Mantenha os freios em boas condições e garanta uma viagem segura

No setor automotivo, a segurança veicular é a principal prioridade, e os freios desempenham um papel central nesse aspecto. Uma Manutenção de Freios eficaz garante que seu veículo esteja equipado com Freios em Boas Condições, prontos para responder de maneira rápida e precisa quando você precisa parar. É mais do que apenas uma questão de desempenho; é uma questão de Segurança Veicular para você, seus passageiros e todos na estrada.

A Inspeção de Freios é um aspecto essencial dessa manutenção preventiva. Ela envolve a avaliação detalhada de todos os componentes do sistema de freio, desde as pastilhas e discos até o fluido de freio e as linhas de frenagem. 

Identificar desgaste prematuro ou problemas potenciais durante a inspeção é a chave para evitar falhas de freio inesperadas. Um exemplo disso é a Troca de Pastilhas de Freio, que é uma parte fundamental da manutenção. Pastilhas gastas podem resultar em uma frenagem menos eficaz, aumentando o risco de acidentes.

Os carros costumam dar sinais de que o sistema de freio pode estar com desgaste ou algum tipo de problema. Veja a seguir as cinco condições:

  1. Ruídos Estranhos: Um dos sinais mais comuns de problemas nos freios são ruídos anormais, como chiados, rangidos ou guinchos ao acionar o pedal de freio. Esses sons podem indicar desgaste nas pastilhas de freio ou outros componentes.
  2. Vibração no Pedal de Freio: Se você sentir vibrações no pedal de freio ao frear, isso pode ser um sinal de discos de freio desgastados ou empenados. Essa vibração pode afetar a capacidade de frenagem do veículo.
  3. Pedal de Freio Mole ou Afundando: Um pedal de freio que parece afundar demais ao ser pressionado pode indicar problemas no sistema de freio, como vazamentos no fluido de freio ou problemas no cilindro mestre.
  4. Demora na Resposta dos Freios: Se os freios demoram a responder quando você pisa no pedal, isso pode ser um sinal de desgaste excessivo das pastilhas ou problemas no sistema hidráulico de freio.
  5. Luz de Alerta do Freio no Painel: A maioria dos veículos modernos está equipada com luzes de alerta no painel. Se a luz de freio se acender, isso pode indicar problemas no sistema de freio, como baixo nível de fluido de freio ou problemas no sistema de ABS (Sistema de Freios Antitravamento).

Manter os freios em boas condições não é apenas uma medida de precaução; é a garantia de Segurança Veicular durante todas as suas viagens. Como profissionais do setor automotivo e auto center, entender a importância da manutenção de freios e a necessidade de inspeções regulares é fundamental. 

Essas medidas não apenas mantêm os veículos em excelente estado, mas também salvam vidas ao garantir que os freios funcionem perfeitamente quando você mais precisa. Portanto, lembre-se, a Manutenção de Freios é a chave para Freios em Boas Condições e uma Viagem Segura.

O que é pneu remold? Entenda e descubra se vale a pena!

Se você tem um veículo, provavelmente já ouviu falar em pneu remold — aquele pneu famoso pelos preços mais baixos. No entanto, o que é pneu remold, de fato? Entre os motoristas, é comum que muitos tenham essa dúvida e a incerteza sobre se vale mesmo a pena investir nesse tipo de pneu. Isso porque escolher os pneus é uma decisão que vai muito além da aparência e do preço.

Ao escolher um pneu, é preciso levar em conta uma série de fatores, como o conforto e a segurança proporcionados por ele, a durabilidade garantida pelo fabricante e até mesmo o tipo de veículo que vai utilizá-lo.

Sabendo de todos esses detalhes, preparamos este artigo completo para você! Aqui, você vai entender, de uma vez por todas, o que é pneu remold e se vale a pena colocá-lo no seu carro. Continue a leitura e fique por dentro!

O que é pneu remold?

O pneu remold é uma alternativa econômica à produção tradicional de pneus novos. Em sua essência, o pneu remold é um pneu usado que passa por um processo de remanufatura com o objetivo de prolongar sua vida útil, reduzindo os custos de substituição e até mesmo o impacto ambiental associado ao seu descarte e à produção de novos pneus.

Entendendo o que é pneu remold, já dá para imaginar o quão famoso ele é entre os motoristas, não é mesmo? Conforme mencionamos acima, os pneus remold são muito populares especialmente por conta de seus preços, que são sempre muito mais baixos se comparados a um pneu “zero”, podendo custar entre 30% e 50% do preço de um pneu novo.

Contudo, é importante destacar que a segurança do pneu remold é garantida somente quando ele é submetido a rigorosos critérios de qualidade e recebe a aprovação do InMetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia).

Como é feito?

Agora que você sabe o que é pneu remold, continue a leitura para entender como ocorre o processo de remoldagem:

  1. Inspeção e preparação: primeiramente, é importante que o pneu seja inspecionado para determinar se a carcaça está em condições adequadas para passar pelo processo. Ela deve estar livre de danos estruturais significativos que possam comprometer a segurança do pneu para, só então, ser limpa e preparada para receber a nova camada de borracha.
  2. Remoção da banda de rodagem antiga: se houver qualquer banda de rodagem remanescente no pneu usado, ela é removida para permitir a aplicação da nova camada de borracha.
  3. Aplicação da camada de borracha: nesta etapa, uma nova camada de borracha é aplicada à carcaça do pneu por meio da vulcanização, processo de aquecimento da borracha para que ela se funda à carcaça do pneu.
  4. Esculpimento da banda de rodagem e dos sulcos: após a aplicação da nova camada de borracha, a banda de rodagem é esculpida na nova camada e são criados os sulcos para melhorar a aderência do pneu à estrada.
  5. Balanceamento: o pneu reformado passa por um processo de balanceamento para garantir que não haja vibrações durante a condução. O balanceamento ajuda a prolongar a vida útil do pneu reformado e proporciona uma condução mais suave.
  6. Testagem: por fim, os pneus são inspecionados e testados para analisar se eles atendem às normas de segurança e qualidade previstas.
  7. Marcação e identificação: depois de reformado e testado, o pneu é marcado e identificado de forma clara para indicar que foi remoldado.
Mão de um homem, com luva, sobre um pneu

Quais pneus podem ser remoldados?

Tendo entendido, a fundo, o que é pneu remold e como ele é feito, é importante destacar, agora, que nem todo pneu pode ser remoldado! Alguns pneus como os de motocicletas e triciclos, por exemplo, não podem passar pelo processo. E mesmo para pneus de automóveis, existem alguns pré-requisitos. Nesse caso, não podem ser remoldados:

  • pneus com mais de sete anos de fabricação original;
  • pneus que já passaram por um processo de reforma;
  • pneus com carcaça deformada, furada, deslocada ou ressecada.

Portanto, até aqui, você já entendeu o que é pneu remold e que para que os pneus usados passem por esse processo, é importante que, mesmo danificados pelo uso natural, estejam de acordo com determinadas condições para que sejam recuperados com segurança.

Qual a diferença para pneu recapado e recauchutado?

Assim como os pneus remold, os pneus recapados e os recauchutados são conhecidos pela maioria dos motoristas — e, muitas vezes, até confundidos! Porém, remoldagem, recapagem e recauchutagem, embora tenham objetivos parecidos, são processos diferentes. Se você já compreendeu o que é pneu remold, vai ficar fácil entender as diferenças!

A recapagem é um processo no qual uma nova camada de borracha é aplicada na banda de rodagem desgastada de um pneu usado. Essa camada é fixada por meio de pressão e calor, criando uma nova banda de rodagem. Esse processo geralmente é realizado por empresas especializadas e é mais comum em pneus de veículos comerciais, como caminhões e ônibus.

A recauchutagem, por sua vez, é um processo semelhante à recapagem, mas envolve a aplicação de uma nova banda de rodagem usando calor e pressão mais intensos. Nesse processo, a camada de borracha é vulcanizada para aderir firmemente ao pneu. Esse processo é mais comum em pneus de grandes veículos comerciais, como aviões, caminhões e ônibus, nos quais a aderência e a resistência são especialmente importantes. 

Pneu remold é permitido?

Essa é uma das principais dúvidas de quem sabe o que é pneu remold e conhece um pouco de como ele é feito. Então, respondendo à pergunta: sim, o pneu remold é permitido! Porém, como falamos acima, é necessário que ele seja testado e tenha recebido o selo de aprovação do InMetro.

De modo a garantir a segurança necessária aos motoristas e passageiros dos veículos, é necessário que o pneu remold atenda às normas determinadas pelo instituto. Essas regras foram estabelecidas para que os pneus remoldados sejam fabricados seguindo padrões de qualidade similares aos dos pneus novos.

Sendo assim, ao optar por pneus remold, é fundamental garantir que eles apresentem esse selo. Confira a legislação completa do InMetro neste link.

Pneu remold vale a pena?

Homem pensando sobre o que é pneu remold

Entender o que é pneu remold não basta para afirmar se ele vale a pena ou não, afinal a resposta para essa pergunta é condicionada por vários fatores. Pneus remold podem ser atrativos do ponto de vista financeiro, oferecendo uma opção mais econômica em relação aos pneus novos. No entanto, é crucial considerar que eles podem ter uma vida útil mais curta em comparação aos pneus novos, especialmente quando enfrentam condições de uso mais severas. 

Para chegar à conclusão, confira as vantagens e desvantagens dos pneus remoldados.

Quais são as principais vantagens?

Economia financeira

Entendendo o que é pneu remold e sabendo que ele é feito a partir de um pneu usado, fica fácil compreender o porquê da economia financeira. Como falamos, o principal atrativo dos pneus remoldados são os preços mais baratos em comparação com os novos, o que é uma vantagem significativa para quem procura economizar na manutenção do veículo.

Sustentabilidade

Optar por pneus remold contribui para a redução do descarte de pneus usados, ajudando a diminuir o impacto ambiental relacionado ao acúmulo de resíduos.

Qualidade aprovada

Os pneus remoldados que possuem o selo de aprovação do InMetro são submetidos a testes rigorosos, garantindo que atendam aos padrões de segurança e desempenho.

Variedade de opções

Pneus remold estão disponíveis em uma ampla variedade de tamanhos e modelos, o que permite aos motoristas escolher a opção mais adequada para o veículo.

Desempenho similar

Esse tipo de pneu, quando aprovado pelo InMetro, pode oferecer desempenho semelhante ao de pneus novos, proporcionando uma condução segura e confortável.

Gif de um pneu girando

E as desvantagens?

Vida útil mais curta

Pneus remoldados tendem a ter uma vida útil mais curta em comparação com pneus novos, especialmente em condições de uso mais exigentes.

Limitações de uso

Nem todos os tipos de pneus podem ser remoldados, o que pode restringir as opções disponíveis para veículos específicos.

Menor resistência a furos

Pneus remold podem ser mais suscetíveis a furos e danos, devido à camada de borracha adicional aplicada durante o processo de remoldagem.

Desempenho em condições extremas

Pneus remold podem ter um desempenho inferior em condições climáticas extremas, como chuva intensa ou neve, quando comparados a pneus novos.

Qualidade variável

A qualidade dos pneus remoldados pode variar dependendo do processo de remoldagem e dos critérios de fabricação, tornando ainda mais importante escolher marcas confiáveis e com selos de aprovação.

Como escolher o melhor pneu?

Neste texto, você pôde entender o que é pneu remold, como ele é feito, suas vantagens e desvantagens. Agora, ao escolher entre pneus novos e remoldados, é essencial considerar suas necessidades específicas, o estilo de direção e as condições de uso do veículo.

Se você está considerando a opção de pneus remoldados, assegure-se de que eles possuam o selo de aprovação do InMetro. Assim, você garante que está optando por uma alternativa confiável e segura para suas viagens.

Contudo, se você deseja ter acesso a informações mais detalhadas sobre como escolher os melhores pneus para o seu veículo, nosso texto sobre escolher pneus de carro pode te ajudar!

Quais itens obrigatórios eu devo ter no meu carro?

Ao longo dos últimos 30 anos, houve muitas mudanças se tratando de itens obrigatórios dentro do seu veículo. 

Quando falamos em itens obrigatórios em um carro, não estamos apenas nos referindo aos dispositivos de segurança, como airbags, freios abs, mas também a uma série de equipamentos essenciais que podem fazer toda a diferença em situações imprevistas. Neste artigo, vamos destacar alguns dos itens obrigatórios em um carro, que vão além dos aspectos de segurança, garantindo sua tranquilidade e preparo para enfrentar qualquer eventualidade.

  • Triângulo de Sinalização:

O triângulo de sinalização é um equipamento indispensável em caso de problemas mecânicos ou acidentes. Ele deve ser colocado a uma distância segura do veículo, sinalizando para os demais motoristas que há um obstáculo na via. Verifique se o triângulo está em boas condições e sempre mantenha-o no porta-malas do seu carro.

  • Macaco e Chave de Rodas:

O macaco e a chave de rodas são essenciais para a troca de pneus em caso de furos ou danos. Verifique se o macaco está em bom estado de funcionamento e se a chave de rodas é adequada para os parafusos do seu veículo. Ter esses itens sempre disponíveis no porta-malas é fundamental para lidar com contratempos relacionados aos pneus.

  • Estepe:

O estepe é um pneu reserva que deve estar em bom estado de conservação e calibrado corretamente. É importante verificar periodicamente a pressão do estepe para garantir que ele esteja pronto para uso em uma emergência. Lembre-se de que o estepe é temporário e, assim que possível, é recomendado substituí-lo por um pneu novo.

  • Extintor de Incêndio:

Embora não seja mais obrigatório em alguns países, como no Brasil, é altamente recomendado ter um extintor de incêndio no carro. Ele pode ajudar a controlar pequenos incêndios e evitar que se espalhem. Certifique-se de que o extintor esteja dentro do prazo de validade e em um local de fácil acesso, como no porta-malas.

  • Documentos do Veículo:

Não podemos esquecer dos documentos obrigatórios do veículo. Certifique-se de sempre carregar consigo a carteira de motorista válida, o certificado de registro e licenciamento do veículo (CRLV) e o comprovante de seguro obrigatório (DPVAT). Esses documentos são essenciais em caso de fiscalização ou qualquer incidente que envolva o seu veículo.

Ter os itens obrigatórios em um carro é uma responsabilidade de todo motorista consciente. 

Além de garantir sua segurança, esses equipamentos estão lá para auxiliá-lo em momentos inesperados e minimizar os impactos de imprevistos na estrada. Lembre-se de verificar regularmente a condição e a validade desses itens, para que estejam prontos para uso quando necessário.

Esteja preparado e dirija com responsabilidade. Assim, você estará contribuindo para um trânsito mais seguro e tranquilo para todos.

Saiba quando é necessário fazer cambagem no seu carro

Alguns serviços automotivos são essenciais para garantir a estabilidade adequada do veículo, dentre eles, o alinhamento, balanceamento e a cambagem. Essa última, pode não ser conhecida por muitos, por isso, explicaremos abaixo o que é e em que situações é aplicada. 

Cada veículo possui uma angulação da roda em relação ao plano vertical determinado pelo fabricante. Essa angulação leva o nome de “camber” e é a responsável por garantir a estabilidade em curvas ou evitar vibrações da roda ao volante, por exemplo. 

Devido a situações como o desgaste normal das peças, empeno, quebras, vias esburacadas ou pancadas, essa angulação pode ser comprometida gerando um desgaste excessivo dos pneus de 3 formas possíveis: 

Cambagem positiva:  desgaste na parte externa da banda de rodagem do pneu.

Cambagem negativa: desgaste na parte interna da banda de rodagem do pneu. 

Cambagem nula: angulação reta dos pneus.

Caso o pneu apresente algum desses desgastes, o assessor técnico da FCA, Ricardo Dilser, explica que  “…em alguns carros podem existir pequenos ajustes  (principalmente aqueles equipados com suspensão independente) sem a necessidade de se trocar nenhum componente.  Em outros, a maioria deles, aliás, se a cambagem estiver fora da medida, tem algum componente comprometido na suspensão.” 

Em qualquer uma dessas situações, ao verificar o desgaste irregular dos pneus, leve seu carro a um centro automotivo de confiança para que o mecânico identifique qual componente desse sistema se faz necessária a troca ou então o ajuste. 

Encontre a Bono Pneus mais próxima de você e agende seu serviço! 

Fonte: https://www.proteste.org.br/carros-e-mobilidade/mecanica-e-pecas-de-automoveis/noticia/cambagem https://doutormultas.com.br/cambagem/https://quatrorodas.abril.com.br/auto-servico/quando-verificar-balanceamento-alinhamento-e-cambagem-do-seu-carro/https://quatrorodas.abril.com.br/auto-servico/quando-verificar-balanceamento-alinhamento-e-cambagem-do-seu-carro/https://g1.globo.com/carros/blog/oficina-do-g1/post/quando-e-preciso-fazer-cambagem-nunca.html https://autopapo.uol.com.br/noticia/cambagem-o-que-e-para-que-serve-e-como-saber-se-precisa-ser-feita/

Disco de freios: causas para a trepidação no pedal

O sistema de freios é um dos principais sistemas do carro que garantem a segurança do veículo mas, ainda existem dúvidas dos condutores quando algum sinal de problema aparece. 

Leia o post abaixo para saber quais as possíveis causas da trepidação no pedal e cuidados preventivos para evitar qualquer problema nesse sistema. 

Disco de freios 

Componente fundamental do sistema de freios, o disco de freios é conectado à roda acompanhando seu movimento e é utilizado para desacelerar o carro. Com o acionamento do pedal, o disco, em contato com as pastilhas, gera o atrito necessário para reduzir sua velocidade. 

Apesar do sistema de freios como um todo ter uma durabilidade de 10 mil quilômetros, aproximadamente, dependendo do modelo e fabricante, quando há alguma irregularidade, alguns sinais podem ser sentidos, como: barulhos durante a frenagem, pedal duro ou baixo, vibrações, entre outros. 

Para esse último, existem algumas causas:

  1.  Pode significar que o disco está empenado, ou seja, há um desgaste excessivo no disco que leva ao atrito não homogêneo entre pastilha e disco.
  2.  Em freios novos, até que a pastilha assente totalmente, a superfície de contato oscila com a movimentação, prejudicando a eficiência da frenagem. No entanto, com o tempo, essa situação tende a ser regularizada e caso a vibração não desapareça, é sinal de que o disco está empenado.
  3. Em discos novos, existe uma lubrificação entre o disco e a pastilha que precisa ser retirada antes da instalação. Caso esse lubrificante não seja retirado, o contato entre eles fica prejudicado, diminuindo sua eficácia de frenagem. 

No caso de disco empenado, opte sempre pela troca da pastilha e disco de freios e não pela retífica pois, estando o disco com desgaste excessivo, estes, podem chegar a sua espessura mínima, colocando em risco a eficiência da frenagem e consequentemente a segurança dos passageiros. 

Dicas de manutenção: 

Para evitar que o disco chegue a essa situação de empenamento, antecipe possíveis problemas com a manutenção preventiva, que tem por função corrigir pequenas falhas, fazendo com que os componentes tenham maior durabilidade e mantenham a funcionalidade do veículo. 

Nessa manutenção preventiva, além da revisão de discos, pastilhas e tambores, o fluido de freio é revisado. Esse, tem a função de conduzir a pressão entre o acionamento do pedal e os discos, garantindo a estabilidade do sistema. Por esse motivo, deve ser trocado uma vez ao ano ou conforme a orientação do fabricante no manual do proprietário. 

Agende a manutenção preventiva na Bono Pneus mais próxima de você! 

Fonte: 

https://www.canaldapeca.com.br/blog/pedal-de-freio-trepidando-veja-problema/

https://blog.nakata.com.br/sistema-de-freio-tudo-o-que-voce-precisa-saber-para-nao-correr-perigo/

https://freiosbreque.com.br/discos-de-freio-empenados-ou-finos/

https://www.moura.com.br/blog/fluido-de-freio/

Rodízio dos Pneus: Você sabe fazer da forma correta?

No blog de hoje nós vamos ensinar você a fazer o rodízio correto dos pneus. Você sabia que existe pneu assimétrico, simétrico e com sentido de rotação?  Isso muda tudo na hora de você fazer o rodízio dos pneus do seu carro. Entenda abaixo como fazer da forma correta! 

Inicialmente, entenda que seu carro sempre terá um eixo de tração e um eixo que o acompanha. O eixo de tração é o que mais gasta, por exemplo, um carro com eixo de tração traseira, vai gastar mais os pneus traseiros e um carro com eixo de tração dianteira, os pneus dianteiros. Por esse motivo, faz-se o rodízio dos pneus, para equiparar os gastos dos pneus, gerando economia no seu bolso.  

Além disso, existem alguns carros que tem um vício de comportamento, tanto pelo tipo de pneu ou suspensão, eles geram “dente-de-serra” uma descamação que faz com que ao andar com o carro, haja ruídos nos pneus. Fazendo o rodízio, esse efeito “dente-de-serra” não ocorrerá. 

Há diversas formas de fazer o rodízio, se em “X”  dianteiro direito com traseiro esquerdo ou dianteiro esquerdo com o traseiro direito, ou se o seu rodízio vai ser entre pneus dianteiro do mesmo lado e os pneus traseiros irem para frente, o que vai determinar é o tipo de pneu do seu carro. 

  • Pneu simétrico: é um pneu onde o desenho é igual, tanto o lado direito da banda de rodagem do meio para fora ou da banda de rodagem do meio para dentro.
  • Pneu assimétrico: é um pneu que do meio para fora e do meio para dentro, o desenho é diferente. 
  • Pneu direcional: é aquele com o tipo de desenho com sentido de rotação. 

Nessa situação, o tipo de desenho que você tem no pneu entre simétrico, assimétrico e direcional é o que vai determinar se você pode fazer em “X”, se você pode virar no aro ou se você vai ter que se limitar a fazer entre pneu dianteiro direito com o traseiro direito, ou dianteiro esquerdo com o traseiro esquerdo, que é o mais comum pois a maioria dos pneus hoje são assimétricos e tem sentido de rotação.

Dica: Em algum momento, é recomendado que você coloque o estepe para participar desse rodízio, isso também vai gerar uma economia de pneu. 

Faça esse rodízio no máximo a cada 10.000 Km e aproveite a oportunidade para fazer o alinhamento e balanceamento de rodas.

Encontre a Bono Pneus mais próxima de você e agende seu serviço!

Dicas de direção defensiva

Quando pensamos em direção defensiva, pensamos logo na maneira de conduzir o veículo, porém, ela também está relacionada ao estado de conservação do veículo, condição da via, ambiente e comportamento das pessoas.

Com a direção preventiva, espera-se reduzir o número de acidentes causados pela imprudência no trânsito, isso porque, existem diversas condutas que podem preparar o motorista para situações de risco e/ou prevenir tais situações. 

De acordo com o Manual da Direção Defensiva, separamos dicas para você aplicar e tornar o trânsito mais seguro!

  • Mantenha distância segura: 

A distância segura recomendada é a de 2 segundos do veículo a frente, isso se dá pois tendo essa distância fica mais acessível visualizar todo o trajeto e ter o tempo hábil para frenagens em segurança. 

  • Cuidado com as condições climáticas:

Em dias chuvosos ou com neblina, o cuidado deve ser redobrado. Com a visibilidade comprometida  e em caso da via estar molhada, o recomendado é diminuir a velocidade, usar os faróis baixos, ligar o ar condicionado para evitar embaçamento e checar os pneus, que devem estar com os sulcos aparentes, evitando assim a aquaplanagem. 

  • Faça manutenção periódica no seu veículo:

Manter o veículo livre de falhas mecânicas, significa estar com as manutenções em dia e com isso prevenir uma parada inesperada que pode ocasionar, até mesmo, um acidente. Para um trânsito seguro, peças, componentes e sistemas do veículo precisam estar funcionando plenamente. 

  • Mantenha o foco e concentração:

Não estar em condições físicas e emocionais adequadas, por exemplo: ter consumido álcool, estar com sono, cansaço, irritado, etc,  interfere na concentração ao dirigir, o que pode levar mais facilmente a erros e acidentes. Além disso, usar o celular ao volante, configura infração gravíssima, já que é um dispositivo que tira o foco da direção, o condutor não estará atento a via para prevenir acidentes e ainda, causará acidentes. 

  • Dirija em velocidade compatível com a da via:

Dirigir em velocidade compatível com a da via significa, além de respeitar as sinalizações de limite de velocidade, estar atento ao trânsito e condições da via. Por exemplo, em situações de congestionamento, é recomendado que seja diminuída a velocidade e ainda evitar ultrapassagens perigosas. Dirigindo em velocidade compatível, evita-se freadas bruscas, há maior tempo de resposta a situações emergenciais e não gera multas.

Para mais dicas de direção defensiva, consulte o Manual de Direção Defensiva do DENATRAN: 

http://www.vias-seguras.com/documentos/arquivos/denatran_manual_de_direcao_defensiva_maio_2005 

O que você precisa saber para realizar a troca de óleo

A importância do lubrificante para o motor é igual à do sangue que corre nas nossas veias, é vital. Para um carro durar mais ou durar menos, o óleo é imprescindível.

Para tanto, entender qual o uso do motor, especificações do óleo e quantidade garantem uma troca de óleo adequada e dentro do prazo. 

 1- Quanto ao tipo de uso

Os carros mais modernos, hoje em dia, conseguem fazer a análise de uso severo ou não severo. Por exemplo, numa situação em que “anda-e-para” na cidade, há muitas partidas a frio e, com isso, comete-se o erro de achar que o uso não é severo pois o motor não esquenta porém, o motor não chegar a uma temperatura ideal é identificado como uso severo, a troca de óleo então ao invés de a cada 10.000km será necessária a cada 7.000km, por exemplo. 

Já, ao contrário, utilizar o carro numa rotação baixa e velocidade constante faz com que o motor chegue à temperatura ideal, e portanto, não é considerado de uso severo. 

Realizar a troca de óleo após o prazo pode ser muito prejudicial, pois os aditivos perdem suas propriedades e pode ocorrer um desgaste maior nos componentes, ou então o óleo engrossar e se transformar numa graxa, conhecida também por “borra”.

 2- Filtro de óleo

Em toda troca de óleo – e não vez ou outra – deve-se realizar a troca do filtro de óleo também. Isso acontece pois o filtro antigo acaba retendo entre 0,5 e 1l de óleo, além de impurezas que vão se misturar ao óleo novo e impedir a eficiência do lubrificante. 

 3- Especificações do óleo. 

Na embalagem do óleo está contida a sua especificação, por exemplo, 5w20, que significa 5 de viscosidade quando a partida é a frio e viscosidade 20 quando o motor já atingiu a temperatura ideal. Essa especificação deve ser verificada junto ao manual do veículo pois varia de motor para motor e nunca deve ser substituída ou misturada a outra. A viscosidade do óleo é importante pois garante proteção entre as partes do motor, porém deve ser na especificação correta para que não seja muito fluida ou grossa a ponto de oferecer resistência ao movimento das peças.

 4- Quantidade de lubrificante. 

Para checar a quantidade de óleo, esteja com o carro em repouso por ao menos 30 minutos para que o óleo que está nas galerias internas do motor desça para o cárter para a medição. 

Certifique-se de não colocar mais óleo do que o recomendado a fim de “se garantir” pois esse lubrificante a mais, irá encharcar as velas e causar uma série de problemas. 

