uso misto, pneus mistos, que têm um bom desempenho em todos os terrenos.

Tipo de veículo:

Para cada tipo de veículo existirá uma recomendação da fabricante em relação aos pneus. Letras gravadas na lateral do veículo ou do pneu informam o tipo: 

P: indicado para carros de passeio;

LT: indicado para caminhões leves e alguns tipos de SUVs (carros grandes e esportivos);

ST: recomendado para reboques e motor-homes;

C: usados em caminhões, vans e pick-ups de maior porte.

 Índice de carga e velocidade: 

Junto com o tipo de veículo, encontram-se os índices de carga e velocidade. O primeiro informa o peso máximo suportado em cada pneu, sendo assim, sabendo para qual finalidade do uso do veículo, pode-se escolher o pneu que melhor o atenda.  Da mesma forma, o índice de velocidade mostra a velocidade máxima suportada pelo pneu. Lembrando que cada tipo de via terá a sua limitação de velocidade. 

Na tabela abaixo, encontre a correspondência entre cada índice e o valor suportado: 

https://contipneus.zendesk.com/hc/pt-br/articles/360023167454-Como-ler-o-%C3%8Dndice-de-Carga-e-o-S%C3%ADmbolo-de-Velocidade-de-Pneus-de-Passeio-

Medida do pneu: 

Para saber a medida ideal de pneu para o seu carro, consulte o manual do fabricante ou verifique na lateral do próprio pneu que veio da fábrica. A largura do pneu, por exemplo, interferirá na tração e desempenho em frenagens, além de exigir um maior consumo de combustível. 

Verifique abaixo o significado de cada letra e medida correspondente:

  1. A primeira letra que aparece na série, indica para qual uso o pneu é adequado P – Veículo de passeio LT – Caminhonetes Ausência de letras – Pneu de métrica europeia
  2. O número que ocupa a primeira posição da série indica a largura do pneu. Essa medida é importante para identificar também a roda apropriada para o veículo.
  3. O segundo número que aparece é a proporção entre a altura e a largura do pneu.
  4. A letra seguinte indica a quantidade de camadas do pneu, sendo: R – camadas atravessam o pneu radialmente D – camadas atravessam o pneu diagonalmente.
  5. O número seguinte é referente ao diâmetro da roda (em polegadas)
  6. O último número corresponde ao índice de carga, ou seja, indica a capacidade de carga que o pneu pode suportar no seu limite de pressão na hora da calibragem.
  7. A letra ao final, diz respeito ao limite de velocidade suportado pelo pneu. Não é uma recomendação, é uma informação para não exceder os limites de velocidade.Cada letra representa uma velocidade máxima de acordo com a tabela:

Verifique a etiqueta do Inmetro no pneu

A etiqueta do Inmetro te dá dicas muito importantes na escolha do seu pneu como a resistência do pneu ao rolamento, aderência em pista molhada e o ruído externo, confira o que cada uma significa: 

Ruído externo: nível de ruído produzido pelos pneus em decibéis (dB) Resistência ao rolamento: eficiência energética Aderência: eficiência do pneu em pistas molhadas

De acordo com essas informações busque o pneu que melhor se adeque ao seu tipo de uso, prezando sempre pela segurança.

Os componentes do sistema de direção, amortecimento e pneus  foram projetados para aguentar determinadas forças e, não seguir as especificações do fabricante, pode causar sérios danos à suspensão e ao sistema de direção, além de aumentar o risco de acidentes.

A Bono Pneus oferece aos seus clientes um suporte técnico qualificado e a facilidade de um centro automotivo completo e multi marcas de pneus no qual o cliente pode encontrar tudo que o carro necessita em produtos e serviços undercar em um único local.

Encontre a loja mais próxima e troque seus pneus!

Referência: https://blog.nakata.com.br/9-dicas-de-como-escolher-o-pneu-certo-para-seu-carro/ 

Como evitar acidentes de trânsito: Confira 5 dicas.

Em um dos países com mais vítimas por acidentes de trânsito, tomar algumas atitudes preventivas pode fazer a diferença em nossas vidas. 

Segundo o Atlas da Acidentalidade no Transporte Brasileiro, os 5 principais perigos que causaram acidentes do trânsito em 2021, são:

Esses dados mostram que a imprudência é a principal causa e, tendo consciência disso, separamos 5 dicas de como evitar acidentes de trânsito, confira:

  • Respeitar limites de velocidade / respeitar as leis de trânsito 

O limite de velocidade é um valor calculado por especialistas para garantir a velocidade ideal para trafegar sem comprometer a segurança do condutor, passageiros e pedestres. Nessa velocidade ideal, situações de risco podem ser evitadas, pois o tempo para reação é maior do que se em alta velocidade, por exemplo.

De modo geral, respeite as placas de velocidade e demais sinalizações: preferência em rotatórias, semáforos, estacionamento, etc. 

  • Evitar uso de celulares

O uso do celular durante a direção, como, responder mensagens, atender ligações, ver vídeos, comprometem sua atenção a fatores externos que podem ocorrer na via. 

O Código de Trânsito Brasileiro prevê infração gravíssima e perda de sete pontos na carteira para quem usar celular ao volante.

  • Distância segura

Manter uma distância segura do carro da frente proporciona um tempo maior para reação caso haja alguma emergência. 

Recomenda-se que a distância seja de 4 veículos do veículo à frente, sendo que essa distância precisa ser ainda maior em dias chuvosos, devido ao risco de aquaplanagem e maior tempo de frenagem. 

  • Boa postura

Pode parecer inofensivo mas, ter uma boa postura, ajustar retrovisores e bancos ao dirigir colabora para uma direção mais atenta, te fazendo reagir melhor às situações de emergência, por exemplo, minimizando pontos cegos e evitando colisões.

  • Manutenção preventiva:

Uma das maneiras de evitar acidentes de trânsito é prezar pela manutenção do carro preservando suas peças e componentes em bom funcionamento. Em situações de risco, ter a garantia de que os pneus são novos, pastilhas de freio, óleo e alinhamento estão em dia, pode salvar vidas. 

 Na Bono Pneus, prezamos pela segurança do seu veículo, capacitando nossa equipe técnica sobre a importância de um serviço automotivo bem feito para garantir a segurança da família que o utilizará. 

Encontre a Bono Pneus mais próxima de você.

Referências:

https://blog.sempararempresas.com.br/seguranca-no-transito/?gclid=CjwKCAiAleOeBhBdEiwAfgmXf-ojR35IoLF6gSUDt4CM4z2ZNgbSBZYAUhNu3JCAdjmWZWiVTg-TjhoC8aIQAvD_BwE

https://blog.portoseguro.com.br/acidentes-no-transito

https://seguros.sompo.com.br/7-dicas-para-evitar-acidentes-de-transito/

https://frotas.localiza.com/blog/como-evitar-acidentes-no-transito

https://blog.nakata.com.br/como-evitar-acidentes-de-transito-confira-8-dicas-indispensaveis/

Problema comum em veículos: Suspensão instável

Com o sistema de suspensão, o automóvel adquire estabilidade e proporciona conforto e segurança ao condutor e passageiros, quando em boas condições. 

Para cada automóvel existe um sistema de suspensão específico, desenvolvido e pensado para aquele modelo e utilização, conhecer esse sistema assegura o condutor contra imprevistos e até acidentes. 

Nesse artigo, entenda um dos problemas mais comuns dos veículos: a instabilidade no sistema de suspensão, como identificar e prevenir. 

O sistema de suspensão não é composto apenas por mola e amortecedor, como alguns pensam, mas por outros componentes como braço oscilante, pivô de suspensão e barra estabilizadora. 

Causado principalmente por más condições de pavimentação das vias, as peças desse sistema sofrem desgaste ocasionando sinais de instabilidade na suspensão, tais como:

  • Molas danificadas

Esse sinal é mais difícil de ser identificado, é preciso estar atento a altura do veículo. Qualquer perda de altura, por menor que seja, já indica que as molas estão danificadas.

  • Vazamento

Marcas de óleo no chão ou mesmo visíveis no amortecedor indicam o vazamento do fluido que deveria estar comprimido dentro do amortecedor e, portanto, compromete seu funcionamento.

  • Pneus desgastados

Dentre alguns fatores que podem levar ao desgaste dos pneus, um deles é o desgaste do sistema de suspensão. Isso porque, esse desgaste prejudica o contato adequado com o chão, deixando o pneu desalinhado.  

  • Instabilidade na direção 

Dificuldades na direção em curvas, mesmo em baixa velocidade, podem indicar desgaste dos amortecedores. Falta de alinhamento também pode ser a causa, por isso, leve seu carro a um centro automotivo se sentir essa instabilidade na direção. 

  • Barulhos

Quando alguma peça do sistema de suspensão se solta, como bielas, buchas de borrachas, pivôs ou coxins, pode-se ouvir o som forte de batidas secas e oscilações na carroceria ao passar por vias irregulares. 

Além de uma direção prudente para preservar o sistema de direção, mantenha o veículo com as manutenções preventivas em dia, verificando fluídos e realizando o alinhamento e balanceamento em um centro automotivo especializado. 

Encontre a loja Bono Pneus mais próxima de você.

Cuidados com a transmissão automática

63,5% dos carros comercializados são de transmissões automáticas, tudo porque ela é mais cômoda, confortável e também é a que gera menos manutenção mas, depende do uso que você faz. 

Entenda no post alguns cuidados para se ter com a transmissão automática:

Você não pode por exemplo parar numa descida e colocar em park para depois puxar o freio de mão, pode ver que quando você faz isso e vai tentar soltar o freio de mão dá um tranco.

Qual o procedimento adequado nesse caso? 

Pare o carro, coloque o câmbio em N, puxe o freio de mão, solte o carro e aí sim, por último, coloque em park, tenha certeza de quem está segurando o carro é o freio de mão e não o câmbio.

E quanto a substituição de fluido, tem que fazer a troca ou não?

O fluido da transmissão automática precisa ser trocada a cada 40 a 50 mil km. Algumas pessoas podem dizer que esse serviço é caro, porém, se comparado ao óleo do motor que é trocado a cada 10.000 km, o preço fica equivalente. 

A troca do fluido não pode ser feita em qualquer lugar, deve ser em um centro automotivo especializado com a máquina própria para a troca do fluido, onde uma mangueira entra nos trocadores de calor, tira o lubrificante velho e coloca o lubrificante novo, só assim você garante que todo o fluido da transmissão foi trocado. 

Encontre a Bono Pneus mais próxima de você e agende seu serviço.

O que mudou com a nova lei do farol baixo?

Desde 2016, em todos os tipos de rodovias, sejam elas simples ou não, era obrigatório o uso de farol baixo durante o dia para garantir melhor visibilidade dos condutores. No entanto, a partir de Abril de 2021, com a nova lei 14.071/2020, a obrigatoriedade se dá apenas em vias simples fora do perímetro urbano, ou seja, quando não há divisão física. Para vias de pista dupla, em que há uma divisão física, como muretas, guard rail ou canteiro central, por exemplo, não há necessidade do acionamento dos faróis durante o dia. Lembrando que, no período noturno, continua obrigatório para ambas as vias. 

“Isso porque, conforme o NHTSA (Administração Nacional de Segurança de Tráfego em Rodovias), o uso de farol baixo ligado durante o dia reduz em 12% os acidentes envolvendo pedestres e ciclistas e, em 5%, as colisões entre veículos. Além disso, faróis ligados durante o dia aumentam em 60% a percepção visual periférica do pedestre — o que diminui o número de atropelamentos.” 

Além dessa mudança,  para veículos que têm a DRL (Daytime Running Light), fica desobrigado a utilização do farol baixo durante o dia, já que automaticamente essa luz é ligada. Espera-se que nos próximos anos as fabricantes incluam esse dispositivo em todos os modelos de automóveis a fim de facilitar o acionamento e garantir a segurança de motoristas e pedestres.

O não uso do farol baixo durante o dia é passível de multa no valor de R$130,16 e quatro pontos na carteira.

Esteja atento às leis de trânsito e conte com a Bono Pneus para manter o seu veículo em boas condições de uso. 
Referência: https://www.portaldotransito.com.br/noticias/mobilidade-e-tecnologia/seguranca/vai-pegar-rodovia-fique-atento-as-mudancas-da-lei-do-farol-baixo/ 

Qual a hora certa de fazer o balanceamento?

A dica de hoje tem a ver com balanceamento de conjunto pneu e roda. Andando com o carro em linha reta e velocidade linear, caso necessite de balanceamento, o carro apresentará uma pequena vibração no volante. Essa vibração pode ocorrer após a passagem por buracos e vias irregulares. 

Para saber qual a roda que está desbalanceada, verifique onde a vibração é sentida. Quando o desbalanceamento ocorre nas rodas traseiras, ela é sentida no encosto e assento do banco, pois a vibração ocorre no eixo traseiro.  Quando essa vibração se apresenta mais no volante, provém dos pneus dianteiros. Mas, uma dica: a ideia não é só balancear aquele pneu que perdeu o contrapeso, aproveite essa oportunidade e já faça as quatro rodas!

Em um centro automotivo, a máquina de balanceamento faz uma compensação de massas, isso porque, por mais que pareça que pneu e roda sejam redondos, eles têm, na verdade, algumas diferenças de peso. Por ser um produto vulcanizado, o pneu pode ser mais pesado em cima do que embaixo, por exemplo. É como pegar um bolo e colocar ele no forno, ao crescer, corre o risco dele ficar mais assado de um lado e menos do outro. Pode parecer estranho, mas isso pode acontecer com o pneu de maneira que, com a diferença de peso, quando rodar, aquela parte mais pesada vai bater no chão mais forte o que gerará uma série de desgastes irregulares na banda de rolagem e, uma vez feita a deformação, não tem mais balanceamento que tire isso.

Como a vibração ocorre por todo o sistema de direção, isso vai acabar gerando algum tipo de folga prematura em alguma bucha, em algum pivô ou em algum terminal.

Primeiro sinal de vibração no volante? Corra e balanceie os quatro pneus do seu carro para você não ter todos esses danos. Algo simples, fácil de fazer e que resolve!

Fonte: transcrição do vídeo do César Urnhani para Bono Pneus https://www.youtube.com/watch?v=D3utkB_NFF8&t=309s  

De quanto em quanto tempo checar os freios do carro?

O condutor precisa ficar atento aos diversos fatores que influenciam o bom funcionamento dos freios. Isso depende do desgaste natural dos componentes do sistema de freios, condições da via e, ainda, estilo de direção. 

Abaixo, confira a periodicidade que indica a necessidade de manutenção, mas saiba que agir preventivamente é a melhor forma de dirigir com segurança e ainda ter um gasto menor a longo prazo. 

Composição do sistema de freios e durabilidade: 

Fluido de freio: 

É um óleo específico para o sistema de freios que apresenta condições de resistência e elasticidade, funcionando como condutor de pressão entre a frenagem e os discos. 

Durabilidade: em média, a cada 10 mil quilômetros ou depois de 2 anos de utilização.

Pastilhas: 

As pastilhas são responsáveis pelo atrito junto ao disco de freios para parar o automóvel. 

Durabilidade: em média, a cada 20 mil quilômetros.

Lonas: 

As lonas travam o carro quando o freio de mão é utilizado por meio do atrito gerado entre a roda e os tambores de freios. 

Durabilidade: em média, 50 mil quilômetros. 

Servo de freio: 

Auxilia o funcionamento do freio, aumentando a força que o condutor exerce ao pisar no pedal. 

Durabilidade: em média, 120 mil quilômetros ou quando se sente o pedal pesado. 

Cilindro Mestre: 

O cilindro mestre é aquele que por meio de alta pressão, envia o fluido de freio até os tambores de freios. 

Durabilidade: em média, 100 mil quilômetros.

Disco de Freio e tambores : 

O disco de freio é uma peça de formato circular e achatado, que fica presa ao cubo de roda e acompanha seu movimento. Ele é responsável por promover a desaceleração e a parada do veículo por meio do atrito das pastilhas em sua superfície.

Durabilidade: não tem uma vida útil pré determinada.

Pedal

O pedal é o primeiro acionador do freio que fica em contato com o motorista. 

Durabilidade:  não tem uma vida útil pré determinada.

Mangueiras e canos: 

Esses componentes são responsáveis por levar os fluidos até as rodas, e necessitam estar em boas condições, ou seja, sem vazamentos, para aguentar a alta pressão exercida pela frenagem. 