Para saber com exatidão a quantidade necessária de óleo no seu carro,  verifique no manual do proprietário. 

Na Bono Pneus você encontra uma equipe técnica especializada para realizar a troca de óleo e filtro de óleo. 

Encontre uma loja mais próxima.

Comprou um carro seminovo? Veja quais peças revisar!

A compra de um carro seminovo pode ser vantajosa de muitas maneiras, seja pelo preço, condição de pagamento ou estado de conservação do carro. 

Na hora da compra, no entanto, há algumas recomendações a serem seguidas que previnem imprevistos e prejuízos que vão garantir o bom funcionamento do veículo desde o momento da compra. 

Levar o carro a uma mecânica de confiança para uma revisão, te ajudará a poupar gastos a longo prazo e ainda ter uma real noção do estado de conservação do carro e desgastes das peças.

Veja abaixo o que precisa ser checado:

Óleo, filtro de óleo e filtro de combustível

Caso o óleo esteja baixo, o ideal é trocá-lo, não completá-lo pois não se sabe qual foi a última especificação utilizada pelo antigo dono e, com isso, os filtros também devem ser trocados para prevenir que impurezas ainda comprometam o desempenho do motor. 

É recomendado fazer a troca a cada 10.000km ou 15.000km. 

Pastilha, discos de freio e fluido de freios

Ter a garantia de bom funcionamento do sistema de freios é indispensável para a estabilidade e segurança na direção. Para tanto, esses itens devem ser revisados e substituídos, se necessário. 

Em média, realize a troca dos componentes a cada 20.000km rodados e do fluido de freio a cada 40.000km.

Luzes

Conferir luz alta, baixa, lanternas, setas e luz de freio pode te poupar uma dor de cabeça logo após a compra do carro, por isso, confira esses itens antes da compra e, caso uma unidade esteja queimada, realize a troca do par pois a vida útil das lâmpadas é a mesma. 

 Pneus, alinhamento e balanceamento

Além de realizar o teste TWI para verificar a espessura dos sulcos,  verifique desgastes na parte de fora e dentro que podem indicar um desbalanceamento e desalinhamento. 

Rodízio e alinhamento, devem ser feitos a cada 10.000km rodados. 

Realize o check-up geral e manutenções preventivas na Bono Pneus.

Encontre a loja mais próxima.

Fonte:

https://www.adelveiculos.com.br/blog/detalhe/10444/revisao-e-manutencao-veja-como-deixar-o-seu-carro-seminovo-livre-de-problemas/

https://quatrorodas.abril.com.br/noticias/carro-usado-cartilha-ideal-de-revisao/

https://blog.nakata.com.br/comprar-carro-seminovo/

Como escolher pneus de carros

Maciez, conforto e durabilidade são características que geralmente nos chamam a atenção na hora de comprar novos pneus. Mas, não é somente isso que deve-se levar em consideração para a escolha, especificações como, tipo de veículo, velocidade, condições da via e índice de carga, devem ser analisados também.

Leia o post a seguir para  entender cada uma das especificações e fazer uma boa escolha dos pneus!

Maciez e Conforto

Além de todo o sistema de direção, suspensão e amortecimento, os pneus são um dos principais responsáveis pela estabilidade e direção silenciosa. Nesse quesito, atente-se ao perfil do pneu, pois perfil baixo, por exemplo, por terem uma camada de ar mais fina, transmitem as irregularidades do trajeto, enquanto pneus de perfil muito alto podem afetar a dinâmica do veículo. 

Durabilidade

O índice Treadwear informa a durabilidade do pneu sendo, quanto maior, maior a resistência. 

A durabilidade, no entanto, não depende apenas do pneu. As boas condições do sistema de direção e amortecedores interferem diretamente nesse quesito. 

Condições da via

A depender da condição da via, a velocidade, estabilidade e aderência irão variar. Por exemplo,  em uma via esburacada, de terra ou pedras, o pneu que melhor garante a estabilidade e aderência é o off-road, enquanto em vias urbanas, de asfalto,  o pneu on-road ou convencional é o recomendado. Caso o uso do veículo seja de uso misto, pneus mistos, que têm um bom desempenho em todos os terrenos.

Tipo de veículo:

Para cada tipo de veículo existirá uma recomendação da fabricante em relação aos pneus. Letras gravadas na lateral do veículo ou do pneu informam o tipo: 

P: indicado para carros de passeio;

LT: indicado para caminhões leves e alguns tipos de SUVs (carros grandes e esportivos);

ST: recomendado para reboques e motor-homes;

C: usados em caminhões, vans e pick-ups de maior porte.

 Índice de carga e velocidade: 

Junto com o tipo de veículo, encontram-se os índices de carga e velocidade. O primeiro informa o peso máximo suportado em cada pneu, sendo assim, sabendo para qual finalidade do uso do veículo, pode-se escolher o pneu que melhor o atenda.  Da mesma forma, o índice de velocidade mostra a velocidade máxima suportada pelo pneu. Lembrando que cada tipo de via terá a sua limitação de velocidade. 

Na tabela abaixo, encontre a correspondência entre cada índice e o valor suportado: 

https://contipneus.zendesk.com/hc/pt-br/articles/360023167454-Como-ler-o-%C3%8Dndice-de-Carga-e-o-S%C3%ADmbolo-de-Velocidade-de-Pneus-de-Passeio-

Medida do pneu: 

Para saber a medida ideal de pneu para o seu carro, consulte o manual do fabricante ou verifique na lateral do próprio pneu que veio da fábrica. A largura do pneu, por exemplo, interferirá na tração e desempenho em frenagens, além de exigir um maior consumo de combustível. 

Verifique abaixo o significado de cada letra e medida correspondente:

  1. A primeira letra que aparece na série, indica para qual uso o pneu é adequado P – Veículo de passeio LT – Caminhonetes Ausência de letras – Pneu de métrica europeia
  2. O número que ocupa a primeira posição da série indica a largura do pneu. Essa medida é importante para identificar também a roda apropriada para o veículo.
  3. O segundo número que aparece é a proporção entre a altura e a largura do pneu.
  4. A letra seguinte indica a quantidade de camadas do pneu, sendo: R – camadas atravessam o pneu radialmente D – camadas atravessam o pneu diagonalmente.
  5. O número seguinte é referente ao diâmetro da roda (em polegadas)
  6. O último número corresponde ao índice de carga, ou seja, indica a capacidade de carga que o pneu pode suportar no seu limite de pressão na hora da calibragem.
  7. A letra ao final, diz respeito ao limite de velocidade suportado pelo pneu. Não é uma recomendação, é uma informação para não exceder os limites de velocidade.Cada letra representa uma velocidade máxima de acordo com a tabela:

Verifique a etiqueta do Inmetro no pneu

A etiqueta do Inmetro te dá dicas muito importantes na escolha do seu pneu como a resistência do pneu ao rolamento, aderência em pista molhada e o ruído externo, confira o que cada uma significa: 

Ruído externo: nível de ruído produzido pelos pneus em decibéis (dB) Resistência ao rolamento: eficiência energética Aderência: eficiência do pneu em pistas molhadas

De acordo com essas informações busque o pneu que melhor se adeque ao seu tipo de uso, prezando sempre pela segurança.

Os componentes do sistema de direção, amortecimento e pneus  foram projetados para aguentar determinadas forças e, não seguir as especificações do fabricante, pode causar sérios danos à suspensão e ao sistema de direção, além de aumentar o risco de acidentes.

A Bono Pneus oferece aos seus clientes um suporte técnico qualificado e a facilidade de um centro automotivo completo e multi marcas de pneus no qual o cliente pode encontrar tudo que o carro necessita em produtos e serviços undercar em um único local.

Encontre a loja mais próxima e troque seus pneus!

Referência: https://blog.nakata.com.br/9-dicas-de-como-escolher-o-pneu-certo-para-seu-carro/ 

Como evitar acidentes de trânsito: Confira 5 dicas.

Em um dos países com mais vítimas por acidentes de trânsito, tomar algumas atitudes preventivas pode fazer a diferença em nossas vidas. 

Segundo o Atlas da Acidentalidade no Transporte Brasileiro, os 5 principais perigos que causaram acidentes do trânsito em 2021, são:

Esses dados mostram que a imprudência é a principal causa e, tendo consciência disso, separamos 5 dicas de como evitar acidentes de trânsito, confira:

  • Respeitar limites de velocidade / respeitar as leis de trânsito 

O limite de velocidade é um valor calculado por especialistas para garantir a velocidade ideal para trafegar sem comprometer a segurança do condutor, passageiros e pedestres. Nessa velocidade ideal, situações de risco podem ser evitadas, pois o tempo para reação é maior do que se em alta velocidade, por exemplo.

De modo geral, respeite as placas de velocidade e demais sinalizações: preferência em rotatórias, semáforos, estacionamento, etc. 

  • Evitar uso de celulares

O uso do celular durante a direção, como, responder mensagens, atender ligações, ver vídeos, comprometem sua atenção a fatores externos que podem ocorrer na via. 

O Código de Trânsito Brasileiro prevê infração gravíssima e perda de sete pontos na carteira para quem usar celular ao volante.

  • Distância segura

Manter uma distância segura do carro da frente proporciona um tempo maior para reação caso haja alguma emergência. 

Recomenda-se que a distância seja de 4 veículos do veículo à frente, sendo que essa distância precisa ser ainda maior em dias chuvosos, devido ao risco de aquaplanagem e maior tempo de frenagem. 

  • Boa postura

Pode parecer inofensivo mas, ter uma boa postura, ajustar retrovisores e bancos ao dirigir colabora para uma direção mais atenta, te fazendo reagir melhor às situações de emergência, por exemplo, minimizando pontos cegos e evitando colisões.

  • Manutenção preventiva:

Uma das maneiras de evitar acidentes de trânsito é prezar pela manutenção do carro preservando suas peças e componentes em bom funcionamento. Em situações de risco, ter a garantia de que os pneus são novos, pastilhas de freio, óleo e alinhamento estão em dia, pode salvar vidas. 

 Na Bono Pneus, prezamos pela segurança do seu veículo, capacitando nossa equipe técnica sobre a importância de um serviço automotivo bem feito para garantir a segurança da família que o utilizará. 

Encontre a Bono Pneus mais próxima de você.

Referências:

https://blog.sempararempresas.com.br/seguranca-no-transito/?gclid=CjwKCAiAleOeBhBdEiwAfgmXf-ojR35IoLF6gSUDt4CM4z2ZNgbSBZYAUhNu3JCAdjmWZWiVTg-TjhoC8aIQAvD_BwE

https://blog.portoseguro.com.br/acidentes-no-transito

https://seguros.sompo.com.br/7-dicas-para-evitar-acidentes-de-transito/

https://frotas.localiza.com/blog/como-evitar-acidentes-no-transito

https://blog.nakata.com.br/como-evitar-acidentes-de-transito-confira-8-dicas-indispensaveis/

Problema comum em veículos: Suspensão instável

Com o sistema de suspensão, o automóvel adquire estabilidade e proporciona conforto e segurança ao condutor e passageiros, quando em boas condições. 

Para cada automóvel existe um sistema de suspensão específico, desenvolvido e pensado para aquele modelo e utilização, conhecer esse sistema assegura o condutor contra imprevistos e até acidentes. 

Nesse artigo, entenda um dos problemas mais comuns dos veículos: a instabilidade no sistema de suspensão, como identificar e prevenir. 

O sistema de suspensão não é composto apenas por mola e amortecedor, como alguns pensam, mas por outros componentes como braço oscilante, pivô de suspensão e barra estabilizadora. 

Causado principalmente por más condições de pavimentação das vias, as peças desse sistema sofrem desgaste ocasionando sinais de instabilidade na suspensão, tais como:

  • Molas danificadas

Esse sinal é mais difícil de ser identificado, é preciso estar atento a altura do veículo. Qualquer perda de altura, por menor que seja, já indica que as molas estão danificadas.

  • Vazamento

Marcas de óleo no chão ou mesmo visíveis no amortecedor indicam o vazamento do fluido que deveria estar comprimido dentro do amortecedor e, portanto, compromete seu funcionamento.

  • Pneus desgastados

Dentre alguns fatores que podem levar ao desgaste dos pneus, um deles é o desgaste do sistema de suspensão. Isso porque, esse desgaste prejudica o contato adequado com o chão, deixando o pneu desalinhado.  

  • Instabilidade na direção 

Dificuldades na direção em curvas, mesmo em baixa velocidade, podem indicar desgaste dos amortecedores. Falta de alinhamento também pode ser a causa, por isso, leve seu carro a um centro automotivo se sentir essa instabilidade na direção. 

  • Barulhos

Quando alguma peça do sistema de suspensão se solta, como bielas, buchas de borrachas, pivôs ou coxins, pode-se ouvir o som forte de batidas secas e oscilações na carroceria ao passar por vias irregulares. 

Além de uma direção prudente para preservar o sistema de direção, mantenha o veículo com as manutenções preventivas em dia, verificando fluídos e realizando o alinhamento e balanceamento em um centro automotivo especializado. 

Encontre a loja Bono Pneus mais próxima de você.

Cuidados com a transmissão automática

63,5% dos carros comercializados são de transmissões automáticas, tudo porque ela é mais cômoda, confortável e também é a que gera menos manutenção mas, depende do uso que você faz. 

Entenda no post alguns cuidados para se ter com a transmissão automática:

Você não pode por exemplo parar numa descida e colocar em park para depois puxar o freio de mão, pode ver que quando você faz isso e vai tentar soltar o freio de mão dá um tranco.

Qual o procedimento adequado nesse caso? 

Pare o carro, coloque o câmbio em N, puxe o freio de mão, solte o carro e aí sim, por último, coloque em park, tenha certeza de quem está segurando o carro é o freio de mão e não o câmbio.

E quanto a substituição de fluido, tem que fazer a troca ou não?

O fluido da transmissão automática precisa ser trocada a cada 40 a 50 mil km. Algumas pessoas podem dizer que esse serviço é caro, porém, se comparado ao óleo do motor que é trocado a cada 10.000 km, o preço fica equivalente. 

A troca do fluido não pode ser feita em qualquer lugar, deve ser em um centro automotivo especializado com a máquina própria para a troca do fluido, onde uma mangueira entra nos trocadores de calor, tira o lubrificante velho e coloca o lubrificante novo, só assim você garante que todo o fluido da transmissão foi trocado. 

Encontre a Bono Pneus mais próxima de você e agende seu serviço.

O que mudou com a nova lei do farol baixo?

Desde 2016, em todos os tipos de rodovias, sejam elas simples ou não, era obrigatório o uso de farol baixo durante o dia para garantir melhor visibilidade dos condutores. No entanto, a partir de Abril de 2021, com a nova lei 14.071/2020, a obrigatoriedade se dá apenas em vias simples fora do perímetro urbano, ou seja, quando não há divisão física. Para vias de pista dupla, em que há uma divisão física, como muretas, guard rail ou canteiro central, por exemplo, não há necessidade do acionamento dos faróis durante o dia. Lembrando que, no período noturno, continua obrigatório para ambas as vias. 

“Isso porque, conforme o NHTSA (Administração Nacional de Segurança de Tráfego em Rodovias), o uso de farol baixo ligado durante o dia reduz em 12% os acidentes envolvendo pedestres e ciclistas e, em 5%, as colisões entre veículos. Além disso, faróis ligados durante o dia aumentam em 60% a percepção visual periférica do pedestre — o que diminui o número de atropelamentos.” 

Além dessa mudança,  para veículos que têm a DRL (Daytime Running Light), fica desobrigado a utilização do farol baixo durante o dia, já que automaticamente essa luz é ligada. Espera-se que nos próximos anos as fabricantes incluam esse dispositivo em todos os modelos de automóveis a fim de facilitar o acionamento e garantir a segurança de motoristas e pedestres.

O não uso do farol baixo durante o dia é passível de multa no valor de R$130,16 e quatro pontos na carteira.

Esteja atento às leis de trânsito e conte com a Bono Pneus para manter o seu veículo em boas condições de uso. 
Referência: https://www.portaldotransito.com.br/noticias/mobilidade-e-tecnologia/seguranca/vai-pegar-rodovia-fique-atento-as-mudancas-da-lei-do-farol-baixo/ 

Qual a hora certa de fazer o balanceamento?

A dica de hoje tem a ver com balanceamento de conjunto pneu e roda. Andando com o carro em linha reta e velocidade linear, caso necessite de balanceamento, o carro apresentará uma pequena vibração no volante. Essa vibração pode ocorrer após a passagem por buracos e vias irregulares. 

Para saber qual a roda que está desbalanceada, verifique onde a vibração é sentida. Quando o desbalanceamento ocorre nas rodas traseiras, ela é sentida no encosto e assento do banco, pois a vibração ocorre no eixo traseiro.  Quando essa vibração se apresenta mais no volante, provém dos pneus dianteiros. Mas, uma dica: a ideia não é só balancear aquele pneu que perdeu o contrapeso, aproveite essa oportunidade e já faça as quatro rodas!

Em um centro automotivo, a máquina de balanceamento faz uma compensação de massas, isso porque, por mais que pareça que pneu e roda sejam redondos, eles têm, na verdade, algumas diferenças de peso. Por ser um produto vulcanizado, o pneu pode ser mais pesado em cima do que embaixo, por exemplo. É como pegar um bolo e colocar ele no forno, ao crescer, corre o risco dele ficar mais assado de um lado e menos do outro. Pode parecer estranho, mas isso pode acontecer com o pneu de maneira que, com a diferença de peso, quando rodar, aquela parte mais pesada vai bater no chão mais forte o que gerará uma série de desgastes irregulares na banda de rolagem e, uma vez feita a deformação, não tem mais balanceamento que tire isso.

Como a vibração ocorre por todo o sistema de direção, isso vai acabar gerando algum tipo de folga prematura em alguma bucha, em algum pivô ou em algum terminal.

Primeiro sinal de vibração no volante? Corra e balanceie os quatro pneus do seu carro para você não ter todos esses danos. Algo simples, fácil de fazer e que resolve!

Fonte: transcrição do vídeo do César Urnhani para Bono Pneus https://www.youtube.com/watch?v=D3utkB_NFF8&t=309s  

De quanto em quanto tempo checar os freios do carro?

O condutor precisa ficar atento aos diversos fatores que influenciam o bom funcionamento dos freios. Isso depende do desgaste natural dos componentes do sistema de freios, condições da via e, ainda, estilo de direção. 

Abaixo, confira a periodicidade que indica a necessidade de manutenção, mas saiba que agir preventivamente é a melhor forma de dirigir com segurança e ainda ter um gasto menor a longo prazo. 

Composição do sistema de freios e durabilidade: 

Fluido de freio: 

É um óleo específico para o sistema de freios que apresenta condições de resistência e elasticidade, funcionando como condutor de pressão entre a frenagem e os discos. 

Durabilidade: em média, a cada 10 mil quilômetros ou depois de 2 anos de utilização.

Pastilhas: 

As pastilhas são responsáveis pelo atrito junto ao disco de freios para parar o automóvel. 

Durabilidade: em média, a cada 20 mil quilômetros.

Lonas: 

As lonas travam o carro quando o freio de mão é utilizado por meio do atrito gerado entre a roda e os tambores de freios. 

Durabilidade: em média, 50 mil quilômetros. 

Servo de freio: 

Auxilia o funcionamento do freio, aumentando a força que o condutor exerce ao pisar no pedal. 

Durabilidade: em média, 120 mil quilômetros ou quando se sente o pedal pesado. 

Cilindro Mestre: 

O cilindro mestre é aquele que por meio de alta pressão, envia o fluido de freio até os tambores de freios. 

Durabilidade: em média, 100 mil quilômetros.

Disco de Freio e tambores : 

O disco de freio é uma peça de formato circular e achatado, que fica presa ao cubo de roda e acompanha seu movimento. Ele é responsável por promover a desaceleração e a parada do veículo por meio do atrito das pastilhas em sua superfície.

Durabilidade: não tem uma vida útil pré determinada.

Pedal

O pedal é o primeiro acionador do freio que fica em contato com o motorista. 

Durabilidade:  não tem uma vida útil pré determinada.

Mangueiras e canos: 

Esses componentes são responsáveis por levar os fluidos até as rodas, e necessitam estar em boas condições, ou seja, sem vazamentos, para aguentar a alta pressão exercida pela frenagem. 

Durabilidade: checar em todas as trocas de óleo.

Apesar dos prazos estipulados pelos fabricantes, cada componente do sistema pode apresentar sinais de falhas em um período menor a depender de fatores como direção e via. 

Alguns sinais de falhas no sistema de freios são: 

  • Trepidação no pedal;
  • Chiados ao frear; 
  • Luz acesa no painel; 
  • Pedal duro ou pesado;
  • Pedal baixo; 

Existem outros componentes, no entanto, que não fazem parte diretamente do sistema mas que sua condição influencia na durabilidade dos freios, como molas e amortecedores. 

Leve seu carro até um centro automotivo Bono Pneus para um diagnóstico completo!

Encontre a loja mais próxima! 

Pergunta e respostas sobre a troca de óleo!

Você sabe da importância em trocar o óleo do carro? 

Esse componente é o responsável por lubrificar as peças do motor, reduzindo o atrito, ferrugem e sujeira, colaborando para o aumento da vida útil do filtro de partículas e catalisadores.

Para saber o momento certo de trocar o óleo do seu carro, verifique o manual do proprietário, porém a troca vai variar de acordo com o uso. Isso porque, caso o uso seja severo, por exemplo em trânsito ou em curtas distâncias, a troca deve ser efetuada a cada 5 mil quilômetros. Caso o uso seja em marginais ou estradas, a troca pode ser realizada apenas aos 10 mil quilômetros. No entanto, deve-se estar atento também ao tempo, sendo a validade máxima para a troca de óleo de 12 meses. 

Atenção ao que vencer primeiro: quilometragem ou tempo 

Leia a matéria, tire suas dúvidas sobre a troca de óleo do motor e  previna danos maiores no seu carro! 

O filtro deve ser trocado junto com o óleo?

Sim, pois o filtro de óleo acumula impurezas. Sendo assim, caso o filtro não seja trocado, o óleo novo será contaminado por esses resíduos do filtro já utilizado, por esse motivo, troque-o sempre que trocar o óleo. O carro que roda pouco não precisa trocar o óleo? Mesmo rodando pouco, a troca de óleo precisa ocorrer a cada 10 mil quilômetros ou 12 meses, o que vencer primeiro. Isso porque, ao ser retirado de sua embalagem original e ter contato com o ar, suas características originais vão sendo degradadas ao longo do tempo. Misturar óleo sintético com o mineral aumenta o desempenho? Não aumenta o desempenho e ainda, não se deve misturar óleo de especificações diferentes, pois os níveis de viscosidade e aditivação não são compatíveis.  Essa mistura, pode significar perda da eficiência, aumento do consumo de combustível e desgaste do motor. Utilize sempre óleo com a mesma especificação. 

Deve-se usar aditivo no óleo?

Não, pois os óleos de motor já constam em sua composição o aditivo necessário a cada modelo de carro. Aditivos extras, não tem sua eficácia comprovada cientificamente. 

O melhor jeito de você saber o tipo certo de óleo para o motor do seu carro é dar uma olhada no manual do veículo, onde contém a frequência ideal e qual o tipo de óleo você deve utilizar. Ou então, conte com o auxílio de um profissional capacitado na Bono Pneus! 

Encontre a loja mais próxima! 

Como identificar problemas no escapamento?

A principal função do sistema de escapamento é filtrar os gases tóxicos produzidos pela queima do combustível, contribuindo tanto para o meio ambiente quanto para a saúde dos ocupantes do veículo. No entanto, ao realizar essa função, o sistema de escapamento acaba por melhorar, inclusive, o rendimento do motor e absorver as ondas sonoras através de seus componentes.

O sistema de escapamento é composto por:

  • Coletor de escape: Onde é recolhido os gases tóxicos produzidos pelo motor
  • Tubos de estepe: Interliga as peças
  • Silenciador: Reduz o barulho gerado pelo motor
  • Catalisador: Filtra os gases poluentes antes de liberá-lo para o ambiente
  • Abafador: Absorve ruídos mais agudos

O sistema de escapamento é obrigatório por lei, ou seja, não é permitido sua retirada por conta do barulho emitido ser superior a 95 decibéis além da emissão excessiva de gases poluentes. Sendo assim, é importante mantê-lo em boas condições de uso e , para isso, atente-se aos sinais que podem indicar alguma falha no escapamento:

Barulho, trepidação e assoalho superaquecido: 

Um dos sinais mais comuns e facilmente identificável é o barulho, um ruído alto e às vezes agudo é emitido pelo sistema quando esse apresenta falhas. Esse barulho pode ser ocasionado por um desprendimento das peças do escapamento fazendo com que fiquem soltas e por consequência, se choquem umas com as outras conforme o movimento do carro. Além do barulho, esse rompimento e trepidação entre os componentes pode fazer com o que escapamento altere de lugar e fique mais próximo do assoalho, que fica superaquecido.

Cheiro diferente: 

Como o sistema de escapamento é responsável pelo filtro de gases poluentes, um sinal para ficar atento a falhas é o cheiro. Sentir odores doces ou ácidos pode indicar o vazamento de algum gás nocivo.

Ferrugens ou rachaduras:

Encontrar ferrugem no sistema de escapamento pode ser indício de combustível adulterado pois o mesmo possui água em sua composição e causa oxidação no escapamento diminuindo sua capacidade de absorção dos gases.

Além disso, rachaduras podem ocorrer em consequência do componente enferrujado além de batidas. Nesse caso, os componentes não são reparados e sim trocados pois quando apresentam falhas, acabam por também danificar todo o sistema. Fazer o uso da solda, por exemplo, não é recomendado pois a longo prazo, pode apresentar vazamentos.

O ideal para a preservação do sistema de escapamento é uma verificação a cada 3 meses e caso haja necessidade de uma troca, certifique-se de utilizar peças originais e certificadas pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial).

Na Bono Pneus realizamos a troca do seu escapamento, com equipe técnica capacitada e equipamentos de última geração, avaliamos as condições do veículo com precisão, confiança e rapidez.

Encontre a loja mais próxima!

Mecânico da franquia de pneus Bono Pneus

Tipos de manutenção: preventiva, preditiva e corretiva

Comumente acabamos por levar o carro até o centro automotivo apenas quando necessário uma correção em alguma peça, ou seja, uma troca ou um reparo. Esse serviço em geral, é custoso e leva um tempo maior que o esperado muitas vezes.

E se tivesse um jeito de evitar esse transtorno?

Existem outros 2 tipos de manutenção que antecedem e até previnem a necessidade da manutenção corretiva, confira abaixo:

Manutenção Preventiva: 

Realizada na periodicidade estipulada pelo fabricante, nela, é avaliado as condições de cada peça e a necessidade de troca ou não.

Nesse momento, analisa-se se as peças e componentes estão com desgaste excessivo, fora do normal e já se atua de forma a prevenir qualquer parada futura, que poderia inclusive ocasionar outros danos.

Os itens abaixo, por exemplo, já têm uma periodicidade estipulada para a troca de acordo com o fabricante, são eles:

  • óleo
  • filtro de óleo
  • filtro de combustível
  • filtro de ar
  • filtro de ar condicionado
  • velas de ignição
  • correia dentada
  • Fluido dos freios
  • óleo de câmbio manual

Manutenção Preditiva: 

A manutenção preditiva é feita em intervalos programados e utiliza-se de técnicas de avaliação tecnológicas como: termografia, ultrassom do sistema, estudo de vibrações e análise de estruturas.