Durabilidade: checar em todas as trocas de óleo.

Apesar dos prazos estipulados pelos fabricantes, cada componente do sistema pode apresentar sinais de falhas em um período menor a depender de fatores como direção e via. 

Alguns sinais de falhas no sistema de freios são: 

  • Trepidação no pedal;
  • Chiados ao frear; 
  • Luz acesa no painel; 
  • Pedal duro ou pesado;
  • Pedal baixo; 

Existem outros componentes, no entanto, que não fazem parte diretamente do sistema mas que sua condição influencia na durabilidade dos freios, como molas e amortecedores. 

Leve seu carro até um centro automotivo Bono Pneus para um diagnóstico completo!

Encontre a loja mais próxima! 

Pergunta e respostas sobre a troca de óleo!

Você sabe da importância em trocar o óleo do carro? 

Esse componente é o responsável por lubrificar as peças do motor, reduzindo o atrito, ferrugem e sujeira, colaborando para o aumento da vida útil do filtro de partículas e catalisadores.

Para saber o momento certo de trocar o óleo do seu carro, verifique o manual do proprietário, porém a troca vai variar de acordo com o uso. Isso porque, caso o uso seja severo, por exemplo em trânsito ou em curtas distâncias, a troca deve ser efetuada a cada 5 mil quilômetros. Caso o uso seja em marginais ou estradas, a troca pode ser realizada apenas aos 10 mil quilômetros. No entanto, deve-se estar atento também ao tempo, sendo a validade máxima para a troca de óleo de 12 meses. 

Atenção ao que vencer primeiro: quilometragem ou tempo 

Leia a matéria, tire suas dúvidas sobre a troca de óleo do motor e  previna danos maiores no seu carro! 

O filtro deve ser trocado junto com o óleo?

Sim, pois o filtro de óleo acumula impurezas. Sendo assim, caso o filtro não seja trocado, o óleo novo será contaminado por esses resíduos do filtro já utilizado, por esse motivo, troque-o sempre que trocar o óleo. O carro que roda pouco não precisa trocar o óleo? Mesmo rodando pouco, a troca de óleo precisa ocorrer a cada 10 mil quilômetros ou 12 meses, o que vencer primeiro. Isso porque, ao ser retirado de sua embalagem original e ter contato com o ar, suas características originais vão sendo degradadas ao longo do tempo. Misturar óleo sintético com o mineral aumenta o desempenho? Não aumenta o desempenho e ainda, não se deve misturar óleo de especificações diferentes, pois os níveis de viscosidade e aditivação não são compatíveis.  Essa mistura, pode significar perda da eficiência, aumento do consumo de combustível e desgaste do motor. Utilize sempre óleo com a mesma especificação. 

Deve-se usar aditivo no óleo?

Não, pois os óleos de motor já constam em sua composição o aditivo necessário a cada modelo de carro. Aditivos extras, não tem sua eficácia comprovada cientificamente. 

O melhor jeito de você saber o tipo certo de óleo para o motor do seu carro é dar uma olhada no manual do veículo, onde contém a frequência ideal e qual o tipo de óleo você deve utilizar. Ou então, conte com o auxílio de um profissional capacitado na Bono Pneus! 

Encontre a loja mais próxima! 

Como identificar problemas no escapamento?

A principal função do sistema de escapamento é filtrar os gases tóxicos produzidos pela queima do combustível, contribuindo tanto para o meio ambiente quanto para a saúde dos ocupantes do veículo. No entanto, ao realizar essa função, o sistema de escapamento acaba por melhorar, inclusive, o rendimento do motor e absorver as ondas sonoras através de seus componentes.

O sistema de escapamento é composto por:

  • Coletor de escape: Onde é recolhido os gases tóxicos produzidos pelo motor
  • Tubos de estepe: Interliga as peças
  • Silenciador: Reduz o barulho gerado pelo motor
  • Catalisador: Filtra os gases poluentes antes de liberá-lo para o ambiente
  • Abafador: Absorve ruídos mais agudos

O sistema de escapamento é obrigatório por lei, ou seja, não é permitido sua retirada por conta do barulho emitido ser superior a 95 decibéis além da emissão excessiva de gases poluentes. Sendo assim, é importante mantê-lo em boas condições de uso e , para isso, atente-se aos sinais que podem indicar alguma falha no escapamento:

Barulho, trepidação e assoalho superaquecido: 

Um dos sinais mais comuns e facilmente identificável é o barulho, um ruído alto e às vezes agudo é emitido pelo sistema quando esse apresenta falhas. Esse barulho pode ser ocasionado por um desprendimento das peças do escapamento fazendo com que fiquem soltas e por consequência, se choquem umas com as outras conforme o movimento do carro. Além do barulho, esse rompimento e trepidação entre os componentes pode fazer com o que escapamento altere de lugar e fique mais próximo do assoalho, que fica superaquecido.

Cheiro diferente: 

Como o sistema de escapamento é responsável pelo filtro de gases poluentes, um sinal para ficar atento a falhas é o cheiro. Sentir odores doces ou ácidos pode indicar o vazamento de algum gás nocivo.

Ferrugens ou rachaduras:

Encontrar ferrugem no sistema de escapamento pode ser indício de combustível adulterado pois o mesmo possui água em sua composição e causa oxidação no escapamento diminuindo sua capacidade de absorção dos gases.

Além disso, rachaduras podem ocorrer em consequência do componente enferrujado além de batidas. Nesse caso, os componentes não são reparados e sim trocados pois quando apresentam falhas, acabam por também danificar todo o sistema. Fazer o uso da solda, por exemplo, não é recomendado pois a longo prazo, pode apresentar vazamentos.

O ideal para a preservação do sistema de escapamento é uma verificação a cada 3 meses e caso haja necessidade de uma troca, certifique-se de utilizar peças originais e certificadas pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial).

Na Bono Pneus realizamos a troca do seu escapamento, com equipe técnica capacitada e equipamentos de última geração, avaliamos as condições do veículo com precisão, confiança e rapidez.

Encontre a loja mais próxima!

Mecânico da franquia de pneus Bono Pneus

Tipos de manutenção: preventiva, preditiva e corretiva

Comumente acabamos por levar o carro até o centro automotivo apenas quando necessário uma correção em alguma peça, ou seja, uma troca ou um reparo. Esse serviço em geral, é custoso e leva um tempo maior que o esperado muitas vezes.

E se tivesse um jeito de evitar esse transtorno?

Existem outros 2 tipos de manutenção que antecedem e até previnem a necessidade da manutenção corretiva, confira abaixo:

Manutenção Preventiva: 

Realizada na periodicidade estipulada pelo fabricante, nela, é avaliado as condições de cada peça e a necessidade de troca ou não.

Nesse momento, analisa-se se as peças e componentes estão com desgaste excessivo, fora do normal e já se atua de forma a prevenir qualquer parada futura, que poderia inclusive ocasionar outros danos.

Os itens abaixo, por exemplo, já têm uma periodicidade estipulada para a troca de acordo com o fabricante, são eles:

  • óleo
  • filtro de óleo
  • filtro de combustível
  • filtro de ar
  • filtro de ar condicionado
  • velas de ignição
  • correia dentada
  • Fluido dos freios
  • óleo de câmbio manual

Manutenção Preditiva: 

A manutenção preditiva é feita em intervalos programados e utiliza-se de técnicas de avaliação tecnológicas como: termografia, ultrassom do sistema, estudo de vibrações e análise de estruturas.

Com isso, a avaliação é mais precisa e visa prever problemas futuros, preservando a vida útil do veículo.

Manutenção Corretiva: 

Diferentemente dos outros tipos, a manutenção corretiva não possui uma previsibilidade pois ocorre apenas quando o carro já apresenta falhas e necessita uma parada para seu conserto.

Esse tipo de manutenção tende a ser mais cara pois é necessário um reparo ou troca da peça danificada, tendo que o carro permanecer parado por algum tempo, não programado, ocasionando custos a mais ao condutor.

Além disso, não fazer manutenção em peças ou componentes que necessitem manutenção ou verificação periódica pode levar a danos em todo o sistema, como é o caso o fluido de freios.

Alguns problemas comuns em manutenção corretiva são:

  • problemas na bateria;
  • mau funcionamento dos freios;
  • pneus com más condições de uso;
  • avarias nos amortecedores e molas;
  • problema de balanceamento;

Ter um veículo com as manutenções em dia significa assegurar as condições das peças do veículo, evitando problemas que podem gerar maiores custos no futuro.

Na Bono Pneus realizamos a revisão do seu carro e trocamos apenas o que realmente é necessário. Com equipe técnica capacitada e equipamentos de última geração avaliamos as condições do veículo com precisão, confiança e rapidez.

Como escolher um centro automotivo de confiança para o seu carro

Tão importante quanto escolher um bom médico para tratar de nossa saúde, a escolha do centro automotivo que realizará a manutenção do nosso carro também pode salvar vidas. Isso por que assim como em nossa saúde, manter em dia o check-up automotivo colabora para uma melhor performance e evita paradas de emergências. Mas, não basta saber o que precisa ser feito, é preciso fazer bem feito!

A escolha do centro automotivo não é uma tarefa fácil, sabemos que nesse ramo há muitas opções e a reputação não é tão boa. Qualquer pessoa já ouviu uma história ou ela própria já passou por situações em que foi enganada (o) por um mecânico, teve um gasto maior que o previsto ou mesmo o serviço realizado foi de má qualidade.

Pensando nisso, selecionamos 3 dicas para escolher um centro automotivo de confiança para o seu carro:

Verifique a reputação do estabelecimento

A reputação do estabelecimento pode ser verificada nas redes sociais do mesmo, pelas avaliações do Google e no Procon. Nelas, você encontrará relatos de clientes que realizaram seu serviço no centro automotivo e com isso, terá uma noção do que esperar daquele lugar, atendimento e qualidade dos serviços.

Nos centros automotivos Bono Pneus temos orgulho de ter boas notas avaliadas pelos clientes no Google, confira!

Faça orçamentos

Realizar cotação dos serviços em diversos lugares é importante para evitar prejuízos. Solicite sempre o valor da peça e o valor da mão-de-obra, quanto mais detalhado, melhor, pois poderá ter mais dados comparativos e entender o que está incluso e o que não está, evitando surpresas.

Fora o preço, outros itens podem ser avaliados como atendimento e localização, além de considerar a reputação descrita acima. Com isso, verifique o custo-benefício de cada centro automotivo antes de tomar a decisão.

Opte por oficinas organizadas e limpas

Avaliar a estrutura do centro automotivo é importante pois reflete o trabalho que é realizado. Um ambiente organizado e limpo proporciona maior clareza e rapidez na execução do veículo, além de mostrar o cuidado e preparo do profissional.

Não deixe para levar seu carro na oficina apenas numa emergência, manutenção em dia evita paradas inesperadas, garante o bom funcionamento do veículo e valorização.

Leve em um centro automotivo Bono Pneus! Temos mais de 25 anos de experiência em serviços automotivos, oferecendo aos clientes um suporte técnico qualificado e a facilidade de um centro automotivo completo e multimarcas de pneus

Encontre tudo que o carro necessita em produtos e serviços undercar em um único local.

Revisão do carro: itens para ficar atento!

Você sabe quais os itens devem ser revisados periodicamente?

Quando se pega a estrada por um longo período de tempo, situações inesperadas podem ocorrer. Para prevenir, a revisão automotiva é imprescindível garantindo assim o bom funcionamento do carro e segurança aos passageiros.

Além de evitar acidentes e paradas, a manutenção preventiva colabora com a economia de combustível e a vida útil do veículo já que, um veículo com problemas mecânicos ou com peças com desgastes excessivos, acabam por exigir mais do motor e outros componentes.

Atente-se aos itens abaixo na revisão e boa viagem!

Pneus

As condições da estrada e a velocidade do carro podem exigir mais dos pneus em uma viagem. Pneus carecas e com a calibragem errada colocam em risco a segurança do passageiro pois a aderência com o asfalto é menor. Antes de utilizar o carro cheque os pneus, calibre de acordo com a pressão sugerida no manual e, se necessário, realize o rodízio também, dessa forma, a vida útil é prolongada e há um desgaste equilibrado entre os quatro pneus.

Alinhamento e balanceamento

O alinhamento e balanceamento colaboram para que o carro distribuía seu peso de forma equilibrada. Caso não esteja alinhado ou desbalanceado, o carro realizará um esforço maior para compensar o desequilíbrio ocasionando aumento no consumo de combustível além de dificultar a direção.

Em geral, o alinhamento e balanceamento são feitos a cada 10 mil quilômetros, porém, se você já tiver uma viagem marcada próximo a essa marca, recomenda-se que seja feito antes. Prevenção, sempre!

Freios

É importante sempre conferir os freios pois em uma situação de extrema necessidade queremos que ele funcione perfeitamente.

Para manter os freios livres de qualquer vazamento, barulho ou perda da eficiência, revise os itens presentes no sistema de freios: discos, pastilhas, fluídos, entre outros.

Óleo do motor

Responsável por retirar impurezas do motor, lubrificar as peças e evitar o excessivo atrito entre elas, o óleo do motor precisa ser de boa qualidade e trocado na periodicidade recomendada pelo fabricante pois ao longo do tempo, o óleo perde suas propriedades.

Ainda que não tenha alcançado a marca para a próxima troca, antes de viajar, previna e realize a troca do óleo.

 Itens de segurança

Faróis e lâmpadas, limpador de para-brisa e borracha precisam estar em bom estado de funcionamento. Revise esses itens antes de sair de casa e solicite ao mecânico sua troca para que durante a viagem não haja imprevistos e você consiga dirigir com segurança em condições de chuva, neblina e a noite, por exemplo.

Revise seu carro na Bono Pneus, rede multimarcas de pneus com mais de 25 anos de experiência. Realizamos a revisão do seu carro e trocamos apenas o que realmente é necessário. Com equipe técnica capacitada e equipamentos de última geração, a Bono Pneus avalia as condições do veículo com precisão, confiança e rapidez.

Crescimento acelerado: em 1 mês Bono Pneus inaugura 2 novas lojas!

Alinhado com sua visão de ser a melhor solução em produtos e serviços automotivos, tornando-se referência na revenda de pneus multimarcas como modelo de Franquia, a Bono Pneus se mostra em potencial crescimento inaugurando duas novas lojas nos últimos 30 dias, em Aricanduva/SP e Juiz de Fora/MG.

A abertura das novas unidades comprova o sucesso da marca e sua força no setor automotivo brasileiro no qual já se consolida a mais de 25 anos. 

O modelo de franquia praticado pela Bono Pneus é o que atrai os empreendedores: atender os clientes e franqueados de forma personalizada, promovendo uma experiência confiável com atendimento técnico consultivo, além de oferecer produtos e serviços de qualidade que atendam às necessidades dos clientes com transparência, postura ética e equipe capacitada para solucionar problemas com qualidade, segurança, respeito à vida, às pessoas e ao meio ambiente.

As novas lojas possuem amplo espaço para receber seus clientes com conforto, segurança e praticidade, além de garantir serviços e manutenção para moradores e todas as pessoas que trafegam pelo local.

Conheça:

Bono Pneus Aricanduva/SP

📱 (11) 91309-4086 ☎ (11) 4750-1431 📍Av. Rio das Pedras, 440 Jd. Aricanduva – São Paulo / SP Ponto de Referência: (em frente ao Carrefour Hipermercado) 🌐 https://bonopneus.com.br/aricanduva/ 

https://www.instagram.com/bonopneus.aricanduva/

https://www.facebook.com/bonopneus.aricanduva

Bono Pneus Juiz de Fora/MG

📱(32) 99126-5755 ☎ (32) 3112-0402 📍Av. Brasil, 1.050 – Costa Carvalho – Juiz de Fora / MG (ao lado da Mundial Acabamentos) 🌐 https://bonopneus.com.br/juiz-de-fora-avbrasil 

https://www.instagram.com/bonopneusjuizdefora.avbrasil/

https://www.facebook.com/bonopneusjuizdefora.avbrasil

Quer ser o franqueado a abrir a próxima Bono Pneus?

Entre em contato e conheça nosso plano de negócios

5 possíveis motivos para o carro não pegar pela manhã

Antigamente, esse tipo de problema era relativamente comum em carros movidos a álcool em épocas frias, isso porque a combustão ocorre a uma temperatura mínima de 25°, o que, pela manhã, muitas vezes não era possível. 