Com isso, a avaliação é mais precisa e visa prever problemas futuros, preservando a vida útil do veículo.

Manutenção Corretiva: 

Diferentemente dos outros tipos, a manutenção corretiva não possui uma previsibilidade pois ocorre apenas quando o carro já apresenta falhas e necessita uma parada para seu conserto.

Esse tipo de manutenção tende a ser mais cara pois é necessário um reparo ou troca da peça danificada, tendo que o carro permanecer parado por algum tempo, não programado, ocasionando custos a mais ao condutor.

Além disso, não fazer manutenção em peças ou componentes que necessitem manutenção ou verificação periódica pode levar a danos em todo o sistema, como é o caso o fluido de freios.

Alguns problemas comuns em manutenção corretiva são:

  • problemas na bateria;
  • mau funcionamento dos freios;
  • pneus com más condições de uso;
  • avarias nos amortecedores e molas;
  • problema de balanceamento;

Ter um veículo com as manutenções em dia significa assegurar as condições das peças do veículo, evitando problemas que podem gerar maiores custos no futuro.

Na Bono Pneus realizamos a revisão do seu carro e trocamos apenas o que realmente é necessário. Com equipe técnica capacitada e equipamentos de última geração avaliamos as condições do veículo com precisão, confiança e rapidez.

Como escolher um centro automotivo de confiança para o seu carro

Tão importante quanto escolher um bom médico para tratar de nossa saúde, a escolha do centro automotivo que realizará a manutenção do nosso carro também pode salvar vidas. Isso por que assim como em nossa saúde, manter em dia o check-up automotivo colabora para uma melhor performance e evita paradas de emergências. Mas, não basta saber o que precisa ser feito, é preciso fazer bem feito!

A escolha do centro automotivo não é uma tarefa fácil, sabemos que nesse ramo há muitas opções e a reputação não é tão boa. Qualquer pessoa já ouviu uma história ou ela própria já passou por situações em que foi enganada (o) por um mecânico, teve um gasto maior que o previsto ou mesmo o serviço realizado foi de má qualidade.

Pensando nisso, selecionamos 3 dicas para escolher um centro automotivo de confiança para o seu carro:

Verifique a reputação do estabelecimento

A reputação do estabelecimento pode ser verificada nas redes sociais do mesmo, pelas avaliações do Google e no Procon. Nelas, você encontrará relatos de clientes que realizaram seu serviço no centro automotivo e com isso, terá uma noção do que esperar daquele lugar, atendimento e qualidade dos serviços.

Nos centros automotivos Bono Pneus temos orgulho de ter boas notas avaliadas pelos clientes no Google, confira!

Faça orçamentos

Realizar cotação dos serviços em diversos lugares é importante para evitar prejuízos. Solicite sempre o valor da peça e o valor da mão-de-obra, quanto mais detalhado, melhor, pois poderá ter mais dados comparativos e entender o que está incluso e o que não está, evitando surpresas.

Fora o preço, outros itens podem ser avaliados como atendimento e localização, além de considerar a reputação descrita acima. Com isso, verifique o custo-benefício de cada centro automotivo antes de tomar a decisão.

Opte por oficinas organizadas e limpas

Avaliar a estrutura do centro automotivo é importante pois reflete o trabalho que é realizado. Um ambiente organizado e limpo proporciona maior clareza e rapidez na execução do veículo, além de mostrar o cuidado e preparo do profissional.

Não deixe para levar seu carro na oficina apenas numa emergência, manutenção em dia evita paradas inesperadas, garante o bom funcionamento do veículo e valorização.

Leve em um centro automotivo Bono Pneus! Temos mais de 25 anos de experiência em serviços automotivos, oferecendo aos clientes um suporte técnico qualificado e a facilidade de um centro automotivo completo e multimarcas de pneus

Encontre tudo que o carro necessita em produtos e serviços undercar em um único local.

Revisão do carro: itens para ficar atento!

Você sabe quais os itens devem ser revisados periodicamente?

Quando se pega a estrada por um longo período de tempo, situações inesperadas podem ocorrer. Para prevenir, a revisão automotiva é imprescindível garantindo assim o bom funcionamento do carro e segurança aos passageiros.

Além de evitar acidentes e paradas, a manutenção preventiva colabora com a economia de combustível e a vida útil do veículo já que, um veículo com problemas mecânicos ou com peças com desgastes excessivos, acabam por exigir mais do motor e outros componentes.

Atente-se aos itens abaixo na revisão e boa viagem!

Pneus

As condições da estrada e a velocidade do carro podem exigir mais dos pneus em uma viagem. Pneus carecas e com a calibragem errada colocam em risco a segurança do passageiro pois a aderência com o asfalto é menor. Antes de utilizar o carro cheque os pneus, calibre de acordo com a pressão sugerida no manual e, se necessário, realize o rodízio também, dessa forma, a vida útil é prolongada e há um desgaste equilibrado entre os quatro pneus.

Alinhamento e balanceamento

O alinhamento e balanceamento colaboram para que o carro distribuía seu peso de forma equilibrada. Caso não esteja alinhado ou desbalanceado, o carro realizará um esforço maior para compensar o desequilíbrio ocasionando aumento no consumo de combustível além de dificultar a direção.

Em geral, o alinhamento e balanceamento são feitos a cada 10 mil quilômetros, porém, se você já tiver uma viagem marcada próximo a essa marca, recomenda-se que seja feito antes. Prevenção, sempre!

Freios

É importante sempre conferir os freios pois em uma situação de extrema necessidade queremos que ele funcione perfeitamente.

Para manter os freios livres de qualquer vazamento, barulho ou perda da eficiência, revise os itens presentes no sistema de freios: discos, pastilhas, fluídos, entre outros.

Óleo do motor

Responsável por retirar impurezas do motor, lubrificar as peças e evitar o excessivo atrito entre elas, o óleo do motor precisa ser de boa qualidade e trocado na periodicidade recomendada pelo fabricante pois ao longo do tempo, o óleo perde suas propriedades.

Ainda que não tenha alcançado a marca para a próxima troca, antes de viajar, previna e realize a troca do óleo.

 Itens de segurança

Faróis e lâmpadas, limpador de para-brisa e borracha precisam estar em bom estado de funcionamento. Revise esses itens antes de sair de casa e solicite ao mecânico sua troca para que durante a viagem não haja imprevistos e você consiga dirigir com segurança em condições de chuva, neblina e a noite, por exemplo.

Revise seu carro na Bono Pneus, rede multimarcas de pneus com mais de 25 anos de experiência. Realizamos a revisão do seu carro e trocamos apenas o que realmente é necessário. Com equipe técnica capacitada e equipamentos de última geração, a Bono Pneus avalia as condições do veículo com precisão, confiança e rapidez.

Crescimento acelerado: em 1 mês Bono Pneus inaugura 2 novas lojas!

Alinhado com sua visão de ser a melhor solução em produtos e serviços automotivos, tornando-se referência na revenda de pneus multimarcas como modelo de Franquia, a Bono Pneus se mostra em potencial crescimento inaugurando duas novas lojas nos últimos 30 dias, em Aricanduva/SP e Juiz de Fora/MG.

A abertura das novas unidades comprova o sucesso da marca e sua força no setor automotivo brasileiro no qual já se consolida a mais de 25 anos. 

O modelo de franquia praticado pela Bono Pneus é o que atrai os empreendedores: atender os clientes e franqueados de forma personalizada, promovendo uma experiência confiável com atendimento técnico consultivo, além de oferecer produtos e serviços de qualidade que atendam às necessidades dos clientes com transparência, postura ética e equipe capacitada para solucionar problemas com qualidade, segurança, respeito à vida, às pessoas e ao meio ambiente.

As novas lojas possuem amplo espaço para receber seus clientes com conforto, segurança e praticidade, além de garantir serviços e manutenção para moradores e todas as pessoas que trafegam pelo local.

Conheça:

Bono Pneus Aricanduva/SP

📱 (11) 91309-4086 ☎ (11) 4750-1431 📍Av. Rio das Pedras, 440 Jd. Aricanduva – São Paulo / SP Ponto de Referência: (em frente ao Carrefour Hipermercado) 🌐 https://bonopneus.com.br/aricanduva/ 

https://www.instagram.com/bonopneus.aricanduva/

https://www.facebook.com/bonopneus.aricanduva

Bono Pneus Juiz de Fora/MG

📱(32) 99126-5755 ☎ (32) 3112-0402 📍Av. Brasil, 1.050 – Costa Carvalho – Juiz de Fora / MG (ao lado da Mundial Acabamentos) 🌐 https://bonopneus.com.br/juiz-de-fora-avbrasil 

https://www.instagram.com/bonopneusjuizdefora.avbrasil/

https://www.facebook.com/bonopneusjuizdefora.avbrasil

Quer ser o franqueado a abrir a próxima Bono Pneus?

Entre em contato e conheça nosso plano de negócios

5 possíveis motivos para o carro não pegar pela manhã

Antigamente, esse tipo de problema era relativamente comum em carros movidos a álcool em épocas frias, isso porque a combustão ocorre a uma temperatura mínima de 25°, o que, pela manhã, muitas vezes não era possível. 

Com o avanço da tecnologia e surgimento dos modelos flex, esse problema foi ficando menos comum. 

Se ainda ocorre com o seu carro, leia abaixo 5 possíveis motivos:      

1. Bateria

A bateria, como muitas peças do automóvel, também tem data de validade e ainda, pode apresentar falhas caso esteja a muito tempo ligada ou mesmo desligada. Ao ligar o carro pela manhã, caso as luzes do painel não acendam e o carro não dê a partida, pode ser que a bateria tenha descarregado. Faça uma recarga de emergência e leve até o centro automotivo mais próximo.

  2. Combustível adulterado

Combustível adulterado pode ocasionar falhas no funcionamento e desempenho do carro que podem ser sentidos na oscilação da rotação. Isso porque a mistura, após um período de tempo, se divide em fases e a parte ruim acaba por abastecer o motor. Esteja atento a data do último abastecimento para monitorar os postos de combustível que costuma frequentar. 

      3. Bomba de combustível 

Se você tem um carro antigo ou fez uso de combustível adulterado, a bomba de combustível pode apresentar falhas. Responsável por injetar combustível no motor, a pressão na bomba deve ser constante, e caso haja alguma falha: pressão alta, baixa ou resíduos, a movimentação é impedida ocasionando o não funcionamento adequado do motor.      

4. Falhas nas velas de ignição

Motor engasgado ou baixa potência podem ser sinais de falhas nas velas de ignição. Excesso de resíduos entopem o sistema e impedem a queima da mistura ar-combustível.     

5. Partida a frio 

Mesmo em carros movidos a etanol ou flex, é necessário abastecer o tanque auxiliar com gasolina pois, no sistema de partida a frio, utiliza-se a gasolina para a partida do carro. A gasolina, diferente do álcool, consegue ter uma queima uniforme com o ar mesmo em temperaturas baixas. Se esse tanque auxiliar não for abastecido, o sistema não funcionará e consequentemente, o carro poderá não dar a partida. 

Para saber qual desses problemas está afetando seu carro, leve até a Bono Pneus mais próxima de você e solicite uma revisão.

Períodos de chuva: quais cuidados devo ter com meu carro?

Em geral, acabamos percebendo que as pastilhas do para-brisa precisam ser trocadas quando já estamos no meio do temporal lutando contra a água que desaba e vemos que o para-brisa não está dando conta. 

Durante a época do ano da primavera e verão é comum que tenhamos períodos de chuva, muitas vezes intensas. Se você não consegue evitar dias chuvosos e precisa utilizar o carro, leia o artigo até o final para saber como se preparar para enfrentar as intempéries e evitar perrengues na direção. 

Alguns itens do carro precisam estar em constante conferência para te garantir segurança e boas condições, confira a lista: 

Limpador de para-brisas: 

Devido ao ressecamento da borracha, o limpador de para-brisas dá sinais de que precisa ser trocado são: riscos no vidro e barulho ao funcionar. Para garantir uma melhor visibilidade, troque esse item tanto no vidro dianteiro quanto traseiro. 

Lanternas: 

Não só lanternas e faróis, mas também luzes de sinalização precisam estar em bom funcionamento para garantir a luminosidade adequada à noite e em dias chuvosos que tendem a ser mais escuros. Além de multa, faróis queimados ou falta de sinalização podem ocasionar acidentes. 

Sistema de ventilação: 

Responsável por desembaçar os vidros de forma rápida, confira a carga de gás, compressor, condensador e mantenha a higienização do ar condicionado em dia.  

Bateria: 

Todo sistema elétrico do carro depende da bateria, sendo assim, ela é imprescindível ao enfrentar dias de chuva. A bateria precisa estar em bom funcionamento, carregada, para que os itens como ar condicionado, limpador e lanternas possam funcionar normalmente.

Pneus: 

Em um momento de frenagem, o acúmulo de água causa a aquaplanagem dificultando a parada, isso porque o atrito entre pneu e o chão é menor do que em condições normais e assim, o contato é também menor.  Para prevenir acidentes, não deixe de trocar os pneus de acordo com tempo e quilometragem adequadas. 

Freios: 

Além de pneus gastos, freios em más condições também irão dificultar a frenagem. Ruídos podem indicar o momento de trocar a pastilha de freios. 

Em épocas de chuva, o contato frequente com a água pode afetar algumas partes do motor, rodas e lubrificação

Idealmente, realizar a manutenção preventiva periodicamente colabora para uma direção segura e é essencial para preservar o veículo e reduzir o gasto com problemas maiores. Em épocas de chuva, por exemplo, o contato frequente com a água pode afetar algumas partes do motor, rodas e lubrificação. Leve seu carro até a Bono Pneus mais próxima para uma avaliação dos componentes mecânicos e eletrônicos. 

Dicas para evitar o desgaste dos pneus

Que os pneus devem ser trocados periodicamente, todo mundo sabe. Mas e se tivesse um jeito de prolongar sua vida útil e te fazer economizar combustível, ganhar conforto e segurança ao dirigir? Parece bom demais, não é mesmo?

Confira abaixo 5 dicas de como evitar desgastes excessivos e desnecessários:

1. Calibre os pneus frequentemente

Com a calibragem incorreta dos pneus há um aumento da insegurança e instabilidade decorrente da alteração da área de contato com o solo, maior resistência ao dirigir, maior consumo de combustível devido a maior resistência de rolamento, entre outros fatores.

2. Alinhamento e balanceamento em dia

Desvios mecânicos causam perda de tração, estabilidade e desgastes em outras peças mecânicas. Estar com a roda e pneu alinhado e balanceado garante uma direção mais segura, sem trepidações e economia de combustível.

3. Rodízio de pneus

É natural que os pneus dianteiros se desgastem mais rápido que os traseiros devido ao esforço direcional e ao torque do motor. Fazer o rodizio de pneus compensa esse desgaste proporcionando estabilidade e eficiência.

4. Evite a alta velocidade

Tanto arrancadas quanto curvas em alta velocidade aumentam o atrito entre o pneu e o solo que ocasiona desgaste dos pneus, alto consumo de combustível e prejudica o sistema de freios.

5. Evite o sobrepeso

A sobrecarga além de desgastar diretamente o pneu, afeta a direção, freios e suspensão. É especificado em cada pneu seu limite de carga compatível. Evitar o sobrepeso garante a preservação do carro como um todo.

Pneus bem cuidados garantem uma vida útil maior ao seu carro e proporcionam maior segurança a sua direção!

Na Bono Pneus realizamos a revisão do seu carro e trocamos apenas o que realmente é necessário. Com equipe técnica capacitada e equipamentos de última geração. A Bono Pneus avalia as condições do veículo com precisão, confiança e rapidez.

Nossos serviços:

Encontre uma oficina mais próxima e solicite um orçamento!

Pastilhas de freio: como saber a hora de trocar

Que as pastilhas de freio são parte essencial para o bom funcionamento do carro e segurança do condutor e passageiros, você já sabe! Mas e a hora certa de trocar, você está atento? 

As pastilhas de freio, assim como muitos componentes do carro, se desgastam ao longo do tempo, seja de forma natural ou devido a alguma anomalia ou má condução. 

A frenagem funciona a partir de um atrito entre a pastilha de freio e o disco, fazendo com que a velocidade do veículo diminua. Caso a pastilha ou disco não estejam em condições adequadas, o carro terá menos eficiência ao frear, colocando em risco os condutores e passageiros. 

Felizmente, existem alguns sinais que podem ser verificados no carro para perceber quando algo não vai bem: 

  1. Ao frear, ouve-se um ruído proveniente, em geral, do atrito entre pastilhas e o disco de freio;
  2. A espessura da pastilha de freios pode ser percebida a olho nu. Localizada na roda, sua espessura mínima é de 2mm;
  3. A eficiência dos freios é comprometida, tendo que realizar um esforço maior para a frenagem do carro;
  4. Após atingir a quilometragem de rodagem estipulada pelo manual.

No manual do veículo você encontra a recomendação do período médio de troca das pastilhas de freio, no entanto, esse período pode variar de acordo com a forma de conduzir o veículo: 

  • Evite frear bruscamente;
  • Não sobrecarregue o sistema de freios, respeite o limite de peso; 

Mas atenção, o ruído no sistema de freios pode ter outras origens além das pastilhas, por isso, levar o carro a um centro automotivo qualificado para realizar um diagnóstico preciso é essencial. 

Encontre uma loja perto de você!

Combustível adulterado: sinais para você ficar atento!

Em alguns casos, a alta dos preços dos combustíveis é um influenciador para que o consumidor prefira abastecer seu carro em um posto pouco confiável e que pratica preços muito abaixo do mercado. Cuidado! No início, você tem a sensação de que fez um bom negócio, mas na medida em que utiliza o carro, os problemas mecânicos vão aparecendo.

O hábito de abastecer sempre com o combustível mais barato e em postos não tão confiáveis pode ocasionar sérios danos (e caros) ao seu carro, dentre eles: ressecamento de mangueiras do motor, desgaste nas vedações, deformação dos pistões, bomba de combustível entupida, entre outros.

O órgão que regulamenta e fiscaliza os combustíveis no Brasil é a ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) porém sabemos que corriqueiramente ouvimos histórias sobre conhecidos que tiveram seu carro danificado devido ao abastecimento com combustível adulterado.

Para se precaver desse tipo de situação, atente-se tanto ao local em que está abastecendo quanto aos sinais que seu carro pode dar e ainda, o que fazer caso inevitavelmente ocorra com você.

No posto de combustível:

– Desconfie de valores muito baixos;

– O posto deve estar devidamente sinalizado quanto a procedência do fabricante de combustível;

– As bombas devem estar lacradas e identificadas (endereço, CNPJ do posto e selo do INMETRO;

– Solicite o teste de proveta, que mede a porcentagem de etanol na gasolina (acima de 27% indica adulteração).

Sinais no carro:

– luz de alerta do motor acesa, indica algum dano ao sistema de injeção eletrônica;

– perca de potência;

– ruídos em momentos que o motor é mais exigido;

– vazamento de óleo e características diferentes;

– aumento do consumo de combustível.

Ainda, caso essa situação ocorra, busque seus direitos. Tendo em mãos a nota fiscal, solicite o teste de proveta e se caso comprovado, realize a denuncia ao ANP.

Na Bono Pneus temos o diferencial de sermos um centro automotivo e por isso, estamos preparados para avaliar as condições do seu veículo com precisão, confiança e rapidez.

Encontre uma loja perto de você!

Investir no setor automotivo vale a pena?

Até 2019, segundo o Denatran, Departamento Nacional de Trânsito, haviam em circulação cerca de 100 milhões de unidades de veículos, porém, sabe-se que com a pandemia iniciada no final do mesmo ano, o comportamento do consumidor mudou.

A pandemia forçou a paralização de fábricas e indústrias do setor automotivo fazendo com que peças e componentes ficassem escassos no mercado, somado isso à volatidade do dólar, resultou no aumento dos custos de produção, e consequentemente, de venda.

Então, o desejo de compra do carro novo foi substituído pelo investimento, preservação e manutenção do atual já que, com um cenário de crise econômica e popularização do home office o uso do carro precisou ser revisto.

Sendo assim, o consumidor tende a investir mais em manter o próprio veículo do que buscar outro novo. Serviços como: alinhamento e balanceamento, higienização do ar condicionado, troca de óleo, troca de pneus, consertos em injeção eletrônica, embreagem, freios, entre outros, se tornaram mais comuns e essenciais.

Nesse sentido, o segmento de serviços automotivos teve um crescimento nos últimos anos, apesar da crise. No ano de 2021, por exemplo, o segmento de franquias automotivas obteve um faturamento de R$6,5 bilhões, representando um crescimento de 8,9% em relação ao ano anterior.

A franquia é um modelo de negócio que foi criado para uma unidade e com as estratégias de sucesso, replicada para as demais. Por esse motivo, é um modelo consolidado que vem se expandindo cada vez mais no mercado. Por ser um modelo já testado, em geral, as franquias ocorrem em grandes redes, com nome e marca reconhecidas no mercado pela boa reputação. Esses atributos, fazem da franquia uma empresa de maior confiabilidade para o empreendedor que muitas vezes, não tem todo o conhecimento necessário para iniciar um negócio próprio.

A Bono Pneus tem um sistema de franquia baseado em gestão de pessoas e dedicação ao negócio com suporte total ao franqueado, desde a escolha do ponto comercial até auxílio na negociação com fornecedores.

Além disso, o diferencial que a franquia Bono Pneus tem a oferecer é a grande variedade de serviços relacionados a Under Car (parte baixa do carro) num único local, com a comodidade dos horários diferenciados de shopping centers, proporcionando assim muito mais facilidade aos clientes.

Encontre uma loja perto de você!

Como higienizar seu automóvel corretamente

Garantir a higienização do seu automóvel vai além de evitar a desvalorização na hora da venda. Um carro limpo e bem cuidado previne o surgimento de doenças respiratórias e conserva seus equipamentos.

Separamos algumas dicas para uma higienização correta e duradoura!

Por onde começar?

  1. Separe todos os itens que serão necessários:

Separando esses materiais, o serviço será mais rápido e econômico.

  • Água
  • Balde
  • Panos de algodão ou microfibra
  • Esponjas e panos apropriados
  • Detergente automotivo ou sabão neutro
  • Aspirador de pó
  • Escova ou esfregão
  1. Retire os tapetes:
  • Inicie pela lavagem dos tapetes pois esses demoram um tempo maior de secagem.
  • Passe um aspirador para retirar a sujeira superficial e em seguida lave-o com água, sabão (ou produto específico) e esfregão.
  • Apenas recoloque quando estiver 100% seco.
  1. Inicie a lavagem pela parte externa:

A sujeira acumulada no teto do carro irá escorrer, portanto inicie a limpeza pela parte de cima e finalize nas rodas.

  • Utilize nessa etapa: água, esponja e o produto que julgar melhor;
  • Atente-se a pressão adequada da água ao utilizar a mangueira e as maneiras de uso específicas de cada produto;
  • Na lavagem dos pneus, utilize um esfregão pois nessa área a sujeira é geralmente mais densa;
  • Após finalizada a lavagem, seque a lataria com um pano de algodão ou microfibra para evitar que surjam manchas da secagem natural;

⚠️ Importante: lembre-se de realizar a lavagem do seu carro na sombra!

  1. E o motor, pode ser lavado?

Para saber se o motor do seu carro pode ser lavado, o ideal é verificar no manual. Caso possa, utilize uma mangueira para limpar a região. Caso contrário, apenas utilize uma bucha seca e retire as sujeiras mais grossas.

  1. Limpeza do interior:
  • Também iniciando pelo teto, utilize um borrifador com uma mistura de água, detergente neutro e desinfetante, passe um pano por cima e esfregue com cuidado;
  • Os bancos podem ser limpos com produtos específicos e um pano;
  • Utilize também um aspirador para sujeiras superficiais e cantos do carro;
  • Para o painel, passe um pano úmido e um pano seco em seguida;
  • Nos vidros, utilize um pano seco e borrife um limpa-vidros específico;
  1. Limpeza do ar condicionado

A higienização regular e periódica evita a formação de ácaros, fungos, bactérias e mal odores

A recomendação é que esse procedimento higienização do ar-condicionado seja realizado ao menos uma vez a cada seis meses.

E na Bono Pneus você pode cuidar do seu ar-condicionado automotivo. Realizamos a higienização completa do sistema de refrigeração.

Encontre a Bono Pneus mais próxima de você e agende seu serviço!

Encontre uma loja perto de você!

Conheça os carros mais econômicos do Brasil

Quanto menor for o gasto de combustível, mais eficiente o carro será.

Em tempo de alta e de grandes oscilações de preços nas bombas, o que todo brasileiro busca é um carro com uma boa performance e eficiência.

Pensando nisso, compartilhamos a lista dos 5 carros mais econômicos do Brasil divulgada pelo INMETRO, no Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular, esse ano.

A análise foi feita com base no consumo energético em Megajoules, que mede quantos quilômetros o carro faz com 1L de combustível, sendo ele etanol ou gasolina. Dessa forma, obtém-se um resultado comparativo adequado.

Renault Kwid

Peugeot 208 1.0

Hyundai HB20S 1.0 Turbo

Chevrolet Onix Plus 1.0

Volkswagen Polo 170TSI

Apesar do programa realizar comparações com carros nas mesmas condições, no dia a dia pode ocorrer alguma variação devido a condições da via, da carga, calibração dos pneus e maneira de condução do motorista. Por isso, esteja atento a manutenção preventiva do seu carro e pratique a direção segura assim, seu carro poderá atingir bons níveis de eficiência, com um baixo gasto de combustível.

Na Bono Pneus realizamos a revisão do seu carro e trocamos apenas o que realmente é necessário. Com equipe técnica capacitada e equipamentos de última geração avaliamos as condições do veículo com precisão, confiança e rapidez.

Encontre uma loja perto de você!

Calibragem de pneus: Como descobrir a medida correta?

Calibrar os pneus com regularidade preserva sua durabilidade e performance, além de proporcionar segurança e estabilidade do veículo.

Atente-se! A calibragem numa pressão incorreta pode ocasionar danos nos sistemas de suspensão, transmissão, tração, direção e frenagem.

A informação da medida correta de calibragem do pneu é específica para cada modelo, variando inclusive de carro para carro, isso porque depende de diversos fatores como o peso e o tipo de via utilizada (pavimentada ou estrada de terra).

De acordo com cada fabricante, a medida correta pode vir informada:

– no manual do proprietário;

–  no lado de dentro da tampa do bocal de combustível;

– na parte interna da porta do condutor.

E para garantir ainda mais conforto, segurança e estabilidade para seu carro, a Bono Pneus avalia as condições do veículo com precisão, confiança e rapidez com serviços de alinhamento/balanceamento, suspensão, freios, injeção eletrônica, troca de óleo, bateria, escapamento, higienização do ar-condicionado e embreagem.

São mais de 60 unidades em todo o Brasil, encontre a mais próxima de você!

Você sabe onde encontrar as medidas do pneu?

Medidas de pneus: como encontrar a medida ideal para o seu carro

Você sabe onde encontrar as medidas do pneu?