Com o avanço da tecnologia e surgimento dos modelos flex, esse problema foi ficando menos comum. 

Se ainda ocorre com o seu carro, leia abaixo 5 possíveis motivos:      

1. Bateria

A bateria, como muitas peças do automóvel, também tem data de validade e ainda, pode apresentar falhas caso esteja a muito tempo ligada ou mesmo desligada. Ao ligar o carro pela manhã, caso as luzes do painel não acendam e o carro não dê a partida, pode ser que a bateria tenha descarregado. Faça uma recarga de emergência e leve até o centro automotivo mais próximo.

  2. Combustível adulterado

Combustível adulterado pode ocasionar falhas no funcionamento e desempenho do carro que podem ser sentidos na oscilação da rotação. Isso porque a mistura, após um período de tempo, se divide em fases e a parte ruim acaba por abastecer o motor. Esteja atento a data do último abastecimento para monitorar os postos de combustível que costuma frequentar. 

      3. Bomba de combustível 

Se você tem um carro antigo ou fez uso de combustível adulterado, a bomba de combustível pode apresentar falhas. Responsável por injetar combustível no motor, a pressão na bomba deve ser constante, e caso haja alguma falha: pressão alta, baixa ou resíduos, a movimentação é impedida ocasionando o não funcionamento adequado do motor.      

4. Falhas nas velas de ignição

Motor engasgado ou baixa potência podem ser sinais de falhas nas velas de ignição. Excesso de resíduos entopem o sistema e impedem a queima da mistura ar-combustível.     

5. Partida a frio 

Mesmo em carros movidos a etanol ou flex, é necessário abastecer o tanque auxiliar com gasolina pois, no sistema de partida a frio, utiliza-se a gasolina para a partida do carro. A gasolina, diferente do álcool, consegue ter uma queima uniforme com o ar mesmo em temperaturas baixas. Se esse tanque auxiliar não for abastecido, o sistema não funcionará e consequentemente, o carro poderá não dar a partida. 

Para saber qual desses problemas está afetando seu carro, leve até a Bono Pneus mais próxima de você e solicite uma revisão.

Períodos de chuva: quais cuidados devo ter com meu carro?

Em geral, acabamos percebendo que as pastilhas do para-brisa precisam ser trocadas quando já estamos no meio do temporal lutando contra a água que desaba e vemos que o para-brisa não está dando conta. 

Durante a época do ano da primavera e verão é comum que tenhamos períodos de chuva, muitas vezes intensas. Se você não consegue evitar dias chuvosos e precisa utilizar o carro, leia o artigo até o final para saber como se preparar para enfrentar as intempéries e evitar perrengues na direção. 

Alguns itens do carro precisam estar em constante conferência para te garantir segurança e boas condições, confira a lista: 

Limpador de para-brisas: 

Devido ao ressecamento da borracha, o limpador de para-brisas dá sinais de que precisa ser trocado são: riscos no vidro e barulho ao funcionar. Para garantir uma melhor visibilidade, troque esse item tanto no vidro dianteiro quanto traseiro. 

Lanternas: 

Não só lanternas e faróis, mas também luzes de sinalização precisam estar em bom funcionamento para garantir a luminosidade adequada à noite e em dias chuvosos que tendem a ser mais escuros. Além de multa, faróis queimados ou falta de sinalização podem ocasionar acidentes. 

Sistema de ventilação: 

Responsável por desembaçar os vidros de forma rápida, confira a carga de gás, compressor, condensador e mantenha a higienização do ar condicionado em dia.  

Bateria: 

Todo sistema elétrico do carro depende da bateria, sendo assim, ela é imprescindível ao enfrentar dias de chuva. A bateria precisa estar em bom funcionamento, carregada, para que os itens como ar condicionado, limpador e lanternas possam funcionar normalmente.

Pneus: 

Em um momento de frenagem, o acúmulo de água causa a aquaplanagem dificultando a parada, isso porque o atrito entre pneu e o chão é menor do que em condições normais e assim, o contato é também menor.  Para prevenir acidentes, não deixe de trocar os pneus de acordo com tempo e quilometragem adequadas. 

Freios: 

Além de pneus gastos, freios em más condições também irão dificultar a frenagem. Ruídos podem indicar o momento de trocar a pastilha de freios. 

Em épocas de chuva, o contato frequente com a água pode afetar algumas partes do motor, rodas e lubrificação

Idealmente, realizar a manutenção preventiva periodicamente colabora para uma direção segura e é essencial para preservar o veículo e reduzir o gasto com problemas maiores. Em épocas de chuva, por exemplo, o contato frequente com a água pode afetar algumas partes do motor, rodas e lubrificação. Leve seu carro até a Bono Pneus mais próxima para uma avaliação dos componentes mecânicos e eletrônicos. 

Dicas para evitar o desgaste dos pneus

Que os pneus devem ser trocados periodicamente, todo mundo sabe. Mas e se tivesse um jeito de prolongar sua vida útil e te fazer economizar combustível, ganhar conforto e segurança ao dirigir? Parece bom demais, não é mesmo?

Confira abaixo 5 dicas de como evitar desgastes excessivos e desnecessários:

1. Calibre os pneus frequentemente

Com a calibragem incorreta dos pneus há um aumento da insegurança e instabilidade decorrente da alteração da área de contato com o solo, maior resistência ao dirigir, maior consumo de combustível devido a maior resistência de rolamento, entre outros fatores.

2. Alinhamento e balanceamento em dia

Desvios mecânicos causam perda de tração, estabilidade e desgastes em outras peças mecânicas. Estar com a roda e pneu alinhado e balanceado garante uma direção mais segura, sem trepidações e economia de combustível.

3. Rodízio de pneus

É natural que os pneus dianteiros se desgastem mais rápido que os traseiros devido ao esforço direcional e ao torque do motor. Fazer o rodizio de pneus compensa esse desgaste proporcionando estabilidade e eficiência.

4. Evite a alta velocidade

Tanto arrancadas quanto curvas em alta velocidade aumentam o atrito entre o pneu e o solo que ocasiona desgaste dos pneus, alto consumo de combustível e prejudica o sistema de freios.

5. Evite o sobrepeso

A sobrecarga além de desgastar diretamente o pneu, afeta a direção, freios e suspensão. É especificado em cada pneu seu limite de carga compatível. Evitar o sobrepeso garante a preservação do carro como um todo.

Pneus bem cuidados garantem uma vida útil maior ao seu carro e proporcionam maior segurança a sua direção!

Na Bono Pneus realizamos a revisão do seu carro e trocamos apenas o que realmente é necessário. Com equipe técnica capacitada e equipamentos de última geração. A Bono Pneus avalia as condições do veículo com precisão, confiança e rapidez.

Nossos serviços:

Encontre uma oficina mais próxima e solicite um orçamento!

Pastilhas de freio: como saber a hora de trocar

Que as pastilhas de freio são parte essencial para o bom funcionamento do carro e segurança do condutor e passageiros, você já sabe! Mas e a hora certa de trocar, você está atento? 

As pastilhas de freio, assim como muitos componentes do carro, se desgastam ao longo do tempo, seja de forma natural ou devido a alguma anomalia ou má condução. 

A frenagem funciona a partir de um atrito entre a pastilha de freio e o disco, fazendo com que a velocidade do veículo diminua. Caso a pastilha ou disco não estejam em condições adequadas, o carro terá menos eficiência ao frear, colocando em risco os condutores e passageiros. 

Felizmente, existem alguns sinais que podem ser verificados no carro para perceber quando algo não vai bem: 

  1. Ao frear, ouve-se um ruído proveniente, em geral, do atrito entre pastilhas e o disco de freio;
  2. A espessura da pastilha de freios pode ser percebida a olho nu. Localizada na roda, sua espessura mínima é de 2mm;
  3. A eficiência dos freios é comprometida, tendo que realizar um esforço maior para a frenagem do carro;
  4. Após atingir a quilometragem de rodagem estipulada pelo manual.

No manual do veículo você encontra a recomendação do período médio de troca das pastilhas de freio, no entanto, esse período pode variar de acordo com a forma de conduzir o veículo: 

  • Evite frear bruscamente;
  • Não sobrecarregue o sistema de freios, respeite o limite de peso; 

Mas atenção, o ruído no sistema de freios pode ter outras origens além das pastilhas, por isso, levar o carro a um centro automotivo qualificado para realizar um diagnóstico preciso é essencial. 

Encontre uma loja perto de você!

Combustível adulterado: sinais para você ficar atento!

Em alguns casos, a alta dos preços dos combustíveis é um influenciador para que o consumidor prefira abastecer seu carro em um posto pouco confiável e que pratica preços muito abaixo do mercado. Cuidado! No início, você tem a sensação de que fez um bom negócio, mas na medida em que utiliza o carro, os problemas mecânicos vão aparecendo.

O hábito de abastecer sempre com o combustível mais barato e em postos não tão confiáveis pode ocasionar sérios danos (e caros) ao seu carro, dentre eles: ressecamento de mangueiras do motor, desgaste nas vedações, deformação dos pistões, bomba de combustível entupida, entre outros.

O órgão que regulamenta e fiscaliza os combustíveis no Brasil é a ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) porém sabemos que corriqueiramente ouvimos histórias sobre conhecidos que tiveram seu carro danificado devido ao abastecimento com combustível adulterado.

Para se precaver desse tipo de situação, atente-se tanto ao local em que está abastecendo quanto aos sinais que seu carro pode dar e ainda, o que fazer caso inevitavelmente ocorra com você.

No posto de combustível:

– Desconfie de valores muito baixos;

– O posto deve estar devidamente sinalizado quanto a procedência do fabricante de combustível;

– As bombas devem estar lacradas e identificadas (endereço, CNPJ do posto e selo do INMETRO;

– Solicite o teste de proveta, que mede a porcentagem de etanol na gasolina (acima de 27% indica adulteração).

Sinais no carro:

– luz de alerta do motor acesa, indica algum dano ao sistema de injeção eletrônica;

– perca de potência;

– ruídos em momentos que o motor é mais exigido;

– vazamento de óleo e características diferentes;

– aumento do consumo de combustível.

Ainda, caso essa situação ocorra, busque seus direitos. Tendo em mãos a nota fiscal, solicite o teste de proveta e se caso comprovado, realize a denuncia ao ANP.

Na Bono Pneus temos o diferencial de sermos um centro automotivo e por isso, estamos preparados para avaliar as condições do seu veículo com precisão, confiança e rapidez.

Encontre uma loja perto de você!

Investir no setor automotivo vale a pena?

Até 2019, segundo o Denatran, Departamento Nacional de Trânsito, haviam em circulação cerca de 100 milhões de unidades de veículos, porém, sabe-se que com a pandemia iniciada no final do mesmo ano, o comportamento do consumidor mudou.

A pandemia forçou a paralização de fábricas e indústrias do setor automotivo fazendo com que peças e componentes ficassem escassos no mercado, somado isso à volatidade do dólar, resultou no aumento dos custos de produção, e consequentemente, de venda.

Então, o desejo de compra do carro novo foi substituído pelo investimento, preservação e manutenção do atual já que, com um cenário de crise econômica e popularização do home office o uso do carro precisou ser revisto.

Sendo assim, o consumidor tende a investir mais em manter o próprio veículo do que buscar outro novo. Serviços como: alinhamento e balanceamento, higienização do ar condicionado, troca de óleo, troca de pneus, consertos em injeção eletrônica, embreagem, freios, entre outros, se tornaram mais comuns e essenciais.

Nesse sentido, o segmento de serviços automotivos teve um crescimento nos últimos anos, apesar da crise. No ano de 2021, por exemplo, o segmento de franquias automotivas obteve um faturamento de R$6,5 bilhões, representando um crescimento de 8,9% em relação ao ano anterior.

A franquia é um modelo de negócio que foi criado para uma unidade e com as estratégias de sucesso, replicada para as demais. Por esse motivo, é um modelo consolidado que vem se expandindo cada vez mais no mercado. Por ser um modelo já testado, em geral, as franquias ocorrem em grandes redes, com nome e marca reconhecidas no mercado pela boa reputação. Esses atributos, fazem da franquia uma empresa de maior confiabilidade para o empreendedor que muitas vezes, não tem todo o conhecimento necessário para iniciar um negócio próprio.

A Bono Pneus tem um sistema de franquia baseado em gestão de pessoas e dedicação ao negócio com suporte total ao franqueado, desde a escolha do ponto comercial até auxílio na negociação com fornecedores.

Além disso, o diferencial que a franquia Bono Pneus tem a oferecer é a grande variedade de serviços relacionados a Under Car (parte baixa do carro) num único local, com a comodidade dos horários diferenciados de shopping centers, proporcionando assim muito mais facilidade aos clientes.

Encontre uma loja perto de você!

Como higienizar seu automóvel corretamente

Garantir a higienização do seu automóvel vai além de evitar a desvalorização na hora da venda. Um carro limpo e bem cuidado previne o surgimento de doenças respiratórias e conserva seus equipamentos.

Separamos algumas dicas para uma higienização correta e duradoura!

Por onde começar?

  1. Separe todos os itens que serão necessários:

Separando esses materiais, o serviço será mais rápido e econômico.

  • Água
  • Balde
  • Panos de algodão ou microfibra
  • Esponjas e panos apropriados
  • Detergente automotivo ou sabão neutro
  • Aspirador de pó
  • Escova ou esfregão
  1. Retire os tapetes:
  • Inicie pela lavagem dos tapetes pois esses demoram um tempo maior de secagem.
  • Passe um aspirador para retirar a sujeira superficial e em seguida lave-o com água, sabão (ou produto específico) e esfregão.
  • Apenas recoloque quando estiver 100% seco.
  1. Inicie a lavagem pela parte externa:

A sujeira acumulada no teto do carro irá escorrer, portanto inicie a limpeza pela parte de cima e finalize nas rodas.

  • Utilize nessa etapa: água, esponja e o produto que julgar melhor;
  • Atente-se a pressão adequada da água ao utilizar a mangueira e as maneiras de uso específicas de cada produto;
  • Na lavagem dos pneus, utilize um esfregão pois nessa área a sujeira é geralmente mais densa;
  • Após finalizada a lavagem, seque a lataria com um pano de algodão ou microfibra para evitar que surjam manchas da secagem natural;

⚠️ Importante: lembre-se de realizar a lavagem do seu carro na sombra!

  1. E o motor, pode ser lavado?

Para saber se o motor do seu carro pode ser lavado, o ideal é verificar no manual. Caso possa, utilize uma mangueira para limpar a região. Caso contrário, apenas utilize uma bucha seca e retire as sujeiras mais grossas.

  1. Limpeza do interior:
  • Também iniciando pelo teto, utilize um borrifador com uma mistura de água, detergente neutro e desinfetante, passe um pano por cima e esfregue com cuidado;
  • Os bancos podem ser limpos com produtos específicos e um pano;
  • Utilize também um aspirador para sujeiras superficiais e cantos do carro;
  • Para o painel, passe um pano úmido e um pano seco em seguida;
  • Nos vidros, utilize um pano seco e borrife um limpa-vidros específico;
  1. Limpeza do ar condicionado

A higienização regular e periódica evita a formação de ácaros, fungos, bactérias e mal odores

A recomendação é que esse procedimento higienização do ar-condicionado seja realizado ao menos uma vez a cada seis meses.

E na Bono Pneus você pode cuidar do seu ar-condicionado automotivo. Realizamos a higienização completa do sistema de refrigeração.

Encontre a Bono Pneus mais próxima de você e agende seu serviço!

Encontre uma loja perto de você!

Conheça os carros mais econômicos do Brasil

Quanto menor for o gasto de combustível, mais eficiente o carro será.

Em tempo de alta e de grandes oscilações de preços nas bombas, o que todo brasileiro busca é um carro com uma boa performance e eficiência.

Pensando nisso, compartilhamos a lista dos 5 carros mais econômicos do Brasil divulgada pelo INMETRO, no Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular, esse ano.

A análise foi feita com base no consumo energético em Megajoules, que mede quantos quilômetros o carro faz com 1L de combustível, sendo ele etanol ou gasolina. Dessa forma, obtém-se um resultado comparativo adequado.