A medida do pneu é uma série de números que fica na lateral do pneu com o objetivo de informar o condutor quando o pneu foi fabricado, qual a capacidade de carga e velocidade permitida. Também pode ser encontrada no batente da porta do motorista, no interior da porta do porta-luvas, dentro da tampa do tanque de combustível e no manual do veículo.

Para cada carro há um tipo de jogo de pneus específicos e é de acordo com essas medidas que a sua escolha deverá ser feita!

Escolher os pneus com as medidas erradas pode ocasionar danos no seu carro: na suspensão, nos terminais, na caixa de direção, entre outros.

Confira abaixo o que significa cada medida para acertar sua escolha:

  1. A primeira letra que aparece na série, indica para qual uso o pneu é adequado P – Veículo de passeio LT – Caminhonetes Ausência de letras – Pneu de métrica europeia
  2. O número que ocupa a primeira posição da série índica a largura do pneu. Essa medida é importante para identificar também a roda apropriada para o veículo.
  3. O segundo número que aparece é a proporção entre a altura e a largura do pneu.
  4. A letra seguinte indica a quantidade de camadas do pneu, sendo: R – camadas atravessam o pneu radialmente D – camadas atravessam o pneu diagonalmente.
  5. O número seguinte é referente ao diâmetro da roda (em polegadas)
  6. O último número corresponde ao índice de carga, ou seja, indica a capacidade de carga que o pneu pode suportar no seu limite de pressão na hora da calibragem.
  7. A letra ao final, diz respeito ao limite de velocidade suportado pelo pneu. Não é uma recomendação, é uma informação para não exceder os limites de velocidade. Cada letra representa uma velocidade máxima de acordo com a tabela:

Na hora de trocar seus pneus, passe na Bono Pneus! Contamos com equipe técnica capacitada e equipamentos de última geração. A Bono Pneus avalia as condições do veículo com precisão, confiança e rapidez.

Porque os pneus são pretos?

Você já deve ter se questionado o porquê os pneus são pretos, já que a borracha é branca.

Em sua composição, a borracha recebe uma substância, o negro de fumo, que proporciona ao pneu uma maior durabilidade, aderência ao piso e resistência ao rolamento e temperaturas elevadas.

O negro de fumo possui a coloração preta, porém a quantidade e os tipos de negro de fumo empregados em cada pneu é segredo industrial de cada fabricante e é a sua combinação que garantirá a melhor performance do pneu.

Isso não quer dizer que o pneu precisa ser necessariamente preto. Junto com pigmentos e sílica é possível produzir pneus coloridos, como é visto em bicicletas infantis, por exemplo. Para os automóveis, no entanto, esse modelo não foi bem aceito, prevalecendo a coloração preta que também tem a função de disfarçar a sujeira.

Bono Pneus

Na Bono Pneus você encontra diversas marcas de pneus e contamos com serviço de manutenção, alinhamento e balanceamento para você ter toda a segurança e conforto no seu carro. Possuímos mais de 25 anos de experiência no setor automotivo, oferecendo aos nossos clientes os melhores produtos e serviços com qualidade e preço justo.

Filmes para quem ama carros

Sem planos para o final de semana? Sem problemas, nada melhor para os amantes do automobilismo do que se inspirar assistindo um bom filme!

Nós da Bono Pneus somos apaixonados por carros e fizemos uma seleção de bons filmes que mostram potência, velocidade e design para você viver momentos de adrenalina também pelas telas! Confira abaixo:

Ford vs Ferrari (2019)

Baseado em fatos reais, esse filme irá mostrar na prática os bastidores do automobilismo, contando a história de criação do melhor carro para o campeonato (o 24 horas Le Mans), de 1966, A disputa se dá entre as marcas Ford e Ferrari no comando de Christian Bale e Matt Damon, atores renomados na atualidade.

Vencedor de duas estatuetas no Oscar de 2020, Montagem e Efeitos Sonoros, esse filme irá encantar a quem se interessa pela mecânica.

Em ritmo de fuga (2017)

Conta a história do personagem Baby, um piloto de fuga que participa de diversos assaltos, mas ao se ver apaixonado por uma garçonete, realiza um último trabalho para fugir e ter uma nova vida.

Seu elenco garante uma mistura de ação, aventura, comédia e crime, que irá agradar um grande público.

Rush – No Limite da Emoção (2013)

Baseado em fatos reais, esse filme mostra a rivalidade entre os dois pilotos de fórmula 1 mais renomados durante a temporada de 1976: Nikki Lauda e James Hunt. Além de ser um filme sobre rivalidade no esporte, velocidade e potência dos carros, ainda retrata os bastidores do mundo glamuroso da Formula 1, motivações e as desavenças pessoais de cada piloto.

Um filme eletrizante do começo ao fim, com cenas de tensão, alta velocidade e emoção que traz a reflexão sobre motivações para viver.

Drive (2011)

O filme de gênero criminal e dramático, Drive, contem muitas cenas de perseguição, alta velocidade e tensão. O ator Ryan Gosling, interpreta o papel principal como dublê e mecânico que atua também como piloto de fuga. Ao se envolver em um assalto, ele precisa fugir e proteger sua vizinha, por quem se apaixona.

Indicado ao Oscar pela categoria de Edição de Som e nomeado a 31 prêmios e 48 indicações pelo mundo, Drive é um filme para quem está buscando agitação e uma história envolvente.

Fangio – O Rei das Pistas (2020)

Conta a trajetória de Juan Manuel Fangio, detentor do recorde mundial em Fórmula 1 por meio século, por meio de depoimentos de personalidades do automobilismo que o consagraram como ídolo.

Fangio foi campeão em cinco temporadas e detém a maior porcentagem de vitórias na modalidade.

É um filme para os amantes de documentários e histórias inspiradoras, para quem deseja conhecer a fundo o homem por traz da máquina.

Bono Pneus

Tenha seu carro sempre seguro com suspensão, freios, óleo e balanceamento em ordem para desfrutar de momentos imperdíveis ao volante.

Manutenção Preventiva: 7 dicas para evitar dor de cabeça

A manutenção preventiva é essencial para prolongar a vida útil das peças, garantindo um bom funcionamento do veículo. Além disso, evita que você tenha dores de cabeça quando o carro quebra sem esperar.

Pensando nisso, selecionamos algumas dicas de manutenção preventiva para evitar que você tenha transtornos no futuro. Continue a leitura!

O que é manutenção preventiva?

É comum que alguns motoristas tenham dúvidas sobre o que é manutenção preventiva e corretiva. Você faz parte deste grupo? Não se preocupe, a resposta é mais simples do que você imagina.

Como o próprio nome já sugere, a manutenção corretiva é feita somente quando alguma peça do automóvel apresenta alguma falha e precisa ser substituída.

Enquanto a manutenção preventiva tem o objetivo de manter o funcionamento do carro e prevenir possíveis panes, seguindo sempre a recomendação dos fabricantes para troca de peças por quilometragem ou tempo de uso, deste modo, um componente que não possui defeito pode ser trocado, pois pode não estar com o seu desempenho 100%.

Veja abaixo alguns cuidados que ajudam o seu veículo a ter uma longa vida útil e um ótimo funcionamento na rua ou estrada.

 Troca de Óleo
  • Troca de óleo

O óleo é um elemento extremamente importante para o funcionamento do automóvel, visto que é responsável por lubrificar as peças do motor (essa ação é essencial para que elas deslizem e trabalhem com mais facilidade). Outro benefício é a diminuição do risco de falhas nos elementos provocados pelo atrito entre eles.

A troca de óleo deve ocorrer a cada 10 mil quilômetros ou de seis em seis meses. O tempo varia de acordo com a montadora do carro, por esse motivo, o motorista deve sempre consultar o tempo indicado no manual do proprietário do veículo.

Atenção: toda vez que for realizar a troca de óleo é importante que o filtro de óleo também seja substituído, uma vez que ele barra as micropartículas que se soltam das peças do motor por causa do atrito entre eles. Além disso, impede as impurezas resultantes da queima de combustível.

Pneus
  • Pneus

O motorista não deve se esquecer dos pneus, uma vez que eles são responsáveis pelo contato do carro com o solo, consequentemente recebem os maiores impactos e desgastes. Porém, existem alguns cuidados que fazem com que o desgaste seja feito de forma mais lenta.

Algumas medidas são determinantes para que a vida útil dos pneus seja prolongada, dentre eles estão: a forma que o motorista dirige, o tipo de rua por onde circula e a manutenção periódica.

Uma forma para balancear o desgaste do pneu é fazer o rodizio entre eles, para fazer essa ação é simples: é necessário somente trocar os pneus dianteiros para trás e os traseiros para a frente.

Essa troca gera um equilíbrio no desgaste dos pneus, isso ocorre porque os dianteiros desgastam mais rápido que os traseiros. O revezamento faz com que os pneus fiquem mais nivelados, garantindo a estabilidade e segurança.

Alinhamento e Balanceamento
  • Alinhamento e Balanceamento

O alinhamento e balanceamento são importantes para garantir que o motorista não tenha gastos desnecessários no futuro. O alinhamento tem como objetivo ajustar os ângulos das rodas, fazendo que elas ficam paralelas entre si, assegurando o equilíbrio das forças que trabalham para o movimento do carro. O balanceamento gera um equilíbrio de peso, entre os componentes roda e pneu, gerando assim uma estabilidade e conforto no rodar.

Esses procedimentos garantem a segurança dos usuários do veículo, visto que a estabilidade é assegurada, evitando possíveis acidentes e danos.

Bateria
  • Bateria

A bateria é uma peça de extrema importância para o sistema elétrico do carro. O motorista pode ser informado que ela não está em seu pleno funcionamento quando apresenta os seguintes sinais: Dificuldade de dar a partida ou a luz da injeção eletrônica piscando no painel.

A vida útil da bateria pode ser de até 5 anos (dependendo da marca), porém essa longevidade está diretamente ligada aos cuidados que o condutor terá, como, NÃO deixar que o carro fique parado sem dar partida por muito tempo.

Para-brisa
  • Para-brisa

Apesar de utilizado somente em dias chuvosos, os limpadores de para-brisas devem ser substituídos a cada seis meses, pois com o tempo eles ressecam, deixando riscos e manchas no vidro, esta deterioração da borracha do para-brisas resulta em uma baixa visibilidade para o motorista.

Velas de ignição
  • Velas de ignição

De uma forma resumida, as velas de ignição criam uma faísca, que em contato com o combustível, gera uma explosão que empurra os pistões para baixo, fazendo assim o motor funcionar e o carro andar. Porém, as velas de ignição com o tempo apresentam dificuldades causadas por: temperaturas extremas, detritos externos e desgaste natural.

A manutenção deve ser feita entre 10 a 5 mil quilômetros rodados. Para confirmar o prazo da manutenção, basta verificar o manual do proprietário.

Freios
  • Freios

Não é necessário mencionar que o freio é um dos itens mais importantes do carro quando o assunto é segurança, visto que qualquer problema pode resultar em graves acidentes. A manutenção deve ser realizada a cada 10 mil quilômetros rodados.

Combustível de qualidade

Dica extra

A nossa dica extra está relacionada à qualidade da gasolina, alguns postos podem comercializar gasolina adulterada, que causam danos graves ao automóvel, especialmente para o motor.

Por essa razão, antes de abastecer, tome alguns cuidados para não cair neste golpe, o primeiro é desconfiar de preços bem abaixo do mercado, essa “promoção” pode mascarar o fato de a gasolina ter sido adulterada.

Bono Pneus

Não adie mais, venha para a Bono Pneus fazer a manutenção preventivo do seu veículo, possuímos mais de 25 anos de experiência no mercado automobilístico.

Qual a importância do óleo lubrificante para a vida útil do motor do seu carro?

O óleo lubrificante é muito importante para que o motor funcione corretamente, sendo responsável pelo rendimento e o consumo de combustível. Além disso, também garante o prolongamento da vida útil das peças.

Podemos observar que o óleo lubrificante está diretamente ligado com o bom desempenho do motor. Continue a leitura para saber o que você pode fazer para reduzir os impactos negativos e evitar os gastos desnecessários com a manutenção.

Para que serve o óleo lubrificante?

Como já foi mencionado, os óleos lubrificantes são essenciais para garantir o bom funcionamento do veículo, visto que possui o objetivo de lubrificar e permitir a mobilidade das peças internas, pois o atrito é evitado e a durabilidade das peças é preservada. Outra função é o controle da temperatura.

Agora que já entendemos a importância do óleo lubrificante, veja quais são os cuidados que os motoristas devem ter com o produto.

Utilize sempre um lubrificante adequado

Basicamente, existem três tipos de óleos lubrificantes para o carro, visto que cada veículo exige o uso de um modelo diferente.

Os três tipos de óleos são: Mineral, sintético e semissintético. Cada amostra oferece o desenvolvimento tecnológico e performance diferente. Resumidamente, o mineral atende os modelos de automóveis mais antigos, o sintético proporciona uma maior limpeza no motor, enquanto que o semissintético tem como foco a durabilidade e proteção.

Para saber qual é o óleo luvrificante ideal para o seu veículo, basta ler o manual do fabricante. A montadora define o óleo mais adequado para cada motor (facilitando o seu funcionamento).

Controlar frequentemente o nível de óleo

O motorista deve sempre manter o óleo no nível adequado, essa é uma das principais recomendações para prolongar o tempo de vida útil de um veículo.

Deste modo, é de extrema importância que o dono do automóvel confira o nível do óleo para evitar que surjam problemas no motor.

Trocar o filtro toda vez que trocar o óleo

Como o próprio nome já indica, a sua função é filtrar as impurezas que são carregadas pelo óleo durante a circulação pelo motor. Por este motivo, o filtro deve ser substituído toda vez que realizar a troca do óleo.

Com o tempo, o filtro vai perdendo a sua eficiência, isso ocorre por conta do alto armazenamento dessas impurezas. Resumidamente, o filtro deve ser trocado junto com o óleo, pois impede que os novos lubrificantes sejam contaminados pelas partículas que já foram filtradas.

Sempre respeite os intervalos entre as trocas de óleo

O manual do proprietário contém as principais informações sobre o uso correto do óleo lubrificante, dentre algumas dicas estão o melhor tipo de óleo e quais os intervalos entre as trocas.

Nível de óleo

Após compreender a importância e os cuidados necessários com o óleo lubrificante. Veja abaixo como verificar o nível do óleo:

  • Primeiro, para verificar o nível de óleo é necessário que o carro esteja estacionado em uma superfície plana (com o motor frio). É recomendado aguardar uns 10 minutos para fazer a verificação.
  • O próximo passo é localizar a vareta de medição, normalmente ela possui uma ponta vermelha, laranja ou amarela. Remova a vareta e limpe-a com um pano para analisar a consistência do óleo (essa ação deve ser feita de preferência com um pano branco).
  • Depois de limpar a vareta, coloca-a novamente no motor e puxe-a mais uma vez. Preste atenção no seu ponto, existe duas marcas nela, uma de nível máximo do óleo e outra de nível mínimo do óleo.
  • O nível de óleo deve ficar entre as duas linhas. Caso esteja abaixo da marca mínima seria necessário completá-lo e se estiver acima da marca máxima, será preciso drená-lo.

Quando fazer a troca de óleo?

Você deve estar se perguntado: quando fazer a troca de óleo? A resposta dessa pergunta é simples: vai depender das condições do uso do veículo.

Para explicar melhor é necessário falar que é preciso verificar com frequência o nível de óleo. Porém, a troca somente é necessária a cada 10 mil quilômetros rodados.

Algumas situações adversas podem contribuir para que o tempo de prazo seja diminuído, dentre alguns estão: trânsito intenso, superfícies irregulares e altas temperaturas. Nesta circunstância, o prazo cai para 5 mil ou 7 mil quilômetros.

Para sanar qualquer dúvida, o motorista deve consultar o Manual do Proprietário e checar a informação dada pela própria montadora para conferir qual é o prazo definido, podendo alternar entre o tempo e a quilometragem.

Carros que irão sair de linha em 2023

Para a tristeza dos amantes de automóveis, alguns modelos de carros irão sair de linha em 2023. Infelizmente, algumas linhas de carro que já fizeram sucessos, mas que precisam ser descontinuados.

Caso esteja procurando um novo automóvel, recomendamos que leia essa matéria para avaliar se está fazendo um bom negócio.

Por que os carros saem de linhas?

Primeiro, é importante explicar os principais motivos que fazem com que a montadora cancela a produção de um modelo ou inserem uma versão mais atual. Dentre as principais causas, podemos citar: Incompatibilidade com as novas tendências; Baixo volume de vendas; Falência da marca; Incapacidade do projeto em atender especificações exigidas por lei; Problemas decorrentes do projeto e da fabricação.Contudo, muitos modelos de carros deixam de serem fabricados por muito tempo, mas retomam com o fôlego renovado depois de um período.

Modelos de carros que saíram de linha recentemente

Antes de mencionamos quais são os veículos que irão sair do mercado no ano que vem, veja quais são as linhas que saíram de linha nos anos 2021 e 2022. Dentre os veículos está a linha Ford, os modelos interrompidos são: Ka, Ka Sedan e EcoSport.

Além disso, a Volkswagen também irá dar descontinuidade em um modelo de automóvel, a linha Up saiu do mercado.

Por não ter alcançado o sucesso desejado, a produção da linha Fox foi interrompida. Com o objetivo de substituir o Gol, infelizmente não alcançou os níveis satisfatórios.

O Honda Fit também saiu do mercado depois de 18 anos no setor automotivo. Ele é considerado uns dos modelos com maiores vendas e com o valor mais acessível. O Fiat Uno também irá dar adeus depois de 40 anos.

Conheça agora os carros que irão sair de linha em 2023

Como já foi mencionado, são inúmeros os fatores que fazem com que os carros saem do mercado. Veja abaixo a lista dos veículos que não entraram mais na linha de montagem em 2023:

Volkswage Gol

Volkswagen-Gol

O Volkswage Gol está presente no mercado por quase 30 anos. Porém, por causa dos altos custos de produção vai deixar de ser fabricado. O valor médio do veículo é de R$ 69.000, no entanto o preço elevado prejudicou as vendas e fez com que o público tirasse os “olhos no carro”, sendo antes considerado popular.

Volkswage Voyage

volkswagen-voyage

A mesma situação aconteceu com o Volkswagen Voyage. Os preços elevados fizeram com que ele também entrasse na lista dos carros que irão sair de linha.

Honda WR-V

honda-wr-v

O WR-V irá deixar de existir porque a Honda quer focar as atenções e os gastos para o novo queridinho da marca, a Suv New Tucson.

Hyndai ix35

Hyundai-ix35

O Hyndai ix35 vai sair de linha após as mudanças nas legislações de emissões e ruídos, oferecendo maior dificuldade de atualização.

Suzuki Vitara

suzuki-vitara

Apesar da Suzuki ainda não ter sido confirmado o fim da produção do modelo Vitara, tudo indica que ele pare de ser fabricado no Brasil. O motivo é por causa do fechamento das concessionárias e importações dos itens da marca.

Fiat Uno

fiat-uno

Por fim, o Fiat Uno também irá sair de linha, isso ocorre porque a cada geração, menos unidades estão sendo comercializadas. O modelo do veiculo está perdendo espaço para o Argo e Mobi, que por sua vez são os queridinhos do público.

Luzes do painel acesa? Veja o que elas significam!

As luzes do painel do seu carro acenderam e você não sabe o que fazer? Calma, não precisa se preocupar!

Os alertas foram criados para que o carro se comunique com o motorista (avisando sobre o seu estado). Pensando nisso, preparamos essa matéria sobre o significado das luzes do painel e o que fazer quando elas se acendem.

A principio é importante mencionar que as luzes têm a função de alertar o motorista sobre a estabilidade e a segurança do carro. Por esse motivo, o usuário deve interpretar esses sinais logo e reconhecer o que cada cor de alerta significa.

As luzes ficam localizadas na parte dianteiras do painel do carro e acendem de forma rápida quando você liga o motor. Logo depois de dar a partida, você deve verificar se alguma luz do painel do seu veículo continua acessa. Caso a resposta seja positiva, o segundo passo é identificar a cor da luz.

• Luz Vermelha

A luz vermelha é emergencial e indica perigo ou alerta. Quando este aviso se acende, o problema é grave e necessita de reparo imediato. Nesta situação, o motorista não deve mover o seu carro, visto que se o automóvel continuar funcionando pode causar um acidente ou levar a pane total.

• Luz amarela

A Luz amarela ou laranja indica uma falha moderada no carro, isso significa que nada impede de o automóvel continuar funcionando (mas com o tempo o problema irá se agravar). Neste caso, é recomendado você levar o veículo para a Bono Pneus mais próxima para verificar o que está de errado.

Luz • verde ou • azul

A luz verde ou azul serve apenas para indicar o acionamento de algum equipamento ou acessório. Ou seja, ela fica acessa enquanto o componente estiver funcionando. Principais avisos do carro

Como mencionado, se a luz amarela ou vermelha acender no seu carro é indicativo de que algo no seu veículo não está funcionando bem. Por isso, deve identificar o que cada símbolo significa para não ficar na mão. Veja abaixo, alguns dos avisos mais comuns e importantes do funcionamento do veículo:

Injeção Eletrônica

O símbolo da injeção eletrônica é amarelo e se acende no momento da partida, devendo apagar logo depois. Caso o símbolo continue iluminado ou ligar durante o uso, é sinal de mau funcionamento no sistema, que pode causar consumo excessivo de combustível ou dificultar as próximas partidas.

Bateria

A bateria possui o símbolo vermelho e caso permaneça acesa durante o seu trajeto, indica problema na própria bateria, no alternador ou em outro componente do sistema de recarga.

Freio

O sinal de freio se acende quando o freio de estacionamento (freio de mão, na maioria dos veículos leves) Está acionado quando há problemas no sistema de frenagem, como nível baixo do óleo ou pastilhas gastas. É um alerta vermelho, pois há um problema nesse sistema pode causar acidentes.

Temperatura do motor

O sinal vermelho significa que está ocorrendo um superaquecimento no motor. Problemas no sistema de arrefecimento, como nível de água, falha na ventoinha ou nos sensores são indicados por essa luz. O ideal é parar o carro imediatamente.

Pressão do óleo

O aviso da pressão do óleo do carro também é muito preocupante (por esse motivo também é vermelho). Indica falha na lubrificação do motor por problemas nas bombas, válvulas, vazamentos, nível baixo ou outros componentes danificados.

Combustível

A luz do combustível é amarela e somente é ativada quando o tanque de combustível está na reserva. O motorista não deve deixar que essa luz se acenda, sempre mantendo o tanque mais cheio possível. Essa medida evita que ocorra problemas na bomba e nos bicos injetores.

Câmbio Automático

A luz do câmbio automático indica defeito no sistema ou baixo nível no óleo do câmbio nos carros que exigem troca de fluido. Caso a luz se acenda, o motorista deve evitar andar com o veículo, pois pode levar a um defeito mais grave.Bono Pneus 

A luz do seu carro acendeu? Venha para a Bono Pneus para solucionar o problema o mais rápido possível. Aqui, você tem a segurança e experiência de profissionais altamente capacitados para melhor atender o seu carro. Possuímos mais de 25 anos de experiência em serviços automotivos.

Você sabe como cuidar dos limpadores de para brisas?

Em época de chuvas os limpadores de para-brisas se tornam os melhores aliados do motorista, uma vez que garantem visibilidade e segurança para todos na estrada. A sua principal função é remover o excesso de água e eliminar a gordura acumulada.Os limpadores de para-brisas são considerados itens de segurança, por esse motivo é muito importante que eles estejam em ordem. Pensando nisso, selecionamos algumas dicas de como cuidar dos limpadores de para-brisas. Continue a leitura!

Por que cuidar dos limpadores de para-brisas?

Como já foi mencionado, os limpadores de para-brisas garantem que o motorista tenha uma excelente visibilidade, evitando que ocorra acidentes. Deste modo, reforçamos que essas peças devem estar em ótimas condições.Em vista disso, o motorista pode levar uma multa caso os limpadores de para-brisas estejam defeituosos. De acordo com o artigo 230 do Código Nacional de Trânsito é considerado infração grave conduzir o veículo sem acionar os limpadores de para-brisas sob chuva. O que pode contabilizar 5 pontos na carteira.Além disso, a multa também é aplicada caso o reservatório de limpadores de para-brisas não tenha água (já que a sua função é higienizar o para-brisa).

Quando trocar os limpadores de para-brisas?

Um dos sinais que podem sinalizar que chegou a hora de trocar os limpadores de para-brisas é a falta de eficiência da peça. Se notar que a qualidade caiu e perceber que o vidro não ficou limpo. Chegou o momento de trocar.A palheta do limpador que é a peça de borracha que faz a limpeza deve ser trocada uma vez por ano. Porém, caso o seu uso seja mais frequente, haverá mais chance de deterioração e consequentemente irá aumentar a necessidade de troca.

Como cuidar dos limpadores de para-brisas?

Agora que você já conhece qual é a importância dos limpadores de para-brisas, separamos algumas dicas de cuidados diários que irá aumentar a sua vida útil, evitando que a troca seja feita antes do previsto. Veja a seguir:

  • Palhetas macias
  • Reponha o fluído do limpador
  • Nunca use querosene ou álcool
  • Não deixe parado por muito tempo
  • Observe o tempo de uso do limpador
  • Use produtos corretos

Caso as palhetas estejam fazendo barulho, use um pano úmido ou algum produto especializado (colocando em uma toalha ou papel). Porém, deve ter cuidado com as substâncias a base de petróleo, visto que podem desgastar o limpador. Dessa forma, não exagere na dose, caso contrário, vai perder os limpadores ao invés de deixá-los mais macios.Às vezes os limpadores de para-brisas fazem barulhos porque não estão úmidos o suficiente, por isso, verifique o nível de fluído para a limpeza dos limpadores de para-brisas e complete se necessário. Verifique a cada três meses ou quando sentir a necessidade.Nunca use querosene, álcool ou qualquer substância que tenha abrasiva para limpar as partes emborrachadas do limpador, uma vez que pode ressecar a borracha e prejudicar o seu funcionamento.O veículo parado por muito tempo no mesmo lugar faz com que a sujeira se acumule no vidro e é normal ligar os limpadores para retirar essa impureza. Esta atitude prejudica a borracha do limpador e risca o vidro do carro. Passe um pano úmido para retirar a sujeira antes de acionar os limpadores.A borracha do limpador acaba ficando desgastada e ressecada, fazendo com que perca a sua principal função (tirar excesso de água no para-brisa). Dependendo do desgaste, a palheta provoca arranhões no vidro.A melhor maneira de fazer a higienização dos limpadores de para-brisas é apenas com um pano com água. Caso tenha uma maior necessidade, é recomendado usar um detergente neutro.

Dicas para conservar os pneus

Os pneus são itens de extrema importância para o carro, visto que são eles os responsáveis pelo contato do carro com o solo. Deste modo, interferem diretamente na frenagem, estabilidade e segurança do veículo.Além disso, os pneus garantem a diminuição dos custos com o combustível, isso ocorre porque a resistência do rolamento é diminuída. Pensando nesses benefícios, separamos algumas atitudes diárias que ajudam a conservar os pneus. Continue a leitura!