Renault Kwid

Peugeot 208 1.0

Hyundai HB20S 1.0 Turbo

Chevrolet Onix Plus 1.0

Volkswagen Polo 170TSI

Apesar do programa realizar comparações com carros nas mesmas condições, no dia a dia pode ocorrer alguma variação devido a condições da via, da carga, calibração dos pneus e maneira de condução do motorista. Por isso, esteja atento a manutenção preventiva do seu carro e pratique a direção segura assim, seu carro poderá atingir bons níveis de eficiência, com um baixo gasto de combustível.

Na Bono Pneus realizamos a revisão do seu carro e trocamos apenas o que realmente é necessário. Com equipe técnica capacitada e equipamentos de última geração avaliamos as condições do veículo com precisão, confiança e rapidez.

Encontre uma loja perto de você!

Calibragem de pneus: Como descobrir a medida correta?

Calibrar os pneus com regularidade preserva sua durabilidade e performance, além de proporcionar segurança e estabilidade do veículo.

Atente-se! A calibragem numa pressão incorreta pode ocasionar danos nos sistemas de suspensão, transmissão, tração, direção e frenagem.

A informação da medida correta de calibragem do pneu é específica para cada modelo, variando inclusive de carro para carro, isso porque depende de diversos fatores como o peso e o tipo de via utilizada (pavimentada ou estrada de terra).

De acordo com cada fabricante, a medida correta pode vir informada:

– no manual do proprietário;

–  no lado de dentro da tampa do bocal de combustível;

– na parte interna da porta do condutor.

E para garantir ainda mais conforto, segurança e estabilidade para seu carro, a Bono Pneus avalia as condições do veículo com precisão, confiança e rapidez com serviços de alinhamento/balanceamento, suspensão, freios, injeção eletrônica, troca de óleo, bateria, escapamento, higienização do ar-condicionado e embreagem.

São mais de 60 unidades em todo o Brasil, encontre a mais próxima de você!

Você sabe onde encontrar as medidas do pneu?

Medidas de pneus: como encontrar a medida ideal para o seu carro

Você sabe onde encontrar as medidas do pneu?

A medida do pneu é uma série de números que fica na lateral do pneu com o objetivo de informar o condutor quando o pneu foi fabricado, qual a capacidade de carga e velocidade permitida. Também pode ser encontrada no batente da porta do motorista, no interior da porta do porta-luvas, dentro da tampa do tanque de combustível e no manual do veículo.

Para cada carro há um tipo de jogo de pneus específicos e é de acordo com essas medidas que a sua escolha deverá ser feita!

Escolher os pneus com as medidas erradas pode ocasionar danos no seu carro: na suspensão, nos terminais, na caixa de direção, entre outros.

Confira abaixo o que significa cada medida para acertar sua escolha:

  1. A primeira letra que aparece na série, indica para qual uso o pneu é adequado P – Veículo de passeio LT – Caminhonetes Ausência de letras – Pneu de métrica europeia
  2. O número que ocupa a primeira posição da série índica a largura do pneu. Essa medida é importante para identificar também a roda apropriada para o veículo.
  3. O segundo número que aparece é a proporção entre a altura e a largura do pneu.
  4. A letra seguinte indica a quantidade de camadas do pneu, sendo: R – camadas atravessam o pneu radialmente D – camadas atravessam o pneu diagonalmente.
  5. O número seguinte é referente ao diâmetro da roda (em polegadas)
  6. O último número corresponde ao índice de carga, ou seja, indica a capacidade de carga que o pneu pode suportar no seu limite de pressão na hora da calibragem.
  7. A letra ao final, diz respeito ao limite de velocidade suportado pelo pneu. Não é uma recomendação, é uma informação para não exceder os limites de velocidade. Cada letra representa uma velocidade máxima de acordo com a tabela:

Na hora de trocar seus pneus, passe na Bono Pneus! Contamos com equipe técnica capacitada e equipamentos de última geração. A Bono Pneus avalia as condições do veículo com precisão, confiança e rapidez.

Porque os pneus são pretos?

Você já deve ter se questionado o porquê os pneus são pretos, já que a borracha é branca.

Em sua composição, a borracha recebe uma substância, o negro de fumo, que proporciona ao pneu uma maior durabilidade, aderência ao piso e resistência ao rolamento e temperaturas elevadas.

O negro de fumo possui a coloração preta, porém a quantidade e os tipos de negro de fumo empregados em cada pneu é segredo industrial de cada fabricante e é a sua combinação que garantirá a melhor performance do pneu.

Isso não quer dizer que o pneu precisa ser necessariamente preto. Junto com pigmentos e sílica é possível produzir pneus coloridos, como é visto em bicicletas infantis, por exemplo. Para os automóveis, no entanto, esse modelo não foi bem aceito, prevalecendo a coloração preta que também tem a função de disfarçar a sujeira.

Bono Pneus

Na Bono Pneus você encontra diversas marcas de pneus e contamos com serviço de manutenção, alinhamento e balanceamento para você ter toda a segurança e conforto no seu carro. Possuímos mais de 25 anos de experiência no setor automotivo, oferecendo aos nossos clientes os melhores produtos e serviços com qualidade e preço justo.

Filmes para quem ama carros

Sem planos para o final de semana? Sem problemas, nada melhor para os amantes do automobilismo do que se inspirar assistindo um bom filme!

Nós da Bono Pneus somos apaixonados por carros e fizemos uma seleção de bons filmes que mostram potência, velocidade e design para você viver momentos de adrenalina também pelas telas! Confira abaixo:

Ford vs Ferrari (2019)

Baseado em fatos reais, esse filme irá mostrar na prática os bastidores do automobilismo, contando a história de criação do melhor carro para o campeonato (o 24 horas Le Mans), de 1966, A disputa se dá entre as marcas Ford e Ferrari no comando de Christian Bale e Matt Damon, atores renomados na atualidade.

Vencedor de duas estatuetas no Oscar de 2020, Montagem e Efeitos Sonoros, esse filme irá encantar a quem se interessa pela mecânica.

Em ritmo de fuga (2017)

Conta a história do personagem Baby, um piloto de fuga que participa de diversos assaltos, mas ao se ver apaixonado por uma garçonete, realiza um último trabalho para fugir e ter uma nova vida.

Seu elenco garante uma mistura de ação, aventura, comédia e crime, que irá agradar um grande público.

Rush – No Limite da Emoção (2013)

Baseado em fatos reais, esse filme mostra a rivalidade entre os dois pilotos de fórmula 1 mais renomados durante a temporada de 1976: Nikki Lauda e James Hunt. Além de ser um filme sobre rivalidade no esporte, velocidade e potência dos carros, ainda retrata os bastidores do mundo glamuroso da Formula 1, motivações e as desavenças pessoais de cada piloto.

Um filme eletrizante do começo ao fim, com cenas de tensão, alta velocidade e emoção que traz a reflexão sobre motivações para viver.

Drive (2011)

O filme de gênero criminal e dramático, Drive, contem muitas cenas de perseguição, alta velocidade e tensão. O ator Ryan Gosling, interpreta o papel principal como dublê e mecânico que atua também como piloto de fuga. Ao se envolver em um assalto, ele precisa fugir e proteger sua vizinha, por quem se apaixona.

Indicado ao Oscar pela categoria de Edição de Som e nomeado a 31 prêmios e 48 indicações pelo mundo, Drive é um filme para quem está buscando agitação e uma história envolvente.

Fangio – O Rei das Pistas (2020)

Conta a trajetória de Juan Manuel Fangio, detentor do recorde mundial em Fórmula 1 por meio século, por meio de depoimentos de personalidades do automobilismo que o consagraram como ídolo.

Fangio foi campeão em cinco temporadas e detém a maior porcentagem de vitórias na modalidade.

É um filme para os amantes de documentários e histórias inspiradoras, para quem deseja conhecer a fundo o homem por traz da máquina.

Bono Pneus

Tenha seu carro sempre seguro com suspensão, freios, óleo e balanceamento em ordem para desfrutar de momentos imperdíveis ao volante.

Manutenção Preventiva: 7 dicas para evitar dor de cabeça

A manutenção preventiva é essencial para prolongar a vida útil das peças, garantindo um bom funcionamento do veículo. Além disso, evita que você tenha dores de cabeça quando o carro quebra sem esperar.

Pensando nisso, selecionamos algumas dicas de manutenção preventiva para evitar que você tenha transtornos no futuro. Continue a leitura!

O que é manutenção preventiva?

É comum que alguns motoristas tenham dúvidas sobre o que é manutenção preventiva e corretiva. Você faz parte deste grupo? Não se preocupe, a resposta é mais simples do que você imagina.

Como o próprio nome já sugere, a manutenção corretiva é feita somente quando alguma peça do automóvel apresenta alguma falha e precisa ser substituída.

Enquanto a manutenção preventiva tem o objetivo de manter o funcionamento do carro e prevenir possíveis panes, seguindo sempre a recomendação dos fabricantes para troca de peças por quilometragem ou tempo de uso, deste modo, um componente que não possui defeito pode ser trocado, pois pode não estar com o seu desempenho 100%.

Veja abaixo alguns cuidados que ajudam o seu veículo a ter uma longa vida útil e um ótimo funcionamento na rua ou estrada.

 Troca de Óleo
  • Troca de óleo

O óleo é um elemento extremamente importante para o funcionamento do automóvel, visto que é responsável por lubrificar as peças do motor (essa ação é essencial para que elas deslizem e trabalhem com mais facilidade). Outro benefício é a diminuição do risco de falhas nos elementos provocados pelo atrito entre eles.

A troca de óleo deve ocorrer a cada 10 mil quilômetros ou de seis em seis meses. O tempo varia de acordo com a montadora do carro, por esse motivo, o motorista deve sempre consultar o tempo indicado no manual do proprietário do veículo.

Atenção: toda vez que for realizar a troca de óleo é importante que o filtro de óleo também seja substituído, uma vez que ele barra as micropartículas que se soltam das peças do motor por causa do atrito entre eles. Além disso, impede as impurezas resultantes da queima de combustível.

Pneus
  • Pneus

O motorista não deve se esquecer dos pneus, uma vez que eles são responsáveis pelo contato do carro com o solo, consequentemente recebem os maiores impactos e desgastes. Porém, existem alguns cuidados que fazem com que o desgaste seja feito de forma mais lenta.

Algumas medidas são determinantes para que a vida útil dos pneus seja prolongada, dentre eles estão: a forma que o motorista dirige, o tipo de rua por onde circula e a manutenção periódica.

Uma forma para balancear o desgaste do pneu é fazer o rodizio entre eles, para fazer essa ação é simples: é necessário somente trocar os pneus dianteiros para trás e os traseiros para a frente.

Essa troca gera um equilíbrio no desgaste dos pneus, isso ocorre porque os dianteiros desgastam mais rápido que os traseiros. O revezamento faz com que os pneus fiquem mais nivelados, garantindo a estabilidade e segurança.

Alinhamento e Balanceamento
  • Alinhamento e Balanceamento

O alinhamento e balanceamento são importantes para garantir que o motorista não tenha gastos desnecessários no futuro. O alinhamento tem como objetivo ajustar os ângulos das rodas, fazendo que elas ficam paralelas entre si, assegurando o equilíbrio das forças que trabalham para o movimento do carro. O balanceamento gera um equilíbrio de peso, entre os componentes roda e pneu, gerando assim uma estabilidade e conforto no rodar.

Esses procedimentos garantem a segurança dos usuários do veículo, visto que a estabilidade é assegurada, evitando possíveis acidentes e danos.

Bateria
  • Bateria

A bateria é uma peça de extrema importância para o sistema elétrico do carro. O motorista pode ser informado que ela não está em seu pleno funcionamento quando apresenta os seguintes sinais: Dificuldade de dar a partida ou a luz da injeção eletrônica piscando no painel.

A vida útil da bateria pode ser de até 5 anos (dependendo da marca), porém essa longevidade está diretamente ligada aos cuidados que o condutor terá, como, NÃO deixar que o carro fique parado sem dar partida por muito tempo.

Para-brisa
  • Para-brisa

Apesar de utilizado somente em dias chuvosos, os limpadores de para-brisas devem ser substituídos a cada seis meses, pois com o tempo eles ressecam, deixando riscos e manchas no vidro, esta deterioração da borracha do para-brisas resulta em uma baixa visibilidade para o motorista.

Velas de ignição
  • Velas de ignição

De uma forma resumida, as velas de ignição criam uma faísca, que em contato com o combustível, gera uma explosão que empurra os pistões para baixo, fazendo assim o motor funcionar e o carro andar. Porém, as velas de ignição com o tempo apresentam dificuldades causadas por: temperaturas extremas, detritos externos e desgaste natural.

A manutenção deve ser feita entre 10 a 5 mil quilômetros rodados. Para confirmar o prazo da manutenção, basta verificar o manual do proprietário.

Freios
  • Freios

Não é necessário mencionar que o freio é um dos itens mais importantes do carro quando o assunto é segurança, visto que qualquer problema pode resultar em graves acidentes. A manutenção deve ser realizada a cada 10 mil quilômetros rodados.

Combustível de qualidade

Dica extra

A nossa dica extra está relacionada à qualidade da gasolina, alguns postos podem comercializar gasolina adulterada, que causam danos graves ao automóvel, especialmente para o motor.

Por essa razão, antes de abastecer, tome alguns cuidados para não cair neste golpe, o primeiro é desconfiar de preços bem abaixo do mercado, essa “promoção” pode mascarar o fato de a gasolina ter sido adulterada.

Bono Pneus

Não adie mais, venha para a Bono Pneus fazer a manutenção preventivo do seu veículo, possuímos mais de 25 anos de experiência no mercado automobilístico.

Qual a importância do óleo lubrificante para a vida útil do motor do seu carro?

O óleo lubrificante é muito importante para que o motor funcione corretamente, sendo responsável pelo rendimento e o consumo de combustível. Além disso, também garante o prolongamento da vida útil das peças.

Podemos observar que o óleo lubrificante está diretamente ligado com o bom desempenho do motor. Continue a leitura para saber o que você pode fazer para reduzir os impactos negativos e evitar os gastos desnecessários com a manutenção.

Para que serve o óleo lubrificante?

Como já foi mencionado, os óleos lubrificantes são essenciais para garantir o bom funcionamento do veículo, visto que possui o objetivo de lubrificar e permitir a mobilidade das peças internas, pois o atrito é evitado e a durabilidade das peças é preservada. Outra função é o controle da temperatura.

Agora que já entendemos a importância do óleo lubrificante, veja quais são os cuidados que os motoristas devem ter com o produto.

Utilize sempre um lubrificante adequado

Basicamente, existem três tipos de óleos lubrificantes para o carro, visto que cada veículo exige o uso de um modelo diferente.

Os três tipos de óleos são: Mineral, sintético e semissintético. Cada amostra oferece o desenvolvimento tecnológico e performance diferente. Resumidamente, o mineral atende os modelos de automóveis mais antigos, o sintético proporciona uma maior limpeza no motor, enquanto que o semissintético tem como foco a durabilidade e proteção.

Para saber qual é o óleo luvrificante ideal para o seu veículo, basta ler o manual do fabricante. A montadora define o óleo mais adequado para cada motor (facilitando o seu funcionamento).

Controlar frequentemente o nível de óleo

O motorista deve sempre manter o óleo no nível adequado, essa é uma das principais recomendações para prolongar o tempo de vida útil de um veículo.

Deste modo, é de extrema importância que o dono do automóvel confira o nível do óleo para evitar que surjam problemas no motor.

Trocar o filtro toda vez que trocar o óleo

Como o próprio nome já indica, a sua função é filtrar as impurezas que são carregadas pelo óleo durante a circulação pelo motor. Por este motivo, o filtro deve ser substituído toda vez que realizar a troca do óleo.

Com o tempo, o filtro vai perdendo a sua eficiência, isso ocorre por conta do alto armazenamento dessas impurezas. Resumidamente, o filtro deve ser trocado junto com o óleo, pois impede que os novos lubrificantes sejam contaminados pelas partículas que já foram filtradas.

Sempre respeite os intervalos entre as trocas de óleo

O manual do proprietário contém as principais informações sobre o uso correto do óleo lubrificante, dentre algumas dicas estão o melhor tipo de óleo e quais os intervalos entre as trocas.