  • Mantenha os pneus calibrados

A calibragem correta dos pneus é importante para a preservação da borracha, além de melhorar a dirigibilidade do carro. Lembre-se de calibrar os pneus com frequência, o recomendado é que seja feito uma vez por semana ou quando for fazer uma viagem. Você encontra a quantidade de libras que devem ser usadas nos pneus dianteiros e traseiros no manual do seu veículo. Importante mencionar que pneu com pouco ar pode tornar a direção mais pesada e fazer com que o veículo consuma mais combustível. Já o pneu com muita pressão pode causar desgaste excessivo na banda de rodagem. Deste modo, sempre mantenha os pneus calibrados na pressão correta, essa ação vai garantir a segurança e o prolongamento da vida útil das peças.

  • Faça rodizio de pneus

O rodizio de pneus possui o objetivo de compensar a diferença do desgaste dos itens. Essa atitude evita que você tenha pneus em diferentes condições nos dois eixos do seu carro, visto que o desgaste não é uniforme. É necessário fazer o rodizio porque os pneus dianteiros desgastam mais rápido. Para conservar os pneus é simples: basta mudar a posição dos pneus, ou seja, os pneus que estão na frente vão atrás e vice-versa. Importante: Sempre mantenha as colocações originais (direito na direita e esquerdo na esquerda).

Alinhamento de direção  

  • Faça o alinhamento e balanceamento

Alinhamento e balanceamento devem ser feitos a cada 10 mil quilômetros rodados, uma vez que a falta destes procedimentos diminui muito a vida útil dos pneus. Outras situações também pedem para que esse serviço seja feito, sendo eles:

  • Sentir vibrações no volante;
  • Troca ou conserto de pneu;
  • Pneus com desgastes irregulares;
  • Quando o veículo estiver “puxando” para um lado

4- Sempre utilize o pneu indicado pela montadora

O carro é projetado para que algumas peças se adequem perfeitamente para ele, isso também vale para os pneus. Resumidamente, se você comprou um automóvel com um tipo e marca de pneu, pode ter certeza que é o modelo mais eficiente para o seu veículo.É comum que as pessoas considerem as medidas dos pneus na hora de trocar a borracha, mas se esquecem de optar pela mesma marca. A marca indicada pelo fabricante terá mais custo-benefício em longo prazo.

Evite Sobrecarga

5- Evite Sobrecarga

O excesso de carga pode comprometer a estrutura interna do pneu e agravar o seu desgaste. Ultrapassar o peso permitido do veículo apresenta riscos na estrutura dos pneus, reduzindo a sua vida útil.

6- Não faça freadas bruscas

O ato de frear o veículo em movimento exige um atrito muito grande entre o pneu e o solo. A freada mais fraca possível contribui para o desgaste do pneu. Porém, quanto mais forte ela for, maior será o dano provocado no pneu. Melhor dizendo: evite frear de forma brusca.

7- Fique atento aos desgastes irregulares

Você percebeu que uma parte do pneu está ficando mais desgastada que a outra? Fique atento, isso é indício que a sua vida útil está acabando. Ou seja, chegou o momento de comprar pneus novos.

Quando fazer a limpeza do sistema de injeção?

Como o próprio nome já sugere, a limpeza do sistema de injeção possui o objetivo de eliminar todos os resíduos no motor. Essa impureza é o resultado da má qualidade do combustível (adulterado ou contaminado).Apesar deste serviço ser essencial para aumentar o desempenho do carro, muitos condutores possuem dúvidas sobre quando fazer a limpeza do sistema de injeção, visto que é comum “empurrar” esse procedimento quando o veículo está funcionando perfeitamente.Você tem perguntas sobre quando realizar esta higienização? Não precisa se preocupar. Continue a leitura e saiba tudo sobre a limpeza do sistema de injeção.

Por que fazer a limpeza do sistema de injeção?

A limpeza do sistema de injeção possui uma série de benefícios, dentre alguns estão: recuperação da potência do carro, aumento da vida útil das peças do motor, redução no consumo do combustível e diminuição na emissão de poluentes.Caso você esteja se perguntando: O que causa a poluição no motor? A resposta para essa dúvida é simples. Quando o combustível colocado no automóvel não é de boa qualidade, ele deixa resíduo no motor (conhecido também como “borra”) fazendo com que a injeção de combustível seja alterada.

Quando fazer a limpeza do sistema de injeção?

Quando fazer a limpeza do sistema de injeção?

É importante mencionar que a limpeza do sistema de injeção somente deve ser feita quando o carro demostra que está com algum problema. Ou seja, não é recomendado fazer a higienização de forma constante (sem necessidade), essa atitude prejudica o sistema. A manutenção somente deve ser realizada quando existir um grande acúmulo de sujeira.O carro dá alguns sinais que chegou o momento de fazer a limpeza do sistema de injeção. Sendo os mais comuns:

  • Dificuldade na partida;
  • Falhas na aceleração;
  • Perda de potência;
  • Erro ao colocar no ponto morto;
  • Aumento no consumo de combustível.

A troca do filtro de gasolina de acordo com a indicação do fabricante é importante para que a sujeira não chegue nos bicos injetores. Lembrando que o filtro deve ser substituído a cada 10 mil quilômetros rodados.

A detecção de impureza é realizada por aparelhos e testes específicos, porém o aviso de contaminação pode ser feito por um aviso no painel do carro (um símbolo de injeção acesa). O problema é facilmente evitado com algumas atitudes simples. Veja abaixo:

  • Trocar o filtro de combustível dentro do prazo definido;
  • Abastecer em lugares confiáveis;
  • Optar pelo uso de combustível aditivado (álcool ou gasolina), visto que essas substâncias promovem a remoção de resíduos do sistema de injeção.

Como é feita a limpeza do sistema de injeção?

Existem duas formas de realizar a limpeza: na máquina de limpeza de bicos através de um ultrassom ou a aplicação de um produto específico.Na limpeza realizada por ultrassom é feita a remoção da caixa do filtro de ar, mangueira e chicotes. Após todos esses procedimentos, as válvulas injetoras também são retiradas da flauta do carro e são colocadas na flauta da máquina da limpeza.Depois é colocada a solução de limpeza na máquina através do ultrassom. Ele faz com que as partículas contidas nas válvulas se soltem por conta da alta frequência das vibrações do aparelho. Por último, as válvulas são novamente colocadas na flauta do carro.Já a limpeza do sistema de injeção é mais simples. O produto é aplicado na flauta do veículo e em seguida o motor do carro é ligado, essa solução faz com que a goma que se encontra no bico injetor seja diluída.

Por que fazer rodízio de pneus?

O rodizio de pneus é uma técnica que visa proporcionar o desgaste uniforme dos componentes, garantindo que a sua vida útil seja prolongada e auxilia na segurança e economia do motorista.Apesar de ter todos esses benefícios, o rodizio de pneus é um assunto polêmico na atualidade, visto que antigamente essa ação era inquestionável, porém hoje em dia muitas pessoas possuem dúvidas se este procedimento ainda é necessário.Nesta matéria, você irá saber mais sobre o rodizio de pneus, desde a sua vantagem, importância e de como deve fazê-lo. Continue a leitura!

Vantagens do rodízio de pneus

Como já foi mencionado, o rodizio de pneus é uma prática que aumenta a vida útil das peças, visto que ao decorrer do tempo os pneus apresentam diferentes níveis de esforços e acabam se desgastando de forma desigual. Como consequência, o carro perde a estabilidade e a segurança.Quando o motorista evita o rodizio de pneus por muito tempo, o conforto e o desempenho do carro são comprometidos. No momento em que a troca é feita, é possível notar uma melhora no manuseio do veículo e a diminuição de vibração e ruído no volante.Outro benefício é a economia no combustível, isso ocorre porque o desgaste igualitário dos pneus diminui a carga que cada peça precisa suportar, fazendo com que o atrito e o esforço sejam reduzidos. Ou seja, com menos força, o seu veículo não precisa aumentar o consumo do combustível.

Rodizio de pneus convencionais

Hoje em dia a maioria dos carros possuem tração traseira (força matriz que está localizada na parte traseira do veículo, visto que são mais compactos). Com isso, os pneus tendem a seguir um padrão no desgaste.Os pneus dianteiros devem ter as suas posições trocadas com os pneus traseiros. Porém, não pode alterar os lados. Isso significa que:– Pneu dianteiro direito deve ser trocado com o pneu traseiro direto;– Pneu dianteiro esquerdo deve ser trocado com o pneu traseiro esquerdo.

Rodizio de Pneus Unidirecionais

Os pneus unidirecionais possuem a banda de rodagem (parte que toca o solo) projetada com um certo “desenho” e somente funciona em um único sentido. É importante mencionar que a montagem na posição errada causa uma série de malefícios, sendo eles: diminuição na eficiência, aumento no desgaste e dificuldade no escoamento da água.Porém, é possível fazer o rodizio de pneus nestes modelos. O processo é diferente do molde convencional. Para isso, é necessário trocar as rodas dianteiras com as traseiras, contudo, deve sempre respeitar as setas (elas são impressas nas laterais) que indicam os sentidos.

Rodizio em Pneus assimétricos

Este pneu é bastante parecido com o modelo unidirecional, a diferença está na rodagem que apresenta um “desenho” especial. A parte que fica para dentro (virada para a carroceria do carro) é diferente da outra metade.Apesar das limitações, também é possível fazer o rodízio, para isso é necessário respeitar as indicações no “exterior” e “interior” que são impressas nas laterais dos pneus.

Por que fazer rodízio de pneus

Quando fazer o rodizio de pneus?

O motorista pode verificar no manual do proprietário da marca e modelo o período que o rodízio de pneus deve ser feito. Normalmente, o tempo médio é entre 5 a 10 mil quilômetros percorridos.Além de visualizar a quilometragem percorrida, existe outra maneira de identificar que chegou a hora de fazer o rodízio de pneus: Verificação visual.Para isso, compare atentamente o desgaste entre os pneus dianteiros e os traseiros (importante: não se esqueça de olhar as laterais das peças).

Riscos de desgaste dos pneus?

Você deve estar se perguntando: Quais são os riscos de andar com os pneus dianteiros e traseiros com o desgaste desigual? Existem duas respostas para esta dúvida.Quando o desgaste é pequeno, o risco é basicamente inexistente. Ou seja, não tem problema em andar com o carro nesta situação.Pneu com desgaste maior pode causar desequilíbrio e ter a sua condução mais complicada. Outro problema é no orçamento, uma vez que a deterioração exige que seja feito a troca.

Por que fazer rodízio de pneus

 Bono Pneus Para realizar o rodizio de pneus é recomendado contar com profissionais qualificados, visto que para melhorar o desempenho é necessário fazer outros procedimentos, como o alinhamento e balanceamento. Além disso, é comum que alguns modelos esportivos possuem tamanhos diferentes para os eixos dianteiros e traseiros, como consequência o rodizio fica impossibilitado.

Entenda a diferença entre alinhamento e balanceamento

Você está dirigindo e está sentindo o seu veículo “puxar” para um lado? Isto significa que chegou o momento de fazer o alinhamento e balanceamento. Esses procedimentos são muito importantes para manter a dirigibilidade do carro.Entretanto, muitos motoristas não sabem a diferença entre o alinhamento e balanceamento.Continue a leitura para saber mais.

Alinhamento de direção

O que é alinhamento?

Como o próprio nome já sugere, o alinhamento serve para alinhar as rodas, mantendo-as retas em direção ao solo e paralelas entre si. Este serviço é fundamental para manter a dirigibilidade do carro e a segurança na estrada.Além disso, o alinhamento retarda o desgaste irregular dos pneus, garantindo a vida útil das peças. Outro benefício é a economia do combustível, visto que a roda fica mais tempo em contato com o solo.O alinhamento deve ser feito quando o carro indica alguns sinais, sendo eles:

  • Carro “puxando” para um lado;
  • Sair com facilidade de uma linha reta em uma superfície plana;
  • Volante fica desalinhado quando está dirigido em uma via reta;
  • Volante não retorna facilmente após uma curva;
  • Desgaste irregular dos pneus.

O que é balanceamento?

De forma simplificada, o balanceamento permite que os pneus girem sem provocar vibrações. Este procedimento é importante para equilibrar o conjunto de pneus e rodas do veículo, consequentemente o motorista terá mais conforto durante o seu trajeto.

A falta de balanceamento no veículo provoca alguns aspectos que podem ser notados ao conduzir o carro. Sendo eles:

  • Volante vibrando ao atingir uma determinada velocidade;
  • Banco ou piso vibrando;
  • Barulhos ao alcançar uma certa velocidade.

Qual a diferença entre balanceamento e alinhamento?

A diferença entre os dois serviços é que o alinhamento é feito para ajustar os ângulos dos pneus do carro, enquanto que o balanceamento é responsável pela manutenção das rodas, fazendo com que os pneus girem sem qualquer tipo de vibração.

É muito importante que o condutor não esqueça de fazer essas manutenções quando necessário, visto que possuem finalidades diferentes.

Quando fazer o alinhamento e o balanceamento?

Os fabricantes de automóveis recomendam fazer a verificação do alinhamento e o balanceamento a cada 10 mil quilômetros rodados. Porém, se o carro apresenta alguns sinais que já foram mencionados no texto, chegou a hora de fazer esses serviços.Além disso, o ideal é sempre checar a situação do veículo quando ocorre batida em obstáculos, ter passado sobre buracos ou trafegar em locais de difícil acesso (áreas com muita lama, pedregulhos, etc…).

O alinhamento e balanceamento deve ser feito juntos?

Muitos motoristas possuem o mesmo questionamento: Sempre que fazer o alinhamento, as rodas necessariamente precisam ser balanceadas? A resposta para essa pergunta é não.O alinhamento é um serviço que deve ser feito periodicamente, enquanto que o balanceamento só quando apresenta uma manifestação no volante ou de todo o carro trepidando.

Quais os riscos de não fazer o alinhamento e o balanceamento?

O carro que não está com o alinhamento e balanceamento em dia, precisa fazer mais força para entregar um bom desempenho. Consequentemente, isso faz com que as peças geram mais esforço, fazendo com que tenham desgaste. Além disso, o combustível é consumido com maior agilidade.Podemos concluir que levar o seu carro para a manutenção está poupando futuros prejuízos, evitando que tenha gastos desnecessários/elevados e garantindo a segurança na estrada.

Qual a diferença entre oficina de automóveis e centro automotivo?

Quando o seu carro quebra ou necessita fazer a manutenção preventiva, você leva para uma oficina de automóveis ou centro automotivo? Muitas pessoas acreditam que esses lugares oferecem os mesmos serviços, mas não é bem assim.Para esclarecer essa dúvida de uma vez por todas, preparamos esta matéria para que você saiba diferenciar uma oficina de um auto center.

O que é uma oficina mecânica?

A oficina mecânica é utilizada para fazer pequenos reparos no automóvel, evitando que tenha problemas futuros ou incidentes na estrada. Os serviços mecânicos realizados são:

  • Trocas de peças;
  • Troca de óleo e filtros;
  • Regulagem de freios;
  • Ajustes Pontuais;
  • Testes.

O que é um centro automotivo?

O auto center é especializado na prevenção e detecção de problemas no veículo, deste modo, este local tem como vantagem a agilidade para reparos de baixa complexidade. Outro benefício é a atenção com equipamentos modernos e profissionais capacitados. Os serviços oferecidos são:

  • Alinhamento;
  • Balanceamento;
  • Venda de pneus;
  • Troca de óleo e filtros;
  • Baterias;
  • Limpeza do sistema de injeção;
  • Limpeza do sistema de ar condicionado e ventilação;
  • Freios;
  • Suspensão e Amortecedor;
  • Revisão de segurança.

Oficina e centro Automotivo: Qual é o melhor?

Ainda está com dúvidas sobre aonde levar o seu veículo? Calma, não precisa se preocupar, iremos te ajudar nesta questão.Na verdade, a escolha deve ser feita de acordo com a sua necessidade. O seu veículo precisa de um simples reparo ou exige um cuidado mais especializado?Caso seja a segunda opção, aconselhamos que o escolhido seja o centro automotivo, visto que possui uma infraestrutura mais ampla e completa. Além de oferecer um quadro de profissionais mais qualificados e treinados.

Previna-se

APRENDA AGORA A NÃO CAIR EM GOLPE NA INTERNET

Comprar pela internet é uma prática que tem se tornado cada vez mais comum, visto que não exige tempo e deslocamento para que a compra seja realizada. Contudo, é necessário ficar atento para as fraudes que são aplicadas. Preparamos esta matéria para você aprender a não cair em golpe de sites falsos.

Os criminosos utilizam-se do nome de grandes empresas e criam páginas com layout e endereço parecidos com o domínio das lojas originais. Deste modo, é fundamental observar com bastante atenção o endereço do site antes de realizar qualquer compra virtual.

Além de examinar se o endereço eletrônico possui o nome ou final diferente da empresa conhecida, também desconfie de preços muito abaixo do praticado no mercado. Esse golpe tem atraído muita atenção por conta dos valores acessíveis.

Verifique se o site possui os canais de atendimento aos clientes, para que possa ser encaminhada dúvidas ou reclamações. Alertamos que esse fato isolado não pode ser identificado como garantia. Por isso, sempre envie perguntas por um canal de comunicação (WhatsApp, redes sociais, e-mail ou telefone) e observe se há uma resposta.

Outro fator importante é o tempo de resposta e o conteúdo nas mídias digitais. Após obter o retorno da mensagem, indicamos que faça uma ligação para a loja afim de garantir a veracidade das informações.

Separamos uma lista dos cuidados necessários para evitar cair em golpes no ambiente virtual. Veja abaixo:

  • Não forneça dados, senhas ou códigos;
  • Sempre desconfie de valores não compatíveis com o mercado;
  • Não confie ou compartilhe links e informações dos quais não tenha certeza da origem;
  • Nunca preencha formulários que não estejam nos sites oficiais;
  • Preste bastante atenção na ortografia e domínio do site. Muitos endereços eletrônicos fraudulentos possui o domínio parecido com o site oficial, mas com outras extensões com: .com ou .net
  • Baixe aplicativo apenas nas lojas oficiais;
  • Instale e utiliza antivírus no computador, tablet e smartphone;
  • Suspeite de sites quem não possuem a opção de gerar o boleto;
  • Caso tenha dúvidas ao realizar a compra, procure um amigo ou familiar que possa ajudar.

Exemplos:

Separamos alguns exemplos de sites falsos com os domínios eletrônicos semelhantes aos sites verdadeiros. Veja abaixo:

Americana:

www.americana.com.br (site verdadeiro)

www.lojasamercanas.com.br (site falso)

Repare que no domínio falso foi acrescentando a palavra loja e o nome da marca está incorreto.

Magazine Luiza

www.magazineluiza.com.br (site verdadeiro)

www.suamagazineluiza.com (site falso)

Neste caso, no endereço fraudulento foi adicionado a palavra “sua” e termina com a extensão (.com).

Bono Pneus

www.bonopneus.com.br (site verdadeiro)

www.bonopneu.com (site falso)

Percebe-se que no endereço eletrônico do site falso está escrito “pneu” sendo que o correto é “pneus”. Além disso, o link finaliza com a extensão (.com) e não com o (.com.br).

O domínio oficial da Bono Pneus é o www.bonopneus.com.br
O domínio oficial da Bono Pneus é o www.bonopneus.com.br

Comprei em um site falso. E agora?

 Caso tenha sido uma vítima e tenha realizado uma compra em um domínio falso. Listamos o que você pode fazer. 

  • Veja se o site está ativo, se a resposta for positiva copie a URL;
  • Faça um print da página e dos produtos anunciados;
  • Copia o boleto ou dados bancários utilizados para realizar o pagamento da mercadoria;
  • Depois de juntar todas as informações, procure a Delegacia de Polícia mais próxima ou faça o boletim de ocorrência através do site da Delegacia Eletrônica (https://www.delegaciaeletronica.policiacivil.sp.gov.br/ssp-de-cidadao/home).

Atenção! A Bono Pneus não realiza vendas On-line.

Informamos aos nossos clientes que não trabalhamos com e-commerce. Caso tenha se deparado com o site que utiliza o nome ou logomarca parecida com a nossa, alertamos que se trata de um golpe e afirmamos que não deve ser feito a compra.  
Fonte: https://www.procon.sp.gov.br/site-de-compras-falso/https://www.metroworldnews.com.br/foco/2021/09/06/sites-de-comercio-eletronico-falsos-saiba-quais-sao-os-cuidados-para-evitar-cair-nos-golpes.html

Preta? Branca? Prata? Descubra qual a cor de carro preferida dos brasileiros

Um estudo feito em 2021 revelou as cores favoritas de carros dos brasileiros. Veja agora o resultado!

 Em geral, o brasileiro é apaixonado por carro e também muito detalhista na hora de escolher o seu veículo. Cada característica importa, desde o modelo até a cor. Segundo o 68º Relatório de Popularidade Global de Cores Automotivas, a maioria dos carros vendidos ano passado eram brancos, pretos ou cinzas.Um outro estudo realizado pela Axalta, líder global no fornecimento de revestimentos líquidos e em pó, reafirmou que há uma cor muito queridinha entre os motoristas do Brasil. Você sabe qual é? Os modelos na cor branca levaram a preferência mundial, com 38% do total. Na vice-liderança ficou o preto, com 19%.No entanto, em pesquisa feita pela Webmotors Autoinsights, o topo do pódio ficou invertido: o preto levou a melhor, seguido pelo branco. Em comum, ambos levantamentos colocaram o prata em terceiro lugar. Por fim, completam a lista de favoritos dos brasileiros o cinza e o vermelho – para a Axalta, a tendência nos próximos anos será de verde-azulado e verde-amarelado.De modo geral, o ranking de cores preferidas pelos brasileiros em 2021 ficou assim:1º Preta 2º Branca 3º Prata 4º Cinza 5º Vermelha 

 E aí, qual é a cor do seu carro? Revela aqui pra gente!O que podemos esperar de 2022? Em alguns meses saberemos se essa lista terá atualizações.

De olho no crescimento: Bono Pneus inaugura mais uma loja, agora em Itu/SP

Cada nova inauguração comprova que crescimento é a nossa marca! A cidade de Itu pode comemorar a chegada da Bono Pneus, uma das maiores redes de franquias multimarcas de pneus e serviços undercar.  A nova unidade oferece à cidade e região a opção que faltava em serviços e manutenção para carros.O projeto de inauguração de lojas da Bono Pneus contribui, e muito, para o desenvolvimento social e econômico do Brasil, levando oportunidades de emprego, crescimento e geração de renda através dos seus colaboradores, clientes e fornecedores. Essa é a nossa missão!Localizada na Avenida Dr. Ermelindo Maffei, 539, no bairro São Luiz, a loja possui amplo espaço para receber seus clientes com conforto, segurança e praticidade, além de garantir serviços e manutenção para moradores e todas as pessoas que trafegam pelo local.A abertura da nova unidade comprova o sucesso da marca e sua força no setor automotivo brasileiro, atuando em 12 estados. Em potencial crescimento, a Rede Bono Pneus quer expandir os negócios para os demais estados do País, tendo pela frente 14 áreas para explorar, além de manter-se forte em regiões onde já possui unidades de sucesso.Até 2022 a Bono Pneus pretende alcançar a marca de 100 franquias no Brasil. Atualmente mais de 60 integram a rede de franquias.

Sobre a Bono A rede Bono Pneus possui mais de 25 anos de experiência em serviços automotivos, oferecendo aos seus clientes um suporte técnico qualificado e um centro automotivo completo e multimarcas de pneus. Nas lojas Bono o cliente encontra tudo que o carro necessita em produtos e serviços undercar, e com a facilidade de ter tudo em um único local.

Focada em expansão, Bono Pneus inaugura loja na Orosimbo Maia

A Bono Pneus, uma das maiores redes de franquias multimarcas de pneus e serviços undercar, acaba de inaugurar mais uma loja na cidade de Campinas, na renomada Avenida Orosimbo Maia, reforçando a estratégia de expansão nacional e oferecendo pontos acessíveis aos clientes.Localizada na esquina com a Avenida Francisco Glicério, mais precisamente na região central, a loja possui amplo espaço para receber seus clientes com conforto, segurança e praticidade, além de garantir serviços e manutenção para moradores e todas as pessoas que trafegam pelo local.A abertura da nova unidade comprova o sucesso da marca e sua força no setor automotivo brasileiro, atuando em 12 estados. Em potencial crescimento, a Rede Bono Pneus quer expandir os negócios para os demais estados do País, tendo pela frente 14 áreas para explorar, além de manter-se forte em regiões onde já possui unidades de sucesso.Até 2022 a Bono Pneus pretende alcançar a marca de 100 franquias no Brasil. Atualmente mais de 60 integram a rede de franquias. A Bono Pneus Orosimbo Maia está localizada na Avenida Orosimbo Maia, 226, no Centro. 

Sobre a Bono A rede Bono Pneus possui mais de 25 anos de experiência em serviços automotivos, oferecendo aos seus clientes um suporte técnico qualificado e um centro automotivo completo e multimarcas de pneus. Nas lojas Bono o cliente encontra tudo que o carro necessita em produtos e serviços undercar, e com a facilidade de ter tudo em um único local.

Bono Pneus inaugura loja no Parque D. Pedro Shopping

A Bono Pneus, uma das maiores redes franquias multimarcas de pneus, acaba de inaugurar mais uma loja na cidade de Campinas, no Parque D. Pedro Shopping, visando oferecer um ponto acessível aos clientes.Localizada na área externa do Shopping D. Pedro, mais precisamente na região das Colinas, em frente ao Centro de Convenções, a ampla loja oferece conforto, segurança e praticidade aos clientes da região e aos usuários do shopping que necessitam de serviços e manutenção para o carro.A abertura da nova unidade comprova o sucesso da marca e sua força no setor automotivo brasileiro, atuando em 12 estados.  Em potencial crescimento, a Rede Bono Pneus quer expandir os negócios para os demais estados do País, tendo pela frente 14 áreas para explorar, além de manter-se forte em regiões onde já possui unidades renomadas.Até 2022 a Bono Pneus pretende alcançar a marca de 100 franquias no Brasil. Atualmente mais de 60 integram a rede de franqueados. O Parque D. Pedro Shopping está situado na Avenida Guilherme Campos, 500, no bairro Jardim Santa Genebra. 

Sobre a Bono

A rede Bono Pneus possui mais de 25 anos de experiência em serviços automotivos, oferecendo aos seus clientes um suporte técnico qualificado e um centro automotivo completo e multimarcas de pneus. Nas lojas Bono o cliente encontra tudo que o carro necessita em produtos e serviços undercar, e com a facilidade de ter tudo em um único local.

Vazamento no radiador. Entenda os possíveis motivos

Você acabou de completar o reservatório com aditivo, rodou pouco com o carro e o nível já está baixo novamente? Esse é um dos maiores perigos para o seu motor, já que o reservatório de água é responsável por controlar a temperatura e evitar o superaquecimento. Quer entender o porquê isso acontece? Continue a leitura que vamos te explicar.