Nível de óleo

Após compreender a importância e os cuidados necessários com o óleo lubrificante. Veja abaixo como verificar o nível do óleo:

  • Primeiro, para verificar o nível de óleo é necessário que o carro esteja estacionado em uma superfície plana (com o motor frio). É recomendado aguardar uns 10 minutos para fazer a verificação.
  • O próximo passo é localizar a vareta de medição, normalmente ela possui uma ponta vermelha, laranja ou amarela. Remova a vareta e limpe-a com um pano para analisar a consistência do óleo (essa ação deve ser feita de preferência com um pano branco).
  • Depois de limpar a vareta, coloca-a novamente no motor e puxe-a mais uma vez. Preste atenção no seu ponto, existe duas marcas nela, uma de nível máximo do óleo e outra de nível mínimo do óleo.
  • O nível de óleo deve ficar entre as duas linhas. Caso esteja abaixo da marca mínima seria necessário completá-lo e se estiver acima da marca máxima, será preciso drená-lo.

Quando fazer a troca de óleo?

Você deve estar se perguntado: quando fazer a troca de óleo? A resposta dessa pergunta é simples: vai depender das condições do uso do veículo.

Para explicar melhor é necessário falar que é preciso verificar com frequência o nível de óleo. Porém, a troca somente é necessária a cada 10 mil quilômetros rodados.

Algumas situações adversas podem contribuir para que o tempo de prazo seja diminuído, dentre alguns estão: trânsito intenso, superfícies irregulares e altas temperaturas. Nesta circunstância, o prazo cai para 5 mil ou 7 mil quilômetros.

Para sanar qualquer dúvida, o motorista deve consultar o Manual do Proprietário e checar a informação dada pela própria montadora para conferir qual é o prazo definido, podendo alternar entre o tempo e a quilometragem.

Carros que irão sair de linha em 2023

Para a tristeza dos amantes de automóveis, alguns modelos de carros irão sair de linha em 2023. Infelizmente, algumas linhas de carro que já fizeram sucessos, mas que precisam ser descontinuados.

Caso esteja procurando um novo automóvel, recomendamos que leia essa matéria para avaliar se está fazendo um bom negócio.

Por que os carros saem de linhas?

Primeiro, é importante explicar os principais motivos que fazem com que a montadora cancela a produção de um modelo ou inserem uma versão mais atual. Dentre as principais causas, podemos citar: Incompatibilidade com as novas tendências; Baixo volume de vendas; Falência da marca; Incapacidade do projeto em atender especificações exigidas por lei; Problemas decorrentes do projeto e da fabricação.Contudo, muitos modelos de carros deixam de serem fabricados por muito tempo, mas retomam com o fôlego renovado depois de um período.

Modelos de carros que saíram de linha recentemente

Antes de mencionamos quais são os veículos que irão sair do mercado no ano que vem, veja quais são as linhas que saíram de linha nos anos 2021 e 2022. Dentre os veículos está a linha Ford, os modelos interrompidos são: Ka, Ka Sedan e EcoSport.

Além disso, a Volkswagen também irá dar descontinuidade em um modelo de automóvel, a linha Up saiu do mercado.

Por não ter alcançado o sucesso desejado, a produção da linha Fox foi interrompida. Com o objetivo de substituir o Gol, infelizmente não alcançou os níveis satisfatórios.

O Honda Fit também saiu do mercado depois de 18 anos no setor automotivo. Ele é considerado uns dos modelos com maiores vendas e com o valor mais acessível. O Fiat Uno também irá dar adeus depois de 40 anos.

Conheça agora os carros que irão sair de linha em 2023

Como já foi mencionado, são inúmeros os fatores que fazem com que os carros saem do mercado. Veja abaixo a lista dos veículos que não entraram mais na linha de montagem em 2023:

Volkswage Gol

Volkswagen-Gol

O Volkswage Gol está presente no mercado por quase 30 anos. Porém, por causa dos altos custos de produção vai deixar de ser fabricado. O valor médio do veículo é de R$ 69.000, no entanto o preço elevado prejudicou as vendas e fez com que o público tirasse os “olhos no carro”, sendo antes considerado popular.

Volkswage Voyage

volkswagen-voyage

A mesma situação aconteceu com o Volkswagen Voyage. Os preços elevados fizeram com que ele também entrasse na lista dos carros que irão sair de linha.

Honda WR-V

honda-wr-v

O WR-V irá deixar de existir porque a Honda quer focar as atenções e os gastos para o novo queridinho da marca, a Suv New Tucson.

Hyndai ix35

Hyundai-ix35

O Hyndai ix35 vai sair de linha após as mudanças nas legislações de emissões e ruídos, oferecendo maior dificuldade de atualização.

Suzuki Vitara

suzuki-vitara

Apesar da Suzuki ainda não ter sido confirmado o fim da produção do modelo Vitara, tudo indica que ele pare de ser fabricado no Brasil. O motivo é por causa do fechamento das concessionárias e importações dos itens da marca.

Fiat Uno

fiat-uno

Por fim, o Fiat Uno também irá sair de linha, isso ocorre porque a cada geração, menos unidades estão sendo comercializadas. O modelo do veiculo está perdendo espaço para o Argo e Mobi, que por sua vez são os queridinhos do público.

Luzes do painel acesa? Veja o que elas significam!

As luzes do painel do seu carro acenderam e você não sabe o que fazer? Calma, não precisa se preocupar!

Os alertas foram criados para que o carro se comunique com o motorista (avisando sobre o seu estado). Pensando nisso, preparamos essa matéria sobre o significado das luzes do painel e o que fazer quando elas se acendem.

A principio é importante mencionar que as luzes têm a função de alertar o motorista sobre a estabilidade e a segurança do carro. Por esse motivo, o usuário deve interpretar esses sinais logo e reconhecer o que cada cor de alerta significa.

As luzes ficam localizadas na parte dianteiras do painel do carro e acendem de forma rápida quando você liga o motor. Logo depois de dar a partida, você deve verificar se alguma luz do painel do seu veículo continua acessa. Caso a resposta seja positiva, o segundo passo é identificar a cor da luz.

• Luz Vermelha

A luz vermelha é emergencial e indica perigo ou alerta. Quando este aviso se acende, o problema é grave e necessita de reparo imediato. Nesta situação, o motorista não deve mover o seu carro, visto que se o automóvel continuar funcionando pode causar um acidente ou levar a pane total.

• Luz amarela

A Luz amarela ou laranja indica uma falha moderada no carro, isso significa que nada impede de o automóvel continuar funcionando (mas com o tempo o problema irá se agravar). Neste caso, é recomendado você levar o veículo para a Bono Pneus mais próxima para verificar o que está de errado.

Luz • verde ou • azul

A luz verde ou azul serve apenas para indicar o acionamento de algum equipamento ou acessório. Ou seja, ela fica acessa enquanto o componente estiver funcionando. Principais avisos do carro

Como mencionado, se a luz amarela ou vermelha acender no seu carro é indicativo de que algo no seu veículo não está funcionando bem. Por isso, deve identificar o que cada símbolo significa para não ficar na mão. Veja abaixo, alguns dos avisos mais comuns e importantes do funcionamento do veículo:

Injeção Eletrônica

O símbolo da injeção eletrônica é amarelo e se acende no momento da partida, devendo apagar logo depois. Caso o símbolo continue iluminado ou ligar durante o uso, é sinal de mau funcionamento no sistema, que pode causar consumo excessivo de combustível ou dificultar as próximas partidas.

Bateria

A bateria possui o símbolo vermelho e caso permaneça acesa durante o seu trajeto, indica problema na própria bateria, no alternador ou em outro componente do sistema de recarga.

Freio

O sinal de freio se acende quando o freio de estacionamento (freio de mão, na maioria dos veículos leves) Está acionado quando há problemas no sistema de frenagem, como nível baixo do óleo ou pastilhas gastas. É um alerta vermelho, pois há um problema nesse sistema pode causar acidentes.

Temperatura do motor

O sinal vermelho significa que está ocorrendo um superaquecimento no motor. Problemas no sistema de arrefecimento, como nível de água, falha na ventoinha ou nos sensores são indicados por essa luz. O ideal é parar o carro imediatamente.

Pressão do óleo

O aviso da pressão do óleo do carro também é muito preocupante (por esse motivo também é vermelho). Indica falha na lubrificação do motor por problemas nas bombas, válvulas, vazamentos, nível baixo ou outros componentes danificados.

Combustível

A luz do combustível é amarela e somente é ativada quando o tanque de combustível está na reserva. O motorista não deve deixar que essa luz se acenda, sempre mantendo o tanque mais cheio possível. Essa medida evita que ocorra problemas na bomba e nos bicos injetores.

Câmbio Automático

A luz do câmbio automático indica defeito no sistema ou baixo nível no óleo do câmbio nos carros que exigem troca de fluido. Caso a luz se acenda, o motorista deve evitar andar com o veículo, pois pode levar a um defeito mais grave.Bono Pneus 

A luz do seu carro acendeu? Venha para a Bono Pneus para solucionar o problema o mais rápido possível. Aqui, você tem a segurança e experiência de profissionais altamente capacitados para melhor atender o seu carro. Possuímos mais de 25 anos de experiência em serviços automotivos.

Você sabe como cuidar dos limpadores de para brisas?

Em época de chuvas os limpadores de para-brisas se tornam os melhores aliados do motorista, uma vez que garantem visibilidade e segurança para todos na estrada. A sua principal função é remover o excesso de água e eliminar a gordura acumulada.Os limpadores de para-brisas são considerados itens de segurança, por esse motivo é muito importante que eles estejam em ordem. Pensando nisso, selecionamos algumas dicas de como cuidar dos limpadores de para-brisas. Continue a leitura!

Por que cuidar dos limpadores de para-brisas?

Como já foi mencionado, os limpadores de para-brisas garantem que o motorista tenha uma excelente visibilidade, evitando que ocorra acidentes. Deste modo, reforçamos que essas peças devem estar em ótimas condições.Em vista disso, o motorista pode levar uma multa caso os limpadores de para-brisas estejam defeituosos. De acordo com o artigo 230 do Código Nacional de Trânsito é considerado infração grave conduzir o veículo sem acionar os limpadores de para-brisas sob chuva. O que pode contabilizar 5 pontos na carteira.Além disso, a multa também é aplicada caso o reservatório de limpadores de para-brisas não tenha água (já que a sua função é higienizar o para-brisa).

Quando trocar os limpadores de para-brisas?

Um dos sinais que podem sinalizar que chegou a hora de trocar os limpadores de para-brisas é a falta de eficiência da peça. Se notar que a qualidade caiu e perceber que o vidro não ficou limpo. Chegou o momento de trocar.A palheta do limpador que é a peça de borracha que faz a limpeza deve ser trocada uma vez por ano. Porém, caso o seu uso seja mais frequente, haverá mais chance de deterioração e consequentemente irá aumentar a necessidade de troca.

Como cuidar dos limpadores de para-brisas?

Agora que você já conhece qual é a importância dos limpadores de para-brisas, separamos algumas dicas de cuidados diários que irá aumentar a sua vida útil, evitando que a troca seja feita antes do previsto. Veja a seguir:

  • Palhetas macias
  • Reponha o fluído do limpador
  • Nunca use querosene ou álcool
  • Não deixe parado por muito tempo
  • Observe o tempo de uso do limpador
  • Use produtos corretos

Caso as palhetas estejam fazendo barulho, use um pano úmido ou algum produto especializado (colocando em uma toalha ou papel). Porém, deve ter cuidado com as substâncias a base de petróleo, visto que podem desgastar o limpador. Dessa forma, não exagere na dose, caso contrário, vai perder os limpadores ao invés de deixá-los mais macios.Às vezes os limpadores de para-brisas fazem barulhos porque não estão úmidos o suficiente, por isso, verifique o nível de fluído para a limpeza dos limpadores de para-brisas e complete se necessário. Verifique a cada três meses ou quando sentir a necessidade.Nunca use querosene, álcool ou qualquer substância que tenha abrasiva para limpar as partes emborrachadas do limpador, uma vez que pode ressecar a borracha e prejudicar o seu funcionamento.O veículo parado por muito tempo no mesmo lugar faz com que a sujeira se acumule no vidro e é normal ligar os limpadores para retirar essa impureza. Esta atitude prejudica a borracha do limpador e risca o vidro do carro. Passe um pano úmido para retirar a sujeira antes de acionar os limpadores.A borracha do limpador acaba ficando desgastada e ressecada, fazendo com que perca a sua principal função (tirar excesso de água no para-brisa). Dependendo do desgaste, a palheta provoca arranhões no vidro.A melhor maneira de fazer a higienização dos limpadores de para-brisas é apenas com um pano com água. Caso tenha uma maior necessidade, é recomendado usar um detergente neutro.

Dicas para conservar os pneus

Os pneus são itens de extrema importância para o carro, visto que são eles os responsáveis pelo contato do carro com o solo. Deste modo, interferem diretamente na frenagem, estabilidade e segurança do veículo.Além disso, os pneus garantem a diminuição dos custos com o combustível, isso ocorre porque a resistência do rolamento é diminuída. Pensando nesses benefícios, separamos algumas atitudes diárias que ajudam a conservar os pneus. Continue a leitura!

  • Mantenha os pneus calibrados

A calibragem correta dos pneus é importante para a preservação da borracha, além de melhorar a dirigibilidade do carro. Lembre-se de calibrar os pneus com frequência, o recomendado é que seja feito uma vez por semana ou quando for fazer uma viagem. Você encontra a quantidade de libras que devem ser usadas nos pneus dianteiros e traseiros no manual do seu veículo. Importante mencionar que pneu com pouco ar pode tornar a direção mais pesada e fazer com que o veículo consuma mais combustível. Já o pneu com muita pressão pode causar desgaste excessivo na banda de rodagem. Deste modo, sempre mantenha os pneus calibrados na pressão correta, essa ação vai garantir a segurança e o prolongamento da vida útil das peças.

  • Faça rodizio de pneus

O rodizio de pneus possui o objetivo de compensar a diferença do desgaste dos itens. Essa atitude evita que você tenha pneus em diferentes condições nos dois eixos do seu carro, visto que o desgaste não é uniforme. É necessário fazer o rodizio porque os pneus dianteiros desgastam mais rápido. Para conservar os pneus é simples: basta mudar a posição dos pneus, ou seja, os pneus que estão na frente vão atrás e vice-versa. Importante: Sempre mantenha as colocações originais (direito na direita e esquerdo na esquerda).

Alinhamento de direção  

  • Faça o alinhamento e balanceamento

Alinhamento e balanceamento devem ser feitos a cada 10 mil quilômetros rodados, uma vez que a falta destes procedimentos diminui muito a vida útil dos pneus. Outras situações também pedem para que esse serviço seja feito, sendo eles:

  • Sentir vibrações no volante;
  • Troca ou conserto de pneu;
  • Pneus com desgastes irregulares;
  • Quando o veículo estiver “puxando” para um lado

4- Sempre utilize o pneu indicado pela montadora

O carro é projetado para que algumas peças se adequem perfeitamente para ele, isso também vale para os pneus. Resumidamente, se você comprou um automóvel com um tipo e marca de pneu, pode ter certeza que é o modelo mais eficiente para o seu veículo.É comum que as pessoas considerem as medidas dos pneus na hora de trocar a borracha, mas se esquecem de optar pela mesma marca. A marca indicada pelo fabricante terá mais custo-benefício em longo prazo.

Evite Sobrecarga

5- Evite Sobrecarga

O excesso de carga pode comprometer a estrutura interna do pneu e agravar o seu desgaste. Ultrapassar o peso permitido do veículo apresenta riscos na estrutura dos pneus, reduzindo a sua vida útil.

6- Não faça freadas bruscas

O ato de frear o veículo em movimento exige um atrito muito grande entre o pneu e o solo. A freada mais fraca possível contribui para o desgaste do pneu. Porém, quanto mais forte ela for, maior será o dano provocado no pneu. Melhor dizendo: evite frear de forma brusca.

7- Fique atento aos desgastes irregulares

Você percebeu que uma parte do pneu está ficando mais desgastada que a outra? Fique atento, isso é indício que a sua vida útil está acabando. Ou seja, chegou o momento de comprar pneus novos.

Combustível a R$1,70? Entenda o motivo

20 anos atrás era esse o valor que o consumidor pagava na gasolina, mas infelizmente a nossa realidade agora em pleno ano de 2021 é bem diferente, pois acabamos de passar pela quarta alta do combustível esse ano e o valor da gasolina está chegando a R$5,19 o litro. Mas sabia existe alguns pequenos truques que você pode fazer no dia a dia que vão te ajudar na economia de combustível? Então descubra quais são.

Quem tem carro sabe o quanto essas altas doem no bolso do consumidor, porque infelizmente combustível é primordial pro carro funcionar. Mas nem tudo está perdido e não precisamos ficar chorando, porque faz parte da vida o preço das coisas subirem, e cabe a nós como bons brasileiros “nos virarmos nos trinta” e dar um jeitinho de economizar. Então pega essas dicas que podem te ajudar na economia de combustível do seu carro, seja ele um carro econômico ou “beberrão”.Diversos fatores podem colaborar para a economia de combustível, mas já te adianto que não é andar com o carro na “banguela.  Na maioria das vezes o motorista nem percebe que mudar alguns pequenos hábitos podem trazer um certo alivio para o seu bolso na hora de abastecer. Mas vamos entender um pouco melhor isso e vamos as dicas. (PS: A última dica é uma das mais importantes)

Combustível a R$1,70? Entenda o motivo

Evite levar muito peso no carro.

Estar com o carro sempre carregado, com peso além do necessário contribui para o aumento do gasto do combustível. Estudos mostram que a cada 50kg dentro do carro, o consumo aumenta em cerca de 1%; e isso acontece porque o motor precisa fazer mais força para colocar o veículo em movimento. Por isso, procure sempre levar no carro somente o necessário, seja no dia a dia, ou para viajar nas suas férias. 

Uso do ar-condicionado.

A utilização do ar condicionado afeta diretamente a questão do consumo do combustível, já que o equipamento é operado diretamente pelo motor; e os carros com baixa cilindradas tendem a gastar ainda mais com o ar ligado. Então sempre que possível, não ligue o ar condicionado; abaixe os vidros e deixe a brisa da estrada circular pelo veículo.

Combustível a R$1,70? Entenda o motivo

Alinhamento e balanceamento em dia.

Sim, manter se carro com o alinhamento e balanceamento em dia pode cooperar muito na economia de combustível, pois o alinhamento correto faz com que os pneus se desgastem menos e o balanceamento evita trepidações ao rodar; e prevenir esse atrito dos pneus com o solo faz com que o veículo não perca desempenho, ou seja, otimiza o gasto de combustível. 

Verifique a calibragem dos pneus.

Pneus descalibrados aumentam muito o consumo do combustível, pois afetam diretamente o rendimento do veículo por gerar mais atrito com a via. O gasto de combustível aumenta em média 2% a cada 3 psi a menos de pressão nos pneus.

Combustível a R$1,70? Entenda o motivo

Não acelere o carro desengatado.  

Parece algo bobo, mas ainda hoje em dia há algumas pessoas que aceleram o carro desengatado falando que faz isso “para aquecer o motor”. Os carros hoje em dia não precisam mais desse habito graças a injeção eletrônica, onde que por meio desse sistema é possível dar partida com o carro frio tranquilamente. Você também não deve acelerar com o carro parado no farol, pois essa aceleração é totalmente desnecessária e contribuir na perca de combustível; e também sempre preste atenção no transito a frente, quando notar que o trafego vai parar, desacelere o veículo aos poucos antes de frear porém com o carro engrenado mas sem acelerar, porque a o sistema de injeção eletrônica enviará menos combustível para o motor. 

Mantenha uma velocidade constante.

Sabemos que morar em grandes cidades pode contribuir também para que o combustível vá embora mais rápido, pois o trânsito nessas cidades é sempre mais intenso, e é muito comum andar e parar o veículo a todo instante; e essas acelerações e freadas exigem mais do motor e isso aumenta o consumo. Por isso, busque sempre rotas alternativas onde você sempre que possível consiga manter uma velocidade constante com o carro, isso ajudará muito na economia.

Combustível a R$1,70? Entenda o motivo

Respeite a troca de marchas.

Procure trocar as marchas sempre na rotação correta, para manter o giro do motor compatível com a marcha escolhida. Os modelos de carro mais novo, já estão vindo equipados com indicadores de troca de marcas por meio de indicações no painel; eles mostram a hora exata de passar as marchas para assim manter o motor na faixa de rotação ideal. Esses equipamentos foram testados e o sistema indicou que trocar a marca no tempo certo, economiza em até 20% o consumo de combustível. Então, se teu carro não possui esse indicador, preste muita atenção na rotação do motor, seja no painel ou do “jeito raiz” mesmo que é no ouvir o som do motor.Seguindo esses detalhes no dia a dia, você verá no fim do mês que foi possível sim conquistar uma economia no combustível, e você não ter a necessidade de ficar indo no posto encher o tanque mais vezes que o que deveria ser.

Superaquecimento do Motor: Saiba como evitar e como agir.

O Superaquecimento pode ser evitado, mas caso aconteça, saiba como agir.

Para falarmos sobre o superaquecimento do motor, antes precisamos esclarecer como o sistema de arrefecimento do veículo funciona. Os componentes deste sistema trabalham em conjunto para que o motor opere na temperatura ideal.O sistema de arrefecimento é formado pelo radiador, reservatório, bomba d’água e válvula. Qualquer problema neste sistema, pode levar ao superaquecimento do motor, mas falaremos mais detalhadamente sobre isso, no decorrer do texto.

O que é superaquecimento

O superaquecimento ocorre quando a temperatura do motor é elevada a um nível para o qual ele não foi projetado suportar.Quando o superaquecimento do motor ocorre, outras peças do automóvel também podem ser prejudicadas e o prejuízo para o motorista, extremamente alto.Para que este problema não danifique o carro de forma grave, é necessário que ficar atento aos sinais.

Superaquecimento do Motor: Saiba como evitar e como agir

Sinais de Superaquecimento

Quanto antes os sinais forem detectados, mais rápido você pode tomar uma providência para solucionar o problema. Dessa forma você poupa seu bolso e seu carro de danos ainda maiores.A presença de vapor ou fumaça vindo diretamente do capô, a luz acesa no painel e o ar do ar-condicionado quente, pode significar que o automóvel está superaquecido. A recomendação é que você procure por um mecânico o mais rápido possível.

Causas do Superaquecimento

Vários fatores podem levar o motor a superaquecer. Listamos as principais causas deste problema, confira:

  • Baixo nível do líquido de arrefecimento
  • Problemas na correia dentada ou ventoinha
  • Defeito na bomba d’água e válvula termostática
  • Baixo nível de óleo no motor
  • Vazamentos na mangueira e no radiador do automóvel
  • Falha no sistema de ignição

Superaquecimento do Motor: Saiba como evitar e como agir

Como evitar que o superaquecimento aconteça?

Alguns cuidados simples podem evitar que o superaquecimento aconteça.

  • Verifique periodicamente o líquido de arrefecimento e complete sempre que for necessário de acordo com as recomendações do manual do proprietário;
  • Faça regularmente a manutenção preventiva e;
  • Inspecione a bomba d’água.

Caso o superaquecimento ocorra, saiba o que fazer.

A primeira coisa a se fazer é parar o carro e esperar cerca de 40 minutos até que ele esfrie. Jamais abra o radiador enquanto o carro estiver quente, a temperatura é extremamente alta e pode causar graves queimaduras.Depois que a temperatura abaixar, faça o seguinte:

  • Verifique o nível de água no radiador. Se ele estiver vazio, complete com água limpa e pare na oficina mais próxima para realizar os procedimentos corretos. Siga prestando atenção na temperatura através do painel do veículo.
  • Se você tentou colocar água, mas a mesma vazou, não insista e nem tente andar com o carro, caso contrário o dano poderá ser maior. Neste caso, acione o seguro ou peça a ajude de um profissional.

 Esperamos que você tenha aprendido um pouco mais sobre o superaquecimento do motor, suas causas e consequências. Lembre-se que semanalmente postamos dicas para que você possa cuidar melhor do seu carro, portanto não deixe de acessar nosso blog.

O carro não liga. O que pode ser?

Você precisa sair e o carro não liga? Esses imprevistos acontecem, mas saiba o que pode ter acontecido e quais cuidados tomar.

Poucos imprevistos são tão ruins como quando você da partida e o carro não liga. Não contamos com esses momentos desagradáveis, mas por diversos motivos, infelizmente eles acontecem.Para te ajudar com esse tipo de problema, é importante contar com um profissional especializado, mas nada te impede de saber quais motivos podem levar seu carro a não ligar. Confira a lista que preparamos explicando cada uma das situações, dessa forma você conseguirá resolver o imprevisto com mais agilidade.

O carro não liga. O que pode ser?

Bateria Descarregada

Um dos diagnósticos mais comuns quando o carro não liga é a bateria descarregada.Mesmo quando o carro fica parado na garagem, os equipamentos do veículo continuam a consumir a carga da bateria, sendo necessário ligar o carro para recarregá-la de tempos em tempos ou desconectá-la caso planeje deixar o carro na garagem por mais de duas semanas.Outros cuidados como não dar partida com o rádio, faróis e ar-condicionado ligados, ajudam a conservar esse componente. Confira no nosso post sobre bateria o que pode causar problemas neste item.Se o painel do carro não acende, o rádio não funciona e até mesmo as palhetas do para-brisa estiverem enfraquecidas, provavelmente o problema está na bateria.

O carro não liga. O que pode ser?

Falta de Combustível

A falta de combustível pode se dar não só pela falta de atenção, mas também por algum defeito no medidor. De qualquer forma, isso pode fazer com que o carro não ligue.A verificação deve ser feita por um profissional, a menos que você tenha certeza que esqueceu de abastecer.

Problema na bomba ou Filtro de Combustível

A bomba de combustível é quem interliga a parte elétrica, transmissão e filtro. Se o carro não liga, pode ser que um desses componentes esteja com problema.

O carro não liga. O que pode ser?

Sistema de ignição com problema

Se o carro não liga porque você não consegue girar a chave, é provável que o problema seja na leitura. Para saber se o defeito está na chave ou no leitor da ignição, faça um teste e tente ligar o carro com a chave reserva.Se nenhuma das chaves girar, é sinal de que o problema está no leitor de ignição.Outra coisa a se fazer é tentar mover o volante para os dois lados ao ligar o automóvel.Além da chave, o problema pode estar na vela, que tem como função gerar a centelha (faísca) que inflama a mistura de ar e combustível dentro da câmara de combustão, impulsionando os pistões e conferindo movimento ao motor.Esse sistema pode apresentar outros sinais de que está com problemas, como por exemplo: falhas na aceleração e na retomada, perda de potência e aumento do consumo.

O carro não liga. O que pode ser?

Defeito no Sistema de Alarme

Se instalado incorretamente o sistema de alarmes pode causar danos a memoria do módulo de injeção e acabar interrompendo sua alimentação, com isso o carro não liga.Se você instalou alarmes recentemente, vale a pena verificar.

O carro não liga. O que pode ser?

Falha no reconhecimento de combustível no carro flex

Se você passou um longo período abastecendo só com gasolina, por exemplo, e resolveu encher o tanque com álcool, pode ocorrer um problema no reconhecimento.Se o carro não liga ao tentar dar partida, o sistema de injeção eletrônica pode não estar reconhecendo o novo combustível. Nesse caso, é preciso que um especialista munido de um aparelho scanner dê um reset no chip.Sempre que você optar por trocar de combustível, rode pelo menos uns 10 minutos antes de guardar o carro. Esse é o tempo necessário para que o sistema reconheça a troca. Esses são alguns dos problemas mais comuns que podem ser considerados quando o carro não liga. Lembre-se que para evitar esse tipo de imprevisto é importante manter o carro sempre revisado e fazer as devidas manutenções quando necessário.

Pane Seca – Saiba o que é e como evitar.

Se você costuma andar com o combustível sempre na reserva, é bom ficar atento as nossas dicas sobre como evitar a Pane Seca e quais as consequências ela pode trazer.

Pane seca é o que ocorre com o automóvel quando ele para de funcionar por falta de combustível. Além de poder danificar o veículo, o motorista que ficar com o carro parado e sem combustível em uma via, pode ser multado. Mas vamos falar mais sobre tudo isso no decorrer do texto, então continue por aqui.

Pane seca saiba o que e e como evitar

Causas

Geralmente a pane seca ocorre devido a distração do motorista que não abasteceu o carro, mas além disso, pode acontecer de o marcador de combustível não estar funcionando corretamente, e dessa forma o painel não emite a informação correta.Outro fator que pode criar essa situação são problemas mecânicos que geram consumo excessivo de combustível, por isso é tão importante que o carro esteja sempre com a revisão em dia.

Pane seca saiba o que e e como evitar

Consequências

Quando acontece uma pane seca, o dano mais comum ocorre na bomba de combustível, que na maioria das vezes fica localizada no interior do tanque.A bomba é responsável por enviar o combustível do tanque para o sistema de injeção. O combustível por sua vez é responsável por resfria-la e manter a bomba na temperatura ideal. Por esse motivo, quando o combustível acaba ela esquenta e pode acabar queimando.Além da bomba de combustível, o sistema de injeção também pode ser danificado devido as impurezas que ficam no fundo do tanque. O dano no sistema de injeção é algo que pode ocorrer não só com a pane seca, mas com todos os veículos que circulam constantemente com o tanque na reserva.Os danos causados por uma pane seca vão além do carro e podem atingir o seu bolso. Segundo o artigo 180 do Código de Trânsito Brasileiro, ter o veículo imobilizado na via por falta de combustível é infração média, o que pode gerar além da multa e pontos na carteira, a remoção do veículo.

Pane seca saiba o que e e como evitar

O que fazer caso aconteça uma pane seca?

  • Faça uso do triângulo de segurança para que outros motoristas entendam que o carro está parado devido a uma emergência, para que nenhum acidente ocorra;
  • Ligue o pisca-alerta;
  • Tente parar o carro no acostamento, ou então na faixa da direita e mantenha-se em um local seguro;
  • Acione o seguro ou solicite um reboque.

Pane seca saiba o que e e como evitar

Como evitar uma pane seca?

A resposta para essa pergunta parece óbvia: Abastecer o carro. Mas além disso, separamos algumas dicas para que as chances de ficar parado no trânsito sejam ainda menores. Confira:

  • Se a luz da reserva acender no painel, abasteça imediatamente;
  • Sempre que ligar o carro, confira o nível de combustível;
  • Mantenha o tanque abastecido com pelo menos ¼ da capacidade;
  • Tenha sempre com você o contato da seguradora do veículo.

 Se você quer mais dicas de cuidados com o carro, não deixe de acompanhar o blog da Bono Pneus. Toda semana tem um artigo novo para você.

Kit de Ferramentas para o carro: Aprenda a montar o seu.

Carregar um kit de ferramentas de emergência para o carro é ideal para superar pequenos imprevistos durante o trajeto ou até mesmo na garagem.

Pequenos defeitos no carro podem nos deixar parados algumas horas na estrada ou até mesmo na garagem. Esses contratempos podem ser resolvidos por você mesmo ou por alguém próximo com conhecimento básico em mecânica e um kit de ferramentas, tornando desnecessário acionar o seguro.Ter um kit de ferramentas no carro é o ideal para resolver esse tipo de situação, ganhando tempo até chegar a um local apropriado e passar pela revisão de um especialista.Lembre-se que antes de mais nada é essencial ter conhecimento sobre seu automóvel, portanto invista alguns minutos lendo o manual do carro.

A caixa de ferramentas

O primeiro item a ser escolhido é a caixa que vai armazenar as ferramentas. Ela deve ser pequena para não ocupar muito espaço no porta-malas, o material pode ser o de sua preferência, desde que ela seja resistente e armazene com segurança todos os itens.

Os itens básicos

Nada de montar uma caixa repleta de utensílios, além de ocupar muito espaço, as ferramentas são pesadas.Outra dica muito importante antes de começar a montar a caixa, é consultar no manual do proprietário quais os parafusos mais comuns no seu veículo, para que você adquira as chaves corretas e essenciais.Confira os itens básicos que podem compor o seu kit de ferramentas:

  • Chave de fenda;
  • Lanterna. Esse equipamento te ajudará e muito caso o imprevisto aconteça durante a noite;
  • Chave de roda;
  • Alicate;
  • Chave de boca, também conhecida como chave fixa e;
  • Martelo.