 Antes de tudo, é importante verificar se há um vazamento de água no carro. Faça isso com a ajuda de especialistas. Em alguns casos, é necessário um reparo simples: trocas de mangueiras, juntas ou vedações, que não costumam custar caro. Mas cuidado! Manter e rodar com o nível de água abaixo do recomendado pode causar um prejuízo enorme, como fundir o motor – o mais temido pelos motoristas.É indispensável a investigação do sumiço da água repentinamente. Temos algumas dicas e observações que você mesmo pode fazer. Fique de olho no ponteiro da temperatura que indica quando algo não vai bem nesse sistema. A opinião de um especialista faz toda a diferença, por isso aqui na Bono fazemos uma avaliação detalhada com ferramentas precisas para obter o diagnóstico completo.Atente-se também a outros pontos, como: inchaço da mangueira de entrada no radiador, causado quando a válvula termostática não funciona de forma correta, ou seja, não abre e a água não passa do motor para resfriamento no radiador. Isso eleva a temperatura dentro do motor, vaporiza e aumenta a pressão no sistema.Se a ventoinha não está funcionando bem ou a bomba d’água está com dificuldade para circular entre o motor e o radiador, é hora de levar o seu carro na Bono Pneus mais próxima. Verifique possíveis problemas no cabeçote, como trincas, queima da junta ou empenamento. Eles também podem superaquecer o sistema. 

Como funciona o sistema de arrefecimento do carro?

 Antes de finalizar, você sabe como funciona o sistema de arrefecimento de um carro? Para a explicação ficar mais fácil e visual, digamos que ele é parecido com uma panela de pressão. Ao cozinhar, a temperatura da panela irá ultrapassar o limite de funcionamento, gerando pressão e vapor, que precisam sair por algum lugar. Na panela, há o bico na tampa que faz esse trabalho.Nos carros, a válvula com essa função é a tampa, geralmente amarela, localizada no reservatório onde vai o líquido. Basta notar como está a sua para perceber que ela está ali para aliviar a pressão. No entanto, o seu mau funcionamento e/ou qualquer problema capaz de impedir essa vazão causam o superaquecimento do motor, tendo como consequência o “sumiço” do líquido por evaporação.Para finalizar, uma última dica: complete sempre com aditivo – líquido com água destilada com um detergente químico que impede o enferrujamento de várias partes do motor. Evite ao máximo colocar apenas água no reservatório, pois há o risco de que sal, cloro e outros minerais penetrem nas partes do motor, comprometendo o funcionamento do mesmo. De preferência, tenha sempre por perto uma garrafa reserva de aditivo em caso de emergência. Não fique esperando! Procure pela Bono Pneus mais próxima de você e faça as manutenções necessárias.

Carros e personalidades: qual modelo combina mais com você?

O seu estilo de vida pode influenciar muito na hora de escolher o modelo do seu carro; gosto pessoal também tem peso importante para a decisão

 Escolher um carro que vai te acompanhar por diversos caminhos e quilômetros rodados não é uma tarefa simples. Mas com pesquisa e paciência é possível encontrar o modelo dos sonhos e aquele que será útil no dia a dia para você e sua família.Primeiro, é preciso levar em consideração questões como: quantas pessoas utilizarão o veículo, locomoção até o trabalho, viagens e passeios, animais de estimação a bordo… pense em perguntas e respostas que te auxiliem na hora de bater o martelo, além de questões técnicas e financeiras.Entre os modelos mais comuns estão o hatch, sedan e SUV. Cada um possui particularidades e designers que vão do compacto ao mais espaçoso, econômicos e gastões, de esportivos a luxuosos. Continue a leitura e veja mais detalhes de cada categoria. 

SUV

Para quem gosta de espaço e durabilidade, o SUV é o carro ideal para ir ao trabalho, passeios e atividades do dia a dia. Ótimo para quem tem família grande e filhos e para os aventureiros que caem na estrada em viagens curtas ou longas.

HATCH

Assim como o SUV, os carros hatch também possuem durabilidade, mas espaço reduzido. Com ótimo custo-benefício, os modelos da linha hatch têm ganhado cada vez mais as ruas e o coração dos motoristas. Isso porque ele consome menos combustível, tem um bom preço, manutenções e seguro baratos e tamanho ideal para quem mora sozinho e/ou não tem filhos. São menores, mas chamam a atenção por onde passam!

SEDAN

Por fim, trazemos o sedan. Elegante e moderno, os carros com design sedan têm uma pegada bem executiva. São espaçosos e com direção confortável, além de atrair olhares pela esportividade. Alguns modelos contam com maior aceleração e velocidade máxima, o que deixa a direção mais confortável e com a possibilidade de diminuir o tempo de deslocamento.

 E agora queremos saber: qual o seu modelo favorito? Conta aí pra gente!

Multas no trânsito: hábitos comuns que te colocam em risco e você não sabe

Veja se você pratica algum deles no dia a dia e evite futuras infrações

 No domingo, 25 de julho, comemoramos o Dia do Motorista. Além de comemorar, é preciso pensar também na importância de uma boa conduta ao dirigir, sempre com segurança e com atenção aos cuidados no trânsito. Você sabia que, comer ou beber enquanto dirige, pode gerar multa? Pois é! O motorista deve permanecer com as duas mãos no volante.E se tem uma correspondência que ninguém quer receber, com certeza, é a do departamento de trânsito notificando infrações no trânsito. Muitos são os motivos das multas conhecidos pelos motoristas, como exceder o limite de velocidade, deixar de manter acesa a luz baixa nas rodovias durante o dia, entre outras.Mas você sabe todas as atitudes no trânsito que te colocam em risco e acarretam em penalização? Continue lendo que separamos uma lista para você descobrir. 

Infrações são consideradas médias e graves pelo CTB

 Fumar ao volante é um vício que muitos brasileiros têm. Não é um ato específico passível de multa, pois não consta no Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Em contra partida, a multa com gravidade média pode se encaixar no comportamento citado no começo do texto, sendo obrigatório manter as duas mãos no volante, exceto ao dar seta, mudar de marcha e acionar equipamentos do veículo.Outra infração de trânsito com gravidade média e multa de R$130,16 prevista no CTB é jogar lixo pela janela. Uma atitude feia que muitos ainda insistem em repetir, demonstrando completa falta de educação, respeito e mau exemplo.Sabe aquele amigo ou parente que pega carona com você e não gosta de usar o cinto de segurança? Quando você for multado, mande a conta para ele pagar. Afinal, passageiro que não usa o equipamento de segurança é motivo de canetada no prontuário, multa grave de R$195,23 e cinco pontos. O mesmo serve para condutores que também se recusam a usar o cinto.Estacionar em esquina e em cima da calçada estão entre outros exemplos de multa que nem todos os motoristas sabem. A calçada é uma via segura para pedestres, e estacionar em cima dessa passagem é considerada uma infração grave com multa no valor de R$195,23, cinco pontos na carteira e remoção do veículo.Já a multa para quem estaciona em esquina é menor, com valor de R$130,16 e quatro pontos na CNH, sendo infração média. E aí, você sabia de todas essas atitudes que podem ocasionar multa no trânsito? Fique atento e valorize a sua segurança e a dos demais condutores e pedestres.

Lançamentos 2022: confira previsão dos carros que chegam no Brasil

SUVs dominam a lista que conta também com muitos modelos reestilizados

 A vida ainda não voltou ao normal, isso é fato. Já os lançamentos devem seguir normalmente no segundo semestre de 2021. Até dezembro, a estimativa é que o Brasil receba mais de 15 novos modelos de carros. Os SUVs dominam a lista, mas a promessa é também de muitas reestilizações, motores turbos, novas gerações de sedãs e hatches conhecidos, produtos inéditos, esportivos e eletrificados.Se por um lado a indústria automobilística sobrevive em meio a crise com um bom número de emplacamentos, por outro lado enfrenta dificuldades como a falta de matérias-primas e aumento nos custos, como energia elétrica, causando atraso nas entregas e no país. O impacto é maior na produção que sofre com filas de espera e aumento descabido nos preços dos veículos.Mas os novos modelos prometem e devem chegar entre o final de 2021 e começo de 2022. Não é uma lista definitiva, porém não custa dar uma olhadinha e, quem sabe, fazer planos para trocar de carro, não é mesmo?! Entre os lançamentos no Brasil no segundo semestre destacamos três deles. 

Confira três destaques entre as novidades para 2022

Fiat Strada

Em primeiro lugar, trazemos a nova Fiat Strada, que terá a inédita configuração 1.3 automática e deve chegar entre julho e agosto. Essa nova versão terá duas opções: Freedom e Volcano Cabine Dupla, além de uma nova variante de topo chamada Ranch. O modelo 2022 também ganhará uma nova versão de entrada, a Working, cabine plus e 1.4 fire flex. Carro modesto em equipamentos, voltado para o trabalho e com capacidade de carga oficial de 770kg. O uso do câmbio automático do tipo CVT na linha Strada é outra novidade da marca italiana.

Honda City Sedã

Assim como a Fiat Strada, o novo Honda City vem cheio de novidades. Sem dúvidas, é uma nova fase da marca japonesa em solo brasileiro. A nova versão terá um motor 1.5 aspirado flex com injeção direta e potência entre 130 e 150 cv, aliado a câmbio manual ou CVT. O modelo, que faz parte da terceira geração do sedã da Honda, já foi lançado na Tailândia. Agora, será produzido no Brasil e sua chegada é prevista para outubro.O carro ficou ainda maior no comprimento em relação ao anterior, com 11 cm a mais (4,55 metros) e 5,3 cm na largura (1,75 m). A altura também mudou, diminuindo 2,8 cm, ficando com 1,47 m. No capô está a maior (e melhor) novidade: o novo motor três-cilindros 1.0 turbo flex, que também será feito aqui, vai atuar com um câmbio CVT com sete marchas simuladas. E aí, curtiu?

Chevrolet S10 Z71

Agora, para quem namora as picapes, a Chevrolet S10 Z71 chega com uma cara mais esportiva. Ainda é segredo o visual dessa cabine, mas é provável que o câmbio será o famoso automático de seis marchas de fabricação própria. Uma versão inédita com visual aventureiro e suspensão mais robusta. O modelo tem previsão de chegada para o último trimestre.Segundo informações do site americano GM Authority, o novo modelo ganhará uma versão com pegada off-road e afirma que a fabricante já está desenvolvendo uma versão chamada de Z71 para a S10. Sem dúvidas, é uma forma de resposta contra as concorrentes Ford Ranger Storm e Nissan Frontier Attack, que possuem um visual mais urbano, fora de estrada, com um bom conjunto de equipamentos.

 Portanto, como citamos acima, todos esses modelos ainda são incertos. Alguns podem até serem descartados pelos fabricantes. Mas vamos torcer para que, em breve, essas novas máquinas estejam rodando em solo brasileiro.

Manutenção preventiva: é disso que o seu carro precisa!

Se você já faz parte do time da manutenção preventiva, parabéns! Mas se você é um adversário do seu carro, precisa ler esse texto.

 Ter como prioridade cuidar da saúde do seu carro é a melhor maneira de evitar falhas e manutenções inesperadas, mantendo o veículo em funcionamento, e claro, com alto nível de desempenho. É exatamente por isso que a manutenção preventiva existe e é tão importante!Afinal, você sabe o que é a manutenção preventiva? Ela é uma atividade de rotina, feita regularmente em veículos para que garanta seu funcionamento. Com ela em dia, dificilmente você vai ficar a pé!Mas se você não liga muito para isso e vai deixando para depois, fique ligado… aquele probleminha que deve ser resolvido agora, pode se tornar em um problemão no futuro! Quando quebra, é sempre mais caro para consertar. E você não quer ficar quebrado também, né?!E quando o carro para, ou apresenta falhas inesperadas que impedem seu funcionamento, isso pode gerar altos custos para o bolso do dono (a), e o que era para ser uma manutenção preventiva, torna-se uma manutenção corretiva. 

E o que é a manutenção corretiva?

 Diferente da preventiva que, como o próprio nome diz, previne e evita as falhas do veículo, a corretiva é para consertar e recuperar o que está quebrado ou não funcionando bem. Ou seja, corrige os problemas apresentados.Quer um conselho? Prefira seguir o bom e velho ditado… “prevenir é melhor que remediar”. Faça um bom planejamento e mantenha em dia o calendário de itens e serviços para o seu veículo, seguindo sempre a recomendação do fabricante conforme recomendado no manual do carro!

Logística reversa de pneus: conheça os benefícios dessa prática para o meio ambiente

Para onde vão os pneus após a troca? Vamos te responder essa e outras perguntas ao longo do texto, já que no dia 05 de junho é Dia Mundial do Meio Ambiente e Dia Nacional da Reciclagem, e o assunto é conscientização. Um tema que não podia ficar de fora é a reciclagem e os benefícios que boas atitudes podem retornar a nós e ao Planeta.

Projetos adotam logística reversa para conter descarte incorreto de pneus

 Reutilizar, reciclar e reduzir são palavras-chave para diminuir os impactos ambientais, tanto na geração de resíduos quanto no consumo de recursos. Os pneus são um grande exemplo disso. A boa notícia é que, aos poucos, os pneus velhos estão se transformando em solução no Brasil, e não mais um problema insolúvel.O Reciclanip é um grande modelo de projeto que realiza a coleta e destinação de pneus inservíveis. Em 2020, foram destinados corretamente o equivalente a mais de 42 milhões de pneus de passeio. Em 2021, até o momento desta matéria, mais de 18 milhões de pneus foram descartados corretamente. O projeto teve início em 1999, com o Programa Nacional de Coleta e Destinação de Pneus Inservíveis implantado pela Anip (Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos), e o Reciclanip foi criado em 2007 por fabricantes de pneus.Os pneus inservíveis são coletados e destinados para empresas trituradoras. Depois desse processo, o material é reaproveitado como combustível alternativo nas indústrias de cimento, fabricação de solados de sapatos, borrachas de vedação, dutos pluviais, pisos para quadras poliesportivas, pisos industriais, além de tapetes para automóveis e a produção de asfalto-borracha. Servem como insumo em setores industriais ou como combustível para fornos.A reciclagem de pneus é a maneira mais fácil e direta de sustentabilidade para evitar mais impactos causados ao Meio Ambiente. É simples de entender: estima-se que o tempo de decomposição dos pneus seja de 600 anos. Demorado, né?! Já imaginou os inúmeros danos que esse material pode causar ao ser descartado incorretamente? Os pneus descartados de forma errada podem contribuir para o entupimento de rios e redes de esgotos, ser um local de concentração de insetos transmissores de doenças, e se incinerados de forma errada, tornam-se agentes da poluição atmosférica. Além disso, ocupam um espaço considerável nos aterros sanitários.

Venda de veículos sobe mais de 400%

Somos um país apaixonado por carros. De acordo com a Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto), o aumento de vendas em abril de 2021, comparado ao mesmo mês de 2020, foi de 459,4%. Um grande avanço mesmo em meio a pandemia. Da mesma forma, as vendas de pneus em março deste ano cresceram 11% com relação ao mesmo mês do ano passado, segundo a Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos (ANIP). Ótimo para o setor! Mas precisamos também falar sobre a importância da reciclagem de pneus, como e porque fazer o descarte desse material da forma correta. 

Então, como fazer o descarte correto de pneus?

Procure por projetos, lojas e locais que vestem a camisa da logística reversa e fazem corretamente o descarte de pneus. Somos uma empresa consciente, preocupada com o mundo em que vivemos e que queremos deixar para as futuras gerações. Fazemos o descarte correto de pneus, seguindo a Resolução 416, Art. 1° de 30 de Setembro de 2009. Nós, da Bono Pneus, estamos neste time! Conte conosco e ajude o Planeta. O futuro é agora!

Você sabe o que é Drift?

Conheça essa modalidade incrível que é nossa paixão

 Somos apaixonados por carros. Tão apaixonados que temos a nossa própria equipe de drift aqui no Brasil. Mas o que seria uma equipe de drift? Bom, para começar, vamos explicar o que é drift, a história e, na sequência, como funciona um campeonato da modalidade. 

O que é Drift?

 Drift ou Drifiting é uma técnica de direção de carros que consiste em deslizar nas curvas escapando de traseira, girando o volante para que as rodas dianteiras estejam sempre em direção oposta a curva, assim controlando o nível de derrapagem e fazendo o carro literalmente andar de lado.A princípio, essa modalidade nasceu no Japão em meados de 1970 no “All Japan Touring Car Championship Races”, quando o lendário piloto Kunimitsu Takahashi ficou famoso batendo seu “apex” (ponto onde o carro está mais perto da curva) em alta velocidade e derrapando o carro, saindo da curva mais rápido que o normal. Com esse feito, ele começou a ganhar uma legião de fãs que deu início ao drift japonês.Um corredor de rua chamado Keiichi Tsuchiya viu essa técnica e ficou muito interessado no drift de Takahashi. Ele começou a praticar suas técnicas nas montanhas do Japão e, rapidamente, sua reputação explodiu por todo o Japão.Posteriormente, em 1987, uma revista muito popular de tunning e carros, concordou em produzir um vídeo sobre as habilidades de Tsuchiya fazendo drift. O vídeo é conhecido até hoje como “Pluspy” (disponível no YouTube) e se tornou um hit que inspirou milhares de corredores profissionais de drift que correm nos circuitos atualmente. Em 1988 o diretor chefe da Option Magazine Daijiro Inada ajudou a organizar o primeiro torneio especializado em drift.

você sabe o que e drift

No Brasil

 No Brasil, o drift chegou somente em meados de 2006, mas a sua popularização realmente aconteceu em 2011 com o primeiro evento mensal promovido pela equipe Drift BR, na cidade de Itu, no interior de São Paulo.Com muito orgulho, nós temos a nossa própria equipe que participa do Ultimate Drift, atual campeonato brasileiro, e marcamos presença em todos os eventos desde o seu início. Também participamos do Super Drift Brasil desde 2016.Quem veste o nosso macacão representando as cores vermelho e amarelo é o nosso piloto André Bueno; ele teve a sua primeira experiência no drift bem cedo, aos 12 anos, ao lado do piloto Amly Ohara em um Nissan 240sx 2jz em Itu.O seu primeiro carro para começar a praticar drift foi um Subaru Legacy com motor 2jz de um Toyota Supra, carro que o levou a participar das competições no Super Drift Brasil em 2016. Atualmente, ele pilota um Nissan 350z com motor V8.

você sabe o que e drift

Regras em uma competição

 Primeiramente, de uma maneira bem simples, vamos te explicar como funcionam as regras do esporte. Os critérios de julgamento são linha, ângulo e estilo. A linha correta que deve ser feita pelo piloto é definida pelos juízes que marcam os pontos do traçado onde o carro deve aproximar a frente e onde deve passar com a traseira – são os chamados clip points.Quanto mais próximo o piloto passar desse ponto, geralmente marcados com cones, melhor a sua pontuação. Lembrando que não é permitido atropelar o clip point.A competição começa com a volta de qualificação, quando cada piloto tem suas respectivas chances para mostrar sua melhor performance na pista, combinando velocidade e ângulo com o objetivo de criar a linha perfeita. Aqui, é preciso usar o mínimo possível do freio de mão e fazer o máximo de fumaça que conseguir.Posteriormente, dadas as notas da qualificação, são montadas as chaves de batalhas. Os pilotos se enfrentam de 2 em 2, e são avaliados enquanto desempenham os papéis de líder e de perseguidor. Drift não é só corrida e nem só manobra. Drift é a categoria do automobilismo em que, quem ganha, é quem domina a arte de pilotar!Conclusão: a intenção da prova é conhecer o piloto que tem maior controle, capaz de fazer a combinação perfeita entre velocidade e ângulo para cumprir o traçado enquanto usa todo o seu estilo para fazer o seu show. O drift é fascinante, não é mesmo?! Gostou do nosso conteúdo?Compartilhe com os amigos que ainda não conhecem o esporte da derrapagem!

Kunimitsu Takahashi: o pai do Drift

Nomes japoneses não são fáceis de lembrar, muito menos de falar. Mas, existe um nome específico que faz parte da história do drift. E se você é um admirador do esporte assim como nós, siga lendo o texto até o final, pois faremos questão de mencionar o nome desse japonês várias vezes para ninguém esquecer! E aí, já sabe de quem estamos falando?

 Em primeiro lugar, vamos apresentar o nosso protagonista. Nascido em Tóquio no Japão, em 1940, o lendário piloto Kunimitsu Takahashi foi o criador e inspirador da técnica em 1970.Como já citamos no texto sobre o drift aqui no blog, ele ficou famoso batendo seu “apex” (ponto onde o carro está mais perto da curva) em alta velocidade e derrapou, saindo da curva mais rápido que o normal. Com esse feito, Takahashi começou a ganhar uma legião de fãs que deu início ao drift japonês.

Takahashi inspirou fãs pelo Japão e modalidade tornou-se popular

 Um deles, Keiichi Tsuchiya, que ficou conhecido como o “Rei do Drift” (Drift King) e popularizou o esporte em todo o mundo. Seu Toyota AE86 é um dos carros mais famosos e cultuados entre os fãs da cultura automobilística japonesa, e sua carreira é inspiração para muitos entusiastas que desejam dominar a técnica do drift – no Brasil, no Japão e no mundo. Atualmente ele é um dos editores de uma revista em vídeo chamada “Best Motoring” que mostra testes de rua com carros japoneses novos, incluindo uma edição especial bimestral chamada de “Hot Version”. 

Das duas rodas para o volante

 Antes de assumir o volante, Takahashi vivia sobre duas rodas, mostrando que sempre foi um amante da velocidade. Mas, em uma prova disputada na Ilha de Man, ele sofreu uma queda e levou alguns meses para se recuperar. Para não correr riscos ao tentar retornar como um motociclista profissional, Takahashi preferiu trocar o guidão pelo volante. E foi ao volante que o piloto, hoje um veterano com 80 anos de idade, se tornou uma lenda.Como resultado, Takahashi tornou-se piloto da equipe de fábrica da Nissan e foi um dos que conduziu a segunda geração do Skyline no Campeonato Japonês de Turismo (que na época se chamava All Japan Touring Car Championship – ou só JTCC) até 1968, quando o primeiro GT-R foi lançado – o famoso Hakosuka, que era movido por um seis-cilindros de dois litros e 200 cv.Este motor, que em configuração de pista chegava perto das 12.000 rpm, foi um dos primeiros com comando duplo no cabeçote e quatro válvulas por cilindro.No entanto… É uma pena que não dá para ter acesso à muitas informações sobre os resultados da carreira de Takahashi no JTCC, a menos que você entenda japonês.Já a maioria dos registros visuais não existe mais, e os que existem são difíceis de serem encontrados no YouTube e sites dos anos 90.

5 Carros legais que existem no país vizinho

Paixão por carros não é apenas algo que os brasileiros tem, e não estou falando apenas da nova onda de carros elétricos que estão se firmando cada vez mais nos países. Nossos amigos “Hermanos” são tão fascinados por carros como nós, não é atoa que os dois países são os que mais consomem veículos na América do Sul, mas isso também não significa que os mesmos carros que tem aqui vão ter por lá, e vice e versa

 Cada país tem sua especificidade em relação aos carros disponíveis para venda, onde essas “variações” são causadas por diversos fatores, mas principalmente por questões politicas de importação, onde os “Hermanos” levam uma vantagem nessa questão; já que as tributações em importação de veículo são mais favoráveis. (#partiuargentina?).  Com o real em desvalorização já há alguns anos, vem dificultando ainda mais a vida dos importadores de Carros aqui no Brasil, porém preferências distintas do consumidor brasileiro também é responsável por essas diferenças. Mas seja como for os “Hermanos” tem alguns carros exclusivos muito bacana que deixa todo brasileiro de queixo caído. 

Carros mais legais na terra dos Hermanos

Toyota 86Abrindo a lista dos carros mais legais que tem na Argentina, e já pra deixar qualquer brasileiro com inveja, está esse “cupê” 86, onde ele é o mais acessível da linha global de carros esportivos da Toyota. Com um motor 2.0 e quatro cilindros contrapostos garantem a capacidade de entregar 200cv. Um carro bem leve também, e com tração traseira que garante muuuuita diversão (Alô drift?

Nissan MuranoLembra muito o HRV mas é uma SUV exclusiva da Nissan la na Argentina. O Murano conta com um motor 3.5 V6 movido a gasolina, com 225 cv e cambio automático. Uma curiosidade sobre, ele já foi comercializado por um breve tempo aqui no Brasil, mas tudo indica que ele não voltará a ser comercializado. 

Citroën C5 AircrossConhecido como “irmão maior do C4 Aircross”, o C5 Aircross é um carro mais espaçoso e luxuoso. Teve seu lançamento confirmado em 2018 para acontecer aqui no Brasil, mas isso virou apenas “lenda”. Motor 1.6 THP de 165 cv, com um cambio de 6 marchas automático, ele é um modelo queridinho pelos Hermanos

Ford F-150Rejeitada no Brasil (terra do povo agro que ama carros), a linha de caminhonetes grandes da Ford decidiu seguir carreira em outro país, e tem feito um sucesso enorme. Com um motor 5.0 V8 movido a gasolina (muito similar ao Mustang com 400cv), há quem ainda ache pouca potência. Ainda assim é possível encontrar a versão “Raptor”, 3.5 V6 sobrealimentado por dois turbos, com 456 cv 

Alfa RomeoBasta cruzar a fronteira para reencontrar os carros da marca italiana mais amada pelos brasileiros, já que ela está fora de comercialização no Brasil desde 2006. Na Argentina, a gama da Alfa Romeo é composta pelos modelos sedã Giulia e o SUV Stelvio. Dois modelos super vendidos por lá, que são equipados com motor 2.0 turbo com potência entre 200 cv a 280 cv . O Giulia ainda é oferecido com uma opção top de linha quadrifoglio, com motor 2.9 V6 biturbo de 510 cv. Alguém mais ficou com vontade de cruzar a fronteira para dirigir um desses carros ou foi só a gente mesmo? Comenta ai qual desses carros você gostaria que estivessem a venda aqui no Brasil

O futuro é elétrico, Conheça o Kwid elétrico

Dacia Spring Eletric, a versão 100% elétrica do Renaut Kwid, pode vir ao Brasil em 2022 com a promessa de ser um dos carros elétricos mais baratos do mercado automotivo.  Já está sendo vendido na Europa o novo Dacia Spring Eletric, a versão 100% elétrica do Renaut Kwid, e com o preço em torno de 12.400 – 16.990 euros já cumpre a promessa de ser o carro elétrico mais barato do mercado, pelo menos lá pelas terras europeias. Um carro que tem tudo para cair no gosto do consumidor, já que em suas versões de entrada (Comfort), já possui ar-condicionado de série, e com apenas um pouco mais de investimento na categoria (Comfort Plus), é adicionado uma tela sensível ao toque na parte central do painel além de uma pintura metálica com apliques externos alaranjados, ai os preços “sobem” para em torno de 13.500 – 18.490 Euros, ainda assim mantem seu posto como um dos carros mais baratos. 

Desemprenho do Kwid

O Kwid tem um desempenho surpreendente, com um motor de 45CV (33kW) de potência, e um torque de 12,7KGFM ele supera a maioria dos 1.0 aspirados disponíveis no mercado. Alimentado por uma bateria de 26,8KWh, que seria o suficiente para uma autonomia de 225km com carga padrão WLTP, e ainda rodando exclusivamente em trecho urbano esse desempenho sobre para 295km, e com uma velocidade máxima de 125km/hApenas 125km/h? Mas isso é lento demais!!! De fato! Segundo a Dacia, esse novo modelo demora cerca de 19,1 segundos para chegar aos 100 km/h. Mas nós podemos outro fato aqui; será praticamente impossível você ser multado na maioria das estradas brasileiras, já que nenhuma estrada brasileira possui limite de velocidade maior que 120 km/h. E de acordo com a legislação, os radares tem uma tolerância de 7km/h (Até 100km/h) ou 7% (acima de 100km/h) para determinar a velocidade real do veículo. Ou seja, mesmo que você atingisse a velocidade máxima com o Kwid, a multa nunca chegaria porque você estaria dentro da margem de tolerância.Acho que ser “lento” nem sempre é algo ruim né? O Kwid possui uma batera relativamente pequena, e por isso é possível recuperar cerca de 80% da carga em apenas 30 minutos, se conectado a uma estação de 30 kW em corrente contínua. Usando uma corrente alternada, é possível atingir uma potência de 7,5 kW, permitindo atingir uma carga de 100% em menos de 5 horas. 