O kit ferramentas pode ser útil em momentos que você não está com o número da seguradora em mãos ou até mesmo se o celular ficar sem sinal no meio da estrada. Portanto vale a pena investir nos itens básicos.Para ficar prevenido desses contratempos, não deixe de realizar a revisão do seu carro antes de pegar a estrada. Além de não precisar se preocupar com pequenos defeitos, a revisão proporciona maior segurança durante todo o trajeto, afinal trata-se de uma inspeção completa do veículo.Se você gostou desse conteúdo, não deixe de acompanhar semanalmente o blog da Bono Pneus.

Excesso de Bagagem pode comprometer a segurança do carro e dos passageiros

Uma cena comum nas viagens de férias, o excesso de bagagem pode comprometer a segurança do veículo, dos passageiros e gerar multa.

O excesso de bagagem no veículo durante viagens de férias ou feriados prolongados é algo que acontece com a maioria das pessoas, mas que pode ser perigoso sem tomar os cuidados necessários.Algumas práticas como excesso de bagagem, bagagens soltas no interior do veículo e obstruindo a visão das janelas, podem ameaçar a integridade física dos passageiros e comprometer a segurança do veículo. Vamos abordar todos esses assuntos no decorrer do texto, confira.

Excesso de BagagemUma viagem segura começa pela revisão.

Planejou uma viagem? Nada de pegar a estrada sem antes revisar o carro. Verificar os freios, limpador de para-brisa, radiador e óleo é fundamental.Consultar o manual do veículo também é algo a ser levado consideração antes de viajar, nele constam informações importantes para a segurança e bom desempenho do carro, como calibragem ideal, capacidade do porta-malas, vida útil dos componentes, entre outros.

Excesso de BagagemExcesso de Bagagem

Todo automóvel possui uma capacidade de carga máxima, essa informação pode ser encontrada no manual do proprietário e precisa ser respeitada. Rodar fora das especificações para as quais foi projetado pode causar danos aos componentes mecânicos, principalmente aos freios e a suspensão. Além disso os pneus podem ficar comprometidos, correndo o risco de estourar e causar um acidente.Quando está carregado, o veículo costuma ter reações diferentes em comparação a quando está vazio, uma delas é a capacidade de frenagem que é reduzida. Isso significa que o motorista precisará de alguns metros a mais para parar.O mesmo acontece com a capacidade de aceleração, o que exige maior atenção em vias de grande movimento e nas ultrapassagens.

Excesso de BagagemBagagens no interior do veículo

Quando falta espaço no porta-malas a solução é colocar a carga dentro da cabine, mas isso pode se tornar um problema caso os objetos não estejam ancorados ou presos com o cinto de segurança. Outra recomendação é que quando for necessário levar objetos na cabine, eles fiquem acomodados no assoalho do veículo.É preciso se atentar também a visão das janelas, tanto as laterais como a traseira, e dos retrovisores, para que não sejam obstruídas.

Excesso de Bagagem

Quanto ao uso de bagageiros de racks de teto, mais uma vez é preciso cuidado com o limite de peso estabelecido ao realizar a instalação. Durante o trajeto faça paradas para checar a fixação do volume e da carga.Se a carga está dentro do limite, mas ainda assim o carro está pesado, então não deixe a cautela de lado:

  • Mantenha uma distância maior do veículo a sua frente;
  • Evite atingir velocidades altas e;
  • Não carregue nenhum objeto solto dentro do automóvel, acomode-os de forma segura.

Além de poder danificar componentes do carro e causar acidentes, o excesso de bagagens pode gerar penalidades como multa e pontos na carteira de motorista.Tem viagem marcada com a família ou os amigos? Não deixe de compartilhar esse post com eles.

Injeção Eletrônica: Entenda como esse sistema funciona.

A criação da Injeção Eletrônica foi necessária para diminuir a emissão de gases poluentes vinda dos automóveis. Mas além disso, ele oferece outros benefícios, confira agora.

A Injeção Eletrônica foi a solução encontrada pelas montadoras para atender as medidas estabelecidas por lei que limitam a emissão de gases na atmosfera. Além disso, com a evolução do mercado automotivo, os motores de antigamente não estavam mais suprindo as demandas em quesitos como economia de combustível e potência. Ela passou então a assumir o lugar do antigo carburador.O sistema chegou ao Brasil em 1988 e atualmente é obrigatório que todos os veículos sejam fabricados com a injeção eletrônica.

A principal função da injeção eletrônica

O objetivo principal do sistema de injeção eletrônica é reduzir a emissão de gases poluentes. Isso é realizado através da combinação exata de combustível e ar em todas as faixas de rotação, o que acarreta em um melhor rendimento, eficiência na condução e melhor desempenho.Outra função do sistema é controlar o tempo de ignição e a marcha lenta.

injeção eletrônica

Entenda o funcionamento do sistema

Há duas versões desse sistema, um mais simples e menos complexo, que a versão analógica e um mais moderno, o digital, que permite atualizações de software, pois conta com uma central de processamento parecida com um computador.Existe também uma variação com relação ao número de válvulas disponíveis dependendo do veículo. A single point, que conta com apenas uma válvula injetora de combustível e a multipoint, que possui mais de uma válvula injetora e a mais usada atualmente.Esse conjunto é perfeitamente constituído pelos atuadores, sensores e pela central de informações.Basicamente os sensores são responsáveis por identificar a condição do veículo, os atuadores atuam fazendo as correções necessárias, garantindo um melhor desempenho.A central de informações, também chamada de unidade de comando, gerencia o funcionamento do motor, com base nas informações passadas pelos sensores.

Benefícios da Injeção Eletrônica

A invenção da injeção eletrônica veio acompanhada de uma grande revolução e muitos benefícios, entre eles:

  • Economia de combustível;
  • Melhor rendimento do motor;
  • Partidas mais rápidas e;
  • Menor emissão de gases nocivos.

injeção eletrônica

Sinais de falha no sistema

O sinal mais comum de falha no sistema de injeção eletrônica é a luz acesa no painel, mas além disso é possível que outros fatores indiquem problemas. Entre eles estão:

  • Maior consumo de combustível;
  • Dificuldade ao dar partida e;
  • Perda de potência.

Os problemas podem ser causados por vários motivos, entre eles o acumulo de impurezas e combustíveis de má qualidade.Quando há pane nos sensores a memória do sistema armazena e registra a falha, dessa forma um valor médio é usado para que o automóvel continue funcionando. Porém, esse valor pode não ser suficiente e preciso. Nesse caso a luz do painel acende e é extremamente importante levar o carro ao especialista o mais rápido possível.

injeção eletrônica

Um dos cuidados que pode minimizar o risco de problemas na injeção eletrônica é abastecer com combustíveis aditivados, pois eles atuam na limpeza e conservação dos componentes do sistema. Abastecer em locais confiáveis também é imprescindível, afinal combustíveis adulterados danificam o conjunto.Se você gostou da leitura, não deixe de acessar nosso blog e acompanhar as dicas sobre automóveis que postamos semanalmente.

Freios Automotivos – Tudo o que você precisa saber sobre esse sistema para não correr riscos.

Saiba qual a importância dos freios automotivos e de realizar a manutenção preventiva.

Um dos sistemas mais importantes para a segurança do automóvel, os freios automotivos jamais podem ter sua manutenção ignorada. Na verdade, ele é uma das principais preocupações da maioria dos motoristas, afinal qualquer problema neste mecanismo pode resultar em acidentes graves.Entender como esse sistema funciona e quais sinais podem indicar problemas é essencial para não correr e nem oferecer riscos.A função do sistema de freio automotivo é desacelerar e parar o veículo por completo, além de manter o carro parado quando estacionado.Os automóveis convencionais, exceto os adaptados para pessoas com deficiência, possuem dois modos de acionamento, a alavanca e o pedal.Outros modelos mais modernos já contam com acionamento automático, que através de sensores detecta possíveis colisões e freia automaticamente.

freios-automotivos

Principais componente do sistema de freio automotivo

Cada um dos componentes possui funções específicas e fundamentais. Conhecer cada uma delas é essencial, principalmente na hora da manutenção. O sistema de freio é composto basicamente pelos seguintes itens:

  • Disco de Freio;
  • Tambor;
  • Pastilha;
  • Lona;
  • Pinça;
  • Sapata de Freio;
  • Cilindro de Roda;
  • Fluido e;
  • Cabo de Freio.

 Há dois tipos de sistema de freio: a disco ou tambor. O funcionamento do sistema depende do modelo, mas ambos contam com o mesmo princípio básico: pressionando o pedal, o movimento é transferido para o servo de freio que amplifica e entrega a força gerada ao cilindro mestre. Por sua vez, o fluido hidráulico é empurrado e percorre a tubulação do sistema, sendo conduzido aos demais componentes.

freios-automotivos

Freio a Tambor

Apesar de o sistema de freio a tambor ser antigo, ele conta com boa funcionalidade e durabilidade, características responsáveis pela sua permanência no mercado.É comum encontrarmos o freio a tambor nas rodas traseiras dos modelos mais populares de passeio. Além da alta capacidade de frenagem, ele também costuma ser mais barato.No entanto, esse modelo é menos seguro, podendo ocorrer o acumulo de água e sujeira. Sua manutenção também pode ser mais cara em comparação ao freio a disco.

freios-automotivos

Freio a Disco

Em comparação ao freio a tambor, o freio a disco dissipa melhor a energia absorvida devido à exposição ao fluxo de ar. As pinças distribuem melhor a pressão aplicada ao disco, não há acumulo de sujeira e sua manutenção e montagem são mais fáceis.

freios-automotivos

Freio de Mão

A principal função do freio de mão é impedir que o carro se movimente enquanto estiver estacionado.Por ser um dispositivo de segurança, ele funciona de forma independente em relação ao sistema hidráulico de frenagem.Esse mecanismo pode perder eficiência com o passar do tempo por ser usado com frequência ou indevidamente. É imprescindível realizar a manutenção e regulagem periódica desse item, caso contrário ele pode causar acidentes e grandes prejuízos.

freios-automotivos

Sistema ABS

O Sistema ABS é um dispositivo que trabalha em conjunto com os freios para aprimorar seu desempenho.Obrigatório em todos os veículos fabricados a partir de 2014 no Brasil. A sigla ABS (Antilock Braking System), significa Sistema de Freio Antitravamento, e essa é a sua primeira e principal vantagem. Ao evitar que as rodas travem, o sistema permite que o condutor tenha o controle da direção para fazer manobras, sendo possível frear sem perder a dirigibilidade.Outro ponto muito positivo do sistema é o menor tempo e menor distância de frenagem, que de acordo com especialistas pode chegar até 30%. 

Principais sinais de desgaste nos componentes

Os desgastes nas peças são inevitáveis, então é muito importante ficar atento aos sinais emitidos pelo veículo para evitar problemas mais graves. Conheça alguns dos indicativos mais comuns:

  • Ruídos agudos;
  • Carro desviando para os lados;
  • Pedal muito duro ou muito baixo;
  • Vibrações ao frear.

Além desses sinais, pode ocorrer também a diminuição do nível de fluido no reservatório. A vida útil das peças do sistema de freio pode variar muito, por isso a revisão torna-se tão importante. A recomendação é que todo o sistema seja revisado a cada 10 mil quilômetros, mas ao notar algum sinal de desgaste, não deixe de procurar por um especialista. Alguns cuidados no dia-a-dia são fundamentais para evitar o desgaste precoce das peças, como por exemplo:

  • Não exceder o limite de peso que o veículo pode acomodar e;
  • Especialmente quando novos, evitar abusar dos freios.

 Se essas dicas foram uteis para você, então não deixe de compartilhar o post com seus amigos!

Rodízio de Pneus – O que é e quando fazer?

Rodízio de Pneus é realmente necessário? Saiba quais os benefícios de fazer e as melhores práticas.

O rodízio de pneus é uma técnica que proporciona inúmeras vantagens, entre elas, prolongar a vida útil do componente.O procedimento é bem simples e consiste em trocar periodicamente a posição das rodas. Essa manutenção é muito importante, devido ao desgaste irregular da borracha, que é sempre diferente entre a traseira e a dianteira.Um dos motivos que levam isso a acontecer é a tração traseira ou dianteira. A potência exercida pelo motor, leva o pneu a se desgastar mais rapidamente.

Porque é importante fazer o rodízio?

O desgaste uniforme dos pneus colabora com um melhor desempenho, dirigibilidade, frenagem e reflete até mesmo no consumo de combustível. Além claro, de aumentar a vida útil dos pneus.No entanto, não realizar esse serviço pode impactar em outros componentes do automóvel como o sistema de suspensão.

rodizio-de-pneus-o-que-e-e-quando-fazer

E quando devo fazer?

Antes de seguir qualquer recomendação é importante verificar o que está descrito no manual do proprietário do veículo, afinal a quilometragem pode variar conforme o carro e o tipo de pneu.Entretanto, a média fica entre 5.000 e 10.000 quilômetros. Se no manual não constar essa informação, algumas marcas recomendam que o rodízio seja feito a cada 8.000 km.É muito importante que você procure um especialista tanto para saber quando o serviço deve ser realizado, quanto para realizar o serviço.

Como realizar o rodízio adequadamente?

Há diferenças a serem consideradas na hora de fazer o rodízio de pneus, uma vez que cada tipo de carro e/ou pneu possuem suas características e dessa maneira, a forma como o serviço é realizado, pode mudar.Por exemplo, se a tração do carro for traseira, o correto é inverter os pneus, colocando os da traseira na dianteira e os da dianteira na traseira, com os lados invertidos.

rodizio-de-pneus-o-que-e-e-quando-fazer

No caso da tração dianteira, o ideal é trocar os pneus dianteiros pelos traseiros, do mesmo lado, ou seja, no mesmo eixo. Os pneus traseiros devem passar para frente de forma invertida, portanto, o esquerdo irá para a direita e o da direita irá para a esquerda. Mas é importante se atentar ao tipo de pneu, se eles forem unidirecionais, só podem rodar do mesmo lado e os eixos não podem ser invertidos. Regras também se aplicam no caso de veículos 4×4, onde o rodízio deve ser feito sempre em X, e servem também para as medidas diferentes nos dois eixos, nesse caso, o rodízio é feito trocando os pneus do mesmo eixo entre si. Além do tipo de carro, o modelo do pneu também interfere na forma como o rodízio deve ser realizado, portanto, pneus convencionais, unidirecionais e assimétricos possuem características diferentes que refletem diretamente nesse serviço. Outros cuidados como fazer periodicamente o alinhamento e o balanceamento e calibrar semanalmente, são essenciais para a conservação do componente, juntamente com o rodízio. Agora que você já sabe qual a importância do rodízio de pneus, procure respeitar rigorosamente os prazos indicados pelo manual do proprietário do veículo. Precisa da ajuda de um especialista para realizar este serviço? Encontre a loja da Bono Pneus mais próxima de você e entre em contato.

Escapamento Automotivo, entenda como funciona.

Saiba o que é, como funciona, quando realizar a manutenção e quais cuidados tomar com o sistema de escapamento do seu veículo.

O sistema de escapamento em bom estado é essencial para o bom funcionamento e desempenho do veículo.A função desse sistema que também é chamado de sistema de escape é filtrar devidamente os gases para fora do automóvel, transformando-os em menos nocivos e menos poluentes. Além disso ele é fundamental para reduzir ruídos, controlar a liberação de gases e economizar combustível.Diferente do que muitas pessoas pensam, o escapamento não é uma peça e sim um conjunto de itens, que formam um sistema. São eles: os tubos de escape, o coletor, silenciador, catalisador e o abafador.Considera-se três anos a média de tempo que um escapamento pode durar, mas sua manutenção preventiva deve ser feita a cada três meses ou 20 mil quilômetros.

escapamento-automotivo-entenda-como-funciona
Manutenção em dia do escapamento pode evitar transtornos

É imprescindível tomar alguns cuidados constantes para manter o escapamento em bom estado. Separamos algumas dicas que com certeza farão diferença na vida útil do sistema.

  • Tenha cuidado ao passar por lombadas ou qualquer outro obstáculo elevado que possa atingir e danificar o escapamento;
  • Evite dar tranco para fazer o carro funcionar. Ao fazer isso, a gasolina que não foi queimada pode escorrer pelo sistema e danificá-lo;
  • Combustível de má qualidade é uma das principais causas de desgaste prematuro do escapamento, portanto abasteça sempre em postos de sua confiança.

Outro fator que pode interferir na durabilidade do escape é deixar o carro parado por muito tempo ou percorrer distâncias muito curtas com ele, nesse caso não há tempo suficiente para que o sistema atinja a temperatura ideal para a combustão, isso faz com que a água presente nos combustíveis se concentre no escapamento e ocasione uma corrosão.Quando alguma peça é danificada, ela pode comprometer o bom funcionamento de todo o escapamento, causando ruídos ou barulhos fortes e impactar até mesmo no desempenho do veículo, gerando mais gasto de combustível e rendimento mais baixo.O ideal é que quando o sistema apresentar algum sinal, o proprietário do veículo procure por profissionais especializados para realizar uma inspeção completa na área.

escapamento-automotivo-entenda-como-funciona

O mais prudente a se fazer é que quando houver algum dano ou avaria em alguma parte do escape, o componente ou o conjunto todo seja trocadoAo rodar com o escapamento em mau estado, soltando muita fumaça ou fazendo muito barulho, o motorista está sujeito a levar uma multa prevista pelo Código de Trânsito Brasileiro.Essa prática é considerada uma infração grave, que pode levar a retenção do veículo até que o problema seja resolvido.Se o escapamento do seu automóvel está em condições ruins, não hesite em procurar um especialista para trocá-lo.

Embreagem como funciona?

Saiba a hora certa de trocar e como evitar o desgaste prematuro.

O sistema de embreagem tem como principal função unir o eixo que movimenta as rodas com o eixo que movimenta o motor e transmitir a força produzida para a caixa de câmbio.Engana-se quem pensa que embreagem é apenas uma peça, na verdade, a embreagem é um sistema composto pelo platô, disco e pelo rolamento.A função do disco de platô é unir o disco de embreagem ao volante do motor, tirando o carro da inercia.A troca desta peça exige muito cuidado, pois se trata de um dos componentes vitais do sistema de transmissão do veículo.Por sua vez, o disco de embreagem é responsável por interligar o motor, o platô e o câmbio, garantindo o atrito entre os componentes.Já o rolamento é o responsável por empurrar o platô, pressionando o centro da mola membrana, liberando o disco de embreagem e interrompendo o envio da rotação do motor para a caixa de câmbio.

Embreagem como funciona

Este sistema dura uma média de 40 mil a 60 mil quilômetros, e a forma como o motorista conduz o veículo pode causar um impacto significativo na sua vida útil.Realizar as revisões durante esse período é extremamente importante, mas há uma série de cuidados que o motorista pode tomar no dia a dia para evitar o desgaste prematuro das peças do sistema.Abaixo, separamos algumas orientações para você, confira.

Embreagem como funciona

Dicas para fazer o uso correto da embreagem

  • Realize as trocas de marchas respeitando a necessidade do veículo;
  • Evite manter a embreagem acionada quando o carro estiver parado, prefira deixar o automóvel em ponto morto, usando apenas o pedal de freio ou o freio de mão;
  • O pedal da embreagem só deve ser utilizado no momento da troca de marchas;
  • Descansar o pé no pedal da embreagem é um péssimo hábito que pode provocar um aquecimento excessivo no sistema e causar o desgaste prematuro das peças;
  • Para sair com o veículo, use sempre a primeira marcha, nunca a segunda;
  • Jamais controle o veículo em uma subida utilizando a embreagem e o freio, em vez disso, opte pelo freio de mão;
  • Por fim, respeite a carga máxima do veículo que foi especificada pelo fabricante.

Quando a embreagem começa a apresentar sinais de falhas, é hora de procurar um profissional de confiança e checar o que está acontecendo.Normalmente todo o sistema é substituído.

Embreagem como funciona

Fique atento quando perceber:

  • Trepidação ao tirar o pé da embreagem e sair com o carro;
  • O pedal muito baixo ou muito duro e pesado;
  • Dificuldade ao engatar ou trocar de marcha.

Procure sempre respeitar os limites e a necessidades do automóvel, quando notar algum sinal de falha, busque por um centro automotivo especializado.Assim você evita danos maiores ao sistema e não compromete a segurança do veículo.Se você gostou deste post, continue acompanhando nossas dicas aqui no blog.

Higienização Ar-Condicionado Automotivo: Entenda a importância

O ar-condicionado automotivo é um grande aliado dos motoristas nos dias de calor intenso. O que antes era visto como item de luxo, hoje trata-se de um acessório fundamental para garantir conforto e bem-estar aos ocupantes do veículo, além de deixar a temperatura mais agradável, ele também filtra as impurezas, purificando o ar da cabine.Mas você sabia que a falta de higienização pode fazer com que o “ar refrescante” se transforme em um vilão para sua saúde? A falta de manutenção resulta no acúmulo de fungos e bactérias.O ideal é que a higienização seja feita a cada seis meses, mas alguns sinais também podem ser um alerta de que está na hora de fazer a limpeza no sistema de refrigeração.

Fique atento se:

• Notar que o ar-condicionado está apresentando dificuldades na ventilação. Quando sujo, o filtro impede a passagem de ar, comprometendo a eficácia da refrigeração e gastando mais combustível, além de exigir mais do sistema elétrico.

Higienização ar-condicionado automotivo entenda a importância

• Sentir mau cheiro: o odor desagradável é causado pelo acúmulo de ácaros, bactérias e fungos no filtro.Além da higienização, é importante que a cada 30 mil quilômetros o proprietário leve o veículo para realizar a manutenção do sistema que é composto pelo filtro, tubulações, evaporador e pelo compressor.Pois é, assim como o ar-condicionado instalado em imóveis, o ar-condicionado automotivo também possui um filtro.Ele é responsável por reter as partículas de sujeira quando o ar está em funcionamento, mas isso não quer dizer que quando o carro fica parado e o ar-condicionado é pouco usado ele permanece livre das impurezas, muito pelo contrário, ele acaba acumulando muitas bactérias.Por isso é recomendado que o ar seja ligado pelo menos por alguns minutos no mínimo uma vez por semana.Com o passar do tempo e do uso, o filtro também precisa ser trocado, geralmente a troca é feita uma vez por ano, mas isso vai depender das condições de uso.

Precisando fazer a Higienização do Ar-Condicionado do seu carro?

Higienização ar-condicionado automotivo entenda a importância

A Bono Pneus conta com profissionais capacitados para realizar a higienização completa do sistema de refrigeração do seu veículo. Encontre a loja mais próxima de você!

Como identificar problemas na suspensão do carro

Os problemas na suspensão (saiba mais) comprometem o desempenho do veículo e podem oferecer riscos ao motorista e passageiros. Um carro só oferece segurança quando todos os seus componentes estão funcionando bem.Se você está lendo este post, muito provavelmente está suspeitando que seu carro está com problemas, certo? Então continue por aqui que vamos te ajudar com isso!

Afinal o que é suspensão e qual a sua importância?

A suspensão automotiva não se trata de uma peça, mas sim de um conjunto de componentes que garantem estabilidade ao veículo absorvendo os impactos causados pela irregularidade da via onde você trafega.Esse sistema é extremamente importante, pois é ele o responsável por diminuir as trepidações, garantindo conforto a todos os passageiros durante a viagem.Sem a suspensão as irregularidades da via podem danificar o veículo e causar sérios acidentes. Problemas nos amortecedores, por exemplo, podem aumentar o tempo de frenagem do carro. Além disso, a suspensão com problemas pode causar falta de aderência dos pneus à pista molhada (aquaplanagem).

Como identificar problemas na suspensão do carro
Aquaplanagem

Confira os componentes que fazem parte dela:

  • Amortecedores
  • Molas
  • Braço Oscilante (Bandeja de Suspensão)
  • Pivô de Suspensão
  • Barra Estabilizadora

Uns dos principais componentes do sistema de suspensão, os amortecedores trabalham em conjunto com as molas, amortecendo os impactos. Sem esse componente seria quase impossível controlar o carro.Juntamente com os amortecedores, as molas tem a função de reduzir os impactos causados pelas irregularidades da pista, promovendo maior conforto aos ocupantes do veículo.Essa peça liga a coluna de suspensão ao chassi, sua função é servir de apoio à coluna de suspensão, que trabalha sempre em constante movimento e necessita de um ponto fixo.O Pivô da Suspensão permite que a coluna de direção gire em seu próprio eixo, suportando o peso e recebendo força durante a aceleração, curvas e frenagens. Ele também conecta outras partes do carro, como: chassi, telescópio, carroceria, manga do eixo e cubo de roda.A Barra Estabilizadora liga as colunas de suspensão uma a outra, fazendo com que o veículo ganhe mais estabilidade, aderência e agilidade na estrada e em momentos de alta velocidade.

Como identificar problemas na suspensão do carro
Desgaste prematuro dos pneus

Saiba identificar problemas na suspensão

Seu carro pode dar vários indícios de que está com problema, mas um diagnóstico detalhado e certeiro, apenas uma oficina mecânica de confiança pode oferecer.A Bono Pneus conta com profissionais qualificados para o serviço. Encontre a loja mais próxima de você.É possível que você identifique se o automóvel está com problema no sistema, para então procurar por um mecânico, basta ficar atento aos seguintes sinais:

  • Barulhos. Os barulhos que podem indicar problemas na suspensão não costumam apresentar ruídos metálicos, por se tratar de uma peça hidráulica. Eles geralmente são emitidos quando o veículo passa por estradas acidentadas, lombadas e buracos.
  • Vibração e instabilidade no volante. Esses indícios podem caracterizar falta de alinhamento e balanceamento, por outro lado, também pode significar problemas na suspensão.
  • Vazamento. Ao vazar, o óleo que deveria estar comprimido dentro do amortecedor faz com o componente perca seu funcionamento, nesse caso é importante que o carro seja levado até a oficina o mais rápido possível.
  • Desgaste prematuro dos pneus. Se a suspensão estiver danificada, os pneus sofrerão desgastes devido ao nível diferente de aderência ao solo, que se torna insatisfatório.

É muito importante que você conheça seu carro para que consiga identificar qualquer alteração ou sinal de problemas.Manter a manutenção preventiva em dia também é fundamental para que pequenos reparos não se tornem grandes transtornos, com custo financeiro ainda maior. Conte sempre com um especialista para cuidar do seu veículo.

Cuidados com a bateria do carro

Mantenha a bateria do seu carro funcionando perfeitamente seguindo nossas dicas.

Uma das peças essenciais para o funcionamento correto do carro, a bateria é responsável por fornecer energia elétrica ao motor de arranque e a todos os componentes elétricos, como o ar condicionado, rádio, luzes, entre outros.Ela também desempenha um efeito de isolador térmico, protegendo todos os acessórios internos de ações mecânicas externas. A vida útil de uma bateria pode variar entre dois e três anos e quando não recebe os devidos cuidados, esse tempo pode cair pela metade.Para te ajudar com isso, separamos algumas dicas importantes que certamente garantirão uma vida útil satisfatória a bateria do seu carro. Confira:

Cuidados com a-bateria do carro

1 – Escolha a bateria ideal para o seu veículo.

É muito importante que antes de adquirir uma bateria nova para o seu automóvel, você saiba quais necessidades de consumo ela precisará atender, e então escolher a com capacidade ideal.

2. Novos acessórios podem exigir mais da bateria.

Antes de instalar novos acessórios no seu carro, verifique a capacidade máxima da bateria. Componentes elétricos e eletrônicos que ficam ligados constantemente, como rádio, alarme e rastreadores, por exemplo, demandam mais energia da bateria. A dica também vale para sons mais potentes. Opte sempre por acessórios originais.

Cuidados com a bateria do carro

3 – Não deixe o carro parado por um longo período.

Conforme citamos no tópico anterior, alguns itens permanecem funcionando mesmo com o carro desligado, isso faz com que a energia também seja consumida. Aqui o conselho é desligar o cabo do terminal positivo se o carro for ficar parado por mais de 20 ou 30 dias.

4 – Ao dar partida, desligue os componentes elétricos.

A ignição exige muita energia da bateria e quando os componentes elétricos estão ligados antes da partida, ela pode sofrer com a sobrecarga. Portanto, antes de dar partida, desligue itens como farol, rádio e ar-condicionado.

Cuidados com a bateria do carro

5 – Não deixe de fazer a manutenção automotiva.

É necessário fazer revisões periódicas no sistema elétrico do carro, tanto para manter o bom funcionamento quanto para reparar problemas quando o carro apresentar sinais de alerta, como dificuldade ao dar partida e luzes que acendem sem serem acionadas.Se a luz da bateria acender no painel ou se você notar algum problema relacionado ao sistema elétrico do carro, procure por um centro automotivo especializado assim que possível.Não deixe de acompanhar nosso blog para aprender ainda mais dicas sobre automóveis.

5 Dicas para seu pneu durar mais

Que os pneus são indispensáveis, isso todos nós sabemos, afinal são eles que sustentam o carro. O que nem todos sabem é que eles são considerados itens de segurança do veículo, a falta de cuidados com os pneus pode trazer riscos e influenciar até mesmo no consumo de combustível.As boas práticas influenciam também na sua segurança e na economia de combustível.É possível que os pneus cheguem a 60.000 km com um bom estado de conservação e saudáveis, assim como em alguns casos com 30.000 ou 40.000 km já esteja na hora de realizar a troca.Com certeza a maioria das pessoas querem que este item dure o máximo de tempo possível, mas é importante deixar claro que os cuidados com os pneus e o comportamento do motorista no volante são fatores cruciais para que isso aconteça.Para te ajudar com isso, selecionamos 5 dicas que podem ajudar o seu pneu durar mais tempo, confira:

  1. Faça a calibragem dos pneus periodicamente
faça a calibragem dos pneus periodicamente
Calibragem dos pneus.

Crie o hábito de sempre verificar a pressão dos pneus, o recomendado é realizar a calibragem uma vez por semana. A falta de pressão faz com que o pneu se desgaste mais rapidamente, reduzindo sua vida útil em até 25%. Outro problema causado por pneus murchos é o consumo de combustível, que tende a aumentar em até 2%.

  1. Alinhamento e Balanceamento precisam estar em dia
Alinhamento e balanceamento precisam estar em dia
Alinhamento e balanceamento.

O alinhamento ajusta a posição das rodas na suspensão, o que evita o desgaste dos pneus, melhora a maneira de dirigir e consequentemente reduz o consumo de combustível.Já o balanceamento serve para equilibrar a estática e a dinâmica do conjunto roda/pneu, aumentando sua vida útil e garantindo mais segurança.Realizar o alinhamento e o balanceamento do veículo é essencial para que os pneus e os componentes da suspensão tenham maior vida útil.A Bono Pneus conta com profissionais qualificados para realizar esses serviços, encontre a loja mais próxima de você.

  1. Respeite a capacidade máxima de carga do veículo
respeite a capacidade máxima de carga do veiculo
Respeite a capacidade máxima.

Verifique a carga máxima do seu veículo no manual do proprietário ou na lateral do pneu, para que o excesso de carga não o sobrecarregue. Há o risco de fadiga ou quebra de componentes mecânicos, principalmente nos freios, suspensão e pneus.Além de não colocar o veículo em risco ao exceder a capacidade de carga, você também evita multas.

  1. Realize o Rodízio dos pneus periodicamente ou de acordo com as recomendações do fabricante
realize o rodizio dos pneus periodicamente ou de acordo com as recomendações do fabricante
Realize o rodizio periodicamente.

O rodízio é necessário para aumentar a durabilidade dos pneus, ajudando a manter seu desgaste regular. A recomendação da maioria dos fabricantes é que o rodízio seja feito entre 5 mil a 10 mil km rodados.Na Bono Pneus você pode solicitar um orçamento pelo site, basta selecionar o serviço desejado e preencher nosso formulário clicando aqui.

  1. Tenha cuidado ao dirigir
Tenha cuidado ao dirigir
Tenha cuidado ao dirigir.

A forma como o motorista conduz o veículo pode ser um fator prejudicial para a durabilidade desse item.Freadas e aceleradas bruscas, parar com o pneu esterçado contra a guia e raspar a banda lateral na sarjeta, são algumas das atitudes que prejudicam o tempo de vida útil de um pneu. Procure sempre respeitar os limites estabelecidos e dirigir com atenção, sem distrações.Se você gostou dessas dicas sobre como fazer o pneu durar mais, deixe seu comentário e siga a Bono Pneus nas redes sociais. Facebook e Instagram e Youtube.