 Por enquanto o Kwid elétrico está restrito somente no mercado Europeu e também na Ásia. Segundo a Renault aqui no Brasil, terão dois modelos disponíveis para venda a partir do próximo ano. O primeiro será o novo Renault Zoe e o Segundo será essa linha que falamos aqui, o Kwid elétrico. Mas infelizmente, essa realidade de “Carro elétrico mais barato” vai ficar somente fora do Brasil, porque por aqui dificilmente ele será vendido abaixo dos R$100 mil, claro que se comparado a outros modelos elétricos que serão lançados no próximo ano realmente será o carro elétrico mais barato; mas será que realmente vai se tornar um “carro popular”? Vamos aguardar os próximos episódios

Pneu descalibrado, piora o consumo?

Já calibrou o pneu do seu carro hoje? Aposto que não né? Mas não se culpe por isso, porque infelizmente você faz parte dos mais de 80% dos motoristas brasileiros que só lembrar de calibrar os pneus quando estão realmente murchos, e isso é um péssimo hábito e afeta diretamente o seu bolso, mas principalmente a sua segurança. Mas hoje, vamos abordar como andar como o pneu descalibrado afeta o consumo de combustível do seu carro.

 Mas antes de falar como o pneu descalibrado piora o consumo,  vamos entender porque ele acaba descalibrando.A perda de pressão pode acontecer por diversos fatores, pequenos furos, uma válvula defeituosa (ou sem tampa); e a avariação pode ocorrer até mesmo através da porosidade da borracha, que é algo que acontece naturalmente mesmo que que o pneu ainda esteja em perfeitas condições. Por isso é fundamental que você fique sempre atento na calibragem, para que possa identificar o mais rápido possível qualquer tipo de problema no pneu.E é de extrema importância entender que a pressão errada nos pneus é sinônimo de insegurança. Com os pneus descalibrados o seu carro fica suscetível a serias questões de segurança, como mais facilidade em aquaplanar, folga na direção, problemas de performance na frenagem, instabilidade nas curvas; sem mencionar a questão de sofrer maiores pancadas e isso afetar diretamente o sistema de suspensão.Por isso é recomendado no mínimo uma vez a cada 15 dias ou antes de pegar a estrada, e principalmente em viagens mais longas calibrar os pneus, e também verificar no manual do proprietário qual a calibragem correta para os pneus traseiros para quando o carro estiver carregado. 

Mas é as questões de consumo?

Infelizmente sim, andar com o pneu descalibrado piora o consumo de combustívelEm um teste feito recentemente com um carro popular, um veiculo com os pneus calibrados corretamente conforme orientação do fabricante (32lbs),  percorreu  uma distância de cerca de 15 km de distância a uma velocidade de cruzeiro de 80km por hora com o tanque completo, sem realizar nenhuma parada em semáforos ou para passar em lombadas, teve um consumo de 12.5 km/lE percorrendo os mesmos 15kms no mesmo trajeto e na mesma velocidade, porém com o pneu em calibragem 50% abaixo do recomendado (16lbs), teve um consumo de 11.2km/lOu seja: Um consumo de 10.5% a mais com os pneus descalibrados. Isso mantendo uma velocidade constante, sem paradas.Agora imagina você que vai trabalhar com os pneus calibrados, e para em semáforos, lombadas, como seria 10.5% a mais no consumo de combustível do seu carro? seria algo que iria fazer diferença no seu bolso ou não? Creio que não importa a classe social ou o carro que você tem, falou em economia de combustível todo mundo fica atento, principalmente com o álcool e a gasolina no preço que estão hoje.Por isso, seria interessante criar o habito de sempre ficar atento na questão da calibragem, observar o que esta acontecendo com os pneus do carro. Por se você pensasse que os pneus do seu veiculo, são como os calçados que você utiliza nos seus pés, e quer deixar eles sempre confortáveis para que você não sofra nenhum dano, fique atento com o pneu do seu carro, porque a sua segurança está em jogo, e o seu suado dinheiro também está. 

Qual o melhor carro para pegar a estrada? Saiba mais

Carro é uma paixão nacional dos brasileiros, e viajar de carro também tem se tornado cada vez mais outra enorme paixão dos brasileiros, basta prestar atenção em como ficam as estradas nos feriados prolongados. Ainda mais em tempos de pandemia onde existe a precaução e receio de pegar avião ou até mesmo ônibus, viajar em seus veículos particulares tem se tornado a primeira opção para os apaixonados por viagem, mas sempre fica aquela questão: “Qual é o melhor carro para cair na estrada e ter uma viagem confortável e prazerosa?”

Mas afinal, como escolher o carro ideal para viajar?

Quem frequentemente pega a estrada para viajar e conhecer novos lugares por esse nosso país maravilhoso, sabe que um carro confortável e econômico faz toda a diferença numa “trip”. Por isso, para entender se o carro é bom para pegar a estrada, uma das coisas que você deve avaliar é o desempenho, por que afinal a estrada é ambiente que mais exige potência do motor (já que na cidade o que mais conta para um bom desempenho é torque para arrancadas e retomadas), por isso é de extrema importância entender a potencia do motor para saber se o motorista precisará forçar para ter mais desempenho ou se o motor tem potencia suficiente sem exigir demais do acelerador.Outro fator importante é a questão do consumo, afinal com o preço que o combustível está precisamos muito planejar quanto vamos gastar de combustível, se um tanque da para ir e voltar tranquilamente, ou se você precisa abastecer no meio do caminho. A boa noticia é que existe muitos carros 1.0 turbo que oferecem um ótimo desempenho e também uma ótima economia de combustívelE também não devemos avaliar a questão do espaço interno do veículo antes de viajar, principalmente se você gosta sempre de viajar com toda sua família ou seu grupo de amigos. Porque as pessoas tem alturas e pesos diferentes, e devemos sim nos preocupar em como cada um vai ficar dentro do carro, se o joelho não vai encostar no branco da frente, se aquele seu amigo super alto não irá precisar encolher o pescoço sentado atrás, e principalmente se vai caber as malas de todo mundo. E claro que independente do carro que você vá viajar, o ideal mesmo é fazer uma revisão antes de viajar 

Qual o melhor carro para pegar a estrada? Saiba mais

Por isso, separamos os 5 carros ideais para cair na estrada. E nessa lista levamos em consideração os fatores de Espaço interno, desempenho e consumo de combustível.

Chevrolet Captiva – Uma das SUV’s mais confortáveis para se viajar. Confortável, espaçosa e motor potente, além do modo “Eco Mode” que regula a troca de marcha automaticamente visando uma maior economia de combustível.Ford EcoSport – Outra SUV que cai no gosto dos amantes da estrada. Um carro com ótimo desempenho nas rodovias e com uma ótima economia de combustível.Renaut Sandero Stepway – Carro ideal para estradas mais irregulares. Com uma suspensão mais alta é considerado um dos melhores modelos compactos para viajar longas distâncias, e com ótimo espaço interno.Honda HRV – Considerado um dos melhores carros para se viajar. Amplo espaço interno, boa dirigibilidade, conforto e econômico. Além disso foi considerado um dos carros mais seguros nos últimos anos segundo testes realizados pelo Latin NCAP, que é o órgão que avalia os níveis de segurança dos carrosNissan Grand Lavina – A mini van mais amada pela família brasileira. Com um espaço interno muito amplo, que permite acomodar até sete pessoas, tem se tornado um dos carros queridinhos para viajar em família. E aí, gostou da lista? Se você não tem nenhum desses carros, mas está planejando fazer uma longa viagem de carro, saiba que sempre te a opção de você alugar um carro ou até entrar na nova moda de carro por assinatura

Bertha Benz – A mulher que mudou a história do automóvel

Bertha Benz pode ser considerada  a “mãe do automóvel”, e não é nem pelo fato dela ter sido esposa do Karl Benz, que foi praticamente o inventor do automóvel movido a combustão. Mas foi graças a sua esposa que essa invenção realmente foi pra frente e houve um real desenvolvimento no desempenho dos carros para percorrer longas distâncias como conhecemos hoje.

 Em 1886 na cidade de Mannheim na Alemanha, Berta Benz pode testemunhar o seu marido e engenheiro Karlz Benz criar e registrar a patente do “Benz Patent-Motorwagen. Usando o corte básico de uma bicicleta, o Modelo I foi a patente original do carro motorizado se tornando o primeiro automóvel do mundo; o Modelo II foi convertido para um automóvel de 4 rodas para testes, se tornando o único deste modelo; e o Modelo III era basicamente composto por três pneus cujo tamanho era de um pneu de bicicleta, um motor na traseira, um chassi que era uma tábua de madeira muito forte para conseguir sustentar o peso de uma pessoa, um banco e um volante a manivela, e conseguia alcançar a incrível velocidade de 8km/h.

Bertha Benz – A mulher que mudou a história do automóvel

Por mais incrível que essa invenção fosse para nós, na época muitas pessoas achavam a invenção de Karl um absurdo, uma completa loucura e falavam que o seu veículo era inútil e perigoso. Toda essa humilhação pública fez parte dos dias difíceis que Karl e Bertha viveram onde até fome passaram, e isso desmotivava Karl em acreditar que essa sua invenção realmente mudaria suas vidas. Porém, Bertha Benz persistia e acreditava demais no que o seu marido tinha criado. No dia 5 de Agosto de 1888, Bertha Benz tomou uma decisão. Junto com seus dois filhos Richard e Eugen, de 13 e 15 anos, Pegaria o Modelo III do Patent-Motorwagen e percorreria 106km de distância, indo de Mannheim até Pforzheim para visitar sua mãe. Bertha pegou o veiculo sem contar para Karl e se desbravou nessa aventura, se justificando apenas em um bilhete deixado na cozinha de casa que estava levando seus filhos para visitar a avó. Mas o real motivo, o que realmente Bertha Benz queria era fazer a propaganda da invenção do seu marido, na qual eles investiram tanto tempo e dinheiro, e provar de uma vez por todas que isso poderia ser um sucesso comercial por ser algo extremamente útil a todos, e com isso fazer com que a confiança de Karl retornasse e continuasse seu trabalho.

Bertha Benz – A mulher que mudou a história do automóvel

A viagem

Bertha Benz deixou Mannheim logo pela manhã, e como não havia estradas pavimentadas naquela época, nem se quer estrada de terra para carros, ela decidiu seguir o caminho que as carroças faziam, só que o que única coisa que não teve nessa viagem foi tranquilidade. Por diversas vezes Bertha teve que demonstrar sua capacidade técnica e engenhosidade para fazer o veículo chegar até seu destino finalViajando sem tanque adicional e com suprimento de apenas 4,5 litros de combustível, ela precisou usar ligroína para tentar fazer o automóvel. Esse produto era vendido apenas em boticários, então no meio do caminho ela teve que parar em farmácia em Wiesloch e comprou mais alguns. Com essa atitude ela praticamente tornou uma farmácia no primeiro posto de combustível do mundo.Mas os problemas de Bertha Benz não eram somente esses, ela teve que usar o que tinha em mãos para concertar os problemas que apareciam no carro durante a viagem, como utilizar o alfinete do seu chapéu para desentupir o cano de combustível, e usar uma de suas cinta-ligas como material isolante. E para melhorar o problema de frenagem do “carro” ela parou em um sapateiro e confeccionou novas correiras de coro. E teve que criar um sistema de refrigeração para esfriar o motor e evitar um superaquecimento, obrigando assim a sempre parar em locais com fontes de água para reabastecer seu sistema. Sem mencionar que as engrenagens do carro não foram suficientes para superar as subidas, onde ela tinha que pedir para seus filhos descerem para empurrar o veículo em estradas íngremes.Bertha Benz chegou na casa da sua mãe em Pforzheim um pouco antes do pôr do sol, e assim que chegou tratou de enviar um telegrama para o seu marido contando que a viagem tinha sido bem sucedida. E alguns dias depois retornou para Mannheim, dessa vez pegando um caminho mais curto, e quando chegou em casa Bertha tinha andando cerca de 194km de distância com o veículo que ela e seu marido criara. E isso fez com que essa aventura colocasse Bertha Benz como a primeira mulher a dirigir um veículo, e a primeira vez que um veículo percorria uma longa distância na história.

Bertha Benz – A mulher que mudou a história do automóvel

A viagem de Bertha ganhou a notoriedade que ela imaginava, mas além disso, essa viagem foi um desbravamento para indústria automotiva. Pois assim que chegou em casa ela e Karl conversaram, e ela explicou tudo que ela passou durante a viagem, os problemas que teve e como arrumou uma solução, e deu sugestões de melhorias para o veículo, como a de uma engrenagem extra para locais mais íngremes e correias mais resistentes para tornar a freada mais rápida e eficiente. E uma das coisas principais que essa viagem de Bertha Benz mostrou foi a necessidade e como era essencial os test-drives na indústria automobilística para o que isso promova uma maior segurança e conforto para os passageiros.E foi assim que uma mulher revolucionou o setor automotivo, porque Bertha Benz não dirigiu apenas um carro se aventurando em algo, ela dirigiu uma indústria e transformou um setor,  acreditando em seu produto e em como isso poderia mudar a vida das pessoas, e assim fez um marco na história.Por isso, desejamos não que vocês tenham apenas um feliz dia das mulheres, ou mês das mulheres. Desejamos que vocês tenham igualdade, liberdade, reconhecimento, respeito e tudo que vocês merecem; Porque sem sombra de dúvidas, assim como foi no setor automotivo vocês fazem do mundo um lugar melhor

Bertha Benz – A mulher que mudou a história do automóvel

Muita força e sororidade as mulheres sempre.

Carros elétricos, conheça os prós e contras!

A Volvo apresentou ao mundo essa semana o C40, o seu mais novo modelo de SUV que vem no “estilo cupê” e terá suas versões 100% elétricas. Isso faz parte da estratégia da marca em se integrar ao plano de ter exclusivamente carros elétricos a venda até 2030. A produção do modelo em larga escala começará no inicio do ultimo trimestre na Europa, mas ainda não existe uma previsão de chegada do C40 aqui no Brasil.

 E assim como a Volvo, outras marcas estão de olho e se preparando para se adequar ao novo projeto de lei 304/2017, que a partir de primeiro de janeiro de 2030 estará proibida a venda de carros movidos a combustíveis fósseis como gasolina, diesel e GNV (gás natural). E indo um pouco mais a fundo nesse projeto de lei, a partir de 2040 será proibida a circulação de carros com motores a combustão.Segundo o senador que elaborou o projeto, a justificativa é que “se nada for feito, as mudanças climáticas resultarão em grandes tragédias, como inundação de cidades litorâneas pelo mar e o consequente deslocamento de grandes quantidades de pessoas”. Mas será que os carros elétricos realmente farão diferença?  Vamos entender os prós e contras, e até onde é possível esse caminho dentro da realidade do Brasil.

Prós

Redução no consumo de fontes fósseis  Não sei se todo mundo sabe, mas as fontes fósseis são esgotáveis; então automaticamente os modelos elétricos como os híbridos plug-in (com tomada para recarga e motor a combustão de apoio) diminuem a queima de combustíveis de origens fósseis Menos emissão de CO2 Em média a emissão de gás carbônico para a produção de um carro movido a combustão é de 25 toneladas, já a de um carro elétrico é de 18 toneladas.

Carros elétricos, conheça os prós e contras!

Economia em combustível Com o preço dos combustíveis hoje em dia, saber se um carro é econômico ou não é fundamental para o motorista decidir se vai comprar; E nesse quesito, os carros elétricos estão muito bem! O custo para “encher o tanque” de um carro elétrico pode sair 80% mais barato em comparação com a gasolina. Menos Manutenção Não levando em conta o “coração” do carro que é justamente a bateria com grande composição de lítio, o custo da manutenção preventiva nas outras peças, como a suspensão por exemplo, pode sair muito mais baratas no carro elétrico (dependendo do modelo). Brasil tem energia elétrica verde A energia elétrica depende da sua matriz, e nesse quesito O Brasil está muito bem. De acordo com dados do governo federal, 83% das fontes são de origens renováveis e as mais utilizadas são; hidrelétricas, eólicas, biomassa, solar e biogás.

Carros elétricos, conheça os prós e contras!

Contras

Altos preços vão elitizar os veículos particulares Atualmente o valor dos automóveis elétricos iniciam seus preços a partir de 100 mil reais. Partindo disso uma triste realidade acontece, mesmo com o mercado de carros populares e credito facilitado abrindo uma janela para que pessoas com baixa renda possam comprar seus veículos, ainda assim não é tão fácil adquirir um carro elétrico justamente por conta do seu alto valor. Então os carros elétricos vão demorar alguns anos para terem modelos mais compactos e acessíveis Uma grade geração de resíduos Nessa lei, está determinado que a partir de 2040 carros a gasolina não poderão circular mais, ou seja, para compensar isso será necessário uma alta produção dos carros elétricos para “preencher essa lacuna”, e isso vai gerar mais resíduos em sua produção. E outra preocupação em questão é como os carros a gasolina serão “descartados”?Carros elétricos, conheça os prós e contras!Ficar sem carga Atualmente existe cerca de 45 mil carros elétricos e híbridos em circulação no Brasil, e existe apenas 1200 estruturas para recarga e em sua maioria de recarga lenta. Os pontos de “fast charge” que podem recarregar o veículo em até 15 minutos contam com cerca de 100 pontos em todo território nacional.Carros usados se tornaram descartáveis A bateria dos carros elétricos tem uma garantia de 8 anos, e o seu reparo chega a custar até 60% do valor do veículo. É isso mesmo 60% do valor do veículo! Mas o que se faz então depois desses 8 anos de vida útil da bateria? Ainda não existe uma solução para esse problema de custo alto para tornar a bateria boa novamente, e isso acaba gerando uma tremenda dor de cabeça para o motorista. Bateria de lítio, uma faca de dois gumes A extração do lítio, principal componente das baterias dos carros elétricos, não é algo que possamos chamar de “energia verde”. 52% das reservas mundiais deste elemento pertencem ao Chile, porém, a sua extração tem causado impactos no meio e ambiente e proporcionado danos irreversíveis ao deserto do Atacama. Além disso, reciclar uma bateria de lítio é uma tarefa árdua, e não existe uma estratégia durante a sua produção para que faça ela ser reaproveitada facilmente.

Carros elétricos, conheça os prós e contras!

Num modo geral, mesmo com essa lista de pros e contras já e necessário o motorista ir se preparando para essa mudança, mas é primordial também as fabricantes pensarem em soluções para que os valores do carros elétricos se tornem mais acessíveis e principalmente soluções para os problemas de bateria.

Combustível a R$1,70? Entenda o motivo

20 anos atrás era esse o valor que o consumidor pagava na gasolina, mas infelizmente a nossa realidade agora em pleno ano de 2021 é bem diferente, pois acabamos de passar pela quarta alta do combustível esse ano e o valor da gasolina está chegando a R$5,19 o litro. Mas sabia existe alguns pequenos truques que você pode fazer no dia a dia que vão te ajudar na economia de combustível? Então descubra quais são.

Quem tem carro sabe o quanto essas altas doem no bolso do consumidor, porque infelizmente combustível é primordial pro carro funcionar. Mas nem tudo está perdido e não precisamos ficar chorando, porque faz parte da vida o preço das coisas subirem, e cabe a nós como bons brasileiros “nos virarmos nos trinta” e dar um jeitinho de economizar. Então pega essas dicas que podem te ajudar na economia de combustível do seu carro, seja ele um carro econômico ou “beberrão”.Diversos fatores podem colaborar para a economia de combustível, mas já te adianto que não é andar com o carro na “banguela.  Na maioria das vezes o motorista nem percebe que mudar alguns pequenos hábitos podem trazer um certo alivio para o seu bolso na hora de abastecer. Mas vamos entender um pouco melhor isso e vamos as dicas. (PS: A última dica é uma das mais importantes)

Combustível a R$1,70? Entenda o motivo

Evite levar muito peso no carro.

Estar com o carro sempre carregado, com peso além do necessário contribui para o aumento do gasto do combustível. Estudos mostram que a cada 50kg dentro do carro, o consumo aumenta em cerca de 1%; e isso acontece porque o motor precisa fazer mais força para colocar o veículo em movimento. Por isso, procure sempre levar no carro somente o necessário, seja no dia a dia, ou para viajar nas suas férias. 

Uso do ar-condicionado.

A utilização do ar condicionado afeta diretamente a questão do consumo do combustível, já que o equipamento é operado diretamente pelo motor; e os carros com baixa cilindradas tendem a gastar ainda mais com o ar ligado. Então sempre que possível, não ligue o ar condicionado; abaixe os vidros e deixe a brisa da estrada circular pelo veículo.

Combustível a R$1,70? Entenda o motivo

Alinhamento e balanceamento em dia.

Sim, manter se carro com o alinhamento e balanceamento em dia pode cooperar muito na economia de combustível, pois o alinhamento correto faz com que os pneus se desgastem menos e o balanceamento evita trepidações ao rodar; e prevenir esse atrito dos pneus com o solo faz com que o veículo não perca desempenho, ou seja, otimiza o gasto de combustível. 

Verifique a calibragem dos pneus.

Pneus descalibrados aumentam muito o consumo do combustível, pois afetam diretamente o rendimento do veículo por gerar mais atrito com a via. O gasto de combustível aumenta em média 2% a cada 3 psi a menos de pressão nos pneus.

Combustível a R$1,70? Entenda o motivo

Não acelere o carro desengatado.  

Parece algo bobo, mas ainda hoje em dia há algumas pessoas que aceleram o carro desengatado falando que faz isso “para aquecer o motor”. Os carros hoje em dia não precisam mais desse habito graças a injeção eletrônica, onde que por meio desse sistema é possível dar partida com o carro frio tranquilamente. Você também não deve acelerar com o carro parado no farol, pois essa aceleração é totalmente desnecessária e contribuir na perca de combustível; e também sempre preste atenção no transito a frente, quando notar que o trafego vai parar, desacelere o veículo aos poucos antes de frear porém com o carro engrenado mas sem acelerar, porque a o sistema de injeção eletrônica enviará menos combustível para o motor. 

Mantenha uma velocidade constante.

Sabemos que morar em grandes cidades pode contribuir também para que o combustível vá embora mais rápido, pois o trânsito nessas cidades é sempre mais intenso, e é muito comum andar e parar o veículo a todo instante; e essas acelerações e freadas exigem mais do motor e isso aumenta o consumo. Por isso, busque sempre rotas alternativas onde você sempre que possível consiga manter uma velocidade constante com o carro, isso ajudará muito na economia.

Combustível a R$1,70? Entenda o motivo

Respeite a troca de marchas.

Procure trocar as marchas sempre na rotação correta, para manter o giro do motor compatível com a marcha escolhida. Os modelos de carro mais novo, já estão vindo equipados com indicadores de troca de marcas por meio de indicações no painel; eles mostram a hora exata de passar as marchas para assim manter o motor na faixa de rotação ideal. Esses equipamentos foram testados e o sistema indicou que trocar a marca no tempo certo, economiza em até 20% o consumo de combustível. Então, se teu carro não possui esse indicador, preste muita atenção na rotação do motor, seja no painel ou do “jeito raiz” mesmo que é no ouvir o som do motor.Seguindo esses detalhes no dia a dia, você verá no fim do mês que foi possível sim conquistar uma economia no combustível, e você não ter a necessidade de ficar indo no posto encher o tanque mais vezes que o que deveria ser.

Especificações dos Pneus; saiba mais

175/70 R14, 165/70 R13 são algumas das especificações dos pneus que na maioria das vezes acabam deixando o motorista confuso na hora de comprar pneus novos; seja por não lembrar, como por realmente não saber o que cada letra e número significa. Por isso preparamos esse artigo para que você compreenda e guarde de uma vez por todas essas especificações e assim nunca mais demore horas tentando lembrar o que cada descrição significa.

Todo mundo gosta de economizar em gastos com pneus e buscar utiliza-los ao máximo, até o fim de sua vida útil. Mas quando é necessário realizar a troca sempre surge algumas dúvidas quanto as especificações como por exemplo: Qual é a medida que devo utilizar? 175/70 ou 205/55? Será que o pneu que irei comprar está “vencido”?No manual do veículo constam as especificações que o pneu do seu veículo deve ter; e já saiba que circular com o veículo com pneus fora das medidas recomendadas pelo fabricante pode acarretar em multa. Mas porque será que isso acontece?Customizar o carro é um hábito que muitos brasileiro tem, e uma das modificações mais comuns é justamente mexer nas rodas e nos pneus que vieram de fábrica; porém é importante entender que aquelas determinações que vieram padrão de fábrica da roda e dos pneus são para um melhor desempenho e segurança do veículo; ou seja, modifica-las pode realmente trazer consequências financeiras e comprometer a segurança do motorista e em consequência dos passageiros também.Por isso que compreender especificações na lateral dos pneus é algo tão importante quanto verificar se eles estão “carecas“. Esses caracteres na lateral do pneu representam a identidade dele, consequentemente você compreenderá se ele realmente atende as especificações do seu veículo. Essas informações na lateral do pneu informam sua; data de fabricação, dimensões, capacidade de carga, velocidade suportada e mais. Mas vamos compreender algumas dessas escritas.

Especificações de Validade: (DOT 3110)

A média de validade dos pneus é de cinco anos, por isso descobrir a data de fabricação é primordial para entender se o pneu já passou do prazo de troca (vencimento). Na lateral do pneu procure identificar as letras “DOT” seguida de um conjunto de quatro números “3110”. É nesses números que você deve prestar muita atenção.Os dois primeiros números representam a semana do ano que o pneu foi fabricado (no exemplo citado acima é a trigésima primeira semana), e os dois últimos números são o ano de fabricação (no exemplo citado dois mil e dez) ou seja: Esse pneu foi fabricado entre os dias 2 e 8 de agosto do ano de 2010. Em consequência dessa informação, descobrimos que esse pneu está “vencido”, que ele já passou o período de troca por estarmos no ano de 2021 (10 anos após a data de fabricação)Não recomendamos andar com pneus com o prazo acima de 5 anos da data de fabricação, pois o veículo pode ficar exposto a alguns riscos como: volante vibrar com mais intensidade, numa curva ele pode romper perdendo o ar completamente. Por isso fique atento a essa descrição!

Especificações dos Pneus; saiba mais

Especificação de Medidas: (175/70 R13)

Uma das diferenciações dos pneus que todo mundo deve decorar e saber o que cada parte significa são as medidas:175 – Representa a largura do pneu. Ela é medida em milímetros (mm) de um flanco a outro70 – Representa a relação entre altura (H) e largura (S) da seçãoR – Representa a estrutura da roda. Nesse caso a estrutura é Radial13 – Representa o diâmetro interno do pneu(aro) em polegadasA largura do pneu é medida em milímetros (mm) de um flanco a outro. E o resultado da relação entre largura x altura do pneu surge em porcentagem; /55, /60, 70 entre outras, que significa que a altura do pneu equivale a uma determinada porcentagem da largura do pneu. Radial (R) são os tipos de pneus mais frequentes, e são caracterizados pelo alinhamento radial de cordas dentro do pneu; aumentando a resistência na rodagem a velocidades elevadas, melhorando a aderência e possibilitando um maior conforto na condução.

Determinação de Tração: (Traction AA)

Representa a aderência do pneu numa pista molhada. Os pneus tem sua frenagem testada em pista seca ou em um concreto molhado controlado em linha reta, com o objetivo de testar a capacidade de parar por completo o veículo. O índice de Traction é determinado pelas letras “AA” que significam o índice mais elevado. Temos também os índices “A”, “B” e “C” que representam um índice um pouco mais baixo, sendo o “C” o mínimo aceitável.

Especificações de Temperatura: (Temperature)

Um teste feito em laboratório simula o uso do pneu no solo para mensurar a temperatura do atrito, que vai indicar a resistência do pneu em relação ao aquecimento e a sua capacidade de eliminar o calor; sendo que as altas temperaturas podem provocar uma degradação do pneu. Temperatura é sempre acompanhado por uma letra, geralmente a letra “A que representa o índice mais elevado, mas pode ter a B e a C que são índices mais baixos e aceitáveis.

Especificações dos Pneus; saiba mais

Determinação de velocidade e peso máximo (90V)

Esse índice é bem para que o motorista entenda a carga máxima suportada nos pneus sem que eles sejam afetados, e também a velocidade máxima que o pneu consegue atingir sem sofrer nenhuma alteração. Esse índice e sempre composto de dois dígitos mais uma letra.Exemplo índice de carga comportada 81 – 462 quilos 82 – 475 quilos 83 – 487 quilos 84 – 500 quilos 85 – 515 quilos 86 – 530 quilos 87 – 545 quilos 88 – 560 quilos 89 – 580 quilos 90 – 600 quilos 91 – 615 quilosExemplo índice de velocidade comportadaL – 120 km/h M – 130 km/h N – 140 km/h P – 150 km/h Q – 160 km/h R – 170 km/h S – 180 km/h T – 190 km/h U – 200 km/h H – 210 km/h V – 240 km/h W – 270 km/h Y – 300 km/h

Especificações dos Pneus; saiba mais

Após compreender algumas dessas especificações que passamos acima, você já sabe que o tipo de pneu pode influenciar no desempenho e dirigibilidade do seu veículo, e andar com pneu errado pode danificar e até causar acidentes; por tanto fique ligado!O manual do seu carro deve sempre ser consultado para saber a especificação correta para o pneu; e deixe que um profissional qualificado realize essa troca.Aqui na Bono Pneus você encontrara uma variedade de marcas e especificações de pneus, e realizamos a troca com rapidez, segurança e responsabilidade, para que você continue seguro com seu carro

Combustível adulterado? Identifique e previna-se!

“A fraude de combustível no Brasil infelizmente ainda é algo bem comum”.

Atire a primeira pedra quem nunca foi abastecer em um posto sem bandeira porque o preço da gasolina estava 10 centavos mas barato que aquele “famoso” posto onde você habitualmente abastecia; mas a consequência dessa “economia” pode se tornar uma dor de cabeça a longo prazo.  Entretanto, será que existe um maneira de identificar os problemas causados no carro por conta de um combustível adulterado? Será que existe uma maneira de se prevenir antes de abastecer?O combustível batizado reúne componentes químicos, tal como a gasolina comum; no entanto, uma das diferenciações seria a quantidade de álcool misturada. Por isso existe a gasolina formulada e a adulterada.Gasolina Formulada é a que possui álcool anidro (sem água), em até 27% da composição da gasolina. Esse álcool tem uma função antidetonante, afim de evita que o motor bata os pinos e faça com que combustão seja mais completa. Na adulterada o álcool hidratado é misturado a gasolina comum, que já possui etanol anidro em sua formação. Esse é o tipo de adulteração mais comum.

Combustível adulterado? Identifique e previna-se!

O segundo tipo de fraude que existe, é a adição de solventes. Como os resíduos são caros demais para serem descartados, muitas vezes são utilizados na mistura com a gasolina; assim, com o poder de explosão e combustão muito alto, os solventes químicos acabam enganando o motorista, que não percebe nenhuma diferença no desempenho do motor. Porém, com o tempo esses solventes podem derreter os componentes do sistema de injeção do combustível, especialmente os que são vedados por borrachas. Essa corrosão pode causar até vazamento de gasolina e os resíduos da borracha podem entupir os bicos injetores. E trocar esses bicos injetores pode custar um pouco caro dependendo do modelo do veículo.

“Mas e o Álcool? Pode ser adulterado?”

Não pense que essas adulterações ocorrem apenas na gasolina, o etanol também pode ser “batizado”. Na maioria dos casos a adulteração do etanol ocorre que; ao invés de vender álcool hidratado acabam vendendo o metanol. O metanol é um álcool tão bom quanto o etanol, porém ele é extremamente perigoso e toxico, se ele pegar fogo por exemplo não é possível ver. Outro caso de adulteração na venda do etanol é a inserção de água em uma quantidade maior do que a permitida, que é de 6 a 7% de sua composição.

Combustível adulterado? Identifique e previna-se!

Quais os “sintomas” que o carro pode apresentar com um combustível adulterado?

Os principais indícios que o carro apresenta com combustível adulterado é: Perca de potência, ou seja, o motor está mais fraco; luz de alerta do motor aceso no painel indicando alguma anomalia, e tem grandes chances de ser algo relacionado ao combustível; alto consumo de combustível; óleo contaminado, e o mais o comum dos sintomas; falhas ao dar a partida pela manhã, que é quando o motor demora um longo tempo para esquentar. Então se você se pergunta; “Mas porque será que não está ligando?” As vezes o combustível que você colocou é fajuto. 

“Mas será que existe um jeito de saber se combustível onde irei abastecer é adulterado?” Sim, existe!

O que poucas pessoas sabem, é que todo consumidor tem o direito de solicitar o teste de qualidade na hora de abastecer. É isso mesmo, você pode e deve pedir para o funcionário do posto realizar um teste de qualidade bem ali, na sua frente. E se algum posto por acaso se recusar a realiza-lo, você pode fazer uma denúncia na Agência Nacional de Petróleo.

Atualmente existe 6 tipos de teste que o cliente pode exigir

  1. Teste de aspecto e cor: Permite que o motorista avalie uma amostra de gasolina ou etanol em uma proveta. É importante para checar se o combustível está turvo ou com muita sujeira.
  2. Teste de volume e vasão: Permite verificar se o que está mostrando na bomba foi o mesmo que foi colocado em seu veículo.
  3. Teste da Proveta: Indica se a quantidade de etanol anidro na gasolina comum está dentro das normas exigidas de acordo com a legislação. A gasolina comum deve ter 27% de álcool podendo variar em 1% pra mais ou pra menos.
  4. Teste do termodensímetro: É um equipamento que deve estar obrigatoriamente afixado as bombas de etanol. O combustível adequado para motores tem que possuir teor alcoólico entre 92,5% e 95,4%. Observe o nível indicado pela linha vermelha, ela precisa estar no centro do densímetro, não pode ficar acima da linha do etanol.
  5. Teste de Densímetro para gasolina e Diesel: É um aparelho de vidro calibrado, que além dele são utilizados; proveta de um litro; termômetro de imersão total e uma tabela de conversão de densidades.
  6. Teste de Densímetro para massa e teor alcoólico do álcool etílico: Similar ao teste mencionado anteriormente.

 Agora você está com todo conhecimento necessário para entender os sinais que seu carro pode apresentar quando estiver com algum combustível adulterado, e sabe o que deve fazer se desconfiar da qualidade do combustível em algum posto. Mas se por ventura você ainda assim e seu carro apresentar algum dos sintomas mencionados acima, vá até um mecânico de confiança para fazer uma verificação.Por isso abasteça em posto de bandeira de preferência, e sempre desconfie de “promoções” com valores bem abaixo do mercado.

Superaquecimento do Motor: Saiba como evitar e como agir.

O Superaquecimento pode ser evitado, mas caso aconteça, saiba como agir.

Para falarmos sobre o superaquecimento do motor, antes precisamos esclarecer como o sistema de arrefecimento do veículo funciona. Os componentes deste sistema trabalham em conjunto para que o motor opere na temperatura ideal.O sistema de arrefecimento é formado pelo radiador, reservatório, bomba d’água e válvula. Qualquer problema neste sistema, pode levar ao superaquecimento do motor, mas falaremos mais detalhadamente sobre isso, no decorrer do texto.

O que é superaquecimento

O superaquecimento ocorre quando a temperatura do motor é elevada a um nível para o qual ele não foi projetado suportar.Quando o superaquecimento do motor ocorre, outras peças do automóvel também podem ser prejudicadas e o prejuízo para o motorista, extremamente alto.Para que este problema não danifique o carro de forma grave, é necessário que ficar atento aos sinais.

Superaquecimento do Motor: Saiba como evitar e como agir

Sinais de Superaquecimento

Quanto antes os sinais forem detectados, mais rápido você pode tomar uma providência para solucionar o problema. Dessa forma você poupa seu bolso e seu carro de danos ainda maiores.A presença de vapor ou fumaça vindo diretamente do capô, a luz acesa no painel e o ar do ar-condicionado quente, pode significar que o automóvel está superaquecido. A recomendação é que você procure por um mecânico o mais rápido possível.

Causas do Superaquecimento

Vários fatores podem levar o motor a superaquecer. Listamos as principais causas deste problema, confira:

  • Baixo nível do líquido de arrefecimento
  • Problemas na correia dentada ou ventoinha
  • Defeito na bomba d’água e válvula termostática
  • Baixo nível de óleo no motor
  • Vazamentos na mangueira e no radiador do automóvel
  • Falha no sistema de ignição

Superaquecimento do Motor: Saiba como evitar e como agir

Como evitar que o superaquecimento aconteça?

Alguns cuidados simples podem evitar que o superaquecimento aconteça.

  • Verifique periodicamente o líquido de arrefecimento e complete sempre que for necessário de acordo com as recomendações do manual do proprietário;
  • Faça regularmente a manutenção preventiva e;
  • Inspecione a bomba d’água.

Caso o superaquecimento ocorra, saiba o que fazer.

A primeira coisa a se fazer é parar o carro e esperar cerca de 40 minutos até que ele esfrie. Jamais abra o radiador enquanto o carro estiver quente, a temperatura é extremamente alta e pode causar graves queimaduras.Depois que a temperatura abaixar, faça o seguinte:

  • Verifique o nível de água no radiador. Se ele estiver vazio, complete com água limpa e pare na oficina mais próxima para realizar os procedimentos corretos. Siga prestando atenção na temperatura através do painel do veículo.
  • Se você tentou colocar água, mas a mesma vazou, não insista e nem tente andar com o carro, caso contrário o dano poderá ser maior. Neste caso, acione o seguro ou peça a ajude de um profissional.

 Esperamos que você tenha aprendido um pouco mais sobre o superaquecimento do motor, suas causas e consequências. Lembre-se que semanalmente postamos dicas para que você possa cuidar melhor do seu carro, portanto não deixe de acessar nosso blog.

Dirigir na chuva: Seu carro está preparado?

Dirigir na chuva é um desafio até para os motoristas mais experientes, mas com cuidado, atenção redobrada e as nossas dicas, superar essa aflição ficará mais fácil.

Dirigir na chuva costuma ser um desafio para muitos motoristas, dos mais novos aos mais experientes. No verão brasileiro as pancadas de chuva costumam ser constantes e precisamos estar preparados para enfrenta-las.Se o seu veículo está há tempos sem passar por uma revisão, esse é o momento propício para levá-lo a um centro automotivo e realizar um check-up.Para evitar acidentes ao dirigir na chuva o condutor precisa de responsabilidade tanto no trânsito, pois se faz necessário ter de uma postura mais cautelosa e prudente, quanto pela manutenção do automóvel.

Dirigir na chuva: Seu carro está preparado?

Separamos alguns itens que necessitam de revisão para que o carro esteja preparado para enfrentar a chuva. Confira:

Pneus: Na chuva a pista se torna mais escorregadia, pois há a diminuição do atrito entre a os pneus e o asfalto. Em consequência disto, os acidentes são provocados pela aquaplanagem.Os fatores preponderantes neste caso são: velocidade e pneus. Por isso, é fundamental que os pneus estejam em boas condições e que a profundidade dos sulcos esteja dentro do limite estabelecido pelo Código de Trânsito Brasileiro.Em caso de aquaplanagem, pare de acelerar, mantenha a direção reta e não freie o carro.Limpadores de para-brisa: Responsáveis por garantir uma boa visibilidade ao dirigir na chuva, os limpadores, bem como as palhetas, precisam estar funcionando perfeitamente. Se estiverem desgastadas ou ressecadas, elas podem comprometer a visão do motorista e consequentemente deixar o veículo suscetível a acidentes.Freios: O sistema de freio é responsável por parar o carro juntamente com os pneus, por isso é extremamente importante que estejam revisados, afinal eles nos mantem seguros e além disso, a distância de frenagem aumenta nos dias de chuva.Lanternas e luzes de sinalização: Além de se colocar em risco, o motorista que dirigir com alguma luz queimada corre o risco de tomar multa. Dias chuvosos costumam ser mais escuros, o que requer o uso do farol aceso para evitar transtornos.Sistema de ventilação do veículo: O uso do sistema é fundamental quando os vidros começam a embaçar, portanto é necessário realizar a manutenção das entradas de ar, mesmo sem ar-condicionado.Borrachas: Poucas pessoas se lembram delas, mas as borrachas são responsáveis por vedar a entrada de água no veículo, por isso são muito importantes e precisam ser verificadas.

Dirigir na chuva: Seu carro está preparado?

Mas se o seu carro está revisado e o seu maior desafio é o medo de dirigir na chuva, também separamos algumas dicas para que superar esse momento de aflição se torne mais fácil.

  • Use o farol baixo;
  • Mantenha uma distância segura do veículo da frente;
  • Utilize o limpador de para-brisa e os desembaçadores;
  • Evite fazer ultrapassagens;
  • Mantenha os pneus sempre em bom estado e calibrados;
  • Diminua a velocidade e;
  • Pare o carro no acostamento e ligue o pisca-alerta se a visibilidade ficar muito prejudicada.

Dirigir na chuva: Seu carro está preparado?

Dirigir na chuva requer cuidados e muita atenção, mas seguindo nossas dicas você estará mais seguro e preparado para enfrentar esse desafio.Agora que você já sabe quais itens precisam de atenção especial nessa época do ano, passe na Bono Pneus para fazer a revisão do seu veículo.Nas nossas lojas você encontra tudo o que o seu carro precisa.

Revisão de Férias: Saiba tudo que precisa ser verificado antes de viajar

A revisão de férias deve fazer parte do planejamento de todos que vão viajar de carro para curtir alguns dias de descanso.

Se pegar a estrada está nos seus planos, então é muito importante que você leve seu carro para realizar uma revisão de férias. Esse check-up é essencial para sua segurança e também para evitar problemas durante a viagem.

Não deixe a revisão de férias para a última hora

É imprescindível que a revisão de férias esteja entre as primeiras coisas a serem feitas antes de viajar. Caso seja necessário trocar alguma peça do veículo, pode acontecer de atrasar ou demandar um tempo para providenciá-la. Portanto, não deixe para a última hora.Preparamos uma lista para que você saiba quais são os itens que devem ser checados antes de pegar a estrada. Confira!

revisao-de-ferias-saiba-tudo-que-precisa-ser-verificado-antes-de-viajar07

Pneus

É importante lembrarmos que durante a viagem, os pneus ficam expostos a altas temperaturas, além de rodarmos em velocidades mais altas.Na revisão de férias devemos checar as condições dos pneus, sem esquecer do estepe. Devemos observar se há bolhas, se a banda de rodagem está em bom estado e a profundidade dos sulcos.Fique atento a quantidade de bagagem para que a mesma não ultrapasse o limite estabelecido e isso não comprometa os pneus.Antes de pegar a rodovia, não se esqueça de calibrar os pneus e o estepe.

revisão de férias alinhamento e balanceamento

Alinhamento e Balanceamento

O carro pode precisar de alinhamento e balanceamento mesmo fora das revisões programadas e sem ocorrer a troca do pneu. Por isso também é importante checá-los durante a revisão de férias, isso garantirá maior segurança ao veículo.

Freios

Os freios merecem destaque na lista de revisão, até mesmo porque o comportamento do carro na estrada é diferente do da cidade. Isso quer dizer que antes de viajar, vale revisar todo o sistema e realizar a troca de componentes, caso necessário.

Fluidos

Devemos verificar o nível, a validade dos fluidos, bem como as condições dos filtros.Quando a revisão de férias é feita na oficina e por profissionais especializados, é possível detectar se há vazamentos, como por exemplo, no líquido de arrefecimento e no óleo do motor.Se o prazo de troca estiver próximo, não deixe de realizar a substituição antes de sair de férias.

revisao-de-ferias-saiba-tudo-que-precisa-ser-verificado-antes-de-viajar

Sistema Elétrico

Verificar se as lanternas, setas, pisca alerta, luz de ré e faróis estão funcionando é extremamente importante, por se tratar de sinalização, qualquer falha pode comprometer a sua segurança.

Limpadores de para-brisa e desembaçadores

Imagina pegar uma chuva forte na estrada e os limpadores de para-brisa e desembaçadores não estarem em boas condições de uso? Pois é, se as palhetas estiverem ressecadas, o escoamento da água não será feito de forma adequada e isso poderá prejudicar a visibilidade do motorista.Além disso, verifique o nível do reservatório de água e limpe bem os vidros para que a sujeira não reflita a luz e nem atrapalhe a visão durante a condução.

revisao-de-ferias-saiba-tudo-que-precisa-ser-verificado-antes-de-viajar

Equipamento de Segurança

Como esses equipamentos raramente são utilizados, muitas vezes nos esquecemos deles. Cheque se o triângulo, o macaco e a chave de rodas estão em bom estado.Planeje a revisão de férias com antecedência e curta os dias de folga sem preocupação. A Bono Pneus conta com profissionais especializados para te ajudar, encontre a loja mais próxima de você.

Trocar a válvula quando for trocar o pneu – É realmente necessário?

 Trocar a válvula é tão importante quanto trocar o pneu, em más condições, ela pode comprometer a segurança do veículo, mesmo com pneus novos.

Todo o conjunto roda-pneu deve ser checado no momento da troca dos pneus e um dos itens mais negligenciados é a válvula (também conhecida como bico).Ao contrário do que muitos pensam, as válvulas se desgastam com o tempo e por se tratar de um equipamento de segurança, precisam de muita atenção.Vamos abordar a importância deste item, os problemas que podem ocorrer caso a troca não seja realizada e quando a troca deve ocorrer. Continue por aqui!

Por que você deve trocar as válvulas e qual a importância deste item

Não são só os pneus que se desgastam com o tempo, as válvulas são submetidas a uma pressão equivalente a mais de 60 vezes o seu peso, devido a ação da força centrifuga.Por fim essa força causa fadiga na válvula do pneu, podendo causar trincos no componente. Além disso, ela resseca com o tempo, se deteriora e perde seu poder de estanqueidade.Por esses motivos é tão importante sempre checar as condições que a válvula se encontra e realizar a troca.

Trocar a válvula quando for trocar o pneu – É realmente necessário?

O que acontece se as válvulas não forem trocadas

Quando a válvula apresenta algum defeito, pode acontecer a rápida e súbita perda de pressão, ou então o ar do pneu vai vazando aos poucos. Em ambos os casos a segurança do veículo e dos passageiros ficam comprometidas.A performance do pneu e a dirigibilidade também são afetadas, gerando aumento no consumo de combustível e diminuindo a vida útil dos pneus, resultando em gastos para o motorista.

Quando realizar a troca das válvulas

A recomendação é que as válvulas sejam substituídas sempre que pneus novos forem montados, ou desmontados para conserto cuja válvula esteja em uso há muito tempo e apresentado avarias.Todo fabricante de pneus condiciona a garantia a uma correta manutenção feita no ato da montagem dos pneus. Além do balanceamento e alinhamento, os bicos também devem ser trocados, garantindo assim a durabilidade e características dos pneus.Válvulas que foram desmontadas não devem ser reaproveitadas e jamais utilize válvulas de procedência duvidosa.

E você? Se lembra de trocar as válvulas quando troca os pneus? A Bono Pneus conta com profissionais especializados e equipamentos modernos para esse tipo de manutenção. Não comprometa a sua segurança e nem a vida útil dos pneus por querer economizar. Portanto, lembre-se da importância da válvula e dos riscos que você corre ao negligenciá-la.

Andar em ponto morto economiza combustível?

Andar na “banguela” deixou de ser econômico há um bom tempo, além de gastar mais, andar em ponto morto pode comprometer a segurança do veículo.

Descer com o carro em ponto morto é uma dica muito popular entre os motoristas e que ainda permeia nos dias atuais. Essa “orientação” equivocada promete economizar combustível.A prática que durou décadas, atualmente ainda é utilizada por algumas pessoas, mas já não faz mais sentido e para esclarecer nós te explicaremos o porquê.Antigamente os carros eram todos carburados, isso quer dizer que a mistura ar-combustível era feita mecanicamente e conforme a rotação aumentava, mais ar-combustível eram injetados, o que acarretava no aumento de consumo.Nesse caso, o uso do ponto morto fazia sentido, mas ainda assim não era seguro, tanto que era comum nos depararmos com a placa “desça engrenado” no início da serra, por exemplo.No entanto, nos carros mais modernos, o sistema de injeção eletrônica entende que o automóvel desengatado está em marcha-lenta e acaba exigindo mais combustível. Se engatado em quinta marcha, por exemplo, o sistema de injeção eletrônica se encarrega de cortar a passagem de combustível quando a rotação sobe para cerca de 1.500 a 2.000 rpm, pois ele entende que o motor está funcionando no embalo.Além de não economizar, andar em ponto morto pode te causar problemas mais sérios, são eles:

Acidentes de Trânsito

O veículo desengatado leva mais tempo para diminuir a velocidade até parar totalmente. Quando engatado, ao pararmos de acelerar, o freio motor entra em ação e auxilia a reduzir a velocidade do veículo.Sem a resistência do conjunto motriz o veículo pode alcançar velocidades mais elevadas, o condutor pode não ter o mesmo poder de redução e frenagem e consequentemente pode acabar causando uma colisão.

Infração de Trânsito

Se flagrado transitando com o veículo desligado ou desengatado em declive, o condutor pode sofrer uma penalidade estabelecida pelo CTB (Código de Trânsito Brasileiro), passível de multa e pontos na carteira, por se tratar de uma infração média.Se esses dois motivos não foram suficientes para te convencer, saiba que há mais consequências a serem listadas. Dirigir em ponto morto pode:

  • Comprometer sua segurança;
  • Ocasionar a perda de comunicação entre a roda com motor;
  • Causar desgaste excessivo nos freios e;
  • Danificar a caixa de marchas.

Essa prática é realmente perigosa e desnecessária, se você conhece alguém que precisa perder o hábito de dirigir em ponto morto, compartilhe este artigo.Não deixe de acessar o blog da Bono Pneus, semanalmente nós compartilhamos matérias que podem contribuir com a melhor performance do seu carro e com a sua segurança no trânsito.

Troca de Óleo. Entenda a importância!

Para evitar gastos desnecessários, é importante trocar o óleo do carro no tempo certo. E utilizar o óleo específico para o seu carro

Realizar a troca de óleo seguindo as recomendações do fabricante é fundamental para o bom funcionamento do veículo. A principal função do óleo é evitar o atrito entre as peças do motor e consequentemente o desgaste delas. A falta dessa lubrificação pode até mesmo travar o motor.Além disso, ele também mantém a temperatura do motor e, proporciona limpeza a peça, eliminando a sujeira gerada pela combustão e vedando para que nada entre no motor e contamine todo o sistema.Tanto a maioria dos fabricantes de automóvel, quanto os de óleo, recomendam que a troca seja realizada a cada 10 mil quilômetros rodados ou 12 meses, o que vencer primeiro. É fundamental que você cheque o manual do carro.Também devemos nos atentar ao filtro de óleo, que tem como função eliminar partículas de metal que são geradas pela fricção das peças do motor.Antigamente o recomendado era trocar o filtro a cada duas ou três trocas de óleo, mas atualmente as principais montadoras recomendam que ele seja trocado sempre em todas as trocas de óleo.Agora que você já entendeu a importância que o óleo lubrificante tem para o seu carro, vamos a parte mais específica e técnica deste item.O óleo que o seu amigo utiliza no automóvel dele, nem sempre é o mesmo recomendado para o seu, afinal existem óleos específicos para cada carro.É importante levar em consideração a quantidade, a periodicidade de troca, o modelo do carro, a marca e seu ano de fabricação.Todas essas informações você encontra no manual no automóvel, mas saiba que nosso time de especialistas está pronto para te atender caso você tenha alguma dúvidas.

Troca de Óleo - Bono Pneus

Óleo Mineral, Sintético ou Semissintético?

Atualmente o mercado conta com três tipos distintos de óleo, é normal que algumas pessoas não saibam a diferença entre eles. Vamos falar brevemente sobre cada um, para que você entenda cada vez mais sobre o assunto. Confira:

  • Óleo Mineral: O Óleo Lubrificante Mineral é derivado de óleos básicos, obtidos do processo convencional de refino de petróleo e aditivos. Geralmente ele atende as demandas de veículos mais antigos, é o mais comum no mercado e possui o menor preço.
  • Óleo Sintético: O Óleo Lubrificante Sintético é derivado de óleos básicos, obtidos através de processos mais modernos de refino ou processos petroquímicos e aditivos. Esse tipo de óleo lubrificante é o mais desenvolvido, o que apresenta melhor relação custo/benefício, responde melhor aos carros mais modernos do mercado e tem alta durabilidade.
  • Óleo Semissintético: Produzido a partir da combinação de óleos básicos minerais e sintéticos, o óleo lubrificante semissintético reúne as melhores propriedades de cada tipo de óleo, o que torna seu preço e durabilidade intermediários, performando muito bem juntos aos motores que temos no mercado.

Troca de Óleo - Bono PneusClassificação SAE de Viscosidade. Saiba o que é!

Você já deve ter reparado que todo óleo lubrificante possui uma sigla formada por números junto à uma letra, como por exemplo “15w30 e 5w40”. Isso nada mais é do que a Classificação SAE de Viscosidade.Cada veículo necessita de uma viscosidade de óleo específica, dependendo do tipo de motor, quilometragem, uso e temperatura do ambiente.O primeiro número mais a letra W, indica a viscosidade do óleo em baixas temperaturas (quando o motor ainda está em repouso).O segundo número indica a viscosidade do óleo à 100°C (quando o veículo está em movimento).São várias as especificações de um óleo lubrificante, né? Por esse motivo não dá para usar o “achômetro” na hora de escolher, ou então a durabilidade e o desempenho do motor poderão ser comprometidos.É muito importante que você leve a troca de óleo a sério, só assim você evita manutenções desnecessárias e gastos maiores, causados por esse descuido.Além disso, é muito importante que você conte sempre com um especialista para realizar este serviço